DECLARAÇÃO DE FÉ - SOTERIOLOGIA: A DOUTRINA DA SALVAÇÃO


Cremos que todos os homens mereciam o castigo eterno devido à desobediência a Deus no Jardim do ÉDECLARAÇÃO DE FÉ - SOTERIOLOGIA: A DOUTRINA DA SALVAÇÃO

Cremos que todos os homens mereciam o castigo eterno devido à desobediência a Deus no Jardim do Éden. 

Cremos que todos os pecadores por sua própria natureza são incapazes de buscarem a Deus por livre e espontânea vontade;

Cremos que o próprio Deus, baseado em seu amor e graça, decidiu salvar alguns (Romanos 9:13ss) da humanidade por meio de seu Filho unigênito (João 3:16); 

Cremos que a salvação do homem depende única e exclusivamente da ação e soberania divina.

Cremos que Deus quer que todos sejam salvos. (1 Timóteo 2:4) Mas esse “todos” refere-se a todos que ele predestinou, pois é inconcebível acreditar que Deus quer salvar até mesmo aqueles que Ele sempre soube que jamais seriam salvos. 

ASPECTOS DA SALVAÇÃO

Cremos nos seguintes passos para Deus salvar o homem:
Graça: É o poder dinâmico de Deus que provêm imerecidamente para capacitar o homem a desejar e fazer a Sua vontade. – Filipenses 2:13; 1 Coríntios 1:4,5; 2 Timóteo 1:9; Tiago 1:18; 2 Coríntios 3:5; Hebreus 13:21; Isaías 26:12; Jeremias 10:23; Provérbios 16:9; 20:24; 1 Coríntios 15:10.
Eleição: É o ato eterno de Deus pelo qual Ele, em seu soberano beneplácito, e sem levar em conta nenhum mérito previsto nos homens, escolhe um certo número deles para receberem a graça especial e a salvação eterna. - Efésios 1:4, 11, 12; Marcos 13:20; Romanos 8:33; Apocalipse 17:14.
Chamada: É a obra do Espírito Santo pela qual desperta certas pessoas da sua morte espiritual e esclarece suas mentes por meio da Palavra a fim de capacita-las para crerem em Jesus Cristo como Salvador e Senhor. Romanos 8:30; Mateus 22:1-14; Efésios 4:1, 4; 2 Timóteo 1:8, 9; 2 Tessalonicenses 2:14.
: É a mudança efetuada na mente pela qual se sente a necessidade de aceitar a obra de Cristo de acordo com as Sagradas Escrituras e o reconhecimento do senhorio Dele. Efésios 2:8, 9; 2 Tessalonicenses 1:3; João 6:28, 29.
Arrependimento: É a mudança efetuada pelo Espírito Santo na mente do pecador pela qual ele reconhece seu pecado, lamenta este fato na sua vida e o abandona. - Lucas 15:7; Apocalipse 9:21; Hebreus 6:1;
  • Conversão: É o ato exterior, visível e prático da salvação operada na vida do pecador regenerado (Lucas 22:32). Os dois aspectos da conversão são: 
    • Arrependimento: é o aspecto negativo da conversão, porque implica no abandono do pecado e em dizer não para as coisas pecaminosas.
    • Fé: é o aspecto positivo da conversão, porque implica em voltar em direção a Deus e em dizer sim para a sua palavra. 
Regeneração: É o ato de Deus pelo qual o princípio de uma nova vida é implantado no homem, e a disposição dominante de sua alma é tornada santa. É a comunicação de vida divina à alma, que implica numa completa mudança de coração. – Ezequiel 18:31; 36:26; Jeremias 24:7; Romanos 6:4; Efésios 2:6; Colossenses 2:12; João 5:21; 6:63; 10:10, 28; Romanos 6:11, 13; 1 Jo.5:11, 12; Efésios 2:1, 5; Colossenses 2:13; 2 Pedro 1:4; João 1:12; 3:3, 5; 1 Jo.3:1.

União com Cristo: As Escrituras declaram que a alma tem uma união interpenetrada e viva com Jesus Cristo sem destruir a individualidade ou personalidade da pessoa, mas fazendo uma unidade que é simbolizada pelas figuras de templo, casamento, videira, cabeça e membros do corpo. – 1 João 5:11; 1 Coríntios 6:15; Romanos 8:38; Gálatas 2:20.

Justificação: É um ato judicial de Deus, no qual Ele declara, com base na justiça de Jesus Cristo, que todas as reivindicações da lei estão satisfeitas a favor do pecador (Atos 13:39; Romanos 5:1, 9; 8:30-33; 1 Coríntios 6:11; Gálatas 2:16; 3:11). Na justificação estão incluídos o perdão, a adoção, a substituição vicária e a imputação.

·         Remissão ou Perdão (aspecto negativo dívida é anulada): É o resultado da morte de Cristo e se dá por meio da substituição, na qual, Cristo nosso Cordeiro Pascal se oferece para morrer em nosso lugar. É o aspecto negativo da justificação, pois quando Adão pecou, ele foi condenado pelo que fez de errado (iniquidade), como também pelo que deixou de fazer de certo, errando o alvo (pecado). Adão, então pecou por ação e omissão (pecado, leia 1 João 3:4). Cristo em sua obra vicária corrigiu os erros de Adão, obedecendo passiva e ativamente, negativa e positivamente os mandamentos de Deus, pois a lei inclui mandamentos negativos (não adulterarás, etc.) e mandamentos positivos (amarás a Deus, etc.). O perdão é, portanto o ato judicial de Deus pelo qual ele concede ao pecador, na cruz, os benefícios resultantes da obediência passiva de Cristo. O perdão é resultado da morte de Cristo enquanto que a adoção (o aspecto positivo da justificação) é resultado da ressurreição de Cristo (Romanos 4:25). Na morte Cristo aniquilou o pecado, na ressurreição trouxe justiça. O perdão é operado mediante a substituição, a justiça é concedida por meio da imputação. O perdão é concedido na cruz. A justiça é imputada no tribunal de Deus. -  1 Pedro 3:18.
·       Adoção (aspecto positivo crédito é imputado): É o resultado da ressurreição de Cristo e se dá por meio da imputação, na qual a justiça de Cristo, que dá o direito legal à adoção, é imputada ao crente. A regeneração opera uma filiação moral enquanto que a adoção opera uma filiação legal. É o ato judicial de Deus, resultado prático da regeneração, pelo qual Ele declara seus filhos emancipados e herdeiros da vida eterna. – Tito 3:7.
·    Imputação: É o ato de Deus pelo qual Ele debita meritoriamente na conta da humanidade o pecado de Adão, e judicialmente na conta de Cristo o pecado da humanidade, e gratuitamente na conta da humanidade a justiça de Cristo. Imputação significa "debitar", "atribuir responsabilidade" ou "lançar na conta de alguém". Paulo ensina esta doutrina quando assume a dívida de Onésimo. Do mesmo modo Jesus Cristo tomou a nossa dívida – Filêmom 18,19.
·    Substituição: É o ato judicial de Deus pelo qual Ele pune os pecadores pelos seus pecados, provendo um substituto qualificado, sobre o qual recaiu todo o pecado e a culpa imputados à humanidade por causa do pecado de Adão (Isaías 53:4-7; 1 Coríntios 5:7) Um substituto qualificado deveria possuir: 
·         Perfeita Encarnação: deveria ter natureza humana completa para poder representar adequadamente a humanidade - Hebreus 2:14-17; 5:1; Jo.1:14.
·         Perfeita Identificação: deveria ter uma profunda identificação com o sofrimento humano (Hebreus 4:15; 2:18; 5:2,3). A nossa identificação com Cristo é tão perfeita que somos identificados com Ele na sua morte. – Romanos 6:3; Colossenses 2:12. 
·         Perfeita Santidade: Um homem comum não seria um bom representante da raça humana. O substituto deveria ser santo, inocente, sem mácula, separado dos pecadores (Hebreus 7:23-27). Um mortal comum não poderia salvar ninguém, pois sendo mortal, não se salvaria nem a si mesmo.
·         Perseverança: Em virtude do propósito original e obra contínua de Deus, todos que são regenerados continuam nessa posição e alcançarão a eternidade. João 5:24. Somos preservados por Deus. - João 6:47, 51; 1 João 5:11, 13; Filipenses 1:6. 

Santificação: A santificação envolve quatro sentidos diferentes:
  • ·      Santificação no sentido geral: É a separação para Deus de pessoas, dias, lugares e coisas que assim pertence exclusivamente para o uso de Deus;
  • ·   Santificação passada: É também chamada de santificação posicional. É quando a pessoa no ato de regeneração é totalmente posta a parte para Deus pelo Espírito Santo, sendo imputada à ela toda obediência ativa de Jesus Cristo. I Tessalonicenses 5:23; Hebreus 10:10-12; Atos 26.18; Esta santificação não é gradual, não existem pessoas mais santas em posição do que outras.
  • ·       Santificação progressiva: É também chamada de santificação processual. É quando o crente pela Palavra e pelo Espírito torna-se sensível a necessidade de conformar-se a imagem de Deus, isto é, morrer ao pecado e viver em justiça. Neste sentido de santificação existem graus, é possível que um crente seja mais santo do que outro. - João 17:17; Tiago 1:23, 24; Efésios 5:26; 2 Co. 3:18.
  • ·     Santificação futura: É a total separação do pecado. - 1 Tessalonicenses 3:13; 5:23, 24; 1 João. 3:2. 

  • Redenção: É o ato gracioso de Deus pelo qual Ele liberta o pecador da escravidão da lei do pecado e da morte. (Romanos 8:1, 2), mediante o pagamento de um resgate (Romanos 6:20-22; 1 Coríntios 6:19, 20; 1 Pedro 1:18, 19; Apocalipse 1:5; 5:9; Gálatas 4:1-7a) Sobre a redenção, ainda creio:

·      Necessidade da Redenção: Todas as criaturas humanas da terra pertencem a Deus (1 Coríntios 10:26; Salmo 50:12) mas não são todas de Cristo (Romanos 8:9). 
·         O homem só se torna propriedade exclusiva de Cristo mediante a obra da redenção (1 Coríntios 6:19, 20; Hebreus 2:13-15). 
·         O mundo (sistema) é de Satanás (1 João 5:19) e as criaturas humanas que estão no mundo pertencem à ele (Atos 26:18; Mateus 12:30; Marcos 9:40; Lucas 11:23), por isso era necessária a redenção, para que através de Cristo Deus resgatasse (comprasse) do mundo os que viriam a crer nele, para que através da redenção passassem a pertencer a Cristo (João 15:19; 17:14; 18:36; Colossenses 1:13).
·         Se um homem ainda não foi redimido, embora sendo criatura de Deus, continua sendo filho do Diabo, do qual é ele escravo (João 8:44). Somente os filhos de Deus são verdadeiramente livres (Gálatas 2:4; 5:1; Romanos 8:21; 2 Coríntios 3:17). 
·         A Natureza do Redentor: Deveria ser parente próximo da vítima: Era ele, o redentor, quem deveria resgatar o sangue da vítima assassinada (Números 35:19-34; Josué 20:3-5); era ele quem deveria resgatar a possessão da família que fora vendida (Levítico 25:24, 26, 51, 52; 27:13, 15, 19, 20, 31; Jeremias 32:7); era ele quem deveria resgatar a pessoa cujo empobrecimento forçou-a a se vender a um não judeu (Levítico 25:47-49). Em Ezequiel 11:15 a expressão "os homens do teu parentesco" significa "os homens da tua redenção". O Redentor deveria preencher certos requisitos: 
·         Ter parentesco do escravo a ser resgatado (Rute 2:20; 3:9, 12; 4:1, 3, 6,14); 
·         Ter meios com que pagar o resgate (Rute 4:6; Salmos 49:7-9); 
·         Querer efetuar o resgate (Rute 4:4; 3:13; Romanos 5:7);
·         Ser livre e não podia ser um escravo, um escravo não podia resgatar outro escravo. 
·         Cristo é o Nosso Redentor, pois de acordo com a Lei: 
·         Ele se fez nosso parente próximo (Hebreus 2:14, 15; Filipenses 2:7);
·         Ele pagou com seu sangue (Atos 20:28; 1 Pedro 1:18; 1 Coríntios 6:20);
·         Ele nos resgatou voluntariamente (João 10:17, 18);
·         Ele não tinha pecado (Hebreus 5:15; 2 Coríntios 5:21).

Reconciliação: É a operação graciosa de Deus pela qual Ele reconcilia os pecadores consigo mesmo, por meio da morte de Jesus Cristo, removendo a inimizade (2 Coríntios 5:18-21; Colossenses 1:20-22). O termo usado no Antigo Testamento para reconciliação é expiação. Os dois aspectos da reconciliação são:
·         Expiação: A reconciliação (no grego = katallagê) tem seu aspecto negativo na expiação, que enfatiza a morte de Cristo para o perdão dos pecados (a justificação possui aspectos semelhantes à reconciliação: É negativa e positivamente considerada: (a) Perdão e (b) Adoção). A expiação é a remoção da causa da inimizade do homem (Romanos 5:10). Na expiação a fraqueza, a impiedade e o pecado (mencionados em Romanos 5:6-8), fatores causadores da inimizade, são removidos. Portanto expiação é o cancelamento da fraqueza (Romanos 5:6), da impiedade (Romanos 5:6) e especialmente do pecado (Romanos 5:8; 1 João 1:29; At.3:19). 
·         Propiciação: É a reconciliação em seu aspecto positivo, e por isso vai além da expiação, pois enfatiza a morte de Cristo. Na propiciação a ação se dirige para Deus, a pessoa ofendida. O propósito da propiciação é alterar a atitude de Deus, da ira para a boa vontade e favor. Na propiciação é a ira que é removida (Romanos 5:9, 10) e a amizade de Deus é restaurada. Não é o caso de Deus mudar, mas sim de que sua ira é desviada (Salmo 78:38; 79:8). A expiação extingue o pecado (a inimizade contra Deus), a propiciação extingue a penalidade do pecado (a ira de Deus) que é desviado para a cruz de Cristo (Romanos 3:25; Romanos 1:18, 24, 26). 

Glorificação: É o último aspecto da salvação. Este ocorrerá no momento da volta de Cristo. É o estado totalmente glorificado, um estado de ausência eterna do pecado, seremos semelhantes a Jesus Cristo. - 1 Coríntios 15:51, 52; 1 Tessalonicenses 4:17. - Fernando Galli.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VÓ ROSA - APOSTILA PARA ESTUDAR AS CRENÇAS DA SEITA

CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL - LIBERTANDO-SE DE UMA INVERDADE CABELUDA

ESBOÇOS DA FÉ - QUE TIPO DE UVAS VOCÊ PRODUZ? - ISAÍAS 5:1-7

O QUE SIGNIFICA SER MANSO?

APOSTILA - DEZESSEIS RAZÕES PARA NÃO SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ - NÍVEL INICIANTE

MAÇONARIA - UM SEGREDO SOBRE AS ORIGENS DE SEUS SINAIS SOLENES.

CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO AMIGO - PROVÉRBIOS 17:17

COMUNIDADE CRISTÃ AMOR E GRAÇA - ALGUMAS DE SUAS HERESIAS

DEBATE: BATISTA X ADVENTISTA: OS ESCRITOS DE ELLEN G. WHITE - INSPIRADOS POR DEUS OU NÃO? (PROFESSOR AZENILTO BRITO X FERNANDO GALLI)