TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - O APOLOGISTA DA MENTIRA FULMINADO AO REFUTAR UMA CARICATURA DA TRINDADE


A desonestidade intelectual de certo testemunha-de-jeová, motivou-me a escrever uma resposta bíblica a seus esforços de mal informar seus leitores a não crerem na Trindade. Segundo ele, estamos errados em crer que o Pai, o Filho e o Espírito Santo sejam a mesma pessoa, e todo o seu artigo tenta provar que estamos errados em crer assim. Ocorre que NÃO CREMOS que o Pai, o Filho e o Espírito Santo sejam a mesma pessoa. Então, em que cremos e qual a resposta que temos para o vulgo Apologista da Verdade?

Como o Apologista da Verdade TJ, aquela que já mudou 329 vezes de ensinos até 25.11.2015, não diz a verdade, irei chamá-lo de Apologista da Mentira. Antes de refutar a mentira, precisamos demonstrar em que cremos sobre a Trindade. Veja o que nossos livros de teologia afirmam:
  1. "Trindade. Termo que designa um só Deus em três Pessoas." - Enciclopédia Histórico-|Teológica da Igreja Cristã : em um volume, página 576, Volume 3. São Paulo: Vida Nova, 2009.
  2. "Trindade. [...] Mas esta doutrina está implícita no testemunha dado pelas Escrituras quanto à verdadeira e completa divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mantendo uma distinção de pessoas; em outras palavras, há três pessoas em um único Deus." - Dicionário Bíblico Wycliffe, páginas 1967, 1968. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
  3. "TRINDADE. Termo que designa os três membros do Deus Triúno: Pai, Filho e Espírito Santo.  [...] Em toda a Bíblia, Deus é apresentado como o Pai, o Filho e o Espírito Santo - não três "deuses", mas três pessoas em um único Deus. (v.  Mt 28:19; 1Co 16:23, 24; 2Co 13:13)."- Dicionário Bíblico Tyndale, página 1806. Santo André: Geográfica Editora, 2015.
  4. "Trindade. A Igreja define a Trindade de Deus como a crença que em Deus existem três pessoas, que subsistem numa única natureza." - MACKENZIEJohn L. Dicionário Bíblico, página 866. São Paulo : Paulus, 1983.
  5. "Uma das melhores definições de Trindade que eu conheço é a de Warfield: "Existe apenas um Deus único e verdadeiro, mas na unidade da divindade existem três pessoas co-eternas e co-iguais, da mesma substância, mas de subsistência distinta"." - RYRIE, Charles C. Teologia Básica ao Alcance de Todos, página 61, 62. São Paulo: Mundo Cristão, 2004.
  6. "Historicamente, a Igreja formulou a doutrina da Trindade em razão do grande debate a respeito do relacionamento entre Jesus de Nazaré e o Pai. Três Pessoas distintas - o Pai, o Filho e o Espírito Santo são manifestadas como Deus, ao passo que a própria Bíblia sustenta com tenacidade o Shema judaico: "Ouve, ó Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR". (Dt 6:4)". - Horton, Stanley M. Teologia Sistemática - Uma Perspectiva Pentecostal, página 158. Rio de Janeiro: CPAD, 1996.
  7. "O Pai não é o Filho, [...] O Filho não é o Espírito Santo. [...] O Espírito Santo não é o Pai. [...] O Pai é o Deus único. O Filho é o Deus único. O Espírito Santo é o Deus único." - FERREIRA, Franklin & MYATT, Allan. Teologia Sistemática: uma análise histórica, bíblica e apologética para o contexto atual, páginas 183, 184. São Paulo: Vida Nova, 2007.
  8. "O único ser divino subsiste em três pessoas, Pai, Filho e Espírito. Esta proposição nada acrescenta aos fatos em si, pois os fatos são: (1) Que há um Ser Divino; (2) O Pai, o Filho e o Espírito são divinos. (3) O Pai, o Filho e o Espírito são pessoas distintas." - HODGE, Charles. Teologias Sistemática, páginas 334, 335. São Paulo: Hagnos, 2001.
  9. "Podemos definir a doutrina da Trindade do seguinte modo: Deus existe eternamente como três pessoas - Pai, Filho e Espírito Santo - e cada pessoa é plenamente Deus, e existe um só Deus. [...] Em certo sentido a doutrina da Trindade é um mistério que jamais seremos capazes de entender plenamente. Podemos, todavia, compreender parte de sua verdade resumindo o ensinamento das Escrituras em três declarações: 1. Deus é três pessoas. 2. Cada pessoa é plenamente Deus. 3. Há um só Deus." GRUDEN, Wayne. Teologia Sistemática : Atual e Exaustiva, páginas 165, 169. São Paulo : Vida Nova, 1999.
  10. "Pode-se discutir melhor, e resumidamente, a doutrina da Trindade em conexão com várias proposições que constituem um epítome da fé professada pela Igreja sobre esses pontos. a. Há no Ser Divino apenas uma essência indivisível. Deus é um em seu ser essencial, ou seja, em sua natureza constitucional. [...] b. Neste único Ser divino há três Pessoas ou subsistências individuais, o Pai, o Filho e o Espírito Santo." - BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática, página 83. 3a. Edição. São Paulo : Cultura Cristã, 2009.
  11. "Ponto de partida: Cultuamos Deus na Trindade e a Trindade na unidade, sem nunca confundir as pessoas nem separar as substâncias." [...] Embora exista um só Deus, ele existe em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo." - STURZ, Richard J. Teologia Sistemática, páginas 172, 176. São Paulo : Vida Nova, 2012.
  12. "Há três tipos distintos, porém, inter-relacionados, de evidência: a evidência a favor da unicidade de Deus - Deus é um; a evidência de que há três pessoas que são Deus; finalmente, as indicações ou, ao menos, aos sugestões da "triunidade" [...] 2. A divindade de cada uma das três pessoas - Pai, Filho e Espírito Santo - deve ser assegurada. Cada um é qualitativamente igual. O Filho é Divino da mesma forma e na mesma medida que o Pai, e isso também se aplica ao Espírito Santo. [...] 4. A trindade é eterna. Sempre houve três - Pai, Filho e Espírito Santo - e todos eles foram divinos." - ERICKSON, Millard J. Teologia Sistemática, página 317.
  13. "A doutrina da Trindade pode expressar-se  nas seguintes seis afirmações: 1. Há na Escritura três que são reconhecidos como Deus. 2. Estes três são descritos de tal modo que somos compelidos a concebê-los como pessoas distintas. 3. Essa tripessoalidade de natureza divina não é simplesmente econômica e temporal, mas imanente e eterna. 4. Essa tripessoalidade não é triteísmo; pois enquanto haja três pessoas, há apenas uma essência. 5. As três pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo são iguais. 6. Inescrutável, embora nao autocontraditória, essa doutrina fornece a chave de todas outras doutrinas." - STRONG, Augustus Hopkins. Teologia Sistemática, página 452, Volume 1. São Paulo : Hagnos, 2003.
Essas referências foram apenas uma degustação do arsenal teológico que possuo em minha biblioteca pessoal, e do que pode ser ainda extraído de CENTENAS de obras de referência ao redor da terra, em vários idiomas. E sem contar as Declarações de Fé de centenas de Denominações Cristãs publicadas na Internet, também em vários idiomas. A COLOSSAL MAIORIA, AOS SEUS PROVAVELMENTE 99,9% de definições sobre a Trindade apontam para UM ÚNICO E VERDADEIRO DEUS SUBSISTINDO E COEXISTINDO EM TRÊS PESSOAS DISTINTAS MAS NÃO SEPARADAS (por serem da mesma substância).

Entretanto, o não ignorante, mas mal intencionado Apologista da Verdade, arvora-se no delito espiritual de afirmar que cremos que Pai, Filho e Espírito Santo sejam a mesma pessoa, e depois passa a nos refutar como se crêssemos nessa heresia de Três Pessoas NUMA ÚNICA PESSOA. Veja como ele faz isso, e como é refutado. Suas palavras são extraídas do seguinte endereço (talvez ele mude depois da surra): Clique AQUI*.
APOLOGISTA DA MENTIRA - “É muito comum, já por muito tempo, os trinitaristas citarem textos bíblicos que usam o mesmo título ou expressão tanto para Jeová como para Jesus Cristo como alegada indicação de que ambos sejam a mesma pessoa. Por exemplo, o fato de Jeová e de Cristo serem chamados de “pastor”, “rocha” e “salvador” é tido pelos expositores dessa doutrina como “prova” de que possuem a mesma identidade. (Sal. 23:1; João 10:11; Sal. 18:2; 1 Cor. 10:4; Isa. 43:11; Luc. 2:11) Com isso, os trinitaristas estão estabelecendo uma regra. Essa regra poderia ser expressa assim: ‘Quando o mesmo título, a mesma expressão ou a mesma ação são atribuídos a seres chamados por nomes diferentes, isso indica que são a mesma pessoa.’ Será que tal regra tem validade? Sobrevive ela a um escrutínio bíblico? Vejamos.”

RESPOSTA CRISTà– NUNCA ensinamos oficialmente que Pai, Filho e Espírito Santo sejam a MESMA PESSOA, mas que o único Deus coexiste e subsiste em TRÊS PESSOAS DISTINTAS. Nenhuma das dezenas de teologias sistemáticas que temos em nossa biblioteca aqui ensina que Pai e Filho são a mesma pessoa. Mas sabemos que raríssimas obras, nem tidas como de grande importância no meio protestante, definiu erroneamente em que cremos. Portanto, o vulgo Apologista da Verdade TJ, baseia-se em definições errôneas de Trindade, desprezadas por todos os bons teólogos cristãos, para poder refutar uma caricatura da Trindade, uma mentira que jamais ensinamos. Isto, para mim, é atitude de malandro, mentiroso, que se prostitui intelectualmente para prestar um desserviço às pessoas desavisadas. Seria o mesmo que eu dissesse que os asseclas do Corpo Governante, os Tjs, creem num Jesus igual ao dos espíritas, que é um espírito criado, e escreve um texto refutando os Tjs, quando na verdade os Tjs mão creem num Jesus igual ao dos espíritas kardecistas. De forma alguma faríamos isso, porque não somos safados.

APOLOGISTA DA MENTIRA - “Uma regra falsa elaborada pelos trinitaristas. Em João 8:44, Jesus declarou aos judeus de seus dias: “Vós sois de vosso pai, o Diabo.” Em João 8:56, ele se expressou ao mesmo grupo com as palavras: “Abraão, vosso pai.” Se a regra trinitarista fosse verdadeira, chegaríamos à absurda conclusão que o Diabo e Abraão são a mesma pessoa! É óbvio que o Diabo era o pai deles porque eles o imitavam, ao passo que Abraão era seu pai por serem descendentes dele.

RESPOSTA CRISTà– Em primeiro lugar, já observamos a pífia e malévola comparação de um sujeito que não compreende a verdade de que somente Deus subsiste e coexiste em TRÊS PESSOAS DISTINTAS, portanto, de nada nos interessa, como trinitaristas, analisar um argumento que parte de uma comparação de Abraão com Satanás para explicar que assim como eles são pessoas distintas, assim Pai e Filho não podem ser o mesmo Deus em PESSOAS DISTINTAS. Simplesmente, isso é ridículo. 

Em segundo lugar, são os UNICISTAS quem creem na heresia de que o Pai e o Filho são o mesmo Deus e a mesma pessoa. E para nós os unicistas nem filhos de Deus são! São tão hereges quanto os Tjs. Com isso em mente, nem os UNICISTAS aceitariam este argumento TJ, essa comparação ridícula entre Abraão e Satanás, pois o título “pai” aplicado a ambos tem significados totalmente diferentes. Abraão é considerado pai dos judeus porque os judeus dele descendem, e o Diabo é chamado de pai dos fariseus pelo fato de os fariseus serem apologistas da mentira, igualzinho o camarada que defende as crenças Tjs por trás de um pseudônimo, com a torpe estratégia de não ser identificado pela própria seita TJ, que oficialmente o condena como desobediente por escrever matérias de cunho espiritual, quando o Corpo Governante da seita já expressou que não é para assim agir. Além de mentiroso é desleal à própria seita dele. 

Em terceiro lugar, no final das contas, sem me preocupar tanto com a correta definição da doutrina da Trindade, eu poderia chegar à conclusão seguinte: Assim como Abraão e Satanás compartilham um mesmo título e são pessoas distintas, assim também o Pai e o Filho compartilham de mesmos títulos, e são pessoas distintas (e nisto nós realmente cremos). Veja, a seguir, outra tentativa errônea, igual a esta, para provar que nós estamos errados em crer que Pai e Filho não são a mesma pessoa, quando é realmente nisto que também cremos.
APOLOGISTA DA MENTIRA - “Vejamos outro exemplo. 2 Samuel 8:13 declara: “E Davi passou a ganhar fama quando voltou de golpear os edomitas no Vale do Sal.” O cabeçalho do Salmo 60 diz que “Joabe passou a retornar e a golpear Edom no Vale do Sal.” E 1 Crônicas 18:12 diz: “Quanto a Abisai, filho de Zeruia, golpeou ele os edomitas no Vale do Sal.” Será que tais textos indicam que Davi, Joabe e Abisai são a mesma pessoa? Afinal, a mesma ação foi atribuída a cada um deles! Na realidade, o crédito pela vitória foi atribuído a Davi por ele ser o comandante-chefe; a Joabe, por este ser seu principal general; e a Abisai, por ser um comandante divisionário sob Joabe.[1] Portanto, esses dois exemplos não deixam dúvida de que a subliminar regra trinitarista não é verdadeira. Ela não subsiste ao exame honesto das Escrituras.”

RESPOSTA CRISTà– Novamente, o mesmo caso de malandragem intectual. NÃO CREMOS QUE PAI E FILHO SÃO A MESMA PESSOA, assim como os UNICISTAS e MODALISTAS creem. Estamos “carecas” de ensinar que Pai e Filho são PESSOAS DISTINTAS, tanto que Jesus nos ensina que pela Lei de Moisés, duas testemunhas comprovariam o testemunho de alguém, e Jesus diz que ele seria uma pessoa e seu Pai a outra. (João 8:17, 18) Então, para que MENTIR DESCARADAMENTE na internet, como se os trinitaristas ensinassem que Pai, Filho e Espírito Santo são a mesma pessoa? E ainda por cima, digna-se a ser chamado de Apologista da Verdade, quando tenta enganar seus leitores afirmando que nós, cristãos trinitários, ensinamos a heresia unicista ou modalista condenada já nos séculos III e IV!

APOLOGISTA DA MENTIRA - “Uma verdadeira regra bíblica Mas, como podemos explicar textos bíblicos que atribuem os mesmos termos tanto a Jeová como a Cristo? Para isso, vamos agora focalizar uma verdadeira regra bíblica. Ela se encontra em 1 Coríntios 8:6, que declara: “Para nós há realmente um só Deus, o Pai, de quem procedem todas as coisas, e nós para ele; e há um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem são todas as coisas, e nós por intermédio dele.” Note que Paulo diz que do Pai “procedem todas as coisas”, ao passo que Jesus é aquele “por intermédio de quem são todas as coisas”. Embora Jesus seja aludido como “deus” na Bíblia, somente “Deus, o Pai” é a Procedência, Origem ou Fonte das coisas. (João 1:1)”

RESPOSTA CRISTà– Em primeiro lugar, em 1 Coríntios 8:6 não diz que apenas o Pai é Deus, mas fala-se de um só Deus, o Pai. E isto é muito diferente! Nós também cremos que o único Deus é o Pai. Mas em outros textos lemos que Jesus é “o Deus”, assim como também em 1 Coríntios 8:6 diz que há um só Senhor, Jesus Cristo, mas não se diz que apenas Jesus Cristo é o único Senhor, pois o Pai também é chamado de Senhor, assim como o Espírito Santo. (2 Coríntios 3:17) Ou seja, as palavras “DEUS” e “SENHOR” são usadas intercambiavelmente para o Pai, o Filho e o Espírito Santo exatamente porque são o mesmo Deus e Senhor, mas em pessoas distintas. A Bíblia diz que há UM SÓ SENHOR (Efésios 4:5) e UM SÓ DEUS (1 TIMÓTEO 1:17), mas diz que Jesus é O DEUS E O SENHOR de Tomé. (João 20:28). E em segundo lugar, nós também cremos que tudo procede do Pai, pois a Pessoa do Pai é a responsável pela criação, e cria todas as coisas por intermédio de Jesus e com o Poder do Espírito Santo. Nossas confissões de fé afirmam isso. Nossas obras de referências teológicas afirmam isso, porque cremos que Deus subsiste e coexiste em TRÊS PESSOAS DISTINTAS, cada uma delas com sua função na criação.

APOLOGISTA DA MENTIRA - “Por exemplo, Jeová disse: “Além de mim não há salvador.” (Isa. 43:11; veja também Salmo 106:21.) Outros textos falam de Jesus Cristo como “Salvador”. (2 Tim. 1:10; 2 Ped. 1:11) Mas Judas, versículo 25, equaciona o problema aplicando a regra bíblica acima. O texto diz: “Ao único Deus, nosso Salvador, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor.” O entendimento é claro: Jeová é chamado de Salvador por ser a Procedência, o Autor e a Fonte da salvação, ao passo que Jesus é referido como Salvador por ser o Agente, o Canal, ou meio, pelo qual ela é realizada. Isto é confirmado pela declaração de Atos 13:23, que reza: “Deus trouxe a Israel um salvador, Jesus.” – Veja também Lucas 2:30.

RESPOSTA CRISTà– Se a Bíblia diz que Jesus é Deus, Senhor e Salvador, e a Bíblia diz que há um único Deus, Senhor e Salvador, é evidente que Jesus Cristo é Deus. Mas o malandro anônimo virtual TJ é capaz até mesmo de adulterar o texto de Judas 1:25. Ele pôs o texto pela metade, para dar a entender que Deus é Salvador por intermédio de Jesus. Com esse intento satânico, ele procurou fazer o leitor desavisado acreditar que o único Salvador é o Pai, Jeová, ou seja, que a procedência da Salvação vem apenas de Jeová, sendo Jesus apenas um meio de Jeová salvar. Ele pôs Judas 1:25 assim: “Ao único Deus, nosso Salvador, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor”, para que o leitor racionasse com ele: “Observou? Deus é Salvador por meio de Jesus, então, Jesus é um meio apenas de Deus salvar, e não o Salvador propriamente dito”. Mas veja como o texto todo reza: “Ao único Deus, nosso Salvador, por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor, sejam glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, agora e para todo o sempre. Amém.” É uma frase-oração, na verdade, em que reconhece o Senhor como o detentor de toda a glória, a majestade, o domínio e o poder, e se faz essa declaração de fé por intermédio de Jesus. Assim sendo, o texto não diz que o Pai é o único Salvador, por intermédio de Jesus, mas que tal declaração é feita a Deus por intermédio de Jesus, conforme instruções dadas pelo próprio Jesus de como orar a Deus. (João 14:6, 13, 14) Além do mais, a Bíblia ensina que Jesus, por ser “o Deus” e “o Senhor” e “o Salvador”, ele é portanto o único Deus que nos salva, e neste próprio Deus há a procedência e o meio. Sim, o Deus verdadeiro é a procedência, porque Ele é o idealizador da Salvação, e o meio, porque Ele, na pessoa de Jesus Cristo, o Filho, é o Deus Unigênito que se fez carne e morreu por nós como único meio de nos salvar. Que lindo esse deus TJ picareta que afirma EU SOU O ÚNICO SALVADOR, e manda uma criatura que não é o Deus verdadeiro executar a tarefa mais horrorosa e vergonhosa: “Morre você aí, filhão!” Bela porcaria que é esse deusinho vagabundo adorado pelos asseclas do Corpo Governante!
APOLOGISTA DA MENTIRA - “Vejamos outro exemplo. Romanos 14:12 diz que “cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus”, ao passo que 2 Coríntios 5:10 afirma que “todos nós temos de ser manifestados perante a cadeira de juiz do Cristo”. Dada a similaridade das expressões, os trinitaristas apressam-se a concluir disso que Deus e Cristo são a mesma pessoa. Mas, como já explicado, seguir essa regra levaria a grandes equívocos. Por outro lado, a regra exposta em 1 Coríntios 8:6 explica coerentemente tais passagens. Aplicando tal regra, Romanos 2:16 fala de “Deus, por intermédio de Cristo Jesus, julgar as coisas secretas da humanidade”. Adicionalmente, Atos 10:42 descreve Jesus como “o decretado por Deus para ser juiz.” Como Fonte do julgamento e em cujas leis ele se baseia, Jeová é o Juiz supremo. (Sal. 50:6) Como Agente e Executor do julgamento, Jesus também pode ser mencionado como “juiz”.

RESPOSTA CRISTà– Novamente, a mentira de que nós, trinitaristas, nos apressamos ao concluir que Deus e Cristo (ou o Pai e Cristo) são a MESMA PESSOA. NÃO CREMOS NISSO. Na trindade, Deus em sua totalidade é o Juiz, mas na economia de Deus, ou no modo de ele agir, quis Ele que a Pessoa de Jesus Cristo fosse o Juiz. Deus decretar que Jesus Cristo fosse o juiz indica que Jesus é tão perfeito quanto o Pai para fazer este julgamento, portanto, SÃO PESSOAS DISTINTAS. É imposspivel uma criatura ser capaz de fazer um julgamento tão perfeito quanto Deus. Este “jeová” TJ, além de ser um verdadeiro covarde se considerar o único Salvador e mandar um ser a parte dele morrer por nós e nos salvar, é um Vagabundo, porque se considera o único Juiz de fato, mas dá a tarefa para um ser a parte dele, e uma criatura infinitamente inferior ao infinitamente Deus superior, de julgar definitivamente o todos. Ora, não passa de um juiz folgado!
APOLOGISTA DA MENTIRA - “Embora o título de “pastor” seja utilizado tanto para Jeová como para Cristo, encontramos a explicação que mostra a relação entre esses dois Pastores em Gênesis 49:24, 25: “Das mãos do Potentado de Jacó, dali provém o Pastor, a Pedra de Israel. Ele provém do Deus de teu pai.” Portanto, o texto mostra que Jesus, como “Pastor” e “Pedra de Israel”, provém de Jeová, o “Potentado de Jacó”. Isso concorda com o que diz a primeira parte de 1 Coríntios 8:6, a saber, que de “Deus, o Pai”, “procedem todas as coisas”, inclusive o próprio Filho, Jesus Cristo. Assim sendo, Jesus é o Pastor proveniente do Deus Todo-Poderoso, Jeová.”

RESPOSTA CRISTà– Nós, que cremos na Trindade, não vemos onde Jesus ser proveniente do Deus Todo-Poderoso ser prova de que ambos são a mesma pessoa, porque não cremos nisso, e muito menos que isso diminui a divindade de Jesus. Jesus procede do Pai, assim como o Espírito Santo procede do Pai e do Filho. (João 7:29; 14:26; 15:26) O Espírito Santo de Deus, do ponto de vista TJ, seria menor que Jesus por Jesus enviar este mesmo Espírito? Acho que não, afinal, dizem os Tjs que Jesus dependeu do Espírito Santo até para nascer na terra. Então, no final das contas, YHWH é o nosso Pastor, e tanto o Pai, como o Filho, como o Espírito Santo são YHWH, o único Deus da Bíblia, e assim cremos há quase dois milênios! Jesus por ter sido enviado pelo Pai é menor na posição, mas não na natureza. Se um patrão envia um funcionário para uma tarefa, o funcionário é menor em posição que seu patrão, mas não em natureza, como se ele fosse menos humano ou menor em humanidade do que seu patrão. Da mesma forma, o Pai enviar Jesus não significa que Jesus seja menor em divindade ou em natureza divina, mas menor em posição. (A comparação é apenas um resurso de argumentação, pois não é correto comparar os homens com Deus.) Sobre Jesus ser o Pastor, é óbvio que Ele é tão pastor quanto o Pai, pois seu pai não deixaria uma igreja nas mãos de um pastor criatura infinitamente inferior ao Pastor infinitamente superior. Toda igreja, portanto, está debaixo do único Pastor, Jesus. E ele é o único Pastor porque é tão Pastor quanto o Pai, nesta função. Ambos são o mesmo Deus. Em pessoas distintas, e quis Deus que das Três Pessoas, duas tivessem a função de ser o único Pastor, exatamente porque são iguais em divindade e, consequentemente, plenamente perfeitas em atuar nesta função.

APOLOGISTA DA MENTIRA - “Como vimos, a hermenêutica, ou interpretação dos textos bíblicos, seguida pela cristandade, segue fórmulas equivocadas, superficiais e tendenciosas. (Mar. 7:13) Num sentido diametralmente oposto, a organização de Jeová mostra total respeito pela Palavra de Deus por aplicar a ela somente as regras que dela procedem. – João 17:17; 1 Tes. 2:13.”

RESPOSTA CRISTà– Como vimos, a hermenêutica, ou a interpretação dos textos bíblicos, seguida pelos Tjs, segue mentiras equivocadas, superficiais e tendenciosas. (Marcos 7:13) Num sentido diametralmente oposto, a Igreja Cristã de Jesus Cristo mostra total respeito pela Palavra de Deus por aplicar a ela somente as regras que dela procedem. (João 17:17, 1 Tes. 2:13) Sendo assim, procuramos ser leais ao condenar as heresias dos Tjs em que eles realmente creem, e não inventando o que não creem para depois refutar o que não creem. Isso é coisa de vagabundo virtual, que mente descaradamente para seu público e não se identifica porque não passa de um desleal que não quer ser descoberto por sua seita (a qual o proíbe de criar sites para falar de assuntos espirituais). - Fernando Galli. 
_____________________

* http://www.oapologistadaverdade.com.br/2011/09/duas-regras-uma-falsa-e-uma-verdadeira.html



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - DESCULPAS PARA JUSTIFICAR SUAS FALSAS PROFECIAS PARA 1914, 1925 E 1975

APOSTILA - RAZÕES PARA JAMAIS SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ - NÍVEL INICIANTE 1

ESBOÇOS DA FÉ - QUE TIPO DE UVAS VOCÊ PRODUZ? - ISAÍAS 5:1-7