DECLARAÇÃO DE FÉ - CRISTOLOGIA


Cremos que Jesus Cristo seja a revelação máxima de Deus ao homem, portanto, é-nos de suma importância defender biblicamente sua divindade, eternidade, preexistência, encarnação, ressurreição e obra.

A DIVINDADE DE JESUS CRISTO

Cremos que Jesus seja Deus porque:

  • A Bíblia o revela como tal. – João 1:1; 20:28; Romanos 9:5; Tito 2:13.
  • Ele participa da criação, e só Deus cria. – João 1:3.
  • Ele é o sustentador de toda a criação pela palavra do seu poder. – Colossenses 1:17; Hebreus 1:3.
  • Ele é o primogênito, ou herdeiro, de tudo o que Ele, com o Pai e o Espírito Santo, cria. – Colossenses 1:15, 16.
  • Creio que Jesus seja Deus porque Ele é o dador da vida. – João 10:28; 17:2.
  • Creio que Jesus seja Deus porque ele tinha autoridade (ou poder) para perdoar pecados. – Lucas 5:21-24.
  • Creio que Jesus seja Deus porque os anjos o adoram. – Hebreus 1:6.
  • Creio que Jesus seja Deus porque o próprio Pai o considera Deus e Senhor, e criador dos céus e da terra. – Hebreus 1:8-10.
  • Creio que Jesus seja Deus porque Ele podia enviar o Espírito Santo, e na economia da Trindade, o Espírito Santo é submisso a ele. – João 15:26; 16:13, 14; 20:22.
A PREEXISTÊNCIA DE JESUS CRISTO

Cremos que Jesus, por ser Deus, sempre existiu em seu estado eterno. (Miqueias 5:2) Por isso:

  • Ele estava com Deus e era Deus. – João 1:1.
  • Ele já existia antes de sua encarnação porque a Bíblia refere-se a ele como:
  1. Enviado por Deus como único Filho. – João 3:16;
  2. Vindo do céu. – João 8:23; 6:41. 50, 58.
  3. Existindo com o Pai antes de haver mundo. – João 17:5.
  4. Existindo na forma de Deus e assumindo a forma de servo, ou humana, e vindo aqui sofrer morte de cruz. – Filipenses 2:5-8.
  5. O Anjo do Senhor. Trata-se de Cristofania, ou seja, manifestações preencarnatórias do Lógos (O verbo de Deus). – Êxodo 3:1-6; Juízes 13:3 Números 22:23.
  6. O YHWH do AT. A isto chamamos de prova através da intercambialidade. Em Isaías 40:3 fala-se de alguém vir para preparar o caminho de YHWH, e a Bíblia diz que João Batista veio e preparou o caminho de Jesus. (Mateus 3:3) Em Isaías 45:23 fala-se que todo joelho se dobra diante de YHWH, mas em Filipenses 2:10, 11 se diz que todo joelho se dobra diante de Jesus.
O NASCIMENTO VIRGINAL DE JESUS CRISTO

Cremos que Jesus foi concebido pelo Espírito Santo no ventre de Maria, a qual era virgem, prometida em casamento a José. - Isaías 7:14; Mateus 1:18-25; Lucas 1:26-38.

Por Jesus ter nascido por obra do Espírito Santo de uma virgem, cremos que:

  • Este fato seja uma evidência da graça salvadora de Deus, pois seu nascimento miraculoso jamais poderia ter sido obra ou esforço   humanos, mas divinos, e isto se dá para nos salvar. – João 3:16.
  • Este fato seja uma evidência da união hipostática (das duas naturezas de Cristo, a humana e a divina). Este fato prova que Jesus nasceu sem pecado, pois se é obra do Espírito Santo, Ele garantiu que o óvulo fecundado de Maria não transmitisse o pecado original ao homem Jesus.  
  • Este fato é mais uma evidência essencial para a confiabilidade das Escrituras, pois elas previram com cerca de 700 anos de antecedência o nascimento virginal de Jesus. – Isaías 7:14.
A SUA HUMANIDADE

Cremos que Cristo, ao assumir a natureza humana, torna-se perfeitamente homem – um homem como nós, porém sem pecado. – Hebreus 4:15.

Cremos nas seguintes evidências bíblicas da humanidade de Cristo:

  • Nascimento humano; Gálatas 4:4; Mateus 1:18.
  • Descendente de Davi. – Lucas 1:31-33; Romanos 1:3.
  • Crescimento e desenvolvimento como todo ser humano. – Lucas 2:40, 52.
  • Possuía um corpo físico. – Mateus 26:12; João 4:9.
  • Limitações físicas. - João 4:6; Mateus 8:24; 21:18; Lucas 22:44.
  • Nomes e ofícios humanos. - Mateus 1:21; Jesus, o Nazareno em Atos 2:22; o Carpinteiro em Marcos 6:3; profeta em Mateus 21:11.
Cremos que Jesus Cristo possui duas naturezas: A divina (pois existindo em forma de Deus) assumiu a forma de escravo, de homem. O esvaziar-se de Jesus não se tratou de abandonar sua natureza divina para assumir a humana, mas de sua natureza divina assumir a humana, de modo que ele torna-se, além de já ser perfeitamente Deus, perfeitamente homem. 

Cremos que a grande humilhação de Cristo, no entanto, foi ele sendo Deus, deixar nas mãos do Pai como ele deveria usar sua divindade que estava concentrada em sua humanidade, ou seja, em ser homem. Por isso, Jesus dizia que não fazia nada de sua iniciativa, mas fazia tudo conforme a vontade do Pai. Em teologia, chamamos isso de subordinação funcional. 

Creio que quanto ao kenosis, ou esvaziar-se de Jesus (Filipenses 2:7), Jesus não deixa de ser Deus, nem abdica de sua divindade, mas como Deus, faz-se homem e age como homem para nos salvar, realizando sua obra humana sob a ação do Pai e do Espírito Santo. Pois a Bíblia diz:

  • “...antes a si mesmo se esvaziou...antes a si mesmo se humilhou...” - Filipenses 2:7, 8
  • “...se fez pobre por amor de vós...” - 2 Coríntios 8:9.
  • “como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e poder...”; Lc. 4:14 
  • “Então Jesus, no poder do Espírito,...” - Atos 10:38.
OS OFÍCIOS DE CRISTO

Cremos que Jesus, nas Escrituras, possua três ofícios (MUNUS TRIPLEX):

  • Profeta. Deus prometeu um profeta semelhante a Moisés (Deuteronômio 18:15-18). Quando Jesus veio à Terra, fez milagres e as pessoas curadas o reconheciam como profeta. (Lucas 7:16; João 9:17; 6:14; 7:40) Pedro reconhece Jesus como o profeta prometido. (Atos 3:22-24) E o próprio Jesus fez profecias, como aquelas sobre o final dos tempos. – Mateus Capítulos 24 e 25; Lucas Capítulo 21.
  • Sumo Sacerdote. Jesus oferece a si mesmo como sacrifício, assim, Ele é sacerdote e oferta pelos pecados. (Hebreus 3:1; 4:14; 9:24-28) Seu papel de Sumo Sacerdote, pela sua morte vicária, nos aproxima de Deus, rasgando o véu (Lucas 23:45) do templo, um símbolo de que poderíamos, pela obra salvífica dEle, entrar no Santo dos Santos, ou seja, sermos salvos para sempre assim como Ele para sempre é nosso Sumo Sacerdote. (Hebreus 10:19-22) E como Sumo Sacerdote, intercede por nós, para sempre. – Hebreus 7:25.
  • Rei. Jesus diz que seu Reino não é desta fonte. (Lucas 18:36) Mas anunciava que o Reino havia chegado porque Ele é o Rei do reino de Deus. (Mateus 4:17, 23; 12:28); Fala-se a Jesus: Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor! (Lucas 19:38) Jesus é chamado nas Escrituras de Rei dos reis. – Apocalipse 19:16.
Cremos que ser Jesus Profeta, Sacerdote e Rei nos torna também profetas, pois ensinamos e interpretamos a profecia ( 2 Pedro 1:21); e somos uma nação (1 Pedro 2:9) de reis (reinamos com Cristo nos mil anos) e sacerdotes (oferecemos a nós mesmos como sacrifícios vivos e aceitáveis a Deus, conforme Hebreus 13:15, 16) – Ver Apocalipse 5:9, 10.

A MORTE DE JESUS CRISTO

Cremos que Jesus morreu para realizar a obra de redenção do homem, pois a Bíblia declara em Marcos 10:45 que ele veio “...dar a sua vida em resgate por muitos.”; O próprio Jesus fala, em Lucas 19:10, que “o Filho do homem veio buscar e salvar o perdido.” – Ver Gálatas 1:4; 1 Timóteo 1:15; Tito 2:14; Mateus 1:21; 20:28; Hebreus 2:14,15.

Cremos que a morte de Cristo foi:

  • Vicária ou substitutiva: a favor, ou em lugar de outros. - 1 Pedro 3:18; 2:24; 2 Coríntios 5:21; Romanos 5:8; Gálatas 3:13. 
  • Voluntária: por livre escolha, por vontade própria. - João 10:17, 18;
  • Pré-determinada: planeja com antecedência. – Atos 2:23;
  • Sacrificial: como holocausto pelo pecado 1 Coríntios 5:7; Hebreus 9:6-15;
  • Redentora: resgatou através de pagamento. - Mateus 20:28;
  • Propiciatória: satisfez as exigências de Deus. - 1 João 4:10; Romanos 3:25; 1 Jo. 2:2; 
  • Expiatória: Cristo sofreu as consequências da culpa do pecado. - Gálatas 3:13;
A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO

Cremos que Jesus Cristo foi ressuscitado corporalmente dentre os mortos (Romanos 8:11) conforme evidências abaixo:

  • O túmulo vazio. - Lucas 24:3; João 20:1-8; Mateus 28:5, 6.
  • As aparições de Jesus ressurrecto a: 
  1. Maria Madalena. - João 20:11-17; 
  2. Outras mulheres. - Mateus 28:9, 10; 
  3. Pedro. - 1 Coríntios 15:5; 
  4. Discípulos no caminho de Emaus. - Lucas 24:13-35; 
  5. Dez discípulos. - Lucas 24:36-43; 
  6. Onze discípulos. - João 20:26-29; 
  7. Sete discípulos junto ao mar da Galileia. - João 21:1-13; 
  8. Mais de 500 pessoas. - 1 Coríntios 15:6; 
  9. Onze em sua ascensão. - Mateus 28:16-20;

  • A mudança operada nos discípulos: por exemplo: Pedro, de negador de Cristo se torna homem que corajosamente o defende em público. - Lucas 22:54-62 compare com Atos 2:14, 22, 23.
  • O modo como os apóstolos e discípulos se dedicaram pela causa do evangelho de Cristo, pregando sua morte e ressurreição, sendo que todos os apóstolos morreram como mártires. Ninguém daria a sua vida por uma causa fabricada, uma “estória” da salvação.
Cremos que ao ser ressuscitado, Jesus recebeu do Pai toda autoridade no céu e na terra. – Mateus 28:18.

A ASCENSÃO DE JESUS CRISTO AOS CÉUS:

Cremos que Cristo morreu, foi ressuscitado e voltou ao Céu, conforme está registrado em Lucas 24:51, Atos 1:9-11 e 2:33. 

Cremos que Cristo voltou a ter a glória que tinha antes de ter vindo a terra, conforme ele mesmo havia pedido ao Pai em sua famosa oração sacerdotal. - João 17:5. 

Cremos que hoje Jesus está à direita do Pai, com um corpo glorificado e exaltado. - Mateus 26:64; Atos 2:33-36; Efésios 1:20-22; Hebreus 10:12; 2 Pedro 3:22; Apocalipse 3:21; 22:1.

A SEGUNDA VINDA DE CRISTO.

Cremos que Cristo voltou ao Céu após sua ressurreição, todavia prometeu voltar a este mundo. - João 14:1-3; At. 1:11. 

Cremos que sua volta será em apenas UMA etapa, com as seguintes características:
Não sabemos o dia e a hora. – Mateus 24:36.

Cremos que sua vinda será pessoal. – Mateus 24:30; 1 Tessalonicenses 4:16;

  • Todo olho o verá. (Apocalipse 1:7) Por isso a Bíblia fala de sua vinda final como uma aparição. – 2 Tessalonicenses 1:7; 1 Timóteo 6:14; 1 Pedro 1:7.
Cremos que Jesus Cristo julgará o mundo em justiça. – Atos 17:31;

Cremos que Jesus Cristo voltará com poder e glória. – Mateus 24:30; 25:31; 

Cremos que a volta de Jesus Cristo significará o terror dos ímpios. – Apocalipse 1:7; 6:15-17; 21:7;
Cremos que a volta de Jesus Cristo significará eterno gozo e deleite para os salvos. – Apocalipse 21: 4, 8.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - DESCULPAS PARA JUSTIFICAR SUAS FALSAS PROFECIAS PARA 1914, 1925 E 1975

APOSTILA - RAZÕES PARA JAMAIS SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ - NÍVEL INICIANTE 1

ESBOÇOS DA FÉ - QUE TIPO DE UVAS VOCÊ PRODUZ? - ISAÍAS 5:1-7