domingo, 4 de julho de 2010

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SUAS CRENÇAS ABERRANTES - PARTE 13.

Clique na foto e amplie
De uma olhada à sua direita. Vê esse rapaz simpático chamado TJ7? Esse mocinho se identifica assim porque desobedece ao seu Corpo Governante testemunha de Jeová, que o aconselha a não construir sites falando das crenças TJs. Mas esse mocinho, que representa vários TJs, se identifica assim porque não quer ser descoberto para evitar processos, quando agridem pessoas. Por exemplo, em suas páginas publicaram um artigo com o tema "Vendedores Ambulantes da Palavra de Deus" e usaram PDFs do meu curso TJ, que antes era pago, como exemplo de vendedores da Palavra de Deus.

PERFECT LIBERTY


1. HISTÓRICO DO MOVIMENTO

quinta-feira, 1 de julho de 2010

DISCIPULANDO OS QUE DIZEM: "NÃO SEI QUAL IGREJA FREQUENTAR".

 Apenas nas ruas próximas de minha casa há umas qunze igrejas. Costumamos dizer que Deus abre várias portas para que o incrédulo aceite a Cristo. Todavia, quando realmente cristãs, muitas placas denominacionais, com suas doutrinas secundárias em conflito, pode gerar dúvida na mente daqueles que receberam Jesus em suas vidas. Também, há aqueles que não conseguem se adequar a uma igreja, devido a conflitos pessoais, escândalos, e não progridem na fé. Como evangelizar e discipular a essas pessoas? Que palavras iniciais podemos dirigir a elas? 

Estratégia de evangelismo e discipulado. 

Concentre-se na pessoa de Cristo. Ele é a verdade absoluta. (João 14:6) Depois prove na Bíblia que a religião ou igreja verdadeira é um modo de vida adotado por todos aqueles que aceitam a Jesus e o servem, conseqüentemente. (Hebreus 10:24, 25)   numa igreja cristã. Ajude-a a entender que somos imperfeitos, por isso, muitos observam apenas os erros. Assim, estude e enumere as características da igreja verdadeira. Explique também que a verdadeira Igreja de Cristo compõe-se dos salvos, e que eles estão representando a Cristo em suas igrejas e neste mundo sem Deus. Isso a fará compreender o que Jesus espera dos membros de sua Igreja e como devem agir no seu dia-a-dia nas igrejas. 

Demonstre amor


O amor persevera. Assim, não desista de mostrar paciência, atenção e compreensão. Ouça os motivos que deixam a pessoa indecisa. Coloque-se no lugar dela. Evite ser superficial quando ouvi-la falar sobre erros e falhas no meio cristão. Prove a ela que Deus a entende, mas ao mesmo tempo que a deseja no meio das ovelhas de Jesus.

Possíveis reclamações e possíveis respostas

Cena 1 - “Cada religião diz ser a verdade. Na minha família tem pessoas de várias crenças. Sai briga aqui em casa, às vezes. Assim fica difícil!”


Resposta: Em primeiro lugar, religião é a sua fé. Quem tem fé no Buda é budista. Quem tem fé em Ala é muçulmano. Quem tem fé em Jesus é cristão. Assim, minha religião é o Cristianismo. Dentro do Ciristianismo, há muitas denominações que professam a crença em Jesus. E há aquelas que dizem crer em Jesus, mas ensinam um outro Jesus, tornando-se uma seita. Se tentarmos encontrar o caminho certo apenas por ouvir o que as pessoas dizem, ficaremos realmente em dúvida. Mas se acreditarmos nas simples palavras de Jesus, já estaremos dentro da religião verdadeira. Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.” (João 14:6) Você crê nisso? (Espere uma resposta.) Se você crê, precisa aceitá-lo como seu único Salvador. (João 3:16) Depois de aceitar a Jesus, você entenderá que as igrejas ou denominações cristãs - Batista - Presbiteriana - Metodista - Assembléia de Deus - Quadranguar e outras têm suas diferenças de interpretação, mas todas ensinam a salvação exclusivamente através de Jesus Cristo. Deus sabe que não podemos interpretar a Bíblia cem por cento corretamente, pois Ele é o seu Autor. Por isso, Ele compreende essas diferenças, mas não deseja que briguemos por assuntos de segunda importância. Ele deseja que tenhamos fé em Jesus, e que este Filho amado que morreu por nós seja o centro de nossas vidas. Portanto, ao aceitar a Jesus como seu Deus, Senhor e Salvador, você pode decidir ser membro de uma das igrejas que ensinam a doutrina de Jesus, que só ele é o caminho a verdade e a vida. Sabia que Jesus, e a própria Bíblia, ensina-nos a viver harmoniosamente apesar dessas diferenças?

Observação: Aqui será muito importante você ensinar seu ouvinte a praticar os mandamentos recíprocos: Amai-vos uns aos outros, perdoai-vos, suportai-vos, entre outros. 

Cena 2 - “Fui a uma igreja, o Padre só ficou falando em política. Fui nos crentes, vi lá dentro brigas entre jovens, crianças brincando e fazendo barulho fora da igreja. Sem contar aqueles que lá dentro parecerem uma coisa, mas na vida real não serem nada daquilo.”

Não existe igreja perfeita. Desde a primeira igreja cristã, há quase dois mil anos, há problemas. Não devemos escolher a denominação cristã esperando perfeição. Mas a Bíblia mostra que o amor é um sinal dos que seguem a Cristo. Veja o que Jesus disse em João 13:34, 35. (Leia o texto e pergunte o que a pessoa entendeu.) Assim, quando demonstramos amor, compreendemos os erros dos outros. Aprendemos a perdoar. E isso gera um ambiente cristão dentro da igreja. Você está disposto a perdoar e compreender? (Espere uma resposta.) Todavia, Deus entenderá se você se sentir melhor numa igreja mais organizada, onde os pais ensinam seus filhos a se comportarem como ouvintes da Palavra, onde o pregador fale sobre o Reino de Deus e seu Rei Jesus Cristo. Gostaria de te convidar para assistir a um de nossos cultos. Que eu me lembre, nos últimos cultos eu aprendi muita coisa interessante. (Fale do que você aprendeu.) Podemos combinar para eu te levar ao templo nesse próximo domingo?

Observação: É importante ensinar a pessoa a se concentrar no exemplo de Jesus, e naqueles que seguem suas pisadas. (1 Pedro 2:21) O fato de uma pessoa trabalhar numa empresa e observar que alguns não se comportam bem, em si, não deve fazer a pessoa abandonar o trabalho. O mesmo podemos dizer de freqüentar e ser membro ativo numa igreja cristã. Motive a pessoa assistir aos cultos regularmente. (Hebreus 10:24, 25) Mas não insista. Pergunte ao pastor sobre qual tema ele pretende falar, e avise a pessoa por telefone. Deixe-a interessada. Ensine-a a anotar os pontos principais da mensagem, ou se preferir, no começo faça isso para ela. Prove para ela que prestando atenção nos ensinos bíblicos e em Jesus, os cultos terão um significado especial para ela. Outra dica importante é apresentar a ela pessoas de fé, alicerçadas na Palavra, de boa reputação. Ao levá-la ao culto, faça-a sentir-se bem recebida. 

Cena 3 - “Eu até gostaria de freqüentar uma igreja, mas olha só: é proibido um monte de coisas que eu gosto de fazer. Por exemplo, gosto de uma cervejinha. O pastor falou que é pecado. Gosto de dançar em nightclubs, mas o pastor disse que Deus não gosta desse tipo de lugar. Então, vou sacrificar os meus gostos para ser membro de uma religião? Por outro lado, se eu for numa religião liberal demais, fico me perguntando se Deus aprova tudo aquilo. Escolher igreja tá difícil!” 

Resposta - "Se você amar a pessoa de Cristo Jesus, e for grato por tudo o que Ele fez por nós, então deverá entender que Ele, como o fundador da Igreja Cristã, quer o nosso melhor. Para isso, Deus deixou-nos a Bíblia como um guia para as nossas vidas. Ela é uma fonte de verdades e conselhos para o nosso bem. Então pergunte-se: Não é verdade que muitos ao iniciarem a beber se tornaram viciados e passaram a andar com más amizades? Não é verdade também que dançar em nightclubs nos põe junto com pessoas não-cristãs, que fumam drogas, bebem, brigam, agindo de um modo que Jesus jamais aprovaria? (Espere uma resposta.) Por isso, pergunte-se: Deus ficaria mais triste ou mais feliz comigo se eu deixasse de beber e de freqüentar certos lugares? Mas a igreja que frequento se reúne para confraternização: fazemos almoços, retiros, passeios, muitos saem para comer uma pizza depois do culto. As igrejas sérias possuem pastores que cuidam do rebanho, das ovelhas. Por isso, pode parecer que sua liberdade seja menor, mas com o tempo você perceberá que valeu a pena conhecer pessoas que amam a Deus e desfrutam do companheirismo cristão com elas. Que tal, então, comermos uma pizza depois do culto de domingo?

Observação: Perceba que nessa abordagem não se mencionou nenhum texto bíblico. Mas a essência da Palavra de Deus está por trás dessas palavras, pois as más amizades estragam bons costumes (1 Coríntios 15:33), por isso precisamos de nos associar com cristãos, para sermos estimulados ao amor e às obras boas. (Hebreus 10:24, 25) A prática do cristianismo e os bons costumes que dele aprendemos substitui, aos poucos, os desejos da carne. Foi exatamente isso que aconteceu conosco quando o Espírito Santo passou a morar em nós. Fomos mudando aos poucos em muitas áreas de nossas vidas. O mesmo ocorrerá com pessoas sinceras à Verdade. Por isso, oriente a pessoa a acreditar que ela pode ser feliz seguindo os passos de Jesus juntamente com seus seguidores. Em conversas adicionais você poderá ler textos bíblicos que falem de felicidade (Mateus 5:3-12), liberdade (João 8:32) e viver para agradar a Deus. - Provérbios 27:11.

Um alerta

Evidentemente, no evangelismo e discipulado, nosso alvo é permitir que as pessoas vejam o caráter de Cristo refletido em nossas vidas. Por isso, devemos ser maduros e saber trabalhar com essas diferenças de personalidade e de pontos secundários nos ensinamentos das denominações cristãs. Por isso, o alvo é Cristo. Um discípulo mal orientado se concentrará nos erros, e será um "prato cheio" nas garras dos sectários, cujas organizações são uniformizadas e robotizadas para dar ares de unidade cristã, quando na verdade seguem a homens. Portanto, ensinemos a todos os que se queixam de erros, falhas, pecados e divergências que, apesar de tudo isso, Cristo nos une e que a Bíblia nos exorta a discordarmos dos nossos irmãos cristãos com respeito, através do amor de Cristo. Ele, por fim, levar-nos-á ao Reino dos Céus. Ali usufruiremos a verdadeira e plena unidade por toda a eternidade. - Fernando Galli, 22 de julho de 2010.

COMO ENCARAMOS OS IDOSOS?


Enquanto a Bíblia ordena: "Levanta-te diante dos idosos, honra a pessoa do ancião e teme o teu Deus. Eu ou o SENHOR" (Levítico 19:32), muitas pessoas encaram os idosos da seguinte forma: "O velho é o adulto de cabelos brancos, socialmente inútil e irremediável".[2] De fato, há muitos relatos de idosos sendo maltratados pela família, através do descaso, do abandono, e até mesmo pelo desrespeito do Governo, o qual não é capaz de garantir aposentadorias e pensões justas, bem como um sistema de saúde competente para quem contribuiu com a história política, econômica e social de seu país por longos anos.

Por que honrar os idosos?

Nas línguas originais, o verbo "honrar" e o substantivo "honra" transmitem a ideia de "ser pesado", "reputação", "preço", valorização". [1] Com isso em mente, e sabendo que seremos idosos um dia, a menos que uma fatalidade ou a volta de Cristo não nos permita esse privilégio, ao encontrarmos com idosos, nas ruas, praças, templos, devemos honrá-los pelos seguintes motivos:
  • Porque é uma questão de amor e gratidão por tudo o que eles já fizeram de bom por você e por alguém;
  • Porque Deus nos ensina a honrá-los através de sua Palavra, a Bíblia, e conforme o texto de Levítico 19:32, honrá-los e colocado em paralelismo com temer ao SENHOR.
  • Porque eles têm muito que nos ensinar, pela sua sabedoria e experiência de vida.

Seria algum exagero aplicar a expressão de Jesus "brilhe a vossa luz diante dos homens" (Mateus 5:16) no modo como honramos os idosos?

Como podemos honrar os idosos?

Tudo que se aprende com a Bíblia, deve-se diminuir a brecha entre o saber e o fazer. (João 13:17) Se sabemos que precisamos honrar os idosos, temos que praticar o amor em ação. Como honrá-los?
  • Por respeitá-los como eles são;
  • Darmos a eles a devida valorização;
  • Sermos carinhosos com eles como foram um dia conosco;
  • Compreendermos os seus problemas;
  • Reconhecermos a importância deles em nossas famílias;
  • Jamais fazê-los se sentirem esquecidos;
  • Sermos uma constante surpresa na vida deles. Carlos Drummond de Andrade escreveu: "Há duas épocas na vida - infância e velhice - em que a felicidade está numa caixa de bombons."

Com essas poucas sugestões, podemos mudar o quadro de descaso para com os idosos. O cristão moldado pelo caráter de Cristo pratica naturalmente o honrar os idosos e o dar-lhes a devida valorização. Qual foi a última vez que você cumprimentou, abraçou ou beijou um idoso (não vale a sua avó)? No templo, quantas vezes ajudou um idoso, deu-lhe boas vindas, saudou-o com a paz de Cristo (ou da forma como sua igreja está acostumada)?

Conclusão

Preste atenção e reflita em Levítico 19:32, nos três verbos principais da primeira parte do texto: Levanta-te, honra e teme. "Honrar" está em paralelo com "temer" a Deus. Oremos e tenhamos atitudes humanas e cristãs para com os nossos idosos. O Antigo de Dias, nosso Deus, alegra-se muito com aqueles que se importam com os idosos - com palavras e ações. - Fernando Galli.
____________

[1] VINE, W. E. & UNGER, Merril F. & WRITE JR, WILLIAM. Dicionário VINE. Paginas 145, 146, 694, 695. Editora CPAD. 3ª. Edição. 2003.
[2] BERNANDO, Salovi. O Idoso Ativo. Página 77. Juerpe. Rio de Janeiro. 2000.

ESPIRTISMO KARDECISTA - MENU

  1. SEU CONCEITO SOBRE A BÍBLIA
  2. SERÁ QUE REENCARNAMOS?
  3. ESPÍRITOS COM AMNÉSIA OU MENTIRA DO DIABO?
  4. ESPIRITISMO KARDECISTA E SUA MÁGICA PARA ENSINAR A REENCARNAÇÃO
  5. O ESPIRITISMO E A ORIGEM DO HOMEM
  6. O ESPIRITISMO KARDECISTA NEGANDO O PAI E O FILHO.
  7. CRIAM JÓ E JEREMIAS NA REENCARNAÇÃO?
  8. SERÁ QUE O FILME ESPÍRITA "NOSSO LAR" IMPRESSIONA VOCÊ?
  9. OS PRIMEIROS E OS ÚLTIMOS NA ÓTICA KARDECISTA 
  10. POR QUE AS CRIANÇAS MORREM?
  11. SOFREMOS DEVIDO AOS PECADOS EM VIDAS PASSADAS?
  12. AOS QUE PRECISAM DE OBRAS PARA SE SALVAR.
  13. ESPIRITISMO KARDECISTA E O CHOQUE ANÍMICO.
  14. AS SUPOSTAS REENCARNAÇÕES DE SANTOS DUMONT.
  15. INTERPRETAÇÃO MALUCA SOBRE A PARÁBOLA DOS PANOS E DOS ODRES E VINHOS.
  16. O CONCEITO CRISTÃO SOBRE AS MENSAGENS PSICOGRAFADAS DE CHICO XAVIER.
  17. TENTATIVA FRACASSADA DE PROVAR A REENCARNAÇÃO NA BÍBLIA.
  18. APOSTILA - REENCARNAÇÃO OU RESSURREIÇÃO?

PAUL, O POLVO QUE PROFETIZOU MELHOR QUE OS FALSOS PROFETAS


A Bíblia diz aos preguiçosos: "Vá ter com a formiga, ó preguiçoso!" (Provérbios 6:6) Com essas palavras, o proverbista exortava o preguiçoso a trabalhar. Com isso em mente, não seria nenhum exagero criarmos a frase: "Vá ter com o Polvo Paul*, ó falso profeta".

Tais palavras caem como uma luva quanto àqueles que brincam de profetizar, tanto quanto a prever o futuro ou como atuar como "boca de Deus". Jesus predisse: "Levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos". (Mateus 24:11) João, no final do primeiro século, havia escrito: "Pois muitos falsos profetas saíram pelo mundo afora". (1 João 4:1) Em todas as épocas da história do Cristianismo as palavras de Jesus acima têm se cumprido.

Na foto acima, observamos personagens que provam isso. Ellen G. White, dos Adventistas do Sétimo Dia, declarou algo que jamais aconteceu:
“Quando a Inglaterra declarar guerra, tôdas as nações terão seu próprio interesse em acudir, e haverá guerra geral e confusão geral.” - Testemony for The Church, vol. I, citado no livro Subtilezas do Erro, página 42.
Joseph Smith Jr., fundador da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mormonismo), predisse o que também jamais ocorreu:
"Uma revelação de Jesus Cristo ao seu servo Joseph Smith [...] A palavra do Senhor com respeito à sua Igreja, como que pela boca do seu profeta, para a restauração do seu povo e para o ajustamento dos seus santos que permanecerão sobre o Monte Sião, o qual será a cidade Nova Jerusalém, (...) no limites ocidentais do Estado de Missouri, e dedicado pela mão de Joseph Smith Jr. E outros com quem o Senhor se comprazia. (...) Pois na verdade esta geração toda não passará, sem que seja construída uma casa ao Senhor.” - Doutrinas e Convênios, 1950, página 157.
Charles Taze Russel, fundador das Testemunhas de Jeová, profetizou o que jamais se cumpriu
“Não vemos nenhuma razão para mudar os números, nem poderíamos nós mudá-los se quiséssemos. Eles são, nós cremos, datas de Deus, não nossas. Tenha em mente que o fim de 1914 não é a data do começo, mas do fim do tempo de tribulação. Não vemos qualquer razão para mudarmos de opinião...” - Torre de Vigia de Sião de 15 de julho de 1894, página1677 - reimpressão em inglês.
William Marion Braham, da Seita Tabernáculo da Fé, predisse o fim para 1977, nas seguintes palavras:
“A era Laodiceiana começou por volta da entrada do século vinte, talvez em 1906. Por quanto tempo ela se estenderá? Como servo de Deus que tem uma infinidade de visões, NENHUMA das quais jamais falhou, deixem-me predizer (Eu não disse profetizar, mas predizer)** que esta era terminará por volta de 1977. Se me perdoam uma referência pessoal aqui, baseio esta predição em sete visões principais e contínuas que me vieram um Domingo de manhã de junho, em 1933.” - A dispensação da Igreja de Laodicéia, página 6. Nada disso aconteceu. 
David Berg, da Seita Meinos de Deus, hoje conhecida como A Família do Amor, "Fixou o ano de l993 para o retorno de Cristo. Usou o argumento de que Jesus disse somente que não podíamos saber o dia e nem a hora, mas nada falou sobre o ano, semana ou mês". (Fonte: CACP; Clique aqui.) Nada disso aconteceu. 

O ex-pastor batista José Luiz de Jesus Miranda, o último da foto, abaixo à direita, ainda vive, e após se declarar a encarnação do Apóstolo Paulo, hoje intutula-se a encarnação de Jesus Cristo Homem. Ele predisse que até 30 de junho de 2012, todos os seus seguidores já terão sido glorificados, inclusive ele. Depois de fracassada sua profecia, anunciou ao mundo que a transformação esperada pela seita não ocorreu porque de acordo com a parábola das Dez Virgens, o Noivo iria se atrasar. Desde o anúncio dessa famigerada profecia, já sabíamos que o verdadeiro Jesus pode voltar em qualquer dia e glorificar os salvos, mas com certeza nenhuma das palavras de José Luis de Jesus Miranda se cumpririam.

Mas o que dizer do Polvo Paul? Ele acertou o vencedor de todos os jogos da Alemanha e o vencedor da Copa do Mundo de 2010, na África. (Clique aqui e confira). Ele acertou 100% das suas "profecias". Vão ter com o Polvo Paul***, falsos profetas! - Fernando Galli.
________

* O polvo Paul se tornou conhecido durante a Copado Mundo da África do Sul, em 2010. Em sete jogos, ele acertou o vencedor, inclusive a final. Colocava-se duas caixas transparentes de vidro com os nomes das seleções, uma em cada caixa, e aquele na qual ele se acomodasse corresponderia à seleção que ganharia a partida. Acertou todas!
** Qual seria a diferença entre predizer e profetizar quando o assunto em questão é religioso? 
*** O Polvo Paul já é falecido. 

EM SUA IGREJA, DISCIPULAM-SE OS NOVOS OU DIZ-SE "PULAM-SE OS NOVOS"?

Disse Jesus: "Ide, portanto, e fazei discípulos de pessoas de todas as nações". (Mateus 28:19) A Primeira pergunta: Quantos em sua igreja têm ido? Muitas lideranças respondem: (1) "Temos um casal responsável pelo evangelismo em nossa igreja", (2) Está na agenda de nossa igreja evangelizar todo dia de Finados"; (3) "Às vezes, saímos para entregar folhetos pelas casas". Que bênção, não acha? Eu não acho. O texto de Mateus 28:19 nos ordena a ir fazer discípulos, e não ir (evangelizar) e fazer discípulos. Obviamente, tudo começa com o evangelismo, mas CHAMPLIN comenta: "O fazer discípulos envolve, em primeiro lugar, a necessidade do evangelismo; mas também subentende um exercício de treinamento e orientação, de forma que esses discípulos sejam melhor firmados e instruídos na plenitude da mensagem do evangelho". (CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, página 654. Volume 1. Editora Hagnos. 2005) Parar no evangelismo, como se ele estivesse implícito no IDE é um erro! O evangelismo faz parte inicial do fazer discípulos. O que muitas igrejas fazem? Trazem uma pessoa para o templo, ou ela vem porque ninguém a evangelizou, ela aceita a Cristo, entra na Classe de Batismo, faz entre três a treze lições, é batizada e está bom de mais! Mas não está. Por quê? Observe a definição de discípulo: "É o crente que está crescendo em conformidade com Cristo, ganhando almas pela evangelização e fazendo o aconselhamento pessoal delas para garantir sua permanência". (KUHNE, Gar W. O Discipulado Dinâmico. Página 23. Editora Betânia-Belo Horizonte-MG. 4a. Edição. 2008) Mark Denver escreveu: "Uma igreja saudável se caracteriza por um interesse sério pelo crescimento espiritual por parte de seus membros. Em uma igreja saudável, as pessoas querem melhorar no seguir a Jesus". (DENVER, Mark. Nove Marcas de Uma Igreja Saudável. Página 218. Editora Fiel. 2007) Um dos melhores textos bíblicos sobre discipulado encontra-se em 2 Timóteo 2:2: "E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros." Conforme se nota nesse versículo, aquilo que (1) Paulo ensinou a (2) Timóteo deveria ser transmitido a (3) homens fiéis e idôneos para que eles instruíssem a (4) outros. Aqui vemos a lei da multiplicação através do discipulado cristão. O que as igrejas precisam fazer com urgência? Treinar e equipar cristãos para discipularem outros, mesmo que esses outros estejam há trinta anos na igreja, para que eles desenvolvam ou aperfeiçoem o caráter de Cristo e passem também a discipular outros com a mesma finalidade. A igreja que cumpre a Grande Comissão de Mateus 28:19 não é aquela que tem o Zé e a Maria pregando de vez em quando, e muito mal, por sinal. Também não é aquela que distribui folhetinhos pelas casas e para transeuntes, para dizer que evangelizou o bairro. Isso é fazer propaganda da igreja, da denominação: Compram dois mil folhetos e pedem para o aposentado mais velhinho da igreja, com o netinho dele, carimbarem atrás o nome e o endereço da igreja que não faz discípulos. A igreja que faz discípulos não é aquela que fecha as portas para cristãos treinados e experientes na área ministrarem cursos para a formação de líderes. Também não é aquela que faz de tudo para colher mais, mas não ensina os novos a semear para colher tudo, mas colher melhor, visando, conforme aprendi nas maravilhosas aulas de discipulado, produzir homens fiéis a Cristo, pois o alvo é qualidade. (João 15:16) Portanto, vamos parar de brincar de ser igreja. Vamos trabalhar para o Reino de Deus como forma de agradecer o que Cristo nos fez: Morreu por você e por mim. Se em sua igreja "diz-se pula", ou seja, "pula ele", "ele não", comece você mesmo a fazer a diferença para que futuros discípulos seus reproduzam-se e para a glória do SENHOR Jesus Cristo e consolidem uma nova geração de salvos que realmente discipulam à maneira de Cristo. - Fernando Galli, 15 de julho de 2010.

DISCIPULADO CRISTÃO

IGREJA LOCAL DE WITNESS LEE E SUA PRÁTICA DE ORAR-LER


Nas reuniões da Igreja Local de Witness Lee, há um costume de lerem a Bíblia de uma forma diferente do que a nossa. É na verdade uma crença no “orar-ler” como a forma correta de se manusear as Escrituras. Afirmam que o "orar-ler" seja fundamental para se contatar a vontade de Deus. Observe a base para suas crenças, como creem e agem, e que aquilo que os tornam errados não está na prática desse tipo de leitura, mas encararem o método deles o mais correto e o nosso o incorreto, consequentemente. 

Crença da Igreja Local de Witness Lee - “A letra mata - todos precisamos liberar o espírito. ‘A Letra mata mas o espírito dá vida.’ A letra significa doutrinas, formas, essas coisas são letras. Qualquer coisa além do Espírito é um tipo de letra, e essa mata”. - A Expressão Prática da Igreja, página 145. 

Crença da Igreja Local de Witness Lee - “Esqueça sobre ler, pesquisar, entender e aprender a Palavra. [...] Todavia, a idéia que muitos de nós temos da Bíblia é que ela é uma espécie de ensino, um livro cheio de doutrinas. Desse modo, chegamos à Palavra com a intenção de entendermos e sabermos alguma coisa [...] Não devemos ir à Bíblia para aprender e entender somente.” - Orar Lendo a Palavra, página 5, 11, 12. 

Crença da Igreja Local de Witness Lee - “Pegue a Palavra de Deus e ore lendo alguns versículos de manhã e à noite. Não há necessidade de exercitar a sua mente para tirar dela algum proveito e não é necessário que reflita sobre o que leu. Por exemplo, ao orar - Leia Gálatas 2:19, apenas olhe para a página impressa que diz “Estou crucificado com Cristo”. Então, com os olhos na Palavra e orando do fundo do seu interior diga: ‘Glória ao Senhor, eu estou crucificado com Cristo: Amém!” - Orar Lendo a Palavra, páginas 10-12.

Refutação - A Igreja Local de Witness Lee leva o nome de seu fundador. Witness Lee nasceu em 1905 em Chefoo, China, fundou sua primeira igreja em Los Angeles, EUA, em 1962, e faleceu aos 9 de junho de 1997. Mas o que dizer das crenças e práticas acima mencionadas? A Igreja Local não proíbe a leitura da Bíblia, mas incentiva que seus membros pratiquem o “orar-ler”. E por que orar-ler? Porque para eles, quando 2 Coríntios 3:6 diz “porque a letra mata, mas o espírito vivifica”, ler apenas a letra leva à morte. Assim, não incentivam o aprofundar-se no conhecimento da Bíblia através de sua leitura, mas obrigam aqueles que desejam ingressar nesse movimento à prática da leitura em tom de oração. Se fosse apenas um costume deles, seria tolerável, mas seus adeptos afirmam que os cristãos leem a Bíblia erroneamente, pois por não a orarem lendo, perdem as bênçãos do Espírito. Então, a pergunta é: A que “letra” 2 Coríntios 3:6 se refere? À letra que o versículo 7 menciona: “O ministério da morte gravado com letras em pedras”, ou seja, a Lei de Moisés, da qual Jesus é o fim. - Veja Deuteronômio 4:13; Romanos 10:4.

A melhor refutação que temos para A Igreja Local de Lee está na resposta à pergunta: Como o próprio Deus, na Bíblia, recomenda a leitura de sua Palavra?

“Leram no livro, na Lei de Deus, claramente, dando explicações, de maneira que entendessem o que se lia.” - Neemias 8:8.

“O seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.” - Salmo 1:2.

“Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.” - Atos 17:11.

“E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais.” - Mateus 6:7.

Enquanto Witness Lee afirma “esqueça sobre ler, pesquisar, entender e aprender a Palavra, Neemias 8:8 usa as palavras “ler” (hebraico: qara´, significando ler, proclamar, gritar) , “explicações” (hebraico: seqel, significando “discernimento, entendimento” e “entendessem (hebraico: Biyn, significando “compreender”). Também, em Atos 17:11, usa-se o verbo grego “anakríno” para “examinando”, cuja idéia é “analisar cuidadosamente, investigar, verificar e questionar”. Ninguém, nessas passagens, precisou orar-ler como a Igreja Local do Lee apregoa. - Confira os significados dessas palavras no Léxico Hebraico e Grego de Strong.

Enquanto Witness Lee afirma “Não há necessidade de exercitar a sua mente para tirar dela algum proveito e não é necessário que reflita sobre o que leu”, o Salmo 1:2 nos aconselha a “meditar” (no hebraico: hagah, significando “proferir sons baixos”). A idéia de meditar de dia e de noite indica os atos de conhecer e pensar, com a finalidade de praticar. Nada a ver com ‘orar-ler’. Por fim, embora os adeptos desse movimento fiquem repitindo palavras de textos bíblicos em tom de oração, como um mantra de religiões orientais (e o fundador do movimento é oriental), Jesus nos aconselha para quando orarmos não usarmos de “vãs repetições”. Se na oração, as vãs repetições são errôneas, também o são na leitura da Bíblia, se ensinarmos que agindo assim agradaremos mais a Deus.

Por que a prática de ‘orar-ler’ rebaixa a Palavra de Deus? Porque, primeiro, ela é ensinada como doutrina na Igreja Local de Lee, e isto não se encontra nas Escrituras. Segundo, seus praticantes são levados a crer que nós, cristãos, não lemos a Bíblia corretamente, e alguns chegam a dizer que, por não lermos como eles, não temos intimidade com o Espírito Santo de Deus. Em outras palavras, trata-se de uma heresia contra a Palavra de Deus, que jamais exigiu de seus leitores sinceros uma leitura em tom de oração para recebermos o Espírito Santo. Essa heresia nada tem a ver com o método de repetição usado por alguns preletores, ou pregadores, bem como instrutores, que desejam salientar pontos-chaves de determinados versículos. Esse método é bom, mas nada tem a ver com orar-ler para “liberar o espírito”, conforme sugere Witness Lee.

Todavia, quando os adeptos de Lee e desta organização explicarem como fazem para “orar-ler”, podemos lhes dar uma resposta evangelística. Observe um exemplo disso: 

Crença da Igreja Local de Witness Lee - “O orar-ler é fundamental para um cristão poder contatar a vontade de Deus.Veja um exemplo de como fazemos: Pegamos o texto de Efésios 3:17 que diz: “e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor.” Então, em vez de estudarmos o texto, dizemos: “E assim, amém, e assim habite Cristo, aleluia que Cristo tem que habitar em nós, assim habite Cristo em vossos corações, amém Cristo habita em nós, antes Deus estava longe de nós, mas amém que por intermédio de Seu Filho, Ele pode habitar dentro de nós, a obra prima contendo o Criador, que maravilhoso, mas é somente pela fé, tem que crêr, aleluia que pela fé, Cristo pode habitar em nós, estando nós arraigados e alicerçados em amor, amém, alicerçados em amor, Deus é amor, eu preciso, eu necessito estar alicerçado e arraigado em Deus, amém.” 

Refutação - Nós cremos que orar e ler seja fundamental para criarmos uma intimidade com Deus. Todavia, em momento algum nas Escrituras lemos que a prática do “Orar-Ler” seja ensinada. Poderia mencionar algum versículo que ensine isso? (Espere uma resposta.) Sabe, eu creio muito em Jesus, e sei que Ele mudou a minha vida. Creio que é o nome que está acima de todo nome. (Ler Filipenses 2:9-11) Assim, Cristo habita em meu coração desde que eu o aceitei como meu único e suficiente Salvador. Você já fez isso? (Espere uma resposta positiva.) Se já fez, seria bom considerarmos se na sua vida há alguém, além de Jesus Cristo e da Bíblia, ditando regras e doutrinas para você. Que tal falarmos mais sobre isso? 

Observação: Os sectários seguem um líder. O líder da Igreja Local, já falecido, é Witness Lee com seus livros. Então, você precisa estudar os ensinos dele, e se preparar para ser usado pelo Espírito Santo de Deus, para remover a influência que o Sr. Lee continua exercendo na vida dessa pessoa. Estude sobre o que é “mantra”. As religiões e seitas orientais trouxeram essa prática para alguns grupos pseudo-cristãos. Raciocine que o Cristianismo não se mistura com práticas não-bíblicas. Mas não deixe de elogiar sinceramente o fato de a pessoa usar o nome de Jesus no seu dia-a-dia.

Amamos os membros “Igreja Local” e nada temos contra o caráter deles. Desejamos de todo o coração que se corrijam e se livrem das heresias de seu fundador Witness Lee. - Fernando Galli, 20 de julho de 2010.

HOMOSSEXUALISMO

2. AOS HOMOSSEXUAIS, COM TODO MEDO DE VÓS.
3. COMO UM CRISTÃO DEVE ENCARAR OS HOMOSSEXUAIS.

JOVENS E ADOLESCENTES - O AMOR DIVINO NO NAMORO

Deus é amor. (1 João 4:8) Tão inexplicável quanto Deus, é o amor que dEle emana! E tal amor é o alicerce para todo tipo de relacionamento. Até no namoro? Sim! Por isso cremos que os namorados devem ser um casal segundo o amor de Deus. Profundo, não? Então, aqui vão algumas reflexões sobre refletir o amor de Deus no namoro.

Deus deseja que no namoro os jovens reflitam este amor tão especial. Amar no namoro não é apenas o tocar nas mãos, mas a motivação divina e inspiradora ali contida e expressa; amar no namoro não é o apenas o abraçar bem forte, mas sentir o abraço de Deus aprovando o namoro; amar no namoro não é apenas o beijar longo, louco e bem molhado, mas quanto cada um desses gestos glorifica a Deus; amar no namoro não é fazer amor antes do casamento, mas esperar o tempo de Deus para isto";

Amar com o amor de Deus é namorar com Jesus do lado; é dialogar sobre o que Deus gosta de ouvir;

Amar verdadeiramente é cumplicidade total, pois Deus ensina a se importar um com o outro.

Amar também é compartilhar sentimentos, e isto envolve saber ouvir. Isto implicará em dividir o céu e o inferno de cada um;

Amar é demonstrar transparência, clareza e sinceridade.

Amar é mais do que perdoar - é viver perdoando; é mais do que tolerar; é andar em tolerância; é mais que liberar; é caminhar liberando: a paz, a bondade, a benignidade, o autodomínio.

Amar é ajudar quem caiu a levantar-se e continuar a caminhar, mas algo mais nobre: às vezes amar é cair juntos, assumir a culpa mútua, e buscar o perdão de Deus, que refaz tudo mais belo.

Amar no namoro é semear momentos divinos para colher um casamento lembrado por muitas gerações.

Amar no namoro é dormir em camas separadas esperando o dia certo de estrear a cama de casal.

Amar no namoro é ser fiel.

Amar no namoro é o preparar-se para ser uma só carne. - Fernando Galli.

A IMPORTÂNCIA DE SUPORTARMOS UNS AOS OUTROS


.Já aconteceu com todos os cristãos sentir uma dificuldade enorme de tolerar outras pessoas. É a nossa imperfeição. Deus entende, sabe que somos pó. Todavia, Deus pede-nos que suportemos uns aos outros. O texto bíblico base para tal tema diz: “Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor.”[1] Com este texto em foco, o que envolve a expressão “suportando-vos” e como ela se relaciona com o contexto? E quais os benefícios, de acordo com a Bíblia, de se praticar o “suportando-vos”?

SUPORTAR É PERDOAR SEMPRE

As atitudes do semelhante contrárias às expectativas de outrem podem perdurar. Em outras palavras, o ofensor nem sempre comete um ato isolado de ofensa, mas persiste em sua atitude pecaminosa, quer ciente ou não do seu erro. Nesse caso, pode-se diferenciar que o ato de suportar alguém envolve perdoar muitas vezes até que passe a provocação. [2] No texto em que Jesus refere-se a perdoar setenta vezes sete (ou: “setenta e sete vezes”), não se menciona o perdoar como se referindo ao mesmo pecado ou não, todavia a ideia do texto parece indicar uma contínua prática do perdoar, ao que se pode considerar como suportar. Portanto, não seria errôneo concluir que suportar envolve um conjunto de perdões por um período de tempo indeterminado.

SIGNIFICADO DE “SUPORTAR” NO TEXTO GREGO


Em Efésios 4:1, 2, o apóstolo Paulo usou o vocábulo grego (anérchomai) e, segundo VINE, significa “manter para cima, manter erguido [...] é usado na voz média no Novo Testamento, com o significado de “aguentar com, suportar”. [3] Assim, “suportar” parece indicar o esforço que alguém faz para suportar algo que precisa tolerar, carregar, como se estivesse segurando algo para cima. CHAMPLIN relaciona “suportando-vos” uns aos outros com “tolerância mútua”. [4] Isso implica num suportar mútuo – todo cristão precisa tolerar, suportar o outro.

No Novo Testamento, os usos de anerchomai dão uma ideia do esforço que se deve fazer para praticar o “suportando-vos”. Por exemplo, Jesus usa este vocábulo em relação à geração sem incrédula e perversa quando pergunta: “Até quando vos sofrerei [ou: suportarei]?” [5] Paulo relaciona o suportar com a perseguição: “Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos.” [6] Paulo também usa anerchomai ao referir-se aos cristãos sensatos tolerando os insensatos, aqueles que os escravizavam e até esbofeteavam-lhes no rosto. [7] Portanto, com mesma intensidade urge aos cristãos suportarem-se uns aos outros, até que passe a provação.

COMO E POR QUE “SUPORTAR UNS AOS OUTROS”

O mesmo escritor de Efésios 4:1, 2, o apóstolo Paulo, descreve o amor como “paciente e benigno”. [8] Visto ser o amor ao próximo que motiva o cristão a tolerar, torna-se impossível praticar o “suportando-vos” sem o exercício da paciência e da benignidade. Ao mesmo tempo em que o cristão mostra paciência, procura o bem de seu próximo que o ofende em palavras e ações, evitando revidar ou vingar-se, mas procurando usar de longanimidade, sempre esperando que a situação seja superada e resolvida. Sobre isso, CHAMPLIN afirma:

“Mas a ordem para nos suportarmos uns aos outros dá a entender que haverá entre nós abusos reais, pelo que também teremos de perdoar ofensas reais e teremos de exercer grande paciência. Portanto, o sofrer os erros cometidos contra nós é algo equiparado com a paciência, ao mesmo tempo em que devemos manter a atitude apropriada de amor por aqueles que provocaram a situação de conflito.”[9]

No texto de Efésios 4:2, Paulo deixa claro que o “suportando-vos uns aos outros” deve ser “em amor”. Por que “em amor”? ADAMS e STAMPS explicam ser “pelo fato de o amor procurar o bem-estar dos outros e o bem-estar do corpo de Cristo”. [10]Isto apenas reitera a verdade: Quem ama perdoa, quem suporta pratica o perdão – temas estes dos primeiros três capítulos desta obra.

Evidentemente, nunca é fácil suportar. Todavia, conforme se aprende com a Bíblia, a prática da humildade, qualidade esta inserida no contexto imediato de Efésios 4:2, ajuda o cristão a suportar uns aos outros, pois uma mente humilde provém de uma avaliação honesta de si mesmo da parte do cristão: ele reconhece seus erros e limitações, e que também necessita ser suportado. O apóstolo Paulo, inclusive, roga aos cristãos em Corinto para que o suportassem mais em sua loucura, referindo-se ao zelo que tinha por eles. [11]Assim, admitir com humildade a imperfeição possibilita-o a suportar assim como deseja ser suportado.

Mas por que, então, a necessidade de se suportar uns aos outros? O contexto de Efésios 4:1, 2 responde a esta pergunta com a expressão no versículo 1 “andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados” e com a do versículo 3 “esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”. Suportar uns aos outros implica que o cristão anda, ou vive, de modo digno da vocação a que foi chamado. Sua conduta diária corresponde com o estado de redenção através de Cristo Jesus. Implica também no esforço contínuo da parte do cristão para evitar facções, disputas, “arrogância, falsidade, orgulho e atitudes egoístas”.[12]Antes, o cristão se apressará em preservar a unidade do Espírito, no vínculo da paz, o que, segundo CHAMPLIN, “transcende a mera harmonia doutrinária e de filiação eclesiástica”. [13]Significa o cristão deixar o Espírito Santo atuar em sua vida como inestimável ajuda para haver tolerância mútua. Essa paz advinda do Espírito Santo, pela qual o cristão se empenha através da tolerância mútua, contribui para que os novos na fé sintam os benefícios espirituais e até físicos de se conviver numa igreja que vive à altura do nome de Jesus Cristo.

Mas suportar uns aos outros implicaria em se fazer vista ao que é errado? De modo algum, segundo as Escrituras. A tolerância mútua não implica em cegueira para com o pecado, mas envolverá muitas vezes, principalmente àqueles cristãos espirituais, tomar a iniciativa de raciocinar com a pessoa em pecado, sempre com profundo respeito e brandura, conforme a Bíblia insta nas palavras: “Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado. Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo.” [14]

CONCLUSÃO


Muitas igrejas já experimentaram a amarga experiência de se dividirem devido às diferenças de personalidade, à falta de compreensão, ao orgulho, às idiossincrasias do ser humano. Muitas vezes, pequenos detalhes dividiram grandes grupos, detalhes estes relacionados a questões pessoais levantadas uns contra os outros, as quais poderiam ser simplesmente resolvidas por haver tolerância mútua. Fica evidente, assim, que suportar uns aos outros constroi um ambiente de paz entre os seguidores de Cristo – uma paz mental e de coração. Agir assim evita o ressentimento que leva o cristão a pecar em pensamentos e até em ações contra seu próximo. A tolerância mútua caminha junto com a perspicácia, pois a pessoa ofendida, em vez de se vingar, raciocinará no que levou o ofensor a agir daquela forma, possibilitando assim o perdão de fato, e onde há o perdão, não há espaço para se nutrir pensamentos negativos sobre alguém. Tal espírito pacífico resultará em na unidade do Espírito Santo e as pessoas verão este Espírito agir na vida do cristão a tal ponto de se sentirem bem entre os salvos em Cristo Jesus.

Referências

[1] BÍBLIA. Efésios 4:1, 2.
[2] BÍBLIA. Mateus 18:22.
[3]VINE, W. E. & UNGER, Merril F. & WRITE JR, WILLIAM. Dicionário VINE. Página 1007. Editora CPAD. 3ª. Edição. 2003.
[4] CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Volume 4. Página 594. Editora Hagnos. São Paulo. 2005.
[5]BÍBLIA. Mateus 17:17; Marcos 9:19; Lucas 9:41.
[6] BÍBLIA. 1 Coríntios 4:12.
[7] BÍBLIA. 2 Coríntios 11:19, 20.
[8] BÍBLIA. 1 Coríntios 13:4.
[9] CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Volume 4. Página 594. Editora Hagnos. São Paulo. 2005.
[10] ADAMS, J. Wesley e STAMPS, Donald C. Comentário Bíblico Pentecostal. Novo Testamento. Editado por French L. Arrington e Roger Stronsad. Página 1236. 2ª. Edição. CPAD. 2004.
[11] BÍBLIA. 2 Coríntios 11:1, 2.
[12] CARSON, D. A. Comentário Bíblico Vida Nova. Página 1858. Editora Vida Nova. 2009.
[13] CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Volume 4. Página 594. Editora Hagnos. São Paulo. 2005.
[14] BÍBLIA. Gálatas 6:1, 2.

DEUS E NOSSAS LÁGRIMAS


Uma frase tocante: "E imediatamente o pai do menino exclamou com lágrimas: Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé!" (Marcos 9:24) O pai pediu para Jesus ajudá-lo em sua falta de fé. Ele cria que Jesus podia libertar seu filho daquela casta de demônios, e reconhecia que precisava de mais fé. Nas lágrimas daquele pai havia uma preocupação de que seu filho fosse liberto. E Jesus realizou a vontade daquele pai: O menino foi liberto.

O que essa passagem nos ensina? Visualize as lágrimas daquele pai. Há momentos que precisamos reagir "imediatamente". Não podemos demorar em exclamar com lágrimas: "Eu creio!"

Precisamos reconhecer nossa fraqueza humana diante de situações que podem diminuir nossa fé. Não que Deus precise ver nossas lágrimas. Todavia, Ele não resiste a pedidos sinceros. Jesus havia dito antes ao pai do menino endemoniado: "Tudo é possível ao que crê". - Marcos 9:23.

Os discípulos não puderam expulsar aquele demônio, mas Jesus pôde, e explicou: "Esta casta não pode sair senão por meio de oração e jejum". (Marcos 9:29) Há situações que nem nossos irmãos preferidos poderão nos ajudar. Dependerá de nossa atitude de fé, acompanhada de oração e, conforme alguns manuscritos, de jejum. Precisaremos reconhecer nossa dependência do Senhor Jesus para sermos libertos dos males desta vida.

Se naquelas lágrimas vemos o sofrimento do pai, Jesus viu sinceridade e humildade. Viu fé, mesmo que pequena, mas com ela um desejo de ser ajudado em crescer sua fé. Vejo, particularmente, lágrimas de esperança. Muitas vezes já choramos diante das dificuldades da vida: doenças, falta de dinheiro, desprezo, calúnia, pecados, crises emocionais. Houve vezes que nossa fé foi pequena. Mas pelo nosso relacionamento com Deus, Ele viu em nossas lágrimas palavras do tipo: "Pai, só dependo de Jesus", "Deus, não posso continuar sozinho, com pouca fé".

Convido você a procurar experimentar ousadamente da intimidade de poder chorar diante do Todo-Poderoso e reconhecer sua dependência dEle. Mas chore com o coração, mesmo que seus olhos não chorem. Deus é capaz de interpretar nossas lágrimas com exatidão. Ele nos conhece a fundo. Lembro-me de um pastor querido que, antes de minha conversão, ao me ouvir chorando no telefone, apenas dizia: "É verdade!" Eu não havia dito nada, mas ouvia: "É verdade!"

Quanto mais Deus pode decifrar a natureza de nossas lágrimas, choros, gemidos! Orar e jejuar podem até expulsar castas de demônios, mas o poder de orar e jejuar, que reflete nossa intimidade com Deus, liberta-nos de algo pior do que castas demoníacas : a nossa incredulidade. Lembro-me de quando retornamos de nossa lua-de-mel. Roberta e eu tínhamos uns 10,00 Reais no bolso. E no caminho, disse a ela: "Deus não gosta da gente". Que lágrimas foram aquelas? Bem diferentes das do pai do filho endemoniado, porque ele cria, eu não estava crendo, nem pedindo ajuda em minha falta de fé. Quando cheguei à nossa casa, um casal dos Estados Unidos, que soube de nosso casamento, enviou-nos um livro sobre vida familiar, e dentro dele, cem dólares, isso em 2004, quando o dólar estava 3,40 Reais.

Assim, Deus nos ama, mesmo quando choramos com lágrimas de um coração murmurador. Mas Ele me ensinou: Não duvide de minha Soberania. Atualmente, tenho lágrimas para serem enxugadas. Nós temos. Eu creio, em nome do Senhor Jesus, que nossas lágrimas cheias de fé escorrerão pelo dedo terno e amoroso de Deus, e se tornarão lágrimas de alegria. Creia comigo! Chore comigo! Choremos imediatamente para Jesus, até não haver mais choro (Apocalipse 21:3, 4). - Fernando Galli.

A IMPORTÃNCIA DE PERDOAR UNS AOS OUTROS

..
A definição de perdão contemporânea é: “Remissão de pena; desculpa; indulto.” (DICIONÁRIO AURÉLIO. Verbete “Perdão”) Todavia, as palavras bíblicas para perdão carregam significados mais profundos. ALEXANDER & ROSNER definem “perdão” e “perdoar” da seguinte forma: “No AT, as principais palavras hebraicas para “perdão”, e seu sentido básico, são as seguintes: slh (perdoar, perdão, enviar), noe’ (carregar, levar embora), kpr (cobrir), mhh (limpar) e ksh (cobrir). [...] O NT usa uma seleção bem menor de palavras. A mais comum é aphiêmi (usada com a conotação teológica de perdão cerca de 40 vezes), que é o principal verbo para “perdoar” encontrado nos Evangelhos [...] Em menor frequência, mas característico de Paulo, é charizomai (conceder graça, perdoar; e.g., Ef 4.32).” (ALEXANDER, T. Desmond & ROSNER, Brian S. Novo Dicionário de Teologia Bíblica. Página 1021. Editora Vida Acadêmica. São Paulo. 2009.) Ao comentar a palavra grega para perdoar, aphiêmi, VINE explica o seguinte: “Significa primariamente a remissão do castigo devido à conduta pecaminosa, à libertação do pecador da pena divinamente – e, portanto, justamente – imposta; em segundo lugar, envolve a remoção completa da causa da ofensa; tal remissão é baseada no sacrifico vicário e expiatório de Cristo. [...] Substantivo. Aphesis denota soltura, libertação.” (VINE, W. E. & UNGER, Merril F. & WRITE JR, WILLIAM. Dicionário VINE. Páginas 867, 868. Editora CPAD. 3ª. Edição. 2003.) Com essas explanações em foco, “perdão” e “perdoar” têm como base os tratos de Deus com o homem, e que no âmbito humano envolve libertar o pecador de seu pecado, conceder graça a pessoa em transgressão, a fim de restabelecer a paz e o relacionamento entre o ofensor e o ofendido. Jesus ensinou seus discípulos a pedir a Deus pelo perdão em sua oração-modelo do Pai-Nosso, nas seguintes palavras “perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores”. (Mateus 6:12) A Pedro, Jesus instou a que perdoasse seu irmão “setenta vezes sete” (ou “setenta e sete vezes”) (Mateus 18:22), denotando que “o verdadeiro perdão vai além das contagens ou limitações”. (UNGER, Merrill Frederick. Manual Bíblico Unger. Página 384. Editora Vida Nova. São Paulo. 2008) No contexto, tais palavras não implicavam ainda, pelo menos para a audiência de Jesus, no perdão à base de seu sacrifício expiatório, pois este ainda não havia ocorrido. Mas na teologia pós-ascensão, é impossível desagregar perdão do poder purificador do sangue de Cristo. Assim, Paulo podia dizer: “Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós.” (Colossenses 3:13) “Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.” (Efésios 4:32) (Clique na foto acima para ler o restante). - Fernando Galli, 12 de junho de 2010.

WICCA - BRUXARIA


1. HISTÓRICO E SUAS CRENÇAS ANTICRISTÃS

IGREJA DE DEUS DO SÉTIMO DIA

TEOLOGIA - INTRODUÇÃO


1. TEOLOGIA - O ESTUDO DE DEUS E SUA ELABORAÇÃO

DESAFIO AO FALSO PROFETA ROMILSON FERREIRA

Estou desafiando este falso profeta a sofrer, ou eu ou ele, as consequências de se agir como falso profeta. Ele previu datas para arreba...