TEOLOGIA - DECLARAÇÃO DE FÉ SOBRE A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS.


Creio que a Bíblia é inspirada por Deus em seus escritos originais (autógrafos), e que apesar de não termos mais tais escritos, mas apenas cópias, a comparação cuidadosa de manuscritos antigos, aos milhares, permite-nos restabelecermos o texto sagrado substancialmente na forma como foi escrito, e que possíveis discrepâncias entre manuscritos e traduções bíblicas atuais não anulam a inspiração completa dos escritos originais. Cabe ao estudioso buscar a melhor tradução de acordo com as melhores evidências.


Creio também que a Palavra de Deus é autoridade divina em minha vida e na vida da Igreja não por uma questão de um salto de fé, mas porque sou salvo em Cristo Jesus e porque o Espírito Santo de Deus testifica em meu viver que eu devo crer em toda a Bíblia e, por isso, mesmo que fossem-me levantadas as maiores provas humanas, das mais bem elaboradas possíveis, contra a Inspiração Divina, ainda assim eu creria na Bíblia como autoridade divina para a Igreja.

Creio que a Autoridade das Escrituras significa que todas as palavras das Escrituras são Palavras de Deus, de modo que não crer em alguma palavra da Bíblia ou desobedecer a ela é não crer em Deus ou desobedecer a ele.[1] Assim, também creio que:
  • Todas as palavras da Bíblia são palavras de Deus. – Números 22:38; Deuteronômio 18:18-20; Jeremias 1:9; 14:14; 23:16-22; 29:31, 32; Ezequiel 2:7; 13:1-16; Mateus 1:22; Mateus 19:5 (Citação de Gênesis 2:24); Atos 2:16, 17 (citação de Joe 2:28-32, atribuídas a Deus); 2 Pedro 3:16 (as cartas de Paulo são chamadas de Escrituras); 1 Coríntios 14:37.
  • Conforme lemos a Bíblia, somos convencidos pelo Espírito Santo de sua autoridade. – 1 Coríntios 2:13, 14; João 10:27.
  • Negar a Bíblia é negar o próprio Deus. – Lucas 24:25; João 15:20; 2 Pedro 3:2; 2 Tessalonicenses 3:14; 2 Coríntios 13:2, 3; 1 Coríntios 14:38.
  • Nas Escrituras, só encontramos verdades. – Tito 1:2; Hebreus 6:18; Salmo 12:6; 119:89; Mateus 24:35; João 17:17.
  • Com tudo isso em mente, as Escrituras são nossa autoridade final. – 2 Timóteo 3:16, 17; 1 Coríntios 14:37; 2 Pedro 3:16.
Creio também que a Bíblia é inspirada de forma verbal e plenária, que a Bíblia é inerrante, infalível e verdadeira.

a) Inspiração[2]Deus é o Criador da mente humana. Assim como o criador de um relógio sabe como influenciar o mecanismo a responder de acordo com a sua vontade, assim também creio que Deus usou seu Todo-Poderoso Espírito Santo para revelar a pessoas escolhidas a Palavra escrita de Deus. Não creio em teorias mundanas sobre a inspiração da Bíblia, do tipo: (a) Deus revelou o fato aos escritores bíblicos, e deixou a critério deles como explicar o fato, sendo assim, por exemplo, Deus teria revelado ao homem que Ele é o Criador, e o homem teria achado por bem escrever Gênesis da forma que está. – Em primeiro lugar, não temos provas bíblicas de que é assim que foi feito. Segundo, creio que do grego podemos entender que a palavra theopneustos (inspirada por Deus) em II Tm. 3.16 refere-se a uma comunicação que foi inspirada por Deus [...] cujo escritor foi influenciado por Deus.”[3]

Com isso em mente, não creio que foi um ditado psicográfico, como afirma-se que acontece com supostas revelações em movimentos espiritualistas, mas que a inspiração da Palavra de Deus envolveu duas atividades sobrenaturais: (a) Deus comunicou a verdade divina ao homem por ele escolhido e através de seu Espírito Santo o influenciou a (b) escrever exatamente aquilo que Deus intencionava, cada letra, frase, parágrafo, livro – a Bíblia. Creio, então, que foi uma revelação plenária, desta forma, em que Deus sopra a Escritura na mente do homem e este reproduz fielmente o texto sagrado em primeira mão. De acordo com as evidências, Deus usou cerca de 40 homens para a escrita da Bíblia.

b. Evidências da Inspiração da Bíblia – Embora a inspiração divina seja um fenômeno espiritual e não possa ser reproduzido em laboratório, o Espírito Santo de Deus, que conduz o homem a toda verdade, convence-nos ao estudarmos as Escrituras das evidências de sua inspiração. Creio nas seguintes delas:
  • Harmonia Interna – Num período de cerca de1500 anos, umas 40 pessoas, que viviam em lugares diferentes, com profissões e educação diferentes, escreveram uma mensagem harmoniosa, de salvação.
  • Historicamente exata – Abundante evidência histórica comprova que a Bíblia é um livro que fala a verdade. Nomes de cidades, locais e personagens e acontecimentos têm sido confirmados com exatidão.
  • Cientificamente exata – Cientistas têm comprovado com evidências irrefutáveis que tudo o que existe precisa de um Criador. (Hebreus 3:4) E que também a humanidade descende de um ancestral em comum. (Gênesis 1:26) E que os idiomas têm uma origem comum. - Gênesis 11:1-9.
  • Profecias – A Bíblia contém profecias escritas que se cumpriram com exatidão, com respeito à ascensão e queda de reinos e reis, sobre a vinda de Jesus, o Messias, e sobre eventos bem à frente de sua escrita, cujo cumprimento estamos observando atualmente. - Mateus 24:3-12; 2 Timóteo 3:1-5.
  • Palavra Viva. A Bíblia contém conselhos que se seguidos resultam numa vida melhor. - Efésios 5:22-6:4; Lucas 14:28; Provérbios 6:6; Mateus 6:25-33, Hebreus 4:12.
c. Inspiração Verbal - Gálatas. 3.16; Mateus. 5.17-18. 
  • A Influência divina fez com que o homem escrevesse a Bíblia com exatidão infalível e Deus escolheu suas próprias palavras na revelação.
  • Lemos várias vezes na Bíblia a expressão “assim diz” (Hb. 3.7; At. 13.35; Hb. 1;7-8), o que dá realce a viva voz de Deus falando através da Escritura. O Espírito Santo escolheu as palavras, através dos escritores bíblicos.
 d. Inspiração Plenária – Toda a Escritura é inspirada por Deus. - 2 Timóteo 3.16; Mateus 12.40; Marcos 10.6; Romanos 5.12-21. 
  • A influência completa e perfeita do Espírito Santo foi concedida a toda Escritura, tornando-a desta maneira a revelação autorizada de Deus.
  • O todo doutrinário e histórico é inspirado, não contém erros e nem falhas.
  • Jesus não reconheceu uma parte mais inspirada do que a outra. - João 10.34-35.
  • Jesus trata eventos do V.T. como historicamente verídicos.
Adão e Eva. – Mateus 19:4, 5. / Jonas. – Mateus 12:39-41. 
A Revelação é progressiva mas este progresso não implica imperfeição ou erro na revelação, pois todos os 66 livros da Bíblia são plenamente inspirados. (pleno – completo).

e. Inerrância.  Creio que a Bíblia seja a palavra pura de Deus, inerrante. (Salmo 12:6; Provérbios 30:5) A Bíblia sempre fala a verdade, pois Deus não é homem para que minta. (Números 23:19) Ou seja, os escritos originais não continham ou afirmavam nenhum dado errado. Se admitirmos erros na Bíblia, que critérios usaríamos para distinguir o certo do errado, senão a nossa própria conveniência? Todavia, Deus achou correto que na Bíblia contivessem: 
  • Ponto de vista do observador. Em Isaías 40:22, afirma-se que Deus habita sobre o círculo da terra. Em hebraico, círculo denota uma abóboda. Mas não se trata de uma abóboda literal, palpável, mas é a impressão que o autor sagrado tem do vê.
  • Números e dados aproximados. Por exemplo, em Levítico 1, fala-se que os contados das tribos de Israel com números arredondados. Da tribo de Rubem, 46.500.  (1:21); de Simeão, 59.300. (1:23) de Gade, 45.650. (1:25), e assim por diante.
  • Citações adaptadas por escritores posteriores quanto a nomes de locais. Em Gênesis 10:11, fala-se de os descendentes de Noé fundarem Nínive. Mas Nínive jamais existiu naquela época. Os copistas puderam muito bem atualizar o nome da cidade que veio a ser chamada de Nínive, mas não sabemos como ela se chamava nos dias Ninrode. 
Como característica de um livro inspirado inerrante, não se pode admitir que haja contradições nas Escrituras. Deus não se contradiz. Por isso, ao interpretarmos textos aparentemente contraditórios, convém ao estudioso crente e salvo partir do pressuposto inequívoco de que não há erros neles, e com humilde oração pedir a ajuda ao Espírito Santo para desvendar a explicação para a suposta contradição. Mas ainda que não conseguíssemos uma explicação, devido a nossas limitações, para solucionar o problema, mesmo assim creio que a Bíblia seja inerrante.

f. Infabilidade. Jesus ensinou que a Escritura não pode falhar. (João 10:35) Por isso, pelo fato de as profecias bíblicas sempre se cumprirem corretamente, creio que as que ainda estão por se cumprir, cumprir-se-ão.  Também é infalível porque suas palavras de advertências se cumprem. – Compare Josué 6:26 com 1 Reis 16:34Isaías 7:14 com Mateus 1:22, 23João 13:38 com João 18:27.

g. Veracidade:  Toda Escritura é verdadeira. Deus não pode mentir (Tito 1:2) e Deus é verdadeiro (Romanos 3:4). Portanto, a palavra de Deus é a verdade. – João 17:17. 

h. Necessidade: Creio que a Bíblia seja necessária ao homem:

1. Para se conhecer o evangelho. – Romanos 10:13-17.
  • A fé salvadora vem pelo ouvir. – João 3:8; Atos 4:12; 1 Timóteo 2:5, 6.
  • Os servos de Deus que viveram antes de Jesus tiveram fé nele porque ouviram as promessas sobre ele. – Hebreus 11:3, 26; João 8:56.
2. Para sustentar a fé. 
  • A Bíblia afirma que o homem viverá de toda a Palavra que sai da boca do SENHOR. – Deuteronômio 8:3; Mateus 4:4.
  • A Palavra de Deus é nossa vida. – Deuteronômio 32:47.
  • Devemos ansiar por ela ardentemente. – 1 Pedro 2:2.
3. Para o conhecimento seguro da vontade de Deus. 
  • O coração do homem pecador não é fonte confiável para revelar as verdades sobre Deus. – Jeremias 17:9.
  • Na Bíblia, Deus nos revela a sua vontade. – Deuteronômio 29:29; Salmo 119:1; Salmo 1:1, 2; 1 João 5:3.
  • Deus não nos revelou todas as verdades, mas algumas apenas, sobre as quais podemos ter certeza de que são verdades.
i.  Clareza. “A Bíblia é escrita de forma tal que todas as coisas necessárias para a nossa salvação e para a nossa vida e crescimento cristão encontram-se bem claramente expostas nas Escrituras. [...] Dizer que as Escrituras são claras é dizer que a Bíblia está escrita de modo tal que seus ensinamentos podem ser compreendidos por todos que a lerem buscando o auxílio de Deus e dispondo-se a acatá-la.” – Página 73. 
  • O povo de Israel deveria compreender as Escrituras e ensiná-las a seus filhos. – Deuteronômio 6:6, 7.
  • Meditar nas Escrituras pressupõe a capacidade de compreendê-las. – Salmo 1:2.
  • Deus dá sabedoria e entendimento aos simples. – Salmo 19:7; 119:130.
  • Quando Jesus se dirigia ao povo judeu, ele abordava assuntos das Escrituras com 1500 a 400 anos antes dele, portanto, Jesus cria que era possível compreender a Palavra de Deus.
  • Segundo Jesus, a culpa de não se compreender as Escrituras é do homem, não das Escrituras. – Mateus 22:29.
  • A maioria das cartas do Novo Testamento foi escrita para igrejas inteiras, não apenas a uma classe de líderes. Portanto, Deus inspirou a escrita da Bíblia de modo claro, para todos tirarem proveito. – 1 Coríntios 1:2; Gálatas 1:2, Filipenses 1:1.

AS QUALIDADES MORAIS E ESPIRITUAIS NECESSÁRIAS PARA A CORRETA COMPREENSÃO DAS ESCRITURAS.
  • A capacidade do homem para entender as Escrituras é mais moral e espiritual do que intelectual. – 1 Coríntios 2:14; 2 Coríntios 3:14-16; 4:3, 4; Hebreus 5:14; Tiago 1:5, 6; 2 Pedro 3:5; Marcos 4:11, 12; João 7:17; 8:43.
  • As Escrituras podem ser compreendidas pelos descrentes que sinceramente buscam a salvação e pelos crentes que a leiam buscando auxílio de Deus, pois é o Espírito Santo age na superação das consequências do pecado que nos impede de compreendê-las. – João 16:13, 14. 

Nota: Este estudo foi realizado com constante consulta à Teologia Sistemática de Wayne Gruden, e à Monagrafias dos irmãos em Cristo: Messias Santos e Fernando Ferreira.



[1] Wayne Gruden. Teologia Sistemática : Atual e Exaustiva, páginas 44-57.
[2] “Inspiração é a influência do Espirito Santo sobre as mentes dos escritores da Bíblia, que fizeram dos escritos o registro de uma revelação divina progressiva, suficiente, quando tomada no seu conjunto e interpretada pelo mesmo Espírito que os inspirou a dirigir cada inquiridor a Cristo e a Salvação.” - Augustus H. STRONG, Teologia Sistemática vol. 1, pg. 293
[3] Johannes Louw – Eugene Nida, Léxico Grego Português do Novo Testamento, páginas 373, 374. 

Um comentário:

  1. Muito bom. Parabéns pelas explicações e defesas das escrituras irmãos. Que Deus os abençoem. Forte abraços e até mais, em nome de Jesus

    ResponderExcluir

Seus comentários devem contem no máximo 500 caracteres