segunda-feira, 29 de junho de 2009

DEFININDO "SEITA" E "HERESIA"

Jesus Cristo disse a Pedro: “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mateus 16:18) As portas do inferno jamais venceriam a Igreja que ataca o inferno por expor suas obras. Jesus Cristo morreu por ela, ou seja, por todos os cristãos, em qualquer época do Cristianismo. - Efésios 5:25.

Esta Igreja tem um grande inimigo, Satanás o Diabo. Junto com este arquirrival tentam inutilmente prevalecer contra a Igreja agentes espirituais chamados de demônios, bem como seus representantes terrestres. Quem são esses representantes? Todos aqueles que lutam contra a igreja de Jesus, a doutrina de Cristo e a própria Palavra de Deus. Em nosso meio, todos aqueles que apregoam "ensinos de demônios", os quais englobam tudo o que rebaixa a Pessoa de Deus e sua Palavra. - 1 Timóteo 4:1.
Prestemos atenção aos alertas bíblicos!
O próprio Jesus, e o Espírito Santo de Deus, advertiram em vários versículos da Bíblia a tomarmos cuidado com aqueles que não pregam a sã doutrina, os quais junto com verdades bíblicas introduzem seus ensinos heréticos. Observe alguns desses versículos e como essas pessoas são chamadas:
  • “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores.” - Mateus 7:15.
  • “Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos.” - Mateus 24:24; Marcos 13:22.
  • “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” - 2 Pedro 2:1.
  • “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora.” - 1 João 4:1.
  • Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo.” - 1 João 4:4.
  • “Quando eu estava de viagem, rumo da Macedônia, te roguei permanecesses ainda em Éfeso para admoestares a certas pessoas, a fim de que não ensinem outra doutrina.” - 1 Timóteo 1:3.
  • “Impuros, sodomitas, raptores de homens, mentirosos, perjuros e para tudo quanto se opõe à sã doutrina.” - 1 Timóteo 1:10.
  • “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.” - 2 Timóteo 4:3, 4.
  • “Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos.” - 1 João 2:19.
O que são falsos profetas? Refere-se essa expressão apenas àqueles que fazem falsas porfecias? Não! As palavras hebraica e grega para profeta são, respectivamente, “nabi” e “prophétes”, e denotam a pessoa usada para transmitir as mensagens de Deus. Segundo a obra de R. N. Champlin:
"Os profetas eram tidos como representantes de Deus, libertadores e intérpretes da mensagem divina. Eles serviam de elo vital na questão das revelações, bem como veículos do conhecimento espiritual”. [1]
Assim, esses falsos profetas mencionados nos versículos anteriores não poderiam ser representantes de Deus, mas de Satanás. Por isso, pregariam outra doutrina, com um outro Jesus (Ler 2 Coríntios 11:4), com fábulas, ou lendas enganosas cridas como vivenciadas por tais falsos profetas, com o intuito de reforçar a autoridade de tais mestres mentirosos. Assim, precisamos estar atentos, como cristãos conhecedores da Palavra de Deus, para identificarmos pessoas com suas inovações e seitas heréticas. Vejamos, a seguir, como podemos definir, de acordo com a Bíblia, o significado das palavras “seita” e “heresia”.
DEFINIÇÃO DE SEITA E HERESIA
As palavras “seita” e “heresia” têm uma história interessante. A Bíblia usa o vocábulo grego “hairésis” que significa “preferência, escolha”; “aquilo que é escolhido”. [2] No início, os cristãos foram chamados de “hairésis”, ou “seita”, pois este termo, neste contexto, referia-se a um grupo que tinha preferência por Cristo em vez de seguir o judaísmo. (Atos 24:5) Assim, em Atos 24:5, a palavra “hairésis” não tem conotação depreciativa, ruim. Significava apenas um partido.

Com o tempo, os escritores do Novo Testamento passam a usar “hairésis” para significar opinião ou preferência contrárias à Palavra de Deus. Assim, “hairésis” é traduzido por "seita". "Seita" vem de “secta”, do latim, ou “heresia”, e ocorre em nove textos bíblicos, sendo que os cinco primeiros sem o sentido pejorativo, referindo-se a partido, escolha, entre judeus (fariseus) ou dos cristãos (seita dos nazarenos, o Caminho):
  • “Levantando-se, porém, o sumo sacerdote e todos os que estavam com ele, isto é, a seita dos saduceus, tomaram-se de inveja.” - Atos 5:17.
  • “Insurgiram-se, entretanto, alguns da seita dos fariseus que haviam crido, dizendo: É necessário circuncidá-los e determinar-lhes que observem a lei de Moisés.” - Atos 15:5.
  • “Porque, tendo nós verificado que este homem é uma peste e promove sedições entre os judeus esparsos por todo o mundo, sendo também o principal agitador da seita dos nazarenos.” - Atos 24:5.
  • “Porém confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas as coisas que estejam de acordo com a lei e nos escritos dos profetas.” - Atos 24:14.
  • “Pois, na verdade, eu era conhecido deles desde o princípio, se assim o quiserem testemunhar, porque vivi fariseu conforme a seita mais severa da nossa religião.” - Atos 26:5.
Nesses cinco primeiros textos acima, “hairesis” é seita não na acepção pejorativa, mas com o significado de escolha, preferência, um dos partidos de uma religião ou forma de adoração. Observe como nos textos a seguir, “hairesis” é usada de forma pejorativa, denotando divisão que gera a ruína e a perdição:
  • “Contudo, gostaríamos de ouvir o que pensas; porque, na verdade, é corrente a respeito desta seita que, por toda parte, é ela impugnada.” - Atos 28:22.
  • “Porque até mesmo importa que haja partidos entre vós, para que também os aprovados se tornem conhecidos em vosso meio.” - 1 Coríntios 11:19.
  • “Idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções.” - Gálatas 5:20.
  • “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” - 2 Pedro 2:1.
Nesses quatro textos anteriores, “seita” (impugnada), “partidos”, “facções” e “heresias” são traduções da palavra grega “hairésis”, cujo significado é depreciativo, contrário ao que Deus deseja e espera de sua Igreja. No caso de Atos 28:22, os opositores do Cristianismo o consideram como seita no contexto de religião ilícita. Em 1 Coríntios 11:19, Paulo usa de ironia ao afirmar que os partidos, ou divisões, são necessários para se distinguir o cristão aprovado do não-cristão. Seitas (“facções”) está entre as obras da carne, as quais levarão pessoas à perdição. E em 2 Pedro 2:1, “hairésis” é descrita como ‘destruidora’. Assim, definimos seita, do ponto de vista teológico, como “um grupo de indivíduos reunidos em torno de uma interpretação errônea da Bíblia, feita por uma ou mais pessoas.” – Dr. Walter Martin, O Império das Seitas, página 11.
Mas o que seria uma heresia? Refere-se a cada desvio doutrinário ou doutrina antibíblica, defendida pelo grupo, ou seita, que venha a rebaixar a pessoa de Deus (ou o Pai, ou o Filho ou o Espírito Santo. As heresias rebaixam o Deus Triúno, exaltando o pensamento do líder. Elas rebaixam a Palavra de Deus, considerando-a como repleta de mitos e lendas. Certo pastor disse num culto dominical: "A Bíblia tem uns dois mil erros."
O que fazer diante das heresias das seitas e das igrejas cristãs?
Aos sectários, devemos demonstrar amor por eles. (João 13:34, 35) Mas quanto aos falsos cristãos em nosso meio, depois de muitas tentativas amorosas para restabelecê-los na fé,  caso persistirem em ensinar heresias, as quais violam o corpo de doutrinas centrais da fé, creio que deveriam ser expulsos do nosso meio. Infelizmente, poucas lideranças em nossas igrejas tem "peito" para expulsar esses falsos instrutores.

Então, resta-nos orar para permanecermos fiéis à sã doutrina, mesmo que nosso conhecimento não esteja à altura de refutar a argumentação de lobos em nosso meio. Por exemplo, um pastor-professor disse numa sala de aula do terceiro período de um curso famoso de teologia em São Paulo que "pregar sobre Segunda Carta de Pedro é fria, pois além de não ter sido Pedro quem a escreveu, o conteúdo da carta tem elementos questionáveis à doutrina cristã". Será que a Igreja de onde tal professor é membro não deveria tomar providências para reajustar a fé deste irmão na Palavra de Deus?

Enquanto isso, continuemos lutando para defender a fé cristã. Que você possa através da Bíblia se fortalecer contra as heresias ensinadas tanto em nossas igrejas como nas seitas que lhe assediam sempre, visando desviá-lo do Caminho. - Fernando Galli.

[1] O Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, Volume 7, página 5071, São Paulo : Hagnos, 2001.
[2]  Dicionário Vine, página 691, 3a. Edição, CPAD.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

CHEGA DE DESCULPAS PARA NÃO EVANGELIZAR

Texto base - "40 Era André, o irmão de Simão Pedro, um dos dois que tinham ouvido o testemunho de João e seguido Jesus. 41 Ele achou primeiro o seu próprio irmão, Simão, a quem disse: Achamos o Messias (que quer dizer Cristo), 42 e o levou a Jesus. Olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, o filho de João; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro). 43 No dia imediato, resolveu Jesus partir para a Galiléia e encontrou a Filipe, a quem disse: Segue-me. 44 Ora, Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro. 45 Filipe encontrou a Natanael e disse-lhe: Achamos aquele de quem Moisés escreveu na lei, e a quem se referiram os profetas: Jesus, o Nazareno, filho de José. 46 Perguntou-lhe Natanael: De Nazaré pode sair alguma coisa boa? Respondeu-lhe Filipe: Vem e vê." - João 1:40-46.

O que já se ouviu daqueles que pouco se interessam em falar de Jesus
1. “Eu não tenho tempo para evangelizar”.
2. “Eu não sou apto (nÆo tenho o dom) para evangelizar.”
3. “Eu não evangelizo, pois sou do louvor.”
4. “Meu pai já ‚ pastor (ou evangelista).”
5. “Já ganhei duas almas para Jesus.”
6. “Eu evangelizo sendo o que sou.”
7. “Os salvos virão de qualquer forma.”
8. “Os programas de TV fazem isso muito bem”.
9. “Não evangelizo porque sou (jovem, idoso, etc.)
10. Eu tenho vergonha, medo, receio, timidez, etc.

Qual seria a atitude correta?
Ao lermos o texto de João 1:40-46, devemos nos perguntar: Amo a Jesus? Amo as pessoas? Depois disso, ore a Deus em nome de Jesus, pedindo coragem e alegria para imitar Pedro e Filipe, que neste relato, assim que conhecem a Jesus, saem anunciando: "Achamos o Messias!" "Vem e vê!" Há quanto tempo você achou o Messias? Há quanto tempo você foi salvo por Ele? Se for o seu caso, por quanto tempo ficará na zona de conforto observando poucos que fazem um grande trabalho sem você - falar do precioso nome de Jesus. - Fernando Galli.

APRENDAMOS DAS TENTAÇÕES SOFRIDAS POR JESUS - PARTE 2 - MATEUS 4:5-7


Texto base - "(5) Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo (6) e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. (7) Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus." - Mateus 4:5-7.

Na primeira tentação, vimos o Diabo usar o desejo da carne e desafiar Jesus para transformar pedras em pães, dando a entender que o Pai não cuidava do FIlho, e que Jesus não deveria, portanto, confiar no Pai, mas em si mesmo, ou nos seus poderes. Mas Jesus usou sabiamente as Escrituras para refutar o inimigo. Mas o Diabo não desistiu e uma nova tentação desfere a Jesus.
O Tentador e o desejo dos olhos
Como o Diabo é astuto e sujo! Se na primeira tentação ele tenta fazer Jesus confiar em si mesmo e não em seu Pai, na segunda tentação pede para Jesus pular do pináculo do templo e confiar em Deus, o qual enviaria anjos para que seus pés não se chocassem contra o chão. Podemos considerar como um apelo ao desejo dos olhos, pois Jesus veria como os anjos lhe assistiriam e como o Pai dele o ajudaria.
Além disso, este odioso inimigo usou as Escrituras, da mesma forma como Jesus havia feito a ele anteriormente, para justificar sua tese: Pule, e nada lhe acontecerá, fazendo uma citação do Salmo 91:10, 11.
O que aprendemos dessa segunda tentação?
Preste atenção e veja como as artimanhas do Diabo são perigosas para você. Veja as lições que aprendemos da segunda tentação dele a Jesus:
  1. Ele muda seus métodos. Na primeira tentação, quis fazer Jesus não confiar no Pai. Na segunda, ele pediu para Jesus confiar no Pai e nos anjos dele.
  2. Ele pode querer te ensinar a confiar em Deus de uma forma errada, para que Deus não te atenda e você se sinta decepcionado com Deus.
  3. Ele usa as Escrituras, se for preciso, para nos desencaminhar.
O que aprendemos do modo como Jesus reagiu à tentação?
Jesus retrucou ao Diabo com as Escrituras - "Não tentarás ao SENHOR teu Deus." Ele citou as palavras de Deuteronômio 6:16. Muitos cristãos são tentados a pôr suas vidas (física e espiritualmente) em perigo. Que texto você usaria para alguém que te convidasse a:
  1. Tirar um racha ........................... Romanos 13:1.
  2. Ir a uma festa rave ........1 Coríntios 15:33; Salmo 1:1.
  3. Participar de jogos de azar? ....... Salmo 55:23.
O que faremos se formos tentados com o desejo dos olhos?
Aqueles que arriscam sua vida, seu dinheiro, seu nome para que Deus tenha que dar um "jeitinho" milagroso se enquadram nessa situação. Jesus não cedeu. Então, reflita:
  1. Se você não tivesse dinheiro para comprar algo, compraria um carro confiando que Deus lhe poria dinheiro nas mãos do nada?
  2. Seria correto você dirigir seu carro na estrada desrespeitando às leis de trânsito na confiança de que Deus o protegeria?
  3. E se você tentasse se vingar de uma pessoa, arriscando sua vida? Deus te protegeria?
  4. Será que Deus abençoaria seu namoro se você resolvesse namorar não-cristãos?
  5. Se você preferisse recreação a estudar para a prova, Deus te ajudaria a passar de ano?
Que jamais tentemos Deus, ou seja, jamais testemos a paciência e a bondade de Deus como os israelitas fizeram no deserto, onde pediam provas dos cuidados de Deus além das que já haviam recebido. (Êxodo 17:1-17) Que façamos a nossa parte, agindo como cristãos, para que Deus faça a dEle - o impossível para nós. Que nossos olhos não nos faça pratica algo que ponha em perigo nossa preciosa vida física e espiritual. Fernando Galli.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

EVANGELISMO - POR QUE SE CALAR SOBRE O NOME DE JESUS?

É
deforma calada que você representa o nome de Jesus? Jesus Cristo, numa de suas últimas palavras aos discípulos, deu-lhes uma comissão:
"Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século." - Mateus 28:19, 20).
Parece que muitas igrejas, mais interessadas no "oba-oba", estão deixando de lado a importância de cumprir essas palavras. Pouco evangelizam, e quando o fazem, é com panfletinhos, mal usados por quem os distribui e por quem os lê. Por isso, muitos são vistos jogados no chão. Lamento muito que boa parte das igrejas nem tenham um ministro de evangelismo, para ensinar nossos irmãos a abordar pessoas com métodos criativos. E por falta de treinamento, quantas oportunidades perdemos para evangelizar. Pensando nisso, escrevi um pequeno esboço com a intenção de que haja despertamento de irmãos desejosos de liderar uma obra tão maravilhosa - levar o precioso nome de Jesus.
Quais são os benefícios do evangelismo pessoal?
“Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.” Atos 4:33.
  • É evidência do grande poder de Deus em nossas vidas.
  • É evidência de que a ressurreição de Jesus nos move a falar dele como Deus Vivo e Salvador.
  • É evidência da graça de Deus, em abundância, em nossas vidas.
“Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus.” – Atos 20:24.
  • É prova de que consideramos nossa vida preciosa, e a dos outros também.
  • É prova de que fomos comissionados quais testemunhas de Jesus. - Compare com Atos 1:8.
  • É prova de que somos instrumentos para levarmos a graça de Deus a outros.
“Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos fostes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” - 1 Coríntios 6:9-11.
  • Alegra-nos de ver Deus operar na transformação de vidas.
  • Alegra-nos saber que pela graça de Deus, por meio da fé em Jesus Cristo, os que a nós ouviram e aceitaram a mensagem da Salvação, foram santificados e justificados.
  • Alegra-nos saber que nos encontraremos com elas no Reino de Deus.
O que você fará com essas informações?
O doce nome de Jesus não deve ficar guardado só para nós. Precisamos, quais cristãos salvos por esse Nome, tornar nossa vizinhança conhecedora das boas novas. Uma sugestão para você iniciar é anotar os pontos principais aprendidos no culto de Domingo, xerocá-los e entregar aos vizinhos e pessoas doseu convívio, quer na escola, trabalho. Entregue isso numa carta para o carteiro, que tantas vezes te visita para trazer boas e até más notícias. Envie e-mails aos amigos internautas. Evangelizar é, certamente, o mínimo que podemos fazer para mostrarmos gratidão por tudo o que Jesus fez por nós. Os benefícios advindos desse ministério tão lindo provam-nos a importância de evangelizar.
Fernando Galli.

REIKI


1. REIKI CRÍSTICO - POSSO PRATICAR? 

RACIONALISMO CRISTÃO - UM JESUS-NÃO DIVINO E REENCARNADO

D
entre as muitas seitas que afirmam não ser uma religião e sim uma filosofia, encontra-se o Racionalismo Cristão, uma seita espírita cujos integrantes o define da seguinte forma: O Racionalismo Cristão é uma doutrina filosófica de caráter essencialmente espiritualista, esteada no cristianismo verdadeiro, expresso em linguagem condizente com os dias de hoje, clara, objetiva, simples, fácil e assim acessível à compreensão de todos. Essa seita fundada em 1910 por Luis de Mattos, a quem rotulam de um espírito muito evoluído que reencarnou na terra com a missão de fundar o Racionalismo Cristão, crê possuir a verdade sobre os ensinos de Jesus Cristo. Por isso, afirmam em seu site:
"O Racionalismo Cristão é a codificação, em termos racionais e científicos, da verdadeira doutrina de Jesus, ou seja, dos ensinamentos do Jesus histórico, que nada tem a ver com o Cristo místico da teologia e dos dogmas, criado pela religião." - http://www.racionalismo-cristao.org.br/filosofia.html.
Será mesmo que essa seita espírita ensina a verdade sobre Jesus? Analisemos suas crenças sobre o "Jesus Histórico" deles e decidiremos se eles creem no mesmo Jesus que o os cristãos.
Um Jesus Reencarnado
Como toda seita espírita, o Racionalismo Cristão nega a divindade de Jesus Cristo. No seu site oficial, declaram o seguinte sobre esse tema:
"O Jesus do Racionalismo Cristão não é o Cristo da fé, criado pela teologia cristã, e sim o Jesus histórico. Para esta Doutrina, ele foi um homem como todos os outros, composto de Força e Matéria (espírito e corpo). Filho de José e Maria, nasceu, como as demais pessoas, de uma fecundação humana normal, não tendo vindo ao planeta Terra como "ser divino", "por obra e graça do Espírito Santo"." - http://www.racionalismo-cristao.org.br/quem-foi-jesus.html; Comentário extraído da obra Noções Sobre Racionalismo Cristão.
Refutação apologética-evangelística - O nosso Jesus Cristo não foi, de modo algum, um homem como todos os outros, na concepção dessa seita, que subtrai de Jesus a sua Divindade. Cremos, pela fé alicerçada na Bíblia que Jesus possui duas naturezas: A Divina (plenamente divino) e a humana (plenamente humano), conforme Filipenses 2:5-8. Além de ser chamado de Deus por João e Tomé (João 1:1; 20:28), Ele é Deus porque segundo a Bíblia podia ser adorado e perdoar pecados. Observe:
  • Mateus 15:25 - "Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me!"
  • Marcos 5:6 - "Quando, de longe, viu Jesus, correu e o adorou."
  • João 9:38 - "Então, afirmou ele: Creio, Senhor; e o adorou."
  • Lucas 5:21, 24 - "E os escribas e fariseus arrazoavam, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? [...] Mas, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados—disse ao paralítico: Eu te ordeno: Levanta-te, toma o teu leito e vai para casa."
Além de negar que Jesus seja Deus, o Racionalismo Cristão ousa a declarar que Jesus não nasceu de uma virgem, nascimento este descrito na Bíblia como obra do Espírito Santo de Deus. (Mateus 1:18-25) Por que creem assim? Primeiro, porque não possuem o Espírito Santo para interpretar as Escrituras. Segundo, porque, como o Espiritismo Kardecista, entendem o Espírito Santo como uma falange de espíritos puros que não necessitam mais da reencarnação. Terceiro, não crêem na Bíblia, mas nas revelações a eles dadas por espíritos, os quais sabemos muito bem qual a sua procedência. Perguntamos aos adeptos dessa seita espírita: Como sabem que Jesus não é Deus e que ele não nasceu de uma forma miraculosa, senão através de espíritos que visam desacreditar a Bíblia como Palavra inerrante de Deus? Precisamos, ao abordar os Racionalistas Cristãos, ajudá-los primeiramente a compreender a veracidade e a inerrância da Bíblia. Depois, provarmos que na Bíblia não há lugar para a crença na reencarnação, pois vivemos uma única vez. (Hebreus 9:27) Por fim, estudarmos com eles a vida de Jesus (o que envolverá muita preparação), para que venham aceitá-lo como a Bíblia o descreve: Deus e Homem, Salvador, Criador e Senhor de nossas vidas.
Ainda no intuito de rebaixar a pessoa de Jesus, negando-lhe sua Divindade, afirmam em uma de suas principais literaturas:
Heresia do Racionalismo Cristão - “Quem demonstra maior valor, o líder que ascendeu ao posto com esforço e merecimento próprios, depois de haver vencido todas as etapas que o levaram ao mais alto cume da experiência e do saber, ou o que foi singularmente colocado nessa posição, com fundamento na hierarquia de antepassados? Os adoradores de Jesus classificando-no, obcecadamente, nesta segunda posição, influenciados pela concepção deísta.” - Racionalismo Cristão, página 75, 29a. Edição, 1974.
Refutação apologética-evangelística - No contexto humano, realmente é muito mais valoroso a pessoa que lutou e venceu etapas para conseguir algo, do que aquele que foi colocado numa posição, apenas por questão hierárquica. Mas usar essa comparação com Jesus é, no mínimo, desconhecer a crença cristã e a Bíblia, e teria sentido se os Racionalistas Cristãos pudessem provar que Jesus não é Deus. Sendo Jesus o Verdadeiro Deus, Ele não tem antepassado, pois Deus não tem princípio nem fim. Assim, o Jesus Cristo da Bíblia não conquistou algo com fundamento na hierarquia de antepassados. Ele é Pai Eterno. (Isaías 9:6) Então, será que somos obcecados? O Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa define o adjetivo “obcecado” da seguinte forma:

1. Que tem a inteligência obscurecida.
2. Contumaz no erro.
3. Teimoso, obstinado.
Teriam os Cristãos, baseados no inigualável livro chamado Bíblia, cujas verdades estão além de contestação, cuja prova de inspiração divina é irrefutável, uma inteligência obscurecida? Seríamos teimosos por ensinar a Divindade de Jesus e persistentes no erro por defendermos nossa fé, cujas provas e razões encontram-se claramente ensinadas no Livro dos livros, a Bíblia? Se somos obcecados por cremos na Bíblia, como chamaríamos então os Racionalistas Cristãos por crerem na seguinte doutrina?
“Os espíritos que fazem a sua evolução neste planeta, pertencem às primeiras dezessete classes, de uma série de trinta e três. [...] Distribuídos na série de trinta e três classes, de acordo com o grau de desenvolvimento de cada um, os espíritos fazem a sua evolução, partindo da seguinte ordem dos mundos:

a) Mundos materializados - espíritos da 1a. à 5a. classe.
b) Mundos opacos - espíritos da 6a. à 11a. classe.
c) Mundos bracos - espíritos da 12a. à 17a. classe.
d) Mundos diáfanos - espíritos da 18a. à 25a. classe.
e) Mundos de luz puríssima - espíritos da 26a. à 33a. classe.”

Os mundos dividem-se, ainda, em duas grandes categorias: mundos de estágio e mundos-escolas.” - Racionalismo Cristão, página 76, 29a. Edição, 1974.
Já que falam de razão e ciência ao se definirem, quais as provas apresentadas pelos Racionalistas Cristãos para tal ensino? Se as tiverem, o que é improvável, teriam elas o mesmo valor que as provas documentadas em favor de a Bíblia ser um livro que fala a verdade sobre história, geografia, ciência, cultura, saúde, e que prevê o futuro com exatidão? Seriam as supostas provas dessa seita espírita que se denomina cristã, sobre as trinta e três classes de espírito, com seus cinco mundos e suas duas categorias, tão palpáveis quanto a evidência de que a Bíblia diz sempre a verdade? (João 17:17; 2 Timóteo 3:16, 17) Por incrível que pareça, até os espíritas kardecistas acham essa divisão de mundos do Racionalismo Cristão um grande equívoco, tanto que o Racionalismo Cristão é considerado como a reação mais violenta ao Kardecismo. E já não bastasse os trinta e três graus "terrenos" da Maçonaria no Rito Escocês Antigo e Aceito, o Racionalismo Cristão criou os trinta e três graus espirituais para evolução do Espírito!
Conclusão
Deixar de crer na Bíblia para crer nessa ficção é o grande erro de todas as denominações do espiritismo. Os Racionalistas Cristãos foram enganados pelo reino das trevas e precisam de nossa ajuda espiritual. Evangelizar espíritas racionalistas cristãos é um desafio, pois é necessário conhecer suas crenças e como refutá-las. Exige também conhecimento da doutrina cristã. Nós, cristãos, somos influenciados pelo Espírito Santo de Deus, que nos deu a Bíblia como guia prático para nossas crenças e nosso modo de viver. Quanto mais nos aprofundamos nessas verdades bíblicas, mais rejeitamos essas “fábulas” (2 Pedro 1:16) que o Espiritismo e suas seitas disseminam, incluindo a doutrina da Reencarnação e a negação de Jesus como Deus e Salvador de todos os que nele crêem. Guiados pela Bíblia e pelo Espírito Santo de Deus, precisamos nos aproximar dos Racionalistas Cristãos, a quem tanto amamos, com o plano de salvação.
Fernando Galli.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

APRENDAMOS DAS TENTAÇÕES SOFRIDAS POR JESUS - PARTE 3 - MATEUS 4:8-11.

Texto base - "Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles 9 e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto. Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e o serviram." - Mateus 4:8-11.

O Tentador incitando o desejo dos olhos e a ostentação

Não sabemos exatamente como foi que o Diabo fez para mostrar a Jesus todos os Reinos. Pode ter sido uma visão. Mas o que nos interessa é: O Diabo pode muito bem ter mentido quanto à grandiosidade do seu domínio ou, conforme sugerem alguns estudiosos, sabendo que ele tinha domínio temporário sobre o mundo, ofertou os reinos do mundo a Jesus com um único propósito - impedir a realização do plano de Salvação através da morte de Jesus. Tentou seduzir Jesus com o desejo dos olhos e o de ostentar-se como o governador do mundo, para que antes da hora Jesus reinasse, não obedecendo assim ao cronograma do Pai. E o absurdo maior em tudo isso: Jesus receberia tudo isso do Diabo se ele o adorasse, de joelhos. Quanta ousadia!

O que aprendemos dessa terceira tentação?

Após as duas primeiras tentações fracassadas, o Diabo se revela mestre em:
  1. Oferecer o que puder, mesmo através de uma mentira ou meia-verdade, ou até uma verdade, para separar-nos de nossa relação com Deus.
  2. Querer destruir nossos sonhos, metas e planos espirituais, principalmente o de levar a salvação em Cristo Jesus a outras pessoas, ou por nos desencorajar através de um pecado cometido, ou de imprevistos, enfim, ele sempre tentará desviar nossa atenção do nosso dever cristão, oferecendo-nos algo aparentemente muito melhor.
  3. Preparar-se muito bem para tentar as pessoas. Mostrar todos os reinos do mundo, quer fosse numa visão, ou de outra forma, exigiria conhecimento, escolher as cenas. Levar a Jesus num monte muito alto poderia ser uma forma de tentar iludir Jesus, dando-lhe a sensação de domínio, vantagens pessoais em vista, ou algo parecido.
O que aprendemos do modo como Jesus reagiu à tentação?

Como nas outras duas respostas ao Diabo, Jesus usa as Escrituras, como que refletindo o conteúdo de Deuteronômio 6:13: "O SENHOR, teu Deus, temerás, a ele servirás." O oferta era grandiosa, mas escancaradamente absurda, tão exagerada, que alguns estudiosos chegam a dizer que das três tentações essa foi a que menos Jesus se sentiu tentado. Por isso, ele diz: "Vai-te, Satanás." (v. 10) Observe, então, as seguintes situações, apenas como exemplo, para dizermos vai-te Satanás, usando as Escrituras, diante de ofertas tentadoras:
  1. Uma pessoa muito mais bonita que seu cônjuge se aproxima de você, e lhe oferece prazer e felicidade aparentemente melhores do que os obtidos com a rotina do seu casamento - Hebreus 13:4.
  2. Seu patrão lhe oferece um emprego com um salário muito melhor, mas você terá de trabalhar todos os dias e perderá todos os cultos. - Hebreus 10:24, 25; 1 Timóteo 6:9.
  3. Você compra TV por assinatura e o atendente lhe diz que ganhará um mês grátis de um canal de filmes pornográficos. - Filipenses 4:8.
O que você faria se fosse tentado 
a querer satisfazer seus olhos e ostentar-se aos outros?

O Diabo faz surgirem oportunidades ou situações para você se sentir "nas alturas", e de forma muito preparada planeja te enganar. Reflita em como você reagiria se ofertas mundanas lhe desse alguma vantagem temporária, como:
  1. Se alguém lhe oferecesse drogas para se sentir melhor durante o período difícil que você atravessa.
  2. Se uma pessoa ou uma agência clandestina lhe oferecesse para limpar seu nome sujo através de meios ilegais.
  3. Um contador lhe ensinasse como sonegar impostos; assim lhe sobraria mais dinheiro para suas aventuras.
  4. Um mau psicólogo lhe sugerisse trair seu cônjuge para apimentar sua vida sexual.
  5. Um vendedor de carros lhe vendesse bem mais em conta um carro importado (ou fusca mesmo) roubado.
  6. Se você, carente e à procura de um cônjuge, conhecesse uma pessoa bela, inteligente, e ela te propusesse namoro com a condição de você se tornar membro da seita religiosa que ela frequenta.
Por que vale a pena resistir às tentações

Se você percebeu, nas três tentações sofridas por Jesus, o Diabo lhe oferece oportunidades de saciar a fome (área física), testar Deus para ver se Ele realmente o socorreria (área emocional) e dar-lhe todos os reinos da terra (área psicológica). Mas Jesus venceu a todas elas, com um grande final. Os anjos de Deus vêm para ministrar Jesus. As tentações se foram, e Deus dá a Jesus o que comer durante seus três anos de ministério terrestre, Deus o ressuscita, e lhe como homem glorificado e Deus Todo-Poderoso reina para todoo sempre com o título de Reis dos reis e Senhor dos senhores. (Apocalipse 19:16).

Por isso, vençamos as tentações e apeguemo-nos ao que Deus sempre no tempo certo nos dá o que precisamos. Em breve, não mais viveremos sob a influência do tentador, que estará a sofrer pelos séculos dos séculos no inferno, junto com seus demônios e todos aqueles que não aceitaram o Vencedor maior das tentações. (Hebreus 4:15) Esteja sempre preparado a resistir, pois ele não desiste, visto que Lucas termina o mesmo relato das três tentações escrevendo: "Passadas que foram as tentações de toda sorte, apartou-se dele o diabo, até momento oportuno." (Lucas 4:13) Vigie, por orar, ler e meditar na Palavra de Deus, frequentar os cultos e evangelizar. Lembremo-nos sempre deste texto:
"15 Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; 16 porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. 17 Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente." - 1 João 2:15-17.

E para terminar essa série de três partes sobre o tema O QUE APRENDEMOS DAS TENTAÇÕES SOFRIDAS POR JESUS, digo a todos os vencedores em Cristo (Romanos 8:37): O ponto de encontro para aqueles que perseveram e vencem o mundo em Cristo Jesus é no Reino dos Céus! Amém, amém e amém. - Fernando Galli.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

MORRE EX-MEMBRO DO CORPO GOVERNANTE DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

MORRE EX-MEMBRO DO CORPO GOVERNANTE

Foi com lágrimas nos olhos que, pelo excelente blog http://extestemunhasdejeova.blogspot.com, recebi a notícia da morte de Raymond Victor Franz, aos 2 de junho de 2010. Com ele, tive o privilégio de conversar várias vezes por telefone, nos idos de 1999 e 2000, antes e depois da minha libertação da seita testemunhas-de-jeová. Lembro-me que poucos dias antes de minha comissão judicativa (nome que as TJs dão a uma reunião quando os anciãos decidem se irão expulsar o pecador ou não da seita), telefonei para Raymond, confessando minha consternação por tudo o que estava passando e ainda iria passar. Ao perguntar-lhe "e se eu for desassociado?", ele respirou fundo e disse-me: "Desde minha saída e exclusão da organização testemunhas-de-Jeová, aprendi a desenvolver uma relação pessoal com Deus digna da liberdade que Jesus Cristo me conferiu." Ao me sentir triste, ele me disse: "Suas lágrimas cairão, mas o Soberano Senhor Jeová saberá como enxugá-las". Raymond Franz foi um ícone da mais alta credibilidade em desmascarar esse seita infame, babilônica e de cunho satânico. Ousou a escrever dois livros que ajudaram muitas TJs e até os cristãos apologistas a entender o que significa ser escravo de um sistema diabólico e controlador de vidas, e responsável pela morte de milhares de pessoas vítimas de proibições legalistas de vacinas, transplantes de órgãos e, até hoje, de transfusões de sangue. Provou com uma autoridade inquestionável como Deus age na vida de pessoas escravizadas e as liberta de sistemas enganosos. Seus dois livros, Crise de Consciência e Em Busca da Liberdade Cristã, colocaram o Corpo Governante no devido lugar que eles mereciam: No lixo, embora com palavras muito mais polidas do que as minhas. Sem desejar reverenciá-lo, beijei mui ternamente seu livro Crise de Consciência, instrumento usado por Deus para narrar a incrível história de um líder mundial da seita TJ, que foi expulso da seita por discordar de sua liderança. Louvo a Deus por toda a iniciativa deste homem corajoso e dedicado ao estudo da Bíblia e em ajudar seus ex-irmãos TJs a se livrarem das garras malditas do Corpo Governante das TJs. Neste homem, inspirei-me veementemente para escrever mais de uma centena de páginas, em 1999, para que os anciãos as lessem e me dissessem: Você se arrepende de tudo o que escreveu e promete crer 100% nos ensinos do Corpo Governante? Louvo ao meu Deus Pai, Filho e Espírito Santo pelo dia 15 de novembro de 1999, quando através da minha desassociação, pude com o tempo receber o verdadeiro Deus da Bíblia em minha mente e em meu coração. Hoje, graças à liberdade adquirida em Cristo Jesus, posso discordar de meus irmãos batistas sem precisar tremer diante de homens. Raymond Victor Franz foi um presente de Deus para os apologistas cristãos de nossos tempos. Que Deus possa levantar outros homens como ele, dentro da seita TJ e em outras, para desmascarar os ensinos de Satanás. - Fernando Galli, 03 de junho de 2010, em luto.

SALMO 3 - O SALMO DOS QUE SE REFUGIAM EM DEUS

Quando somos perseguidos, quer no trabalho, na escola, na igreja, por aqueles que buscam nos difamar, qual a nossa reação? Buscamos nos vingar? Tornamos nossos pensamentos um campo de batalha, onde até cenas de horror exibem o nosso "eu" ferindo, e até matando, nossos inimigos? 

No Salmo 3, Deus procura nos ensinar através do exemplo de desânimo de Davi, mas que depois encontra a solução em confiar nEle. Percebemos que Deus dá, através de Davi, as características de nossos inimigos: Podem ser numerosos, procuram minar nossa confiança em Deus, tomam posição contra nós de todos os lados. Destas três, talvez a que mais pode nos ferir é a afirmação de que Deus não está do nosso lado, que Ele não nos salvará das nossas aflições e dificuldades. 

Quando Davi compôs esse Salmo, ele tinha em mente sua fuga de Absalão, que durou duas noites, o que o tornara desanimado, conforme observamos nos versículos 1 e 2. (2 Samuel 15:13-17:24) Deus também nos ensina que nessas circunstâncias podemos dormir e acordar tranquilos, porque o SENHOR nos sustenta. Será que perdemos noites de sono devido a pensamentos inquietantes de medo ou desejo de vingança? 

Aprendemos também que diante de terríveis e numerosos adversários, precisamos clamar, que envolve se possível elevar a voz, implorar pelo socorro divino. Isso nos leva então a agir como Davi, que afirmou ser o SENHOR seu escudo, sua glória [ou aquele em quem nos gloriamos] e aquele que o fazia andar de cabeça erguida, que significava "restaurar essa pessoa à posição de liberdade e dignidade (cf. Gn 40:13; 2 Rs 25:27; Sl 27:6)". - BRUCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. Antigo e Novo Testamento. Página 766. Editora Vida Acadêmica. São Paulo. 2009..

Quando oprimidos por todos os lados, é assim que reagimos? Ou clamamos a Deus, confiantes de que Ele responderá? Deus sabe que muitas vezes já procuramos fazer justiça com nossas próprias mãos. Talvez digamos: "Deixa essa pessoa comigo!" Todavia, aprendemos com esse Salmo que Davi espera que Deus quebre o queixo de seus inimigos. Para nós significa, então, que Deus cuidará de tomar as devidas providências contra os nossos ofensores, nossos inimigos, no tempo dEle, não no nosso. Não somos nós que devemos quebrar os dentes deles, mas a punição vem de Deus. Quem anda na dependência de Deus precisa reconhecer que Deus age assim. 

Quando confiamos plenamente em Deus, podemos dizer como Davi: "Não tenho medo de milhares do povo". Às vezes, por não confiarmos em Deus, passamos a ter medo de uma, duas, ou três pessoas apenas, e por isso maquinamos o mal contra ela. Deus não deseja isso de nós. Pensar em como Deus, na Bíblia e na história extra-bíblica, tem socorrido seus servos e filhos para não perecerem nas mãos de inimigos, ou para não sofrerem, ajudar-nos-á a vencermos o sentimento de vingança e a confiarmos mais plenamente no SENHOR. 

Por isso, Davi, que versos atrás havia expressado sua confiança em Deus, resume toda a estratégia para livramento das mãos inimigas: "Do SENHOR é a salvação, e sobre o teu povo, a tua bênção." Que possamos nos refugiar em Deus e confiar estritamente nEle quando nossos inimigos procuram nos fazer cair e desanimar. - Fernando Galli.

CRESCENDO EN GRAÇA - 30 DE JUNHO 2012: CONTAGEM REGRESSIVA PARA OS MEMBROS DA SEITA SEREM GLORIFICADOS.


Um falso-Cristo à solta no mundo propaga a seguinte mensagem: "Eu sou Jesus Cristo Homem". Um ex-pastor e líder batista de Porto Rico chamado José Luis de Jesus Miranda há quase duas décadas afirma ter recebido a visita de Jesus Cristo, o qual teria revelado a ele sua real identidade, quando ele tinha por volta de seus 40 anos. Qual identidade? Que ele era a encarnação de Jesus Cristo Homem.

SALMO 2 - O SALMO DO BEIJO EM CRISTO JESUS

Entre rejeitar a Jesus Cristo e beijá-lo, qual seria a sua escolha? 

Beijar, aqui, tem um rico significado teológico: A obediência. Conforme CHAMPLIN, ao citar as palavras de William R. Taylor, "beijar os pés [uma tradução possível e sugerida] era um ato de reverência requerida da parte dos príncipes subjugados a seus senhores (cf. Sal. 72:9; Isa. 49:23 e Miquéias 7:17)." - O Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, página 2067. Editora Hagnos

Os versículos 1 a 3 falam da conspiração das nações contra o Rei de Yahweh: Elas se enfurecem, imaginam coisas vãs, conspiram, querem se livrar de qualquer laço com este Ungido. 

Dos versículos 4 a 6, o SENHOR Deus reage contra os que rejeitam seu rei Ungido: Ele ri e zomba delas, ira-se e promete a elas o seu furor e confundi-las, e lhes garante ter constituído seu Rei em Sião. 

Nos versículos 7 a 9 são palavras de autoridade do Rei davídico: Ele proclama o que é do SENHOR. Ele ouve do SENHOR que foi gerado por Ele e que é Filho dEle. E fala que este SENHOR lhe dará nações para regê-las com vara de ferro, símbolo de sua autoridade. 

Finalmente, dos versículos 10 a 12 proclama-se um ultimato às nações: Devem usar de prudência, deixarem-se ser advertidas (referindo-se aos juízes); devem BEIJAR o Filho, evitando a ira dEle. Serão felizes se nele se refugiarem. 

Este Salmo foi interpretado pela Igreja de Atos como se aplicando a Jesus Cristo, num cumprimento maior. (Atos 4:25-28) Como este Salmo ainda se cumprirá plenamente não é o objetivo desse texto. Qual seria, então?

Beijar alguém não significa necessariamente amor sincero, reconhecimento pleno. Judas beijou a Cristo e o traiu, rejeitou-o. (Lucas 22:48) A questão, então, é: Qual a motivação por trás de um beijo? Numa aplicação cristã do Salmo 2, para alguns até alegorizada, poderíamos dizer que beijamos o Filho quando nós o reconhecemos um dia como nosso único e suficiente Salvador. Propusemo-nos a obedecer-lhe e a servir a Deus com temor e a alegrarmo-nos nele com tremor. 

Desse primeiro e único beijo no Filho jamais deveríamos nos esquecer. Somos noiva dEle! Temos a certeza de nossa salvação. Está garantida em Cristo Jesus. O verdadeiro cristão não anda como como se tivesse esquecido de sua conversão, mas em obediência se refugia em Jesus. Mesmo que caia, o que Jesus foi capaz de fazer pelos salvos [na opinião de alguns, por toda a humanidade] encoraja-o a se levantar e perseverar até o fim. - Mateus 24:13; Tiago 1:3.

Então, faço uma pergunta: Como andamos entre as nações (pessoas) que não beijaram o Filho ainda? Onde precisamos melhorar? Se tivéssemos tivesse beijado uma pessoa famosa, não sairíamos contando a todos que tivemos esse privilégio? Então, será que fazemos o mesmo por termos beijado a Jesus Cristo? 

Ele é o nosso Rei! Em breve, no reino dos céus, experimentaremos mais intensamente os benefícios desse beijo, e para todo o sempre. Se você tem certeza de que beijou o Filho com a motivação correta e é salvo, e não um traidor como Judas, e que está na entre nós porque é um dos nossos (1 João 2:19), então nosso ponto de encontro é no céu. Mas por favor, conte a todos sobre esse beijo! - Fernando Galli.

SEICHO-NO-IE

  1. SEICHO-NO-IE - FILOSOFIA OU RELIGIÃO?

domingo, 14 de junho de 2009

É POSSÍVEL IMITARMOS A DEUS? - EFÉSIOS 5:1.


Texto base - "Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados." - Efésios 5:1.


Na língua do Novo Testamento Grego, aprendemos que é possível sim imitarmos a Deus. O substantivo grego "mimetés" denota "imitador seguidor". (VINE, W. E., UNGER, Merril F., WHITE Jr, William. Dicionário Vine. O Significado Exegético e Expositivo das Palavras do Antigo e Novo Testamento. Página 702. 3a. Edição. 2003. CPAD. São Paulo.) Está inclusa a idéia de imitar o exemplo de alguém. Assim, nessa acepção, podemos imitar a Deus, seguindo o seu exemplo de moral, ética, respeito, caráter revelados na Bíblia. 

Evidentemente, jamais seremos imitadores perfeitos de Deus, nem neste mundo, nem do que há de vir. Todavia, pelas palavras de Jesus "sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste" (Mateus 5:48) compreendemos que se espera de nós o máximo em imitar ou seguir a Deus, já que nunca seremos perfeitos como Ele. Visto que os caminhos de Deus são infinitamente superiores aos nossos (Isaías 55:9), temos o exemplo de Jesus que nos lança luz em como imitar a Deus. Por isso, Paulo disse aos coríntios "Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo." (1 Coríntios 11:1) Através do exemplo de Jesus, podemos aprender como imitar a Deus. Deus é nosso Pai. Quais filhos de Deus, podemos imitá-lo, aprendendo com Jesus, e com o modo de Deus se revelar na Bíblia, nos seguintes pontos:
  1. Demonstrarmos amor que vai além do afeto, a ponto de nos sacrificarmos pelos outros;
  2. Doarmo-nos verdadeiramente em prol dos outros;
  3. Quanto mais buscarmos a santidade, mais nos aproximaremos da moral de Deus;
  4. Quanto maior liberdade o Espírito Santo agir em nossas vidas, mais qualidades divinas desenvolveremos em nossas vidas, e dia após dia com maior intensidade; Assim permitiremos que o Espírito Santo nos transforme (2 Coríntios 3:18);
  5. Perdoar como Deus nos perdoou em Cristo Jesus.
  6. Desenvolvermos uma nova maneira de viver, espelhando-nos em Cristo Jesus. Em outras palavras, perguntando-nos sempre: O que faria Jesus em meu lugar.
  7. Odiar o que Deus odeia e amar o que Ele ama. - Salmo 97:10.
  8. Sermos imparciais. - Atos 10:34, 35.
Conhecermos a Deus, através da Bíblia, nos ajudará a sermos imitadores de Deus, e o contexto de Efésios 5:1 (Capítulos 4 a 6) nos mostra que devemos imitá-lo em assuntos como a moralidade sexual, nosso linguajar, relacionamento familiar (marido-esposa-filhos), relação patrão-empregado, entre outros assuntos. Imitarmos a Deus nos protegerá contra a adoração falsa, contra as heresias desse mundo, e nos tornará mais achegados a Ele. - Fernando Galli.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

ESPIRITISMO KARDECISTA E SUA MÁGICA PARA ENSINAR A REENCARNAÇÃO

Em 2001, conheci um rapaz que fazia mágicas que me impressionaram. Ele fazia uma nota de cinquenta Reais desaparecer e reaparecer nas mãos dele com uma facilidade incrível. Mas por consideração à minha curiosidade, revelou-me como fazer isso facilmente. Ele enfiava seu polegar esquerdo num polegar falso, como esses da figura, e ao fechar sua mão esquerda, habilmente punha seu polegar do lado de dentro da mão fechada, pressionando o falso polegar, para que quando seu polegar esquerdo saísse da mão, fazendo um sinal de "tudo jóia", o falso polegar ficasse dentro da mão fechada, com o espaço para a mão direita introduzir a nota de cinquenta Reais dentro do falso polegar. Então, ele enfiava o polegar esquerdo dentro do falso polegar, e quando abria as mãos, parecia que a nota havia sumido. Na verdade, ela estava entre o polegar esquerdo e o polegar falso. Depois de balançar rapidamente as mãos bem diante de mim, ele fechava a mão esquerda, punha o polegar esquerdo para fora, e com o indicador direito puxava de dentro do polegar falso a nota. No final, seu polegar esquerdo entrava novamente no polegar falso. Era rápido, bem feito e impressionava. Parece que o Diabo, através de seus demônios, tem feito mágicas parecidas com os versículos da Bíblia, nos palcos das seitas, e a plateia tem sido iludida porque faltam-lhes "Misters M(s)" para revelar onde está o engano, o malabarismo textual com versículos que não foram escritos para os fins a que reivindicam.

A mágica espírita kardecista - uma farsa!

A doutrina da reencarnação jamais foi ensinada nas Escrituras Sagradas. Segundo elas, "está ordenado ao homem morrer uma única vez, vindo depois disso o juízo". (Hebreus 9:27) Jesus é a "ressurreição e a vida", não a reencarnação. Se essa doutrina espírita fosse verdadeira, reduziria a nada o sacrifício de Jesus e a graça de Deus para com o homem. (Efésios 2:8, 9) Não precisaríamos de um Salvador, mas nos salvaríamos por méritos próprios, através de sucessivas reencarnações. Para o Cristianismo, reencarnação é uma heresia. Por isso, Satanás e seus demônios, usando médiuns e escritores espíritas, têm tentado manipular versículos bíblicos, como um mágico faz com seu dedo polegar falso, para impressionar pessoas com uma falsa esperança. Observe, a seguir, a astúcia satânica no meio espírita, para com a Bíblia, para provar a doutrina demoníaca da reencarnação, e abaixo de cada uma, as farsas desmascaradas em refutações bíblicas.

Heresia kardecista 1 - O caso de Saul e a feiticeira de Endor. Quando Saul consulta a pitonisa, ela teria feito que o espírito do profeta Samuel aparecesse em seu centro espírita. - 1 Samuel 28.

Refutação apologética evangelística Saul havia perdido o favor de Deus e Deus não lhe respondia mais. (1 Samuel 15:23; 28:6) Certamente, Deus não usaria uma médium espírita para lhe dar respostas, pois Deus havia proibido a prática de consultar mortos. (Deuteronômio 18:9-13) Será que se fosse possível o espírito do fiel Samuel visitaria um centro espírita para ajudar quem se tornara reprovado? Mesmo que no relato de 1 Samuel 28 Saul tenha identificado o espírito como o falecido Samuel, a mágica foi a seguinte: Assim como os humanos podem imitar vozes e se trajar parecido com uma pessoa famosa, Satanás e seus demônios podem fazer o mesmo, inclusive se transformarem em anjos de luz. (2 Coríntios 11:14) Quando a Bíblia afirma que os mortos não estão cônscios de nada que ocorre de baixo do sol (Eclesiastes 9:4-11), significa que após a morte seus espíritos nada mais tem a ver com os assuntos daqui da terra. E se lermos atentamente o relato, perceberemos que o suposto espírito de Samuel deu uma informação errônea, pois disse a Saul, através da médium espírita: "O SENHOR entregará também a Israel contigo nas mãos dos filisteus, e, amanhã, tu e teus filhos estareis comigo." (1 Samuel 28:19) Mas a batalha em que Saul morreu com os israelitas, conforme relatos seguintes, ocorreu alguns dias depois, e não no dia seguinte. (1 Samuel 30, 1, 13-17; 2 Samuel 1:1) Por isso, seria impossível Samuel, depois de morto, se comunicar com os vivos aqui na terra. Conforme afirmam os espíritas, para um Deus que pode fazer um espírito se comunicar com os humanos, seria de esperar que Deus também proporcionasse o retorno desse espírito em outra vida. Mas conforme observamos, o relato de 1 Samuel 28 mal interpretado nas mãos dos mágicos espíritas nada mais é do que uma tentativa de preparar sua plateia a crer numa reencarnação que jamais ocorrerá.

Heresia Kardecista 2 - O caso da transfiguração de Jesus provaria que os espíritos podem se comunicar com os humanos, pois os já falecidos Moisés e Elias apareceram perante Jesus. - Mateus 17:1-5.

Refutação apologética-evangelísticaOs espíritos de Moisés e Elias não se comunicaram com os humanos, mas com o Jesus transfigurado. Foi Jesus quem assumiu a forma transfigurada para conversar com os espíritos de Moisés e Elias. E Pedro também não conseguiu manter contato com Moisés e Elias, pois não é do propósito de Deus que humanos falem com espíritos de pessoas que já faleceram. (Veja Lucas 16:30, 31) Percebemos que os espíritas usam essa passagem de Mateus 17:1-5 para suscitar o desejo da já referida plateia a buscar seus centros espíritas em busca de informações de entes queridos falecidos. Quando obtêm informações que coincidem com a realidade, as pessoas afirmam: "Era ele! O meu pai que faleceu!" Como isso é possível? Porque Satanás e seus demônios conhecem a vida das pessoas. Eles rodeiam a terra, diz a Bíblia. ( 2:2) Por isso, quando a informação é realmente mediúnica (pois às vezes é puro chute), é óbvio que ela veio do mundo espiritual. Certo espírita questionou: "Se o diabo de vocês é o pai da mentira, por que ele fala a verdade nos centros espíritas, através de nossos médiuns?" A resposta é simples: Porque ser o pai da mentira não significa que ele minta sempre. De fato, conforme disse um apologista em suas preleções, a melhor forma de se falsificar uma nota de cem dólares é fazer parecer-se mais próxima da real possível (ninguém poria na nota de cem dólares a foto do Michey Mouse). Portanto, como Jesus é a verdade, devemos ensinar as verdades de sua Palavra aos espíritas e ensiná-los, através do conhecimento bíblico, distinguir o certo do errado. (Hebreus 5:13, 14) Estamos preparados para isso?

Heresia Kardecista 3 - Quando Jesus chama João Batista de Elias, afirmam que João seria a reencarnação de Elias. – Mateus 17:9-13.

Refutação apologética-evangelística Depois que João Batista morreu, Jesus transfigurou-se para conversar com Elias. Se João fosse a reencarnação de Elias, então a Bíblia teria mencionado João Batista ao lado de Moisés. (Mateus 17:1-5) Ademais, o próprio João Batista negou que fosse Elias. (João 1:21) João é chamado de Elias devido à similaridade de suas obras. O anjo mostrou que João Batista “iria adiante no Senhor no espírito e no poder de Elias” (Lucas 1:17), ou seja, o que ele faria, Elias fez no passado: ambos foram firmes defensores da adoração verdadeira e buscaram converter pessoas às normas e princípios de Deus. Para ajudarmos os espíritas a compreenderem isso, precisamos estudar muito a Bíblia. A mágica espírita é: Se Jesus disse que João Batista era Elias, então João é a reencarnação de Elias. Mas a mágica é revelada, e descobrimos o truque. Deus nunca prometeu a reencarnação ou o renascimento de Elias, mesmo porque para os judeus Elias nem havia morrido, mas trasladado para o céu. Como eles creriam na reencarnação de alguém que jamais havia morrido, segundo essa crença? - 2 Reis 2:1-15.

Heresia Kardecista 4 - Quando Jesus diz a Nicodemos sobre nascer de novo para herdar o reino de Deus, seria esta uma prova de que Jesus ensinava a reencarnação. – João 3:3.

Refutação apologética-evengelística Nascemos de novo, mas no espírito, quando nos convertemos a Jesus. (1 Pedro 1:23) Observe o seguinte comentário:
"Entrar no reino de Deus requer algo impossível segundo os padrões humanos - nascer outra vez. Com isso, Jesus referia-se à obra do Espírito Santo de instilar vida em nossa natureza espiritual, pecaminosa e morta. Quando nascemos de novo, tornamo-nos novas pessoas, tendo os pecados perdoados e usufruindo de íntima amizade com Deus”. - Bíblia de Estudo Vida, 2a. Edição, página 1647.
O próprio Jesus explicou melhor o que havia dito sobre nascer de novo. Ele diz em João 3:5 sobre nascer da água e do espírito, que significava o batismo e a nova vida cristã, adorando a Deus em espírito e verdade. (João 4:24) Ao explicar isso a um espírita, narre a ele como foi o seu novo nascimento - a sua experiência de conversão.

Heresia Kardecista 5 - Deturpam Mateus 19:28, 29. Ao Jesus prometer àqueles que perdessem pais e filhos por amar o seu nome, estes receberiam cem vezes mais, então Jesus teria falado de pais e filhos que eles teriam nas sucessivas reencarnações. Argumentam: Como se poderia ter cem vezes mais pai e mãe numa só vida?

Refutação apologética-evangelística No relato paralelo, em Marcos 10:30, relata-se quando Jesus afirmou que ganharíamos cem vezes mais - “no presente”, não em vidas futuras. Quis referir-se à família cristã. Até o próprio Jesus disse que seus irmãos e sua mãe são aqueles que fazem a vontade do Pai. (Mateus 12:46-50) Ore a Deus, então, para que suas palavras aos espíritas sejam verdades bíblicas e temperadas com sal (Colossenses 4:6), para que em breve eles sejam parte dessa família cristã, mais à frente identificada como o corpo de Cristo, a sua Igreja. - Efésios 4:16; 5:30.

Heresia Kardecista 6 - Ao lerem que Paulo fala de um homem que teve uma experiência “no corpo ou fora do corpo”, ensinam que seja possível praticar a projeção astral, ou seja, o ato de separação entre o corpo físico e o espírito enquanto se está dormindo. - Ler 2 Coríntios 12:2-4.

Refutação apologética-evangelística Paulo falava do que aconteceu com ele mesmo. Era um costume judaico usar a terceira pessoa quando não se queria vangloriar-se. Paulo foi tocado por Deus de uma forma singular, mas o texto nada diz que o espírito dele saiu fora do corpo. Segundo os espíritas, isso se trata de "desdobramento". Mas nunca lemos na Bíblia que alguém praticasse isso. Tratou-se de uma situação espiritual tão especial que Paulo não sabia descrever se estava em corpo ou espírito. O fato de Paulo não saber precisar o que era significa que os espíritas não têm a autorização de ensinar através deste relato o que ele não ensina. Ademais, a Bíblia diz que o espírito sai do nosso corpo em uma única ocasião – quando morremos. (Salmo 146:4) Mas por que algumas pessoas têm a sensação de saírem fora do corpo? Quando não se trata de sonho, efeitos de remédios ou resultado de um estado de espírito muito alterado, como o que pode suceder a um acidente em que a pessoa se encontra inconsciente, pode ser realmente influência demoníaca, pois alguns espíritas relatam que, ao sair fora do corpo, encontram-se com espíritos que confirmam a reencarnação como uma verdade. A pergunta é: Por que um ex-espírita e agora cristão, em plena comunhão com Deus, deixa de ter essas experiências? A resposta é uma só: Ele foi liberto da mentira. Jesus, com o Pai, fazem morada na vida desse crente salvo. Não há mais lugar para artimanhas diabólicas que manipulam a mente da pessoa, de modo que ela venha a achar que sai do corpo, o que de fato jamais ocorre. Para ilustrar, olhe bem de frente para a figura com os dizeres "JACAREBANGUELA". Quando passamos superficialmente os olhos em cada uma das letras, rapidamente, temos a sensação de que as letras se mexem. Mas elas se mexem de fato? Não! Tanto que quanto mais você se postar dos lados, para baixo ou para cima do quadro (mudar o ângulo), menor será a sensação de que as letras se mexem. Isso equivaleria a lermos a argumentação espírita sem entendermos a mágica manipuladora de textos que usam. Crer nela seria uma impressão superficial. Mas quando olhamos por outro ângulo os argumentos deles, e analisamos o contexto todo dos textos mal interpretados, vemos a verdade intacta da Bíblia.

O que podemos fazer por eles?
Os espíritas kardecistas, de fato, têm sido grandes vítimas de seus médiuns, os quais aprenderam muito bem a arte de usar a Bíblia para provar o que ela não ensina. E aprenderam com o mesmo espírito que fingiu ser Samuel. Para os despreparados, os textos bíblicos que usam parecem convencer a plateia de que suas crenças estão firmemente alicerçadas na Palavra de Deus. Mas quando analisamos os textos mais a fundo, dentro do seu contexto histórico, com métodos de interpretação e hermenêutica blíblicos, a farsa é revelada, e a mágica perde a graça. E graças ao Espírito Santo de Deus que tem usado os "Misters M(s)" da fé, dezenas de milhares de espíritas kardecistas já não são mais a plateia de um show ilusionista, mas tornaram-se convictos de que Jesus é a ressurreição e a vida, e que só crendo nele poderemos viver novamente (João 11:25). Portanto, façamos nossa parte em desvendar as mágicas espíritas, por crescermos na fé e no conhecimento da Bíblia. Se formos cristãos que nunca acham tempo para aprender mais sobre sua Palavra, seremos incapazes de lutar contra as experiências espíritas vivenciadas por pessoas sinceramente enganadas. O Espírito Santo de Deus convence, mas é lindo sermos instrumentos nas mãos dele perfeitamente habilitados (ou preparados) para toda boa obra. - 2 Timóteo 3:16, 17.
Fernando Galli

ADVENTISTA

IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA – PARTE DE SEUS PIONEIROS NÃO CRIAM NA TRINDADE! Todos sabemos que a Igreja Adventista do Sétimo Dia se con...