TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - 330a. MUNDANÇA DE ENSINO: QUANDO O POVO DE DEUS FICOU SOB O CATIVEIRO DE BABILÔNIA, A GRANDE?


Antes de 1o de março de 2016, o Corpo Governante ensinava que assim como o povo de Deus ficou sob o cativeiro de Babilônia, por um período de tempo, entre 607 a 537 a.C., assim também na história moderna dos TJs, o suposto povo de Deus ficou debaixo do cativeiro de Babilônia, a Grande, o império mundial da Religião Falsa, em 1918 e 1919, quando a liderança da seita ficou na cadeia, presa. Mas a luz do "jeová" TJ mudou, e agora uma nova interpretação, tão desprezível quanto a primeira, veio à tona. Qual seria?

A revista A Sentinela de 1o. de Março de 2016, páginas 29 a 31, está explicando que:
(1) O cativeiro moderno do povo de Deus em relação à Babilônia, a Religião Falsa, começou um pouco depois do ano 100 d.C., pois a partir dessa época muitos teriam se desviado da fé, ensinos falsos teriam sido introduzidos na Igreja Cristã, Bíblias foram queimadas, de modo que os cristãos do tipo "trigo", por serem uma minoria, ficaram presos à Babilônia, a Grande.
(2) Assim como na visão de Ezequiel, do Vale dos Ossos Secos, em que aqueles ossos secos aos poucos foram trazidos à vida, da mesma forma o povo de Deus foi ressuscitado espiritualmente em 1919, pois estavam como que mortos desde um pouco depois do ano 100.
(3) Assim, a partir de 1919, os TJs (ainda chamados de Estudantes Internacionais da Bíblia), teriam sido libertos de Babilônia, a Grande.
Quanta abobrinha! Perguntamos aos TJs:
  1. Quem disse que da mesma forma que Israel foi para o cativeiro, assim também a Igreja iria para um cativeiro espiritual de 1819 anos? 
  2. Que porcaria de "Igreja" é essa que dos 1983 anos de sua história (33 d.C a 1919), ficou 1819 anos (100 d.C. a 1919) presa a um suposto império mundial da religião falsa? Ou seja, que Igreja ou povo de Deus é esse que passa 91,72 por cento de sua história presa à religião falsa? 
  3. Que paralelo profético é esse entre o Israel antigo que passou 70 anos, dentre 2800 de história de judaísmo, preso em Babilônia e a Igreja Cristã presa 1819 anos, dentre seus 1983 anos de história? 
  4. Se o exílio babilônico serviu como meio de Deus disciplinar seu povo, Israel, e o próprio Deus da Bíblia arquitetou essa disciplina, predizendo-a com muita antecedência, para que fins de disciplina teria servido o povo cristãos de Deus supostamente ter ficado preso 1819 anos à "classe do joio", ou seja, os cristãos falsos? Que lixo de Igreja é essa que viveu presa às portas do inferno por 1819 anos, dos seus 1983 anos de história, sendo que Jesus ensinou que as portas do inferno não resistiriam diante dessa Igreja? - Mateus 16:18.
Embora seja verdade que muitos ensinos errôneos foram introduzidos na história da igreja cristã, depois do ano 100, isto não significa que nunca houve cristãos entre o ano 100 e o ano 1919, e muito menos que eles estariam presos à religião falsa. Trigo é sempre trigo. O trigo (cristãos de verdade) cresce junto com o joio (falsos cristãos) até a colheita (33.d.C - ?) Sempre houve um igreja vitoriosa, resistindo aos ensinos de demônios, pois Jesus garantiu antes de ascender aos céus: "Estarei convosco todos os dias, até o fim dos tempos". (Mateus 28:20) Portanto, declaramos uma maldição herética do demônio a interpretação do Corpo Governante de que a Igreja de Jesus, chamada de Corpo de Cristo (1 Coríntios 12:27), tenha passado 1819 anos presa ao suposto IMPÉRIO MUNDIAL DA RELIGIÃO FALSA. E declaramos herege quem crê numa imundície de interpretação desse naipe.  

Outros questionamentos vêm à tona também. Para os TJs, ser libertos de Babilônia tem a ver com uma suposta purificação do tempo espiritual dos TJs, que teria acontecido até 1919. Todavia, analisando bem a questão, os TJs continuaram presos à Babilônia moderna, pois mesmo depois de 1919, os TJs participavam de aniversários natalícios, comemoravam o Natal ainda, ensinavam ser bom doar sangue, e previram a volta de Jesus para duas datas: 1925 e 1975. Ou seja, se realmente esses ensinos são práticas de Babilônia, a grande, o faxineiro que purificou esse templo TJ jogou essas sujeiras por debaixo dos tapetes do templo TJ. Era um faxineiro de meia tigela, que não purificou direito o templo TJ por ainda permitir que supostas crenças de Babilônia, à Grande, perdurassem por muito tempo na história da SEITA TJ, depois de 1919. Portanto, ele precisa ser demitido. Eu já o fiz de minha vida! 

Para encerrar a refutação a essa abobrinha TJ, afirmo o seguinte: Esse papo de grande apostasia entre o ano 100 d.C. e o tempo de um suposto restabelecimento da adoração verdadeira é a falcatrua argumentativa de toda seita do diabo que precisa explicar como podem ser a Igreja que Jesus deixou se  cada uma dessas seitas foram fundadas recentemente. Então, eles precisam ensinar que a Igreja vencedora de Jesus, composta pelos que conheceram a verdade e foram libertos por ela (João 8:32) viveu 91,72 por cento de sua história presa ao Império da Religião Falsa. É muita incompetência ao interpretar a Palavra de Deus, não acha? Não é a toa que já mudaram 330 vezes de ensinos! - Fernando Galli.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários devem contem no máximo 500 caracteres