TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - A RESPOSTA A 51 PERGUNTAS CONTRA A TRINDADE - ATUALIZADO CONSTANTEMENTE COM AS RÉPLICAS TJS CHEGANDO ATÉ MIM!

O Sr. Rubens Dantas de Oliveira, proprietário do Site Tradução do Novo Mundo Defendida, publicou 51 perguntas antitrinitárias, que para ele devem ser irrefutáveis. Ele pede para escolhermos um número, entre 01 e 51, e tentarmos responder seus questionamentos. Então, eu escolhi os 51! Vamos às respostas a essa boa ideia que tem tudo a ver com a embriaguez espiritual deste herege.


ARGUMENTO TJ 1. Se a crença na Trindade é tão importante para a nossa salvação, porque é que a palavra "Trindade", ou o seu conceito de três seres num só, não se encontra na Bíblia?

Resposta cristã - Se o fato de o nome de um ensino não se encontrar nas Escrituras provasse que esse mesmo ensino não existisse, então as TJs seriam as primeiras culpadas por inserir na Bíblia a existência de um Corpo Governante. Além disso, não cremos em três seres num só. Cremos no Único Deus Verdadeiro (Deuteronômio 6:4), que subsiste em Três Pessoas Distintas: O Pai (1 Coríntios 8:5), o Filho (João 1:1; 20:28; Tito 2:13) e o Espírito Santo. - 2 Coríntios 3:17; Atos 5:3, 4. Sendo assim, o conceito da Trindade está implícito nos textos bíblicos acima.

ARGUMENTO TJ 2. Porque é que os apóstolos e os primeiros cristãos não acreditavam na Trindade? (Se você disser que sim, prove isso pelas Escrituras ou por citações dos Pais da Igreja antes de 200 A.D).

Resposta cristã - Que realmente os apóstolos e os primeiros cristãos não usavam o nome Trindade em suas pregações e ensinos é evidente. Todavia, os textos bíblicos citados acima provam que havia elementos suficientes para ensinarem Pai, Filho e Espírito Santo como Pessoas distintas, mas que todas Elas tinham a mesma natureza e essência Divina. Ademais, Deus, em sua Palavra, revelou-se progressivamente, e o cânon bíblico, terminado por volta do ano 96 d.C., deu condições suficientes para os chamados pais da igreja crerem neste santo ensino. Por exemplo, Justino Mártir (100 d.C. - 165 d.C) afirmou: “O Pai do universo tem um filho, e ele, sendo o primogênito verbo de Deus, é o próprio Deus. E nos tempos antigos ele apareceu na forma de fogo e na semelhança de um anjo a Moisés” Clemente de Alexandria (150 d.C. - 215 d.C.) também confessou Jesus como Deus: “Realmente a deidade plenamente manifesta, sendo ele feito igual ao Senhor do universo; porque ele era o seu Filho”.
Possível Réplica TJ  - A doutrina da Trindade ensina que são Três Pessoas distintas, mas com a mesma natureza e essência divina. Mas onde a Bíblia ensina que Pai, FIlho e Espírito Santo possuem a mesma natureza e essência divina?
Tréplica Cristã - Se a Bíblia diz que o Pai é Deus (1 Coríntios 8:5), o Filho é Deus (João 1:1; 20:28). o Espírito Santo é Deus (Atos 5:3, 4; 2 Coríntios 3:17), e que Deus é um só, então Pai, Filho e Espírito Santo são o mesmo Deus, portanto, possuem a mesma natureza e essência divina. Com esses textos em mente, torna-se desnecessário a Bíblia dizer ipsis literis que Pai, Filho e Espírito Santo possuem a mesma natureza e essência divina, assim como não há sequer um texto na Bíblia que diz que Moisés, Pedro, Tiago, Maria, etc, possuem a mesma natureza e essência humana.
Possível Réplica TJ - Como Jesus pode ser o Deus verdadeiro se João Batista, Pedro e o próprio Jesus afirmaram que Jesus era o Filho de Deus? - João 1:32-34; 17:3; 20:31; Mateus 16:15-17; 26:63, 64; 
Tréplica Cristã - A Bíblia tanto diz que Jesus é Deus como Filho de Deus.  Ou seja, Jesus é tão Deus quanto o Pai exatamente por ser o único Filho de Deus. Por isso que quando Jesus se dizia Filho de Deus, os fariseus tinham a certeza que Jesus se igualava ao Pai. Pois é óbvio: Todo filho humano tem a mesma natureza de seu pai humano. E todo Filho de Deus (no caso de Jesus, ele é o único em sua categoria) tem a mesma natureza que o Pai dEle. Por isso, Jesus é chamado Deus unigênito, ou seja, o ÚNICO Deus GERADO (e não criado) Pai. Quando Jesus foi gerado? Desde sempre, desde os dias da eternidade (Miqueias 5:2), pois assim como o Pai sempre foi Pai, assim o Filho sempre foi Filho. Mas, além disso, Jesus foi gerado como homem aqui na terra, por isso, Jesus é Deus Unigênito gerado na eternidade e na corrente do tempo físico. - João 1:18.
Possível Réplica TJ - Justino, o Mártir, não cria que Jesus era Deus, mas que foi criado por Deus. Observe o que escreveu o Dr. Boer sobre isso: "Justino [o Mártir] ensinou que antes da criação do mundo Deus estava sozinho e não existia nenhum Filho. . . . Quando Deus desejou criar o mundo, . . . gerou outro ser divino para criar o mundo para ele. Esse ser divino foi chamado . . . Filho, porque nasceu; foi chamado Logos, porque foi tomado da Razão ou Mente de Deus. . . .
Justino e os outros apologistas, portanto, ensinavam que o Filho é uma criatura. Ele é uma criatura elevada, uma criatura suficientemente poderosa para criar o mundo, mas, não obstante, uma criatura. Na teologia, esta relação do Filho com o Pai se chama subordinacionismo. O Filho é subordinado, isto é, secundário ao Pai, dependente dele e causado por ele. Os apologistas eram subordinacionistas.”1" - A Short History of the Early Church, página 110.
Tréplica Cristã - Todas as vezes que você vir uma citação TJ de um livro com reticências, prepare-se para descobrir uma bela malandragem. O Corpo Governante TJ já foi processado várias vezes por fazer isso. Para azar do fraudulento que fez essa citação, eu tenho essa obra em casa, e no contexto  se está dizendo que o próprio Dr. Boer admitia que o ensino da Trindade vinha do NT, e que Justino, o Mártir teria escrito isso influenciado pela visão grega de que como Deus não se envolve com a matéria, ele teria criado um outro ser semelhante a Deus, ou divino, para criar o mundo para ele. TODAVIA, JUSTINO NÃO PENSOU ASSIM POR MUITO TEMPO.  Assim como a seita TJ muda os ensinos dela, e a última mudança é a que vale, Justino aperfeiçoou com o tempo sua crença. Por exemplo, ele escreve também: "“Vamos provar que o adoramos razoavelmente ; para nós aprendemos que Ele é o Filho do verdadeiro Deus mesmo, que ele segura um segundo lugar , e o Espírito de profecia um terceiro. Para isso, eles nos acusam de loucura, dizendo que nós atribuímos a um homem crucificado um lugar segundo para o Deus imutável e eterno, o Criador de todas as coisas ; mas eles são ignorantes do mistério.” (First Apology 13:5, 6) O que Justino dizia aqui? Que o segundo lugar ocupado por Jesus era um lugar segundo PARA O DEUS IMUTÁVEL. Em outras Palavras, Justino cria que Jesus era o segundo lugar de Deus, uma forma primitiva de se definir a Trindade.
Possível Réplica TJ - Clemente de Alexandria não cria que Jesus era Deus, pois Deus é único e abaixo dele. Observe: "Clemente de Alexandria (c. 150-215 EC) (comentando João 17:3): “Conhecer o Deus eterno, o dador do que é eterno, e por conhecimento e compreensão possuir Deus, que é primeiro, e o mais elevado, e um só, e bom. . . . Àquele, então, que deseja levar a verdadeira vida se ordena primeiro que conheça a Ele ‘que ninguém conhece, a menos que o Filho (O) revele’. (Mat. 11:27) A seguir deve-se aprender a grandeza do Salvador abaixo Dele.” — Who Is the Rich Man That Shall Be Saved? (Quem É o Rico Que Deve Ser Salvo?), VII, VIII."
Tréplica Cristã - É exatamente nisto que cremos até hoje, nós trinitários. Deus é um só, e Jesus, como homem e como ressuscitado é abaixo de Deus em função, ou seja, subordinado a Deus Pai. E subordinação não prova inferioridade de essência e natureza. Uma esposa pode ser subordinada a seu esposo, mas é inferioridade de posição, não de natureza e essência. Então, os pobres TJs que citam essa passagem não passam de enganadores.

ARGUMENTO TJ 3. Visto que a Trindade era tão contrária à crença religiosa judaica em Deus, porque é que Jesus e os seus apóstolos não gastaram tempo suficiente, ensinando e explicando a Trindade, de forma a convencer os judeus da sua verdade, assim como fizeram com outros ensinos cristãos?

Resposta Cristã - A mesma pergunta poderíamos fazer às TJs: Se realmente Jesus era o Messias prometido, por que os profetas não deram maiores explicações, com muito mais detalhes, sobre a obra do Messias, por exemplo? Prova isso que Jesus não foi o Messias? Não! Ou então, por que os profetas antes de Cristo não explicaram melhor, em mais detalhes, a obra do Espírito Santo? Prova isso que o Espírito Santo não é real? Não! 

A questão é: Deus se revelou progressivamente, segundo a sua vontade. Primeiro, como Pai, como Jeová. Depois, permitiu que a pronúncia do nome divino, YHWH, caísse no esquecimento, algo que Ele não permitiu, por exemplo com a Bíblia Sagrada. Agindo assim, Deus Pai permitiu que nós reconhecêssemos Jesus Cristo como o nome que está acima de todo nome. (Filipenses 2:9-11) Depois, no final de seu ministério, Jesus promete enviar o Espírito Santo. (João 14:26; 16:13, 14) Sobre os judeus reconhecerem a verdade sobre a Trindade, primeiro deveriam crer em Jesus, o que, como nação, não fizeram. (João 1:12) Mesmo assim, poucos judeus o reconheceram, e um deles, Paulo, cria que Jesus era o Grande Deus e Salvador de nós. (Tito 2:13) 

Embora as TJs, em sua Tradução do Novo Mundo tentem obscurecer esse texto, por trazudir "aguardamos a bendita esperança e a manifestação do nosso grande Deus e [do] Salvador de nós, Cristo Jesus, mesmo adulterando o texto confessam que Jesus é YHWH, pois lemos em Isaías 43:11 que não há Salvador além de YHWH.

Possível Réplica TJ -  A Bíblia dá sim maiores explicações sobre o Messias. Há nas Escrituras Hebraicas centenas de profecias ou referências proféticas ao Messias. MUITOS séculos antes de Jesus nascer, os profetas hebreus predisseram a vinda do Messias, que em hebraico significa “Ungido”. Esses profetas deram detalhes sobre a vida do futuro Messias, incluindo sua genealogia, onde e quando apareceria e o que aconteceria com ele. Os que não reconheceram Jesus como o Messias fizeram isso por falta de fé, de vontade ou de amor a Deus, e não por falta de evidências! Exemplo: “E, estando o povo em expectação, e pensando todos de João, em seus corações, se porventura seria o Cristo, Lucas 3:15- Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Sobre esta expectativa, o erudito judaico Abba Hillel Silver disse: “O primeiro século, contudo, especialmente a geração anterior à destruição [de Jerusalém], testemunhou um notável arroubo de emocionalismo messiânico. Isto se deve atribuir . . . não a uma intensificação da perseguição romana, mas sim à prevalente crença induzida pela cronologia popular daqueles dias . . . O Messias era esperado por volta do segundo quarto do primeiro século EC.” Essa “cronologia popular” baseava-se no livro de Daniel.

Então, por que os profetas antes de Cristo não explicaram melhor, em mais detalhes, a obra do Espírito Santo?’ A ‘obra’, as realizações de Deus através do espírito santo, estão muito bem explicadas por toda a Bíblia. O que a Bíblia não explica em parte alguma é que o ‘espírito santo’ seja Deus!

Tréplica Cristã - Que réplica mais dissimulada é essa! O TJ havia questionado por que Jesus e os apóstolos não gastaram tempo suficiente para ensinar a Doutrina da Trindade. Minha resposta, seguindo a mesma linha de raciocínio dele, foi perguntar: Se o fato de Jesus e os apóstolos não gastar em tempo suficiente ensinando  a doutrina da Trindade prova que não há trindade, então o fato de o AT não gastar tempo suficiente explicando a obra do Messias e do Espírito Santo também provaria que não há Messias e Espírito Santo. Daí, em sua réplica, ela menciona que a Bíblia fala CENTENAS DE VEZES, no AT, sobre o Messias e que a Bíblia toda dá muita explicação sobre a obra do Espírito Santo, mas nunca diz que Ele é Deus. Ora, a Bíblia fala muitas vezes do Messias no AT, mas NÃO EXPLICA DETALHADAMENTE A  OBRA DO MESSIAS, tanto que os discípulos o viam como um resgatador político!!!! (Atos 1:6, 7) Falar do Messias é uma coisa, explicar com detalhes é outra. E assim como ninguém no AT explicou em detalhes a obra do Messias, mas o Messias veio e ele mesmo explicou sua obra e vida, assim também Jesus nunca explicou detalhadamente a Trindade, mas isso não quer dizer que não podemos reunir textos em toda a Bíblia e chegarmos a uma conclusão de que: JESUS É O DEUS DE MIM E O SENHOR DE MIM. (JOÃO 20:28)  E da mesma maneira que nunca ninguém entre os escritores da Bíblia gastou tempo suficiente para explicar quem é o Espírito Santo e sua obra, os vários textos que falam dELe são BEM CONCLUSIVOS SOBRE A PESSOALIDADE E A DIVINDADE DO ESPÍRITO SANTO. Explica aí TJ: COMO O ESPÍRITO SANTO PODE SER UM SER IMPESSOAL SE ELE FALA O QUE OUVE? - João 16:13, 14.

Possível Réplica TJ (a) Sobre Filipenses 2: 9-11: Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Filipenses 2:9-11- Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Estas palavras de Paulo estão ensinando que Jesus é o próprio Deus? Na resposta à pergunta 2, é apresentada a seguinte citação (Atribuída a Clemente [?]):

Clemente de Alexandria (150 d.C. - 215 d.C.) também confessou Jesus como Deus: “Realmente a deidade plenamente manifesta, sendo ele feito igual ao Senhor do universo; porque ele era o seu Filho”.

Se é que Clemente realmente disse isso, e se disse, então, Jesus foi feito IGUAL ao Senhor do universo!???? Mas se Jesus fosse igual a Deus antes de morrer e Deus mais tarde o enaltecesse a uma posição superior, isso não colocaria Jesus acima de Deus? Como alguém poderia ser superior a Deus? Se Jesus é o próprio Deus, junto com o Pai e o Espírito Santo, quando Paulo escreveu que Deus lhe deu um nome que é sobre todo o nome, então ele, Jesus, tem agora um nome maior que o do Pai e o do Espírito Santo? Se ‘ele foi feito IGUAL ao Senhor...’? Será que é isso mesmo o que Paulo quis dizer? 

Tréplica Cristã - Em primeiro lugar, os TJs vivem citando os pais da Igreja em suas revistas sem nunca questionarem se eles realmente disseram isso ou aquilo. Então, só questionam quando a citação é desfavorável a eles. Em segundo lugar, perguntamos aos TJs sobre Filipenses 2:9-11:Deus, o Pai, enalteceu Jesus a uma posição superior que Jesus tinha antes de vir a Terra ou a que Jesus tinha aqui na Terra? A Bíblia diz que Jesus foi feito menor que os anjos ao vir a Terra. (Hebreus 2:7) Jesus havia pedido ao Pai para o glorificar com a glória que Jesus tinha com o Pai antes de haver mundo. (João 17:5) Portanto, Jesus quis a mesma glória que ele tinha antes de vir, então, Jesus não foi enaltecido com uma posição acima que ele tinha antes de vir a Terra, mas acima da que tinha aqui na terra. Isto destrói o argumento TJ acima.  Simplesmente arrasa.

Possível Réplica TJ- Vamos ver o próprio Paulo, nas Escrituras inspiradas, falar mais: Porque ele "tudo sujeitou debaixo de seus pés". Ora, quando se diz que "tudo" lhe foi sujeito, fica claro que isso não inclui o próprio Deus, que tudo submeteu a Cristo. - 1 Coríntios 15:27 - Nova Versão Internacional. OU Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas1 Coríntios 15:27- Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Ficou claro? Deus o encarregou duma posição ou autoridade superior à concedida a qualquer outra criatura. O contexto de Filipenses 2:9 mostra que Jesus recebeu este “nome” após a sua morte e ressurreição. Portanto, antes daquele tempo não tinha “o nome que está acima de todo outro nome”. Recebê-lo ele indicava uma mudança na sua condição. Existe algum modo em que a condição de DEUS pudesse mudar? Não. Ele sempre tem sido o supremo. Receber Jesus assim um nome mais elevado prova que ele não é o próprio Deus, nem é igual a ele. Qual é o objetivo de Jesus ser enaltecido?

Tréplica Cristã - Esses TJs são piadistas. É óbvio que quando se diz que tudo foi sujeito a Jesus, excetua-se aquele que lhe sujeitou todas as coisas, SENÃO A DOUTRINA DA TRINDADE PRECISARIA SER REFORMULADA, porque cremos, com muita base Bíblica, que embora cada Pessoa da Trindade seja IGUAL A OUTRA EM DIVINDADE, ESSÊNCIA E NATUREZA, cada Pessoa da Trindade tem uma função diferente no Plano de Deus de salvar o homem. O fato de Jesus ser subordinado ao Pai, e o fato de o Espírito Santo ser subordinado ao Pai e a Jesus (João 3:16; 14:16, 26:15;26:16:13, 14), não significa que eles sejam inferiores uns aos outros, ou que o Pai, por exemplo, seja superior em divindade ao seu próprio Espírito Santo. 

Outra besteira TJ: Jesus receber um nome que está acima de todo nome não significa que ele não tinha esse nome, mas apenas que foi reconhecido por nós com esse novo nome. Da mesma forma, a Bíblia diz que Deus é digno de receber a glória, a honra e o poder. (Apocalipse 4:11) Será que Deus não tinha honra, glória e poder anteriormente? Ou significa que Deus toma providências para que os humanos o reconheçam assim? Pobres TJs!

Possível Réplica TJ - E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. - Filipenses 2:11 - Almeida Corrigida e Revisada Fiel.

Note que se mostra aqui que Jesus Cristo é diferente de Deus, o Pai, e se sujeita a Ele. Quando Paulo escreveu suas cartas, Jesus já havia voltado para os céus há muito tempo. Pelo jeito, as palavras do próprio Jesus em João 14:28 continuaram valendo, afinal, Jesus não disse ‘o Pai é maior do que eu, enquanto eu estou como homem aqui na terra, mas logo isso vai mudar!’ ou algo parecido, antes “meu Pai é maior do que eu”.

Tréplica Cristã - Novamente, os TJs não sabem em que cremos, muito menos o que a Bíblia ensina sobre a relação entre as Pessoas Divinas de Deus. Pela Milésima vez: Na Trindade, há igualdade de essência, natureza e divindade, mas distinção de funções. Jesus, mesmo depois de ressuscitado, continua submisso ao Pai, e isto não o torna inferior ao Pai. É sempre a mesma ladainha TJ. Todas as ações de Jesus e do Espírito Santo são para a glória de Deus, o Pai. Isso nada muda quanto ao que cremos na Trindade.

Possível Réplica TJ - (b) Paulo cria na Trindade, ou que Jesus é o Grande Deus?

Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Romanos 8:34 - Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Não estamos falando de Jesus, homem na terra. Ele já está lá nos céus. Exatamente onde, disse Paulo? Ao lado do Pai? Ao lado do Espírito Santo? Não, ao lado de Deus. Se Jesus é o próprio Deus, este texto não faz sentido. Mas se ele é o FILHO DE DEUS e o Pai é que é ‘o’ Deus...

Tréplica Cristã - É óbvio que o texto refere-se a Jesus em seu estado glorificado. Para nós, cristãos, o fato de Jesus estar à direita de Deus não significa nenhum prejuízo à doutrina da Trindade. Muito pelo contrário, iguala Jesus a Deus, pois somente Deus pode estar com Deus, na Trindade. Por isso que lemos na Bíblia que Jesus era Deus e estava com Deus. (João 1:1) E o próprio Deus, o Pai, se refere a Jesus como Deus: "O teu trono, oh Deus, subsiste pelos séculos dos séculos". (Hebreus 1:8) Não é maravilhoso crer no Jesus da Bíblia, que tem o trono que subsiste pelos séculos dos séculos, em vez de crer num falso Jesus TJ que reina de 1914 em diante? Brincadeira!

Possível Réplica TJ - Para que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus CristoRomanos 15:6 - Almeida Corrigida e Revisada Fiel. 

Graça e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 1 Coríntios 1:3 - Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Quem Paulo identificou como Deus aqui?

Tréplica Cristã - Deus Pai não é Deus e Pai de Jesus Cristo na mesma acepção que é Deus e Pai de nós. Jesus faz claramente esta distinção em João 20:17, onde ele diz estaria voltando para "meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus". Por que Jesus faz essa separação? Deus é Pai do já ressuscitado Jesus porque Jesus é o único Filho desse Pai (João 3:16), enquanto nós somos filhos adotivos. (João 1:12) Deus é Deus de Jesus, não porque Jesus adora a Deus depois de sua ressurreição, mas porque o reconhece como Deus, assim como Deus, o Pai, reconhece o Filho como Deus. - Hebreus 1:8.

Conjuro-te diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, e dos anjos eleitos, que sem prevenção guardes estas coisas, nada fazendo por parcialidade. 1 Timóteo 5:21 - Almeida Corrigida e Revisada Fiel. Paulo se ‘esqueceu’ do Espírito Santo?

Tréplica Cristã - O fato de este texto não mencionar o Espírito Santo não implica que não haja uma Trindade Divina, pois em 2 Coríntios 13:13 mencionam-se os três: O amor de Deus, a graça de Jesus Cristo, e a comunhão do Espírito Santo. 

Possível Réplica TJ - Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem1 Timóteo 2:5 - Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Se Jesus é Deus, ele não pode ser o mediador entre Deus e os homens! E se ele for o Filho de Deus?

Tréplica Cristã - É exatamente por Jesus ser Deus e homem que ele pode ser o mediador (mesítes) entre Deus e os homens, assim, Jesus tem as duas naturezas, e sabe o que é ser Deus e homem para unir o homem a Deus. Isto explica por que apenas Jesus poderia nos salvar: Porque apenas Jesus possui as duas naturezas, a humana e a divina, sendo assim, podia unir Deus ao homem. 

Possível Réplica TJ - Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus; Hebreus 9:24 - Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Se você comparecesse à presença de outra pessoa, como poderia você ser aquela mesma pessoa? Não poderia ser. Você teria de ser uma pessoa diferente e à parte. O texto diz que Jesus compareceu ‘perante a face de Deus’!

Tréplica Cristã - Pela milésima primeira vez! Jesus é uma pessoa, Deus Pai é outra. Este texto serve para os TJs e nós refutarmos os unicistas e modalistas, que creem que Jesus e o Pai são a mesma pessoa.  Trinitários não creem nisso.

Possível Réplica TJ - Sobre o Pai (YHWH) e o Filho serem chamados de Salvador, ee a Bíblia afirmar que apenas YHWH é Salvador. Há apenas um Salvador, de fato, que é YHWH, ou Jeová. Ele é o autor da Salvação, enquanto que Jesus é o agente da Salvação. São, portanto, duas pessoas distintas. Veja que em Juízes 3:9, usa-se a mesma palavra hebraica moshia (salvador) para Otoniel. Será que Otoniel é a mesma pessoa que Jeová? Claro que não!

Tréplica Cristã - Na crença TJ, o Jeová TJ é o Salvador maior, mas mando uma criatura morrer por nós. Belo Salvador! Manda um ser aparte dele para  morrer ou fazer a parte mais difícil. Na Trindade Cristã, Pai, Filho e Espírito Santo são o mesmo Deus e participam juntos na salvação do homem. O Pai envia Jesus, Jesus morre, e o crente em Jesus é selado para a salvação. Mas é o mesmo Deus quem salva. De fato, um só Salvador. Quanto comparar Otoniel com YHWH, isso é ridículo. Otoniel é salvador no sentido de ser um libertador, mas não do pecado e da morte, como é YHWH. E pior, vem a pergunta se Otoniel e Jeová são a mesma pessoa, para insinuar que Jesus e o Pai são pessoas distintas. Pela milésima segunda vez, SIM!

ARGUMENTO TJ 4. Se a doutrina da Trindade era uma verdade sólida, porque é que Jesus e os seus discípulos não contrariaram o Shema do antigo Testamento: "Ouve ó Israel: Jeová, nosso Deus é um só Jeová". (Deut. 6:4) Porque é que ao invés disso, Jesus citou essa mesma escritura em Marcos 12:29?

Resposta Cristã - As TJs, sempre sinceras em seu estudo, ainda não compreenderam que nós não contrariamos o SHEMA do Antigo Testamento. Cremos que YHWH é um só YHWH. E o Corpo Governante sabe disso. No livro TJ - Raciocínios à Base das Escrituras - definem a doutrina da Trindade da seguinte forma:
"TRINDADE. A doutrina fundamental das religiões da cristandade. Segundo o Credo de Atanásio, há três pessoas divinas (o Pai, o Filho e o Espírito Santo), sendo cada um destes, alegadamente, eterno, todo-poderoso, não sendo nenhum maior ou menor do que o outro, sendo cada um deles, alegadamente, Deus, e, não obstante, juntos um só Deus." - Raciocínios à Base das Escrituras, página 397.

Assim, não somos como os mórmons, que creem que o Pai é Deus, o Filho é outro Deus, e o Espírito é outro Deus. Não somos unicistas modalistas, que creem que primeiro YHWH teve a função de ser Pai, depois de Filho e finalmente de Espírito Santo. Cremos que YHWH sempre foi, é e será o ÚNICO Deus. Todavia, se nosso Deus Todo-Poderoso YHWH subsiste em três Pessoas distintas, ao mesmo tempo, e se revelou como tais no seu devido tempo, não nos cabe entender como Ele consegue ser TRIÚNO.

ARGUMENTO TJ 5. Porque é que Deus [não] disse ao seu povo para não ter nada a ver com as nações pagãs, se essas mesmas nações tinham o conceito correto sobre Deus? (o conceito destas nações acerca da trindade como conceito de Deus, remonta praticamente a todas as nações dos tempos antigos.

Resposta Cristã - A pergunta foi mal formulada, pelo que parece. Por isso, leia a pergunta como se ela não tivesse o primeiro não. A pergunta, então, quer saber: Se Deus fosse uma trindade, por que pediu a seu povo para nada ter a ver com os povos pagãos que criam em trindades também? Primeiro, não eram trindades, mas tríades, onde cada "pessoa" da tríade era um deus diferente. Os cristãos não creem em Três Deuses, mas no Único Deus. E mesmo que aqueles povos cressem em trindades - três pessoas num só deus - elas seriam trindades falsas, pois somente YHHW é YHWH. Não há outro que seja Deus como Ele. (Isaías 44:6) Para o conceito de Trindade ser correto, precisa ser o modo como YHWH se revelou na Bíblia. Por fim, há algo muito interessante nas tríades pagãs. Todas elas são criações de Satanás. A pergunta é: Por que Satanás fez questão de ensinar as nações pagãs a crer em tríades, uma forma muito parecida com trindade? Da mesma forma que o Corpo Governante já admitiu que as nações, de qualquer época e local, crerem num tipo de Deus constitui prova de que Deus existe, pois o homem nasce com a ideia de divindade, não seria prova de triunidade Divina as nações também representarem seus deuses falsos de forma parecida? Evidentemente, Satanás sabia da Triunidade Divina, embora nem ele soubesse explicá-la, pois só Deus o sabe. Por isso, tentou tornar seus deuses, em desafio ao Verdadeiro, parecidos com Ele.

ARGUMENTO TJ 6. Se Jesus é Deus, quem é o Deus de Deus? Jesus fala do "meu Deus" até mesmo já no céu. Porque é que Jesus afirma que tem um Deus, se de fato ele é o Deus? (João 20:17; Apocalipse 3:12; 1:6; 1 Pedro 1:3; 2 Cor. 1:3; Efésios 1:17; Salmos 89:26;Marcos 15:34; Col. 1:3; Hebreus 1:9; Salmos 45:7) Porque a Bíblia nunca se refere ao Pai referindo-se ao Filho como "meu Deus", nem o Pai e o Filho referindo-se ao espírito santo como "meu Deus"?
    Resposta Cristã - Por que Jesus chama Deus de "meu Deus"? Pelo fato de ele ser mediador entre Deus e os homens. Paulo diz a Timóteo que há um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem. (1 Timóteo 2:5) Jesus não é mediador antes de sua morte, mas depois. No papel de mediador, Jesus, o homem ressuscitado, pode perfeitamente dizer "meu Deus" e "vosso Deus", "meu Pai" e "vosso Pai". (João 20:17) Perceba que Jesus não disse: "Nosso Pai e nosso Deus", mas "meu Deus e vosso Deus", porque Deus Pai é Deus de Jesus num sentido diferente de ser o nosso Deus. Deus é nosso Deus porque fomos criados por Ele. Mas Deus é "meu Deus" para Jesus porque Jesus, na função de mediador, recebe ordens de Deus Pai. Por isso, jamais veremos Deus Pai chamar Jesus e o Espírito Santo de "meu Deus", porque Deus Pai e Deus Espírito Santo não são mediadores entre Jesus e os homens. Ademais, Deus é Pai de Jesus num sentido diferente de ser o nosso Pai. Ele é Pai de Jesus por ser igual ao Filho em natureza. Por isso, Jesus quando se dizia "Filho de Deus" fazia-se igual ao Pai. (João 19:7) E Deus é nosso Pai porque nos deu poder de ser seus filhos espirituais através da fé em Jesus Cristo. (João 1:12) Por fim, a Bíblia diz sim que YHWH se refere a Jesus como Deus, pois se dirige ao Filho assim: “O teu trono, ó Deus, é para sempre”. - Hebreus 1:8.
ARGUMENTO TJ 7. Porque que o espírito santo na Trindade, desempenha um papel tão fraco? Visto que a versão Almeida ra diz que Maria ficou grávida pelo espírito santo, isso faria do espírito santo o Pai. Então quem é o Pai do Pai?

Resposta cristã - Quais são os parâmetros usados para se crer que o Espírito Santo Pessoal de Deus exerce um papel tão fraco? Será que a TJ que formulou essa pergunta se baseou no número de referências bíblicas ao Espírito Santo em relação ao Pai e o FIlho? Se assim foi, então no Novo Testamento das TJs, o Pai YHWH exerce também um papel muito fraco em relação ao FIlho, pois nessa "bíblia" YHWH, no NT, ocorre 237 vezes e Jesus mais de 1.000 vezes. Contudo, sabemos que o papel do Espírito Santo não é fraco, a menos para quem não crê na sua real identidade e natureza. Esteve presente na Criação, na capacitação de homens de Deus antes e depois de Cristo, no nascimento de Jesus, no Batismo dEle, em sua unção, na sua morte, na formação da Igreja Cristã, na revelação de todo o NT (cada palavra). Fraco? Quanto à pergunta seguinte, Maria ficar grávida do Espírito Santo indica a causa da gravidez. De fato, o Pai de Jesus é Pai dEle não apenas devido a gravidez de Maria, mas sempre o foi, antes mesmo de haver mundo. (João 17:5) Sobre a sugestiva pergunta "quem é o Pai do Pai", carregada de extrema ignorância e de pérfida ironia, respondo em tom de pergunta: Não seria o vovô Jeová das TJs, sim, aquele mesmo que o Corpo Governante ousou chamar de avô das TJs no milênio, pois Jesus será o Pai da grande multidão? Veja como isso é verdade:
"Embora os das outras ovelhas não sejam diretamente incluídos entre os “filhos” mencionados em Isaías 54:13, eles são abençoados por serem ensinados por Jeová. Por isso, dirigem-se corretamente a Deus como “Pai”, porque ele, na realidade, será seu Avô por meio do “Pai Eterno”, Jesus Cristo. — Mateus 6:9; Isaías 9:6." - A Sentinela de 1 de agosto de 1995, página 13, parágrafo 19.

Portanto, a pergunta quem é o Pai do Pai já foi respondida pelo próprio Corpo Governante. Só resta explicar como Jesus será Pai e não é Deus, se o próprio Jesus disse para chamar de "pai" apenas Deus. - Mateus 23:9.

ARGUMENTO TJ 8. De quem foi a voz que se ouviu desde os céus quando Jesus foi batizado?
ARGUMENTO TJ 9. A quem Jesus orava? A ele próprio?

Resposta Cristã - As duas perguntas podem ser respondidas ao mesmo tempo. Jesus orava ao Pai, e foi o Pai quem falou dos céus, no batismo Jesus, assim como antes de criar o homem Pai e Filho conversavam entre si. A expressão "façamos o homem à nossa imagem segundo a nossa semelhança" (Gênesis 1:26) prova que somos a imagem e semelhança do Pai e do Filho. Mas a Bíblia nos ensina que somos a imagem de Deus, título que até Jesus recebe por ter se feito homem. (2 Coríntios 4:4) Assim, as duas perguntas acima provam, com respostas bíblicas, o que já cremos: Que o Pai é uma Pessoa distinta dA do Filho. Essas perguntas deveriam ser feitas ao Unicistas, não aos que creem na Trindade. Sobre Jesus ser dependente de Deus, vemos isso nas Escrituras apenas como homem. E ser Jesus submisso a Deus Pai na terra e no céu não o torna inferior ao Pai em natureza, mas apenas em posição - submissão esta voluntária - assim como a esposa ser submissa ao marido não a torna inferior a ele em natureza, mas apenas em posição. - 1 Coríntios 11:3.

ARGUMENTO TJ 10. Se Jesus era Deus, porque Satanás iria perder o seu tempo tentando-o? Será que Deus é vulnerável?

Resposta Cristã - Primeiro, não foi Deus quem foi tentado (Tiago 1:13), mas o homem Jesus. Ele, em sua natureza humana "obediente até à morte, e morte de cruz" (Filipenses 2:5-8) resistiu às tentações. Sobre a questão de Satanás perder tempo, isso é problema dele. Satanás conhecia as Escrituras. Ele sabia que fora profetizado em Isaías 53 que Jesus levaria nossas doenças, nossos pecados. Se o homem Jesus tivesse pecado (se é que o poderia), Deus teria inspirado Isaías a profetizar erroneamente - seria uma falsa profecia! Mas com Deus, isso não ocorre. (Isaías 55:10, 11) Se Satanás, mesmo assim, quis tentar a Jesus, foi problema dele. Todavia, Jesus resistiu a tais tentações como homem, mas do que qualquer humano. Por quê? Porque os humanos, na grande maioria das vezes, não resistem às tentações e pecam. Assim, não atravessam todas as tentações inculpes, por isso sentem menos sua força. Quando pecam, a tentação acaba. No caso de Jesus, todas as tentações foram experimentadas por completo, e ele, como homem, não em sua natureza divina, resistiu a elas integralmente. "A palavra era Deus" (João 1:1) e "a Palavra se fez carne" (João 1:14). Na carne (como homem), Jesus sofreu e morreu por nós. Assim como as Tjs afirmariam que não foi o Espírito de Jesus ou o Arcanjo Miguel (para as Tjs, Jesus é Miguel) quem foi tentado, assim também dizemos que não foi a Divindade de Jesus quem foi tentada.

ARGUMENTO TJ 11. Quem tem a imortalidade? Deus? Jesus morreu (impossível para quem tem a imortalidade) e esteve morto por quase 3 dias. Como pode Deus morrer? Quem o ressuscitou? (Hebreus 5:7; Apoc. 2:8).

Resposta cristã - Sim, apenas Deus é, por natureza, imortal. Mas como Jesus pode ser Deus se esteve morto por quase três dias? Hebreus 5:7 responde: " Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade". Foi o corpo perfeito de Jesus que morreu. Deus não é carne, mas Espírito. (João 4:24) Jesus, o primeiro e o último, este morto e passou a viver. Foi o espírito de Jesus que morreu? Não! Em 1 Pedro 3:18 lemos: "Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito". Erram as TJs em ensinar que Jesus foi vivificado no espírito quando foi ressuscitado. Isso faria com que Jesus deixasse de existir por quase três dias. Isto, se fosse verdade, tornaria inverdade a declaração de Hebreus 13:8: "Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre". Como Jesus pode ser o mesmo ontem e hoje e por três dias tornou-se inexistente? Quanto à questão "Quem ressuscitou Jesus?", a resposta é Deus. A Bíblia ensina que "a este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas". (Atos 2:32) Diz também que Jesus foi ressuscitado pela glória do Pai". (Romanos 6:4) Em Romanos 8:11, diz que Jesus foi ressuscitado pelo Espírito de Deus. E em João 2:19-21, ensina que Jesus ressuscitaria o seu próprio corpo, quando Jesus fala: "Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei [...] Ele, porém, se referia ao santuário do seu corpo". Portanto, quem ressuscitou o "corpo", "a carne", o homem Jesus Cristo? Deus - Pai, Filho e Espírito Santo.

ARGUMENTO TJ 12. Com quem Jesus falou quando estava na estaca de tortura, conforme Mateus 27:46: "Por volta da nona hora, Jesus exclamou com voz alta…"Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?"

Resposta Cristã - As TJs tentam, dentro de sua ótica iluminada pelo seu Corpo Governante, argumentam que se Jesus fosse Deus, Deus não poderia abandonar Deus, e que por Jesus ter dito estas palavras a Deus, isso prova que Jesus eram uma pessoa distinta do Pai. Quanto a esta última declaração, o Filho realmente é uma pessoa distinta do Pai. Mas a questão é: Quem Deus abandonou e por quê? Deus abandonou o homem Jesus para que Jesus morresse. Era o homem Jesus experimentando a morte, com todas as suas dores. O homem Jesus, antes e depois de sua ressurreição tinha o Deus dEle. Antes da morte porque era homem judeu, que adorava a Deus. Depois de sua morte porque era mediador entre Deus e os homens.

ARGUMENTO TJ 13. Visto que a doutrina da Trindade afirma que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são co-existentes e co-iguais; estava Jesus mentindo em João 14:28 quando disse: "O Pai é maior do que eu"? Se Jesus quisesse afirmar que ele, como um terço da Trindade, estava naquele momento numa posição inferior, porque não afirmou antes que 'Deus é maior do que eu'? Como poderia Jesus afirmar que uma pessoa da Trindade era maior que a outra pessoa da Trindade? Se o Filho era inferior a si mesmo enquanto na terra, então onde estava a parte dele que era co-igual e co-existente com o Pai?

Resposta Cristã - Vamos às respostas, uma a uma. Realmente, Pai, Filho e Espírito Santo são co-iguais, mas em natureza Divina. Jesus disse "o Pai é maior do que eu" quando estava na terra, quando havia sido feito menor que os anjos. (Hebreus 2:7) Onde estava, então, a parte de Jesus que era co-igual ao Pai e ao Espírito Santo, quando ele estava aqui na terra? Estava no próprio Jesus, todavia, como Jesus existindo na forma de Deus não se agarrou ao fato de ser Deus, mas se fez homem (esta sim sendo sua grande humilhação), Jesus, esvaziando-se a si mesmo mostrava-se como homem, mas nEle estava Deus-Filho em Espírito, pois era perfeitamente Deus e perfeitamente homem. (João 20:28; 1 Timóteo 2:5). Outra colocação importante é: Nunca cremos que Jesus é um terço da Trindade, mas Ele sempre foi 100% Deus. Jesus é plenamente Deus, não um terço de Deus, pois nELe, Jesus, habita corporalmente "toda a plenitude" da divindade. (Colossenses 2:9) Assim, o Pai é plenamente Deus, o FIlho é plenamente Deus, e o Espírito Santo é plenamente Deus. Então são três Deuses? Não, apenas um. Por isso, as TJs questionam: Mas como pode ser isso? 1 + 1 + 1 = 1? Se entendermos 1 como número de pessoas, são 3. Mas se entendermos 1 como natureza, percebemos que na soma das pessoas não se altera o resultado final quanto a natureza "1". Ou seja: 1 Deus = 1 Pessoa + 1 Pessoa + 1 Pessoa. As pessoas são distintas, mas possuem a mesma natureza: Ser um Deus. Por isso, teríamos, em matemática, uma equação: 1 Deus = 1 (Pessoa + Pessoa + Pessoa). Isto é apenas uma ilustração. A verdade é que matemática humana não é a mesma que a divina.

ARGUMENTO TJ 14. Se João 10:30 mostra que Jesus e Deus são a mesma pessoa quando diz: "Eu e o Pai somos um", explique João 17:20-26, "a fim de que sejam um, assim como nós somos um". Com quem Jesus estava a falar? Significa isso que os verdadeiros discípulos de Jesus, são o mesmo que Deus e Jesus e desta forma são uma parte da Trindade (Múltipla-entidade)?

Resposta cristã - Novamente, as TJs mostram que não sabem diferenciar Unicismo de Trindade. Não sabem em que cremos. Talvez, a culpa seja das igrejas que também não ensinam como as doutrinas cristãs devem ser definidas e explicadas. O Pai e o Filho são Pessoas distintas. Todavia, o Pai e o Filho são um em dois sentidos: Um só Deus (natureza divina), pois ambos são chamados de Deus (1 Coríntios 8:5; João 20:28) e unidos num só propósito, pois ambos, com o Espírito Santo, são a própria verdade. Por exemplo, o Pai é Deus verdadeiro (João 17:3), Jesus é a Verdade (João 14:6) e o Espírito Santo é o Espírito da Verdade (João 16:13). Em João 10:30, Jesus podia muito bem se referir a esses dois sentidos de "somos um". Mas em João 17:20-26, Ele não poderia estar falando de natureza divina, pois os seus seguidores não a possuem. Portanto, Jesus referia-se a sua unidade em propósito, e desejava que os discípulos fossem unidos assim. Evidentemente, jamais seriam tão unidos como o Pai e o Filho, mas o seriam dentro do possível. Este tipo de linguagem é parecida quando Deus diz: "Sereis santos porque eu sou santo". (1 Pedro 1:16) Obviamente, nunca seremos santos como Deus é, mas Ele é nosso ideal. O mesmo pode-se dizer de sermos um assim como o Pai e Filho são um - até o ponto que conseguirmos. Portanto, Jesus não desejava que seus discípulos fossem uma trindade como Ele e o Pai, mais o Espírito Santo, são.

ARGUMENTO TJ 15. Se Jesus era verdadeiramente Deus na terra, como poderia ser um resgate correspondente? Isso faria de Jesus um perfeito Deus/homem, enquanto Adão era apenas um homem perfeito.

Resposta cristã - Não pretendo aqui discutir a expressão "resgate correspondente", no contexto salvífico. É uma doutrina TJ absurda! Mas na aplicação que fazem quanto ao resgate, em si, querem dizer que se Jesus fosse Deus, o resgate teria sido infinitamente maior do que a Lei de Deus exigia. Argumentam:
"Foi apenas um humano perfeito, Adão, quem pecou no Éden, não Deus. Assim, o resgate, para estar realmente em harmonia com a justiça de Deus, tinha de ser estritamente um equivalente — um humano perfeito, “o último Adão”. Assim, quando Deus enviou Jesus à terra como resgate, ele fez com que Jesus se tornasse o que satisfaria a justiça, não uma encarnação, não um deus-homem, mas um homem perfeito, “menor que os anjos”. (Hebreus 2:9; compare com o Salmo 8:5, 6.)" - Deve-se Crer na Trindade, página 15.

Resposta cristã - As TJs novamente se equivocam. Não foi a morte de Jesus como Deus que nos salvou, pois Deus não morre. Não foi um deus-homem quem morreu, mas foi o homem Jesus quem morreu. Assim como em Adão (homem) todos morrem, assim em Jesus Cristo somos salvos e teremos vida eterna. (1 Coríntios 15:22) Todavia, por que as TJs chamam de "resgate correspondente"? Porque creem que Jesus apenas nos deu a possibilidade de salvação que Adão nos tirou. Raciocinam: "Assim como Adão impediu que tivéssemos a vida eterna, assim Jesus abriu caminho para os humanos serem salvos, o que ocorrerá através de uma prova final, depois dos 1.000 anos, quando Satanás for solto de sua prisão. Os que passarem a esse teste final, receberão os benefícios do resgate correspondente de Cristo". Absurdo, não? A Bíblia não ensina isso! Cristo não morreu para nos deixar uma prova ainda a ser vencida, mas "a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniqüidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras" (Tito 2:14) e "com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados". (Hebreus 10:14) Então, com que direito as TJs questionam um resgate superior, se o resgate que elas pregam é inferior no sentido de não ser suficiente para nos dar aquilo que Adão nos tirou? Pense bem: Se através do pecado de Adão tínhamos certeza de que nascíamos condenados à morte, como poderíamos ousar a crer que mesmo com o sacrifício de Jesus Cristo precisamos passar por um teste final? Se assim fosse, o pecado de Adão teria maior eficácia do que a morte de Cristo!

ARGUMENTO TJ 16. A quem está o Filho sujeitando-se em 1 Coríntios 15:28?

Resposta cristã - Ao Pai. Bastaria essa resposta. Mas a pergunta visa questionar como Deus pode se sujeitar a Ele mesmo? Resposta: Deus não se sujeita a ninguém, mas a Pessoa de Cristo Jesus sujeita-se a Deus Pai, e como já explicado em respostas anteriores, sujeição e submissão não é prova de inferioridade de natureza, mas apenas diferença de posição.

ARGUMENTO TJ 17. Será que Mateus 3:11 indica que o espírito santo é uma pessoa? (Água e fogo não são pessoas).

Resposta Cristã - Mateus 3:11 diz: "Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo". Assim, as TJs raciocinam: "Assim como água e fogo não são pessoas, assim também o Espírito Santo não é um ser pessoal, pois os três aqui estão na mesma frase, conectados pelo verbo batizar". Se levássemos isso a sério, então na frase "batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo" (Mateus 28:19, 20), então o pelo fato de o Espírito Santo não ser "pessoa", o Pai e o Filho também não seriam "pessoas", pois também estão na mesma frase e conectados pelo mesmo verbo batizar. O que as TJs fazem é "brincar" com os textos. Debaixo do raciocínio TJ, em Mateus 3:11, poderíamos defender uma nova doutrina, de que o espírito santo, na verdade, é um ser tocável, pois assim como podemos tocar na água e no fogo, assim também poderíamos tocar nesse "espírito".

ARGUMENTO TJ 18. Como poderia o espírito santo ser uma pessoa, quando encheu cerca de 120 discípulos ao mesmo tempo? (Atos 2:4) Como você pode ficar cheio de uma pessoa?

Resposta cristã - Espero que você não esteja ficando cheio de mim, pelas aulas tão longas. Mas quanto à pergunta TJ, novamente estão brincando com as Escrituras e com o Deus Todo-Poderoso. Se fôssemos levar a sério, de novo, a argumentação TJ, como o Pai e o Filho poderiam ser "pessoas" se podem fazer morada em milhões de pessoas ao mesmo tempo? (João 14:23) Quanto à segunda pergunta, respondemos com outra: "Se Satanás é um ser pessoal, como entrou em Judas (Lucas 22:3)? Como uma pessoa pode entrar dentro da outra? Na ótica bíblica, um espírito mau pode entrar numa pessoa e até em animais. É o caso dos dois endemoniados cujos espíritos maus, por ordem de Jesus, saíram deles e foram para os porcos. (Mateus 8:28-32) De forma muito superior, o Espírito Santo de Deus, que tem poder (Romanos 15:13, 17), pode ser o santuário, ao mesmo tempo, de quantos cristãos Ele quiser. (1 Coríntios 6:19) Em atos 1:8, Jesus prometeu que os discípulos receberiam poder (ou virtude) ao descer sobre eles o Espírito Santo. Assim, eles ficaram cheios do poder do Espírito Santo.

ARGUMENTO TJ 19. Se Jesus era o Deus Todo-Poderoso, porque Jesus não corrigiu Simão Pedro quando perguntou quem pensavam que ele era, e Pedro respondeu: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente."? (Mateus 16:15-17)

Resposta cristã - Jesus teria corrigido Pedro se ele vivesse lendo a Sentinela e a Despertai!, revistas TJs que, com outras publicações, ensinam que Jesus é Filho porque foi criado pelo Pai. Se assim fosse, por que Jesus elogiaria a Pedro, afirmando que a declaração de Pedro fora uma revelação do seu Pai, Deus? (Mateus 16:17) Na verdade, Jesus se fazia igual a Deus por se declarar o Filho de Deus. (João 19:7) Por quê? Porque assim como você é tão humano quanto seu pai, eu sou tão humano quanto o meu, Jesus era tão Deus quanto o Pai.

ARGUMENTO TJ 20. Se Jesus é Deus, explique a escritura em João 1:18, que diz: "Nenhum homem jamais viu a Deus."

Resposta cristã - Com essa pergunta, as TJs querem raciocinar: "Se Jesus foi visto pelos homens, e Deus jamais foi visto [e eu acrescentava: e quem ver Deus morre (Êxodo 33:20)], como Jesus poderia ser Deus? A Bíblia responde: Deus é Espírito. (João 4:24) Jesus era perfeitamente Deus (João 1:1; 20:28; Romanos 9:5; Tito 2:13) e perfeitamente homem (João 1:14). Alguém viu Jesus como Deus, ou sua natureza Divina? Não! Todavia, a Bíblia diz em João 1:18 que o Deus unigênito revelou a Deus. Então, como ousam a perguntar se Jesus é Deus se o próprio texto diz que Ele é? E no grego, diz: "O Deus unigênito", com artigo definido. Pergunto às TJs: Se Jesus deixa de ser igual a Deus, porque em João 1:1, "Deus" para Jesus ocorre sem artigo, o que dizer de João 1:18 onde "Deus" ocorre com artigo? As TJs dirão: "Mas Jesus é deus unigênito, e se é unigênito, assim como Isaque era unigênito de Abraão, como Jesus pode ter a mesma idade que seu Pai, Jeová? Assim, Jesus é o deus unigênito porque foi o único Filho criado ou gerado diretamente pelo Pai. As outras criaturas foram criadas por Jeová através de Jesus". Veja as duas declarações abaixo:
"De modo que a vida de Jesus, o Unigênito, teve um início. E o Deus Todo-poderoso pode corretamente ser chamado de seu Genitor, ou Pai, no mesmo sentido que um pai terrestre, como Abraão, gera um filho. (Hebreus 11:17) [...] Quando se leva em conta que Jesus não era o único filho espiritual de Deus criado no céu, torna-se evidente por que o termo “unigênito” foi usado no seu caso. Um sem-número de outros seres espirituais criados, anjos, também são chamados de “filhos de Deus”, no mesmo sentido que Adão era, porque a sua força de vida se originou de Jeová Deus, a Fonte, ou Origem, da vida. (Jó 38:7; Salmo 36:9; Lucas 3:38) Mas estes foram todos criados através do “unigênito”, que foi o único gerado diretamente por Deus. — Colossenses 1:15-17." - Deve-se Crer na Trindade?, páginas 15, 16.

Como Jesus é unigênito no mesmo sentido que Isaque era de Abraão se: (1) Abraão não era Deus, o Pai de Jesus era? (2) Abraão gerou Isaque através de uma esposa e o Pai de Jesus não? (3) Se Isaque não era "o Deus unigênito", mas unigênito de Abraão? Como Jesus foi criado por Deus se :(1) Ele é Criador? (João 1:3) (2) Se Ele é primogênito porque criou todas as coisas, e não porque foi criado? (Veja Colossenses 1:15, 16, onde o versículo 16 explica com a conjunção "pois" o motivo de Ele ser primogênito)? Por fim, tem algo errado na comparação TJ entre Jesus e Isaque. Jesus seria unigênito porque foi criado diretamente por Deus, sem a ajuda de ninguém. Mas e Isaque? Era ele unigênito de Abraão no mesmo sentido, criado sem a ajuda de ninguém? Onde entra Sara nisso? Mas, então, em que sentido Jesus é Deus Unigênito? No caso de Jesus, significa “o sentido de relacionamento não originado”, uma espécie de relação de filho único sem o ato de gerar. (Vine’s Expository Dictionary of Old and New Testament Words [Dicionário Expositivo de Palavras do Antigo e do Novo Testamento, de Vine]) O que se pretende dizer com isso? Visto que a Bíblia diz que as origens do Messias são desde os dias da eternidade (Miquéias 5:2), não houve um começo dessa geração, mas por toda a eternidade Jesus é Gerado, com o intuito de dizer que "desde a eternidade" Jesus é tão Deus quanto seu Pai, por isso, estava com Deus. - João 1:1.

ARGUMENTO TJ 21. Explique Revelação 1:1, se Jesus era Deus. Se Jesus era parte da divindade, então porque teve de lhe ser dada a revelação por outra parte da divindade, Deus? Certamente que ele também a saberia, pois Deus sabia.

Resposta cristã - As TJs, como alguns que não compreendem bem o texto, quer bem intencionados ou não, argumentam com palavras que não se encontram no texto. O texto não diz que Deus revelou a Jesus a "Revelação de Jesus", mas diz que Deus "lhe deu". Ou seja, Deus Pai deu a seu Filho e Mediador entre Deus e os homens a função de mostrar aos seus servos as coisas que haviam e ainda estão para acontecer. (Apocalipse 1:1) Não costumo usar comparações humanas para explicar aspectos divinos, pois sempre há limitações nisso, mas ilustro da seguinte forma o que o texto quer dizer: Meu pai e eu temos uma poesia. A poesia está em nosso nome. Então, eu chego a meus alunos (servos) e digo: Meu pai me deu essa poesia para mostrar a vocês algo importante. Então, prestem atenção na MINHA revelação a vocês desse algo importante". A revelação da poesia foi minha porque eu que revelei, mas meu Pai, um ser distinto de mim, deu-me a poesia para eu fazer isso em prol de muitos. Eu, então, agi como mediador entre meu pai e meus alunos. Mas eu já sabia o que a poesia falava. No caso de Apocalipse 1:1, jamais lemos que Deus revelou a Jesus a Revelação de Jesus.

ARGUMENTO TJ 22. Se Jesus é Deus, porque chamá-lo Jesus Cristo? É Cristo seu último nome? Deus é conhecido como Jeová Deus. Visto que "Cristo" é apenas um título assim como "Deus" é um título, não deveria ser chamado Jesus Deus? Ou será que o título "Cristo" dá-nos entendimento sobre a sua posição em relação ao Pai?

Resposta cristã - O absurdo da pergunta é considerar "Deus" e "Cristo" como títulos, e na ótica TJ ainda. Para as TJs, Jesus se tornou Cristo quando foi batizado, pois "cristo" significa "ungido", e Jesus teria sido ungido com Espírito Santo quando foi batizado. Todavia, Jesus nasceu Cristo, pois até herodes, ao saber do nascimento do "Rei dos judeus", "convocando todos os principais sacerdotes e escribas do povo, indagava deles onde o Cristo deveria nascer". (Mateus 2:4) Mas pior de tudo é considerar "Deus" um título de YHWH, como fazem as TJs. Veja:
"Quem é Jeová? Jeová é o nome que o Deus Todo-Poderoso deu a si mesmo nas páginas da Bíblia. É um nome próprio, não um título tal como Deus ou Senhor." - Quem São as Testemunhas de Jeová, página 2.

A grande diferença entre os deuses falsos e o Deus Verdadeiro é exatamente esta: Deus é Deus por essência, por natureza. Por isso, Ele é Deus, não tem o título de "Deus", o qual é dado aos falsos deuses. Por isso, "além de mim não há Deus". (Isaías 45:5) Embora há "os que se chamem deuses, quer no céu, quer na terra, como há muitos deuses e muitos senhores, para nós há um só Deus, o Pai [...] e um só Senhor Jesus Cristo." E Jesus é Deus e Senhor. (João 20:28) Assim, a pergunta acima não faz sentido. Mas precisamos respondê-la com amor, de acordo com as informações acima.

ARGUMENTO TJ 23. Explique com que estava o apóstolo Paulo preocupado em 2 Coríntios 11:3, 4, Gálatas 1:6-9 e Actos 20:29. Será que estava avisando sobre doutrinas tais como a Trindade? A Doutrina da Trindade tem origem pagã. Isso é um fato histórico. Não foi aceita pela Congregação Cristã até centenas de anos após a morte dos apóstolos. Em 325 E.C, foi um pagão, que assassinou o seu filho, a sua segunda mulher e vários outros familiares, que foi responsável por trazer para à Congregação cristã este dogma. A Trindade ensina um Cristo diferente daquele que Paulo ensinou. (1 Coríntios 11:3; 8:5, 6).

Resposta cristã - Nos textos mencionados acima, Paulo se preocupava com o surgimento de "lobos vorazes", que não poupariam o rebanho, que ensinariam coisas pervertidas (Atos 20:30), que ensinariam um outro evangelho, com um outro Jesus não pregado por Paulo. Qual foi o Jesus pregado por Paulo? O Jesus que é "grande Deus e Salvador de nós" (Tito 2:13) e aquele que "é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre (Romanos 9:5). Sobre a doutrina da Trindade, a colocação "não foi aceita pela Congregação Cristã até centenas de anos após a morte dos apóstolos" dá a entender que tentaram ensiná-la, mas fora recusada até 325 d.C.. Mas, na verdade, apenas fora reconhecida como já ensinada, recebendo apenas o nome Trindade oficialmente. E sobre quem foi o responsável pela doutrina da Trindade, sabemos que foram os bispos em Niceia, que votaram em 300 votos contra 2 pelo ensino que até hoje cremos: Jesus é o Filho de Deus. E se Deus usou o Imperador Constantino, apesar de seus delitos, a favor de uma verdade bíblica, isso não nos deve incomodar, mesmo porque, conforme até as TJs sabem, Deus usou o Rei Ciro, da Medo-Pérsia, para livrar os israelitas do jugo de Babilônia, inclusive chamando-o de "ungido", ou "cristo". (Isaías 45:1, 13) Por fim, quanto ao que Paulo se preocupava, a doutrina TJ se identifica muito bem com algumas heresias que surgiram no segundo e terceiro séculos, como o Adocionismo, que pregava Jesus se tornando Cristo no Batismo, o Arianismo, que negava a divindade de Cristo.

ARGUMENTO TJ 24. Se a tradução correta de João 1:1 é Deus, e não "um deus", simplesmente porque não existe "um" no texto grego antes do substantivo anartro (substantivo sem artigo), então o mesmo é verdade em Atos 28:6. Porque é que todas as traduções acrescentam "um" nesta passagem que mostra Paulo como "um deus" em vez de Deus, quando o artigo "um" não existe no texto grego? Será porque o contexto indica que essa é a tradução mais correta? Leia atentamente o contexto de João 1:1. Compare também João 6:70 na versão almeida corrigida e a atualizada.

Resposta Cristã - Primeiro, permita-me uma pequena explicação sobre gramática grega, bem didática, para você entender o questionamento TJ aqui. Na Língua Portuguesa, temos os artigos definidos (o, a, os, as) e os indefinidos (um, uma, uns, umas). Se eu disser: O Professor é o Fernando, você sabe de que professor estou falando. Mas se eu disser: Um Professor é um Fernando, você me perguntará: "Qual deles?" Na Língua grega, só existe artigo definido, então quando eu quero dizer O Professor é O Fernando eu diria: Ho Mathethés estín ho Fernando. Mas e seu quisesse dizer Um Professor é um Fernando, como eu faria? Eu deixaria sem artigo hoMathethés estin Fernando. Em João 1:1, está escrito assim no grego:

"kái theòs én ho lógos".
E [um] deus era a Palavra.

Assim, como você percebe, antes do vocábulo "theòs" (Deus), não tem artigo, então as TJs traduzem na "bíblia" deles: "e o verbo era [um] deus". Nossas Bíblias rezam: "E a Palavra era Deus". Então, te farei uma pergunta: Baseado na regrinha acima que te dei, as TJs estariam corretas? Se a Bíblia fosse um livro de gramática, estariam. O problema é que, às vezes, mesmo seguindo a regra gramatical, no grego e no português, eu posso inverter a ordem das palavras para expressar outro significado. Perceba que, embora nossas Bíblias digam "E a Palavra era Deus", João escreveu ao contrário. Olhe ali acima! João escreveu "e deus era a palavra". Assim, comparando com o português, em vez de dizer "O Fernando era professor", ele escreveu: "Professor era o Fernando". Fazendo isso, João estava enfatizando que quem era Deus era a Palavra, assim como você pode dizer: "Professor era o Fernando." Gramaticalmente, eu poderia traduzir "um deus era a Palavra", mas teologicamente não! Por quê? Porque eu criaria outro deus além do que eu já creio. Jeová seria "o Deus", e Jesus "um deus". Pensando nisso e nessas explicações, as TJs nos questionam por que nós condenamos a tradução deles "e a Palavra era [um] deus", em João 1:1, por acrescentarem "um" antes de "deus", sendo que as nossas Bíblias fazem isso nos textos seguintes, os quais, no original, não possuem o artigo definigo. Vejamos primeiramente em Atos 28:6, comparado com João 1:1:

"élegon autòn einai theón"
diziam ele (Paulo) ser [um] deus.

"kái theòs én ho lógos".
E [um] deu era a Palavra.

Veja que mesmo quem não sabe grego pode notar a diferença de construção gramatical entre a frase de cima (Atos 28:6) e a de baixo (João 1:1) O substantivo "deus", em Atos 28:6, está na ordem correta, mas em João 1:1, está na ordem inversa, antes do sujeito da frase. Mas mesmo assim, se fôssemos nos ater apenas à gramática, as TJs poderiam estar certas. Mas depois da gramática, há a questão teológica, que ao evangelizar uma TJ, diga: "Questão de se conhecer melhor o que se diz sobre o Verdadeiro Deus". Quem achava que Paulo era [um] deus? Os cristãos? Não, mas quem, segundo o contexto, cria em muitos deuses, e ao observarem Paulo acharam que ele fosse mais um deus dos muitos em que criam. É esse o caso dos cristãos? Claro que não! Cremos num só Deus, assim, se Jesus é Deus, ele não pode ser "[um] deus", como se fosse para nós mais um além dos outros em que cremos, ou mais um Deus Verdadeiro além daquele em quem cremos.

Mas e o texto de João 6:70, onde lemos: "Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze? E um de vós é um diabo." (Almeida Corrigida) No grego, no final do texto, está assim:

"Hymon heis diábolós estin"
de vós um diabo é
= Um (numeral) de vós é [um] diabo

João aqui põe diabo na mesma construção gramatical de João 1:1, ou seja, enfatizando: "Diabo é um de vós". Então, as TJs questionam: "Se em João 1:1, a frase "Deus era a palavra" torna Jesus o próprio Deus, então, em João 6:70, a frase "Diabo é um de vós" tornaria Judas o próprio Diabo". Sim, gramaticalmente, as TJs poderiam ter razão, a grosso modo. Mas e teologicamente? Diabo significa "caluniador". Por isso, nos últimos dias, 2 Timóteo 3:3 diz que os homens seriam "caluniadores", no grego "diáboloi". Assim, uma coisa é trabalharmos com o substantivo Deus, que teologicamente implica ou em Jesus ser deus falso (mais um deus entre muitos) ou Deus Verdadeiro (o único); e outra coisa é trabalharmos com substantivos que não têm essa conotação teológica de verdadeiro ou falso, e que podem ser aplicados em sentidos diferentes. Nesse campo teológico, chegaríamos à conclusão que João 6:70 usa a mesma construção de João 1:1 porque queria enfatizar a natureza diabólica de Judas, em quem Satanás havia entrado (Lucas 22:3), e quem Jesus chamou de "filho da perdição" (no grego, "hios tés apoleías", filho da destruição), sendo que "perdição", no grego, deriva-se do nome "Apoliom", nome dado a Satanás, em Apocalipse 9:11.

Termino esta explicação afirmando que é um tremendo erro das TJs comparar o significado de Paulo ser "deus" com o de Jesus, comparar frases e palavras gramaticalmente semelhantes sendo que uma fala do Diabo e outra de Jesus. Quanta paciência precisamos ter para abordar as TJs!

Sugestão para deixar TJ que se acha conhecedora de grego ficar pensando: Se no grego, onde não há artigo definido, devemos acrescentar no português "um", como fazem em João 1:1, por que não fazem o mesmo em João 1:4, onde diz que Jesus era vida? Eles deveriam traduzir "Jesus era uma vida"! Deve ser por isso que, na Bíblia deles, nesse texto, o Corpo Governante mudou a frase para "e por meio dele foi a vida". Muito interessante! No grego original, não há artigo antes de "vida", e em vez de traduzir "uma vida", como sugerem que respeitemos a gramática, inseriram o artigo definido "a", como nós fazemos em nossas Bíblias. Por quê? Porque quando convém, o Corpo Governante entende que a teologia está acima da gramática, e pior, quando convém mais ainda, a interpretação deles está acima até mesmo da teologia cristã, e em vez de traduzirem que Jesus era a vida, pois só Deus é a vida, traduziram por "por meio dele foi a vida".

ARGUMENTO TJ 25. João 5:19 diz-nos que o "O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa". Porque não?

Resposta cristã - Aqui, temos mais uma pergunta baseada em tradução errada. No grego, está escrito que o Filho não pode fazer nada por si mesmo, ou seja, enquanto na terra Jesus só faz aquilo que o Pai permite. Não se trata de ter iniciativa, pois Jesus tem iniciativas próprias, e faz conforme o Pai permite. Veja que o contexto, na própria "bíblia" TJ afirma isso:
"Portanto, em resposta, Jesus prosseguiu a dizer-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa, mas somente o que ele observa o Pai fazer. Porque as coisas que Este faz, estas o Filho faz também da mesma maneira. 20 Pois o Pai tem afeição pelo Filho e mostra-lhe todas as coisas que ele mesmo faz, e mostrar-lhe-á obras maiores do que estas, a fim de que vos maravilheis. 21 Porque, assim como o Pai levanta os mortos e os faz viver, assim também o Filho faz viver os que ele quer." - Tradução do Novo Mundo.

Por que Jesus não fazia nada por si mesmo? Porque se fez homem, e menor que os anjos. (Hebreus 2:7) Antes de vir à terra, Jesus criou todas as coisas. (João 1:3; Colossenses 1:15-18) Todo esse poder, ao esvaziar-se (Filipenses 2:5-8) deixou às mãos do Pai. Tanto que, ao ser ressuscitado, afirma ter recebido toda autoridade no céu e na terra. (Mateus 28:18) Grande foi a humilhação de Jesus Cristo, que embora existisse na forma de Deus, agiu como homem, dependente do Pai. A pergunta acima apenas prova o que já cremos: Que o Pai é uma Pessoa distinta do Filho.

ARGUMENTO TJ 26. Filipenses 2:9-11 diz-nos que o Filho foi "enaltecido". Quando isto aconteceu e como é isto possível se ele próprio é o Ser Supremo?

Resposta cristã - Ao lermos esse texto, precisamos compreender perante quem Jesus foi enaltecido. Raciocine comigo: Será que quando Jesus, retornou ao céu, sentiu-se numa posição superior, que não tinha antes, ou será que a sua posição referia-se a ser reconhecido por Deus Pai tê-lo revelado ao mundo? Neste sentido, lemos que até Deus é enaltecido (2 Crônicas 32:23), não por receber algo que jamais teve, pois é completo em si mesmo, mas por outras pessoas O reconhecerem como Ele sempre foi, pelo menos dentro dos limites de humanidade de cada pessoa. Todavia, as TJs deveriam conhecer um pouco mais de grego. Em Filipenses 2:9-11 afirma que Deus o "exaltou sobremaneira", no grego "huperupsoo", que segundo a Concordância de Strong de Palavras Gregas significa "exaltar à mais alta posição e poder". Ou seja, Jesus já tinha essa mais alta posição e poder, e estava ciente disso. Humilhou-se, fez-se homem, morreu, ressuscitou e foi exaltado, não meramente a uma posição superior, como afirma a "bíblia" TJ, mas "sobremaneira". Quem reconhece isso - Jesus ou os que passaram a conhecê-lo? Evidentemente, os que o conheceram, como você e eu. E no futuro, toda língua confessará, de joelhos (posição de adoração), que Jesus é Senhor para a glória de Deus Pai. A glória de Deus Pai? Por que não a de Jesus? Porque Jesus, mesmo sendo o próprio Deus, é submisso, não a si mesmo, mas à Pessoa do Pai. Confuso e difícil? Graças a Deus! Se eu adorasse um Deus "facinho", eu pediria para ele ME adorar também.

ARGUMENTO TJ 27. Como é que o Filho está sujeito a Deus junto com todas as outras coisas, se o Filho é co-igual com o Pai, ou também o Pai está sujeito ao Filho? (1 Cor. 15:27, 28)

Resposta cristã - Examinemos o texto: "Porque todas as coisas sujeitou debaixo dos pés. E, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, certamente, exclui aquele que tudo lhe subordinou. Quando, porém, todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, o próprio Filho também se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos." (1 Coríntios 15:27, 28) Primeiro, Deus Pai não está sujeito ao Filho. Segundo, o texto diz que o Filho se sujeitará àquele que lhe sujeitou todas as coisas. Se ele se sujeitará, isso indica que o Filho, em todos os aspectos, é sujeito ao Pai? Uma boa pergunta para as TJs responderem. Alguns teólogos têm sugerido que Jesus sempre foi submisso ao Pai no Plano de Salvação do homem. Quando Jesus entregar o Reino a Deus Pai, Jesus se sujeitará no sentido de que na eternidade a Pessoa de Jesus Cristo já terá cumprido todos os propósitos para o mundo vindouro, e Deus - Pai, Filho e Espírito Santo (Não Deus Pai apenas, não Jesus apenas) reinará e será tudo em todos. De qualquer forma, o texto apenas prova que Jesus é uma pessoa distinta do Pai.

ARGUMENTO TJ 28. Com quem estava Jesus falando, e o nome de quem ele deu a conhecer? O seu próprio? (João 17:6, 26)
ARGUMENTO TJ 29. Se Jesus era Deus, será que ele não poderia ter enviado a si próprio? - João 6:38.

Resposta cristã - Estas são excelentes perguntas que deveriam ser dirigidas aos unicistas, que creem que Pai e Filho são a mesma pessoa. Nós, cristãos, não cremos nisso. Cremos que Deus Pai enviou Jesus, Deus Filho e Unigênito. Sobre o nome que Jesus deu a conhecer, não se refere ao nome YHWH, pois Jesus pregava para judeus, e os judeus conheciam muito bem o Tetragrama divino. Que nome era este, então? A autoridade do Pai. A quem Jesus falava da autoridade do Pai? Aos seus discípulos - "os homens que me deste do mundo". Observe que esse nome não pode se referir a YHWH, pois a forma com que o nome (autoridade) é manifesto é gradativa: "Eu lhes fiz conhecer o teu nome e ainda o farei conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles esteja." (João 17:26) Então, será que Jesus falava do seu próprio nome? Até a morte de Jesus, incluía a autoridade do Pai, mas depois de sua ressurreição, relacionando autoridade com nome, Jesus diz: "Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo." (Mateus 28:18, 19) Perceba que o Pai, o Filho e o Espírito Santo possuem o mesmo nome, ou autoridade, pois depois da ressurreição, Jesus recebe do Pai (e com certeza com a participação do Espírito Santo) toda autoridade. Gradativamente, a Bíblia revela que essa autoridade é compartilhada (não dividida) pelas Três Pessoas de Deus.

ARGUMENTO TJ 30. Quem fez Jesus vir à terra e morrer por nós? Foi sua ideia? Hebreus 2:9 diz: "mas observamos a Jesus, que havia sido feito um pouco menor que os anjos, coroado de glória e de honra por ter sofrido a morte, para que, pela benignidade imerecida de Deus, provasse a morte por todo [homem]". Foi Deus quem o enviou. Se Jesus era Deus, por que ainda fazer distinção aqui, como é feito no resto das Escrituras? 31. Em vista de Hebreus 2:9, poderia Deus em qualquer circunstância ser inferior aos anjos? Ele é o Deus Todo-Poderoso para toda a eternidade.

Resposta cristã - Deus sempre toma suas decisões de uma forma que Pai, Filho e Espírito Santo participem plenamente de tais atos. Daí, o "façamos o homem, à nossa imagem, segundo a nossa semelhança". (Gênesis 1:26) Assim, temos que ter paciência com as perguntas do tipo: "Foi sua ideia?" Então, poderia Deus, em qualquer circunstância ser feito menor que os anjos? Deus não! A natureza divina é Espírito. O homem Jesus era carne, corpo humano, sujeito à morte. A única maneira de Deus, na pessoa do Filho, poder ter vindo à nós era nascer, viver e morrer como homem. E como sabemos, Ele morreu na carne, não como Deus. Exatamente por ser Deus Todo-Poderoso, Deus, na pessoa do Filho tinha poderes suficientes para se esvaziar e assumir a forma humana, e como tal, prover-nos a salvação.

ARGUMENTO TJ 31. Em vista de Hebreus 2:9, poderia Deus em qualquer circunstância ser inferior aos anjos? Ele é o Deus Todo-Poderoso para toda a eternidade.

Resposta cristã - Deus em nenhuma circunstância pode ser inferior aos anjos, tanto que nenhum anjo poderia ser Deus e se fazer homem. Jesus, como homem, tornou-se inferior aos anjos em posição, não em natureza divina. A mesma pergunta poderíamos fazer às TJs: Como Jesus, que é o mesmo ontem, hoje e sempre, fez-se menor que os anjos? (Hebreus 13:8) A questão está no "esvaziar-se" de Jesus, ou seja, assumir a natureza humana. Poucos cristãos sabem que o esvaziar-se de Jesus, em Filipenses 2:5-8, foi o fato de ele assumir a natureza humana, sem deixar de ser Deus. Assim, Deus, em sua natureza divina, jamais se fez inferior a nada. Mas uma vez que, mesmo sendo Deus, fez-se homem, enquanto homem, humilhou-se.

ARGUMENTO TJ 32. Se Jesus é Deus, como poderia aparecer perante a pessoa ou a presença de si próprio? Hebreus 9:24 declara: "Porque Cristo entrou, não num lugar santo feito por mãos, que é uma cópia da realidade, mas no próprio céu, para aparecer agora por nós perante a pessoa de Deus". (presença KJB) Note que não diz presença do Pai, mas sim, de Deus.

Resposta cristã - A expressão "Se Jesus é [ou era] Deus" não está na Bíblia. A Bíblia diz que Ele é. (João 8:58; 20:28) Quanto a expressão "perante a pessoa de Deus", temos algo a explicar. No antigo Israel, os sacerdotes levíticos cobriam a arca e a shekinah (a gloria esplendorosa de Deus), pois se não o fizessem, morreriam. (Hebreus 9:5) Somente uma pessoa plenamente Deus resistiria comparecer diante da face, presença, pessoa de Deus. Quando a Bíblia diz que veremos a Deus (Mateus 5:8) é num sentido limitado, não na sua plenitude.

Só Deus pode ver Deus, por isso, "no princípio", Jesus estava com Deus, e era Deus. Jesus estava com Deus porque por toda a eternidade esteve com o Pai e o Espírito Santo. Portanto, Jesus que é Deus (João 1:1) pode comparecer perante Deus. Todavia, nesse contexto de Hebreus, o objetivo do escritor foi mostrar o papel de Sumo Sacerdote que Jesus exerceu entre nós e Deus, colocando Jesus Cristo no seu devido lugar em relação aos sumos sacerdotes pré-cristãos.

ARGUMENTO TJ 33. É possível que o Deus Todo-Poderoso e Criador do universo estivesse confinado por nove meses no ventre de Maria? Se assim é, porque Satanás e os demónios não se apossaram dos céus na sua ausência e conquistaram a posição de adoração que tanto desejavam desde o principio.
    Resposta cristã - Essa pergunta merece resposta porque a graça de Deus deve nos contagiar de paciência e misericórdia. Estar Jesus, como homem, no ventre de Maria, não fez Pai e Espírito Santo abandonarem os céus. Muito menos anula a divindade de Cristo, a qual, sem deixar de existir, estava toda concentrada na humanidade de Jesus. E mesmo que, na hipótese absurda de que Deus tivesse estado ali, e só ali, por nove meses, o que não é ensino Bíblico, Deus continuaria sendo Todo-Poderoso para impedir que Satanás se apossasse de tudo. Não sei se o "deus TJ" seria capaz, mas o Deus da Bíblia é. Esta uma das muitas perguntas TJs que provam que elas não sabem em que nós cremos, e se você também não souber, então teremos um grande problema. Perceba que tal pergunta é reflexo de uma crença anteriormente comentada de que Deus não está em toda parte.
ARGUMENTO TJ 34. Visto que os anjos são também chamados Filhos de Deus (Gen. 6:2), o que significa Jesus ser o Filho unigênito de Deus? (João 1:14; João 3:16; 1 João 4:9) Jesus foi o único criado diretamente por Deus. Todas as outras coisas foram criadas através de Jesus (Dicionário Strong: ( dia ) Uma preposição primária significando o instrumento ou o meio pelo qual um ato é realizado. Colossenses 1:16-18. Gênesis 1:26 "Façamos o homem à nossa imagem." Jesus foi o Mestre de Obras de seu Pai (Prov. 8:22).

Resposta cristã - Os anjos e nós realmente somos chamAdos de "filhos de Deus". As TJs creem que Jesus é o único Filho de Deus (unigênito) porque foi o único criado diretamente por Deus. Mas unigênito não significa único criado, e sim único gerado.

Também, segundo as TJs, depois de ter criado Jesus, Jeová teria dado poderes a ele para criar tudo. Assim, quando a Bíblia diz que tudo foi feito por meio de Jesus, ensinam que o texto está dizendo que Jeová criou tudo por meio de seu único Filho, e utilizam-se de Dicionários que confirmam: A preposição "día", no grego, significa "por intermédio de", "instrumento ou meio pelo qual um ato é realizado". Que Deus Pai "usou" Deus Filho para criar tudo está correto, mas se Jesus não fosse Deus, mas um ser criado, será que Jesus teria criado tudo mesmo? Por exemplo, Jesus teria criado o tempo e o espaço espiritual para ele ocupar? Não, pois antes de criar Jesus, Jeová teria de ter criado o tempo e o espaço para Jesus ali estar. E se fosse assim, João 1:3 estaria incorreto ao afirmar que tudo foi feito por meio dele.

Mas e o que dizer de Provérbios 8:22? Ali diz na Bíblia TJ: "O próprio Jeová me produziu como princípio do seu caminho, a mais antiga das suas realizações de há muito." Afirmam se tratar de Jesus. Particularmente, eu não creio que o seja, pois dos capítulos 1 a 9 de Provérbios, a sabedoria está sendo personificada, e muitos dos versículos nesses capítulos não se coadunam com a pessoa de Jesus Cristo. Por exemplo, Provérbios 1:20, 21 é uma clara personificação da sabedoria, como uma mulher que grita nas praças. Em Provérbios 8:12 diz que a sabedoria habita com a prudência. Se a sabedoria fosse Jesus, quem seria a prudência? Assim, criar aqui, no hebraico qanáh, pode significar "trazida à luz", quando diz que "o próprio Jeová me produziu", ou então, "me trouxe à luz", "me mostrou". Mas suponhamos que fosse para referir-se à criação de Jesus; seria herético afirmar que a sabedoria personificada de Deus foi criada, pois ela é tão eterna quanto Deus, que é a fonte de toda sabedoria. (Romanos 11:33) Jamais a sabedoria de Deus foi criada! E caso o texto se refira a Jesus, não fala da sua criação, mas do modo como Deus o trouxe à luz, tornando-o conhecido.

ARGUMENTO TJ 35. Se Jesus era Deus, desde a eternidade, de tempo indefinido a tempo indefinido, o Alfa e o Ómega, sem princípio, etc, como pode ele ser chamado de Primogénito de toda a criação, ou o Princípio da criação? (Col. 1:15; Rev. 3:14)

Resposta cristã - O texto de Colossenses 1:15-18 explica o sentido de Jesus ser o Primogênito da Criação. D. A. Carson comenta muito bem esta explicação:
"O primogênito de toda a criação. No AT a palavra primogênito aparece mais de 130 vezes, descrevendo alguém que é supremo ou vem antes no tempo. O termo refere-se também àquele que tinha um lugar especial no amor do Pai: "Israel é meu filho, meu primogênito". (Êx. 4:22) Apesar de "primogênito" também significar o primeiro de uma série (cf.v. 18; Romanos 8:29), esse não pode ser o sentido aqui. O contexto deixa claro que Jesus é o primogênito porque todas as coisas foram criadas por meio dele (v. 16). Infelizmente, hoje em dia a palavra primogênito não transmite claramente essa noção de supremacia ou prioridade de posição. Como primogênito, Cristo é o único e diferente de toda a criação (cf. Hb 1.6) Ele é tanto anterior à criação quanto supremo sobre ela, visto que ele é o seu Senhor." - Comentário Bíblico Vida Nova, página 1904.

Sobre Apocalipse 3:14, Jesus é descrito como o "princípio da criação de Deus". Querem as TJs que esse texto signifique que Jesus foi o primeiro, dentre muitos, a ser criado. Todavia, Jesus criou todas as coisas (João 1:3), assim, ele é o originador da criação, o que principou. E Deus, igualmente a Jesus, é chamado em Apocalipse 21:5 de "o princípio e o fim". Tanto Deus YHWH, como Jesus são o princípio.

ARGUMENTO TJ 36. O que é um filho? Se Jesus era o próprio Deus, porque ele é chamado de Filho de Deus, cerca de 85 vezes no Novo Testamento? Está a Bíblia a fazer uma declaração inexata em cada caso? Porque descrevê-lo como Filho de Deus, e confundir-nos, se ele era de fato o Deus Todo-Poderoso? Porque não dizer simplesmente que Deus veio à terra, que o Altíssimo nasceu de uma virgem, etc? Porque Jesus, vez após vez falou do seu Pai nos céus, se de fato ele, Jesus, era o Pai na forma humana, enquanto na terra? Não seria isso inexatidão? (Lucas 1:30-32)
    Resposta cristã - Filho é a pessoa que tem a mesma natureza que o Pai. Por isso, todo filho é tão humano quanto seu pai. Da mesma forma, Jesus é o único Filho de Deus na acepção de ser o único tão Deus quanto o Pai. Todavia, Jesus não foi criado pelo Pai, mas sempre existiu, pois suas origens são desde os dias da eternidade. (Miquéias 5:2) Chamar Jesus de "o Filho de Deus" não confunde a ninguém conhecedor das Escrituras. Mas essa expressão ofendia os judeus, pois chamá-lo assim fazia de Jesus igual a Deus (João 19:7). Por fim, Jesus não é o Pai na forma humana. Não cremos nisso. Essa doutrina chama-se unicismo, conhecida como herética desde os séculos III e IV, pelos nome de Patripassionismo, ou seja, que o Pai veio como Filho e morreu na cruz como Pai e Filho por nós.
ARGUMENTO TJ 37. Se Jesus Cristo irá reinar no Reino por mil anos, (Rev 20:4) quem governará a seguir? 1 Coríntios 15:24 mostra que Jesus entregará o reino de volta a seu Deus e Pai. Porque seria isto necessário se eles são o mesmo? Significa isto que Jesus devolve o reino a si mesmo?

Resposta Cristã - Na doutrina da Trindade, cada Pessoa tem a sua função. Deus Pai confiou ao Filho o privilégio de Reinar para todo o sempre. (Lucas 1:33) Será para sempre ou por mil anos? Será para sempre! Por quê? Porque Jesus é Rei dos reis, e como tal não pode deixar de reinar. Assim, entregar o reino a Deus Pai significa apenas que Jesus não será o Rei num período específico, mas reinará como Deus, junto com o Pai e o Espírito Santo - Deus sobre todas as coisas - para sempre. O Deus triúno será tudo em todos, e nesse sentido Jesus reinará para sempre. Jesus entrega o reino a Pai, pois é o Pai que decide que Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) reinem para sempre.

ARGUMENTO TJ 38. Marcos 13:32 diz-nos: "Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai" Como poderia o Pai saber alguma coisa e o Filho não, se eles são co-iguais na mesma divindade? E se, como alguns argumentam, o Filho estava limitado pela sua natureza humana, porque o espírito santo não saberia?

Resposta cristã -
Na pergunta, já encontramos a resposta: Jesus estava limitado por sua natureza humana. Então, respondendo a próxima pergunta, por que o Espírito Santo não saberia? O texto não disse isso, mas as TJs e talvez muitos de nós poderíamos deduzir isso da expressão "unicamente o Pai". Para as TJs, e para nós, o Pai é Deus. E quem, além do Espírito de Deus conhece as coisas de Deus? (1 Coríntios 2:11) Então, o Espírito de Deus (que até as TJs reconhecem se tratar aqui do Espírito Santo, mas como força ativa), sabia sim. E por que Jesus não disse isso, mas disse que somente o Pai sabia? Porque quando Jesus falava essas palavras a seus discípulos, o Espírito Santo de Deus não havia iniciado sua obra, senão em Pentecostes de 33 d.C.. Simplesmente, Jesus não falou do que seus ouvintes ainda não entenderiam. Mas quando Ele viesse, o Espírito da Verdade (João 16:13, 14), então saberiam quem era Ele. Por isso, então, Paulo, bem depois do Pentecostes, afirma que o Espírito Santo, e só ele, sabe as coisas de Deus.

As TJs precisam tomar cuidado com não interpretar as palavras "senão", "exceto", "unicamente" da forma estrita como fazem. Por exemplo, em Apocalipse 2:17 fala de pessoas recebendo um nome que ninguém conhece, exceto aquele que o recebe. Deus não sabe? Jesus não sabe? O Espírito Santo não sabe? Em Apocalipse 19:12, 13, 16, fala que Jesus tem um nome que ninguém sabe, exceto Ele. O Pai não sabe? O Espírito Santo não sabe? Assim, "exceto" e suas palavras ou expressões sinônimas podem, às vezes, não indicar o seu sentido estrito, num contexto teológico.

ARGUMENTO TJ 39. "A mãe dos filhos de Zebedeu …disse-lhe: "Manda que estes dois filhos meus se assentem, no teu reino, um à tua direita e outro à tua esquerda." Jesus disse: "Bebereis, de fato, o meu copo, mas, assentar-se à minha direita e à minha esquerda não é meu para dar, mas pertence àqueles para quem tem sido preparado por meu Pai." (Mateus 20:20-23) Porque Jesus disse estas palavras se ele era Deus? Estava Jesus apenas respondendo segundo a sua "natureza humana"? Se, como afirmam os trinitaristas, Jesus era verdadeiro "Deus-homem", quer Deus quer homem, nem apenas um ou outro, seria verdadeiramente consistente a explicação que ele deu? Será que Mateus 20:23 não revela antes que o Filho não é igual ao Pai, e que apenas ao Pai estão reservadas algumas prerrogativas?

Resposta cristã - Novamente, essa argumentação prova três ensinos bíblicos nos quais cremos: Que Jesus é uma Pessoa, o Pai é outra, que Jesus é submisso ao Pai, aqui na terra e no céu (mesmo tendo toda a autoridade), e que ser submisso não indica inferioridade, a menos que a natureza seja inferior. Enquanto na terra, Jesus, como homem, era inferior em natureza, mas Ele tinha natureza divina. Mas Jesus é igual em natureza divina ao Pai, como sempre foi, e mesmo sendo submisso, não significa que não possa ser o mesmo Deus junto com o Pai e o Espírito Santo.

ARGUMENTO TJ 40. Mateus 26:39 diz: "E, indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto [em terra], orando e dizendo: "Pai meu, se for possível, deixa que este copo se afaste de mim. Contudo, não como eu quero, mas como tu queres. "Se o Pai e o Filho eram de apenas uma substância co-iguais, não seria esta oração sem sentido? Jesus estaria orando a si próprio, e a sua vontade seria necessariamente a vontade do Pai.

Resposta cristã - Outro caso que mostra naturezas distintas de Jesus Cristo. O homem Jesus sabia que morreria, e não era masoquista a ponto de gostar de sofrer. Todavia, não foi a "substância" divina que partia para a morte, pois Deus não morre. Deus é Espírito. (João 4:24) Portanto, a oração, como homem, de Jesus não era sem sentido. Expressava confiança de Jesus, enquanto homem, de que a vontade de Deus para com Ele devesse ser cumprida.

ARGUMENTO TJ 41. Mateus 12:31, 32 diz-nos: "Por esta razão, eu vos digo: Toda sorte de pecado e blasfêmia será perdoada aos homens, mas a blasfêmia contra o espírito não será perdoada. Por exemplo, quem falar uma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas quem falar contra o espírito santo, não lhe será perdoado, não, nem neste sistema de coisas, nem no que há de vir". Visto que os pecados contra o Filho seriam perdoados, mas os pecados contra o espírito santo não, indica isto que o espírito santo é de alguma forma maior que o Filho? Isso contrariaria abertamente a Trindade.

Resposta cristã - A Bíblia ensina que é o Espírito Santo quem convence as pessoas do pecado. Aqueles que jamais se arrependem até a morte pecam contra Ele. Assim, não aceitar a Jesus como único Salvador é pecar contra o Espírito Santo. Adulterar sem jamais se arrepender também. Xingar a pessoa de Deus Pai sem jamais voltar atrás também. Portanto, quando Jesus fala de pecar contra o Filho, como ocorreu com os dois que estavam na cruz com Jesus, que blasfemavam contra o Filho, tem perdão, desde que haja arrependimento. Um deles não se arrependeu, mas o outro sim. (Compare Mateus 27:44 com Lucas 23:39-43) Assim, quem peca contra o Espírito Santo de Deus já pecou contra Deus Pai, e contra Jesus, mas jamais se arrependeu até a morte. De forma alguma significa que o Espírito Santo seja superior ao Pai e ao Filho, mas indica que o agir do Espírito Santo não resultou no convencimento dessas pessoas sobre o pecado.

ARGUMENTO TJ 42. A palavra hebraica Shaddai e a palavra grega Pantokrator são ambas traduzidas por "Todo-Poderoso". Ambas as palavras nas suas línguas originais são aplicadas a Jeová, o Pai. (Êxodo 6:3; Rev. 19:6) Porque esta expressão nunca é aplicada ao Filho ou ao espírito santo?

Resposta cristã - Jeová não é apenas o Pai. O Pai é YHWH como Deus, o Filho é YHWH como Deus. O Espírito Santo é YHWH como Deus. Mas YHWH é um só YHWH. (Deuteronômio 6:4) O interessante é que a Bíblia jamais chama o Pai de Todo-Poderoso. Apenas refere-se a Deus como tal. Nem Jesus chamou seu Pai de Todo-Poderoso, mas disse: "Eu sou, e vereis o Filho do Homem assentado à direita do Todo-Poderoso e vindo com as nuvens do céu" (Marcos 14:62) e "Desde agora, estará sentado o Filho do Homem à direita do Todo-Poderoso Deus". (Lucas 22:69) Assim, é óbvio que YHWH é o Todo-Poderoso: O Pai, o Filho e o Espírito Santo. Quem tem toda a autoridade no céu e na terra é Todo-Poderoso. (Mateus 28:18) Se a Bíblia fala de poder de Espírito Santo (Romanos 15:13), Ele é Todo-Poderoso. E quanto ao Pai, também.

ARGUMENTO TJ 43. Visto que 1 Coríntios 11:3 diz: "Mas, quero que saibais que a cabeça de todo homem é o Cristo; por sua vez, o cabeça da mulher é o homem; por sua vez, a cabeça do Cristo é Deus", não revela isto que Deus está numa posição superior a Cristo? Alguns acreditam que é assim apenas enquanto Jesus estava na terra. Mas é de notar que isto foi escrito cerca de 55 E.C, alguns 22 anos após Jesus retornar ao céu. Então a verdade aqui aplica-se à relação existente entre Deus e Cristo nos céus.

Resposta cristã - Jesus, certamente, tem Deus como cabeça antes, durante e depois de sua encarnação. Antes, porque foi enviado. (João 3:16) Durante, porque foi obediente até a morte. (Filipenses 2:5-8) E depois porque continou submisso, conforme 1 Coríntios 11:3. Mas submissão não implica em inferioridade quanto à natureza, apenas em posição. Assim como a mulher é inferior ao homem em posição, mas não em natureza, assim também Jesus, em relação a Deus (Pai), é inferior em posição, mas igual em natureza.

ARGUMENTO TJ 44. Porque é que Jesus não é o único Deus a quem os cristãos têm de adorar? 1 Coríntios 8:5, 6 diz: "Pois, embora haja os que se chamem "deuses", quer no céu, quer na terra, assim como há muitos "deuses" e muitos "senhores", para nós há realmente um só Deus, o Pai, de quem procedem todas as coisas, e nós para ele; e há um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem são todas as coisas, e nós por intermédio dele". Este texto apresenta o Pai como o "único Deus" dos cristãos e como estando numa classe distinta de Jesus Cristo.

Resposta cristã - Se só existisse esse texto nas Escrituras em que ocorrem as palavras "Deus" e "Senhor", as TJs poderiam ter razão. Todavia, essas palavras são utilizadas de modo intercambiável para o Pai e o Filho. Veja:

SENHOR.
DEUS PAI - "Então, disse Moisés ao SENHOR: Ah! Senhor! Eu nunca fui eloqüente, nem outrora, nem depois que falaste a teu servo; pois sou pesado de boca e pesado de língua. - Êxodo 4:10.
DEUS FILHO - "Esta é a palavra que Deus enviou aos filhos de Israel, anunciando-lhes o evangelho da paz, por meio de Jesus Cristo. Este é o Senhor de todos." - Atos 10:36.
DEUS
DEUS PAI - "Todavia, para nós há um só Deus, o Pai." - 1 Coríntios 8:6.
DEUS FILHO - "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." - João 1:1.
DEUS e SENHOR
DEUS PAI - "Voltei o rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza." - Daniel 9:3.
DEUS FILHO - "Estando as portas trancadas, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco! E logo disse a Tomé: Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Respondeu-lhe Tomé:Senhor meu e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram." - João 20:26-29.
ARGUMENTO TJ 45. Através das Escrituras Jesus é apresentado como sendo inferior ao Pai, em várias situações, como em João 14:28. ("O Pai é maior do que eu"). Visto que estas escrituras são explicadas por dizer que só era assim porque o Filho estava limitado pela sua condição humana enquanto na terra, quer dizer que durante 33 anos não houve trindade? Significa que por 33 anos o Filho não foi co-igual, co-existente e co-eterno com o seu Pai?

Resposta cristã - Se crêssemos que Jesus deixou de ser Deus enquanto homem, sim. Mas Deus é Espírito, e Jesus, existindo na forma de Deus, se fez homem. Então, enquanto homem, era Deus, mas veio morrer como homem, não como Deus. Portanto, a Trindade não deixou de existir jamais, nem no instante em que Jesus morreu, pois seu Espírito saiu daquele corpo morto, mas retornou a ele três dias depois, tornando aquele corpo glorificado.

ARGUMENTO TJ 46. Como se pode usar João 8:58: "Antes de Abraão existir, EU SOU" e ligar à declaração de Jeová em Êxodo 3:14 "EU SOU enviou-me a vós"? Fazendo isso faria da declaração de Jesus "EU SOU" um título, um nome, fazendo desta frase um frase incorrecta, uma sentença incompleta, não fazendo qualquer sentido. [Exemplo: Substitua qualquer nome por "EU SOU": "Antes de Abraão existir, Henrique." etc]

Resposta cristã - Jesus não disse "Eu sou" para se referir a seu nome pessoal, mas usou tal expressão para apontar para a sua eternidade, e por fazer isso, para a sua Divindade. E os judeus entenderam isso, e consideraram uma blasfêmia, como as TJs também. Enquanto que os judeus, devido a essa suposta blasfêmia, tentaram apedrejar Jesus (João 8:59), as TJs tentam nos apedrejar no campo das ofensas pessoais, nos chamando de membros de Babilônia, a Grande, filhos do Diabo. Nós devemos perdoá-las. Em João 8:25-58, Jesus usa três vezes a expressão "eu sou". Nas duas primeiras, os judeus não entenderam que EU SOU indicava sua eternidade, mas foram perceber isso na última vez quando associou "EU SOU" com "antes de Abraão existir". Assim, o adjunto adverbial de tempo que Jesus usou fez os judeus entenderem o ponto, mas considerarem como blasfêmia. No entanto, as TJs entendem que Jesus estava apenas querendo dizer que existia antes de Abraão, mas não que fosse Deus. Se esse fosse o caso, teriam considerado Jesus como louco, pois ele estaria afirmando ser mais velho que Abraão. Mas como entenderam que Jesus quis dizer EU SOU, citando Êxodo 3:14, que em hebraico é "’Eh‧yéh ’Ashér ’Eh‧yéh", EU SOU O QUE SOU, então Ele sofreu a tentativa de apedrejamento, pois se identificou com o nome de Deus.

ARGUMENTO TJ 47. Porque é Jesus apresentado como "o único mediador entre Deus e o homem"? Visto que por definição um mediador é alguém separado daqueles que precisam da mediação, seria uma contradição ele ser uma entidade com que uma das partes estava a tentar ser reconciliada. (Ilustração: Quando patrões e sindicatos estão a negociar, um mediador do Estado é convidado a mediar a duas partes. Ele é imparcial. Ele não seria justo como mediador, se ele fosse quer patrão, quer empregado, pois não? Da mesma forma, Jesus é um mediador entre Deus e os homens. Ele não é nem Deus nem homem. Quando se está negociando com uma das partes não se está negociando através de um mediador. Como Gálatas 3:20 declara: "Ora, não há mediador onde apenas uma pessoa está envolvida, mas Deus é apenas um".

Resposta cristã - Este argumento é bastante usado pelas TJs. Temos que raciocinar amorosamente que se Jesus não nem Deus e nem homem, ele seria o que? Uma vaca? Acho que não! Se a ilustração TJ tivesse sentido, qualquer anjo poderia ser mediador: Não sendo Deus e nem homem. Todavia, mediador é a pessoa que, nos tempos bíblicos, precisava conhecer muito bem os dois lados do problema para unir as partes. Quem além de Jesus, que é Deus e assumiu a forma humana, estaria em melhor condições de agir como tal? Por isso, só há um mediador.

ARGUMENTO TJ 48. O que significa Jesus ser chamado de Jesus Cristo? Não é o seu último nome. Cristo significa "ungido". Se Jesus é Deus, como pode ele ser ungido? E por quem? Ungido é receber autoridade ou comissão por um superior, a quem não tem essa autoridade. Jesus diz: ""O espírito de Jeová está sobre mim, porque me ungiu para declarar boas novas aos pobres." (Lucas 4:18) Aqui Deus é evidentemente o seu superior, pois ele ungiu Jesus e deu-lhe autoridade que ele antes não tinha.

Resposta cristã - Jesus nasceu Cristo, como homem, não como Deus. Até Herodes sabia disso quando perguntou aos principais sacerdotes "onde haveria de nascer o Cristo". (Mateus 2:4) As TJs ensinam que Jesus se tornou Cristo no seu batismo. Isso é mentira! Essa heresia já era ensinada pelos Adocionistas, do séculos II e III, que apregoavam um Jesus se tornando Filho no Batismo e sendo ungido (tornando-se um cristo) naquela ocasião.

ARGUMENTO TJ 49. Como Jesus teria que aprender a obediência? Hebreus 5:8 diz-nos que Jesus "aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu." Podemos imaginar Deus ter que aprender alguma coisa? Não, mas Jesus tinha, pois ele não sabia o mesmo que Deus sabia. E ele teve que aprender aquilo que Deus nunca terá que aprender, OBEDIÊNCIA. Deus nunca tem que obedecer a ninguém.

Resposta cristã - Jesus se fez homem, e como tal, desde que nasceu, aprendeu a falar, e foi ensinado pelos seus pais a obedecer. Jamais, nós que cremos na Trindade, afirmamos que Jesus, por ser Deus, nasceu obedecendo. Quanto à pergunta: "Podemos imaginar Deus ter que aprender alguma coisa?" seria bom raciocinar com as TJs que o Deus delas aprende com o futuro, pois por saber o futuro apenas quando quer, ele acaba aprendendo sim. O mesmo poderíamos perguntar às TJs sobre o Jesus delas: Como pode a segunda pessoa mais sábia do Universo, Jesus, aprender a obediência, se ela já era obediente? Certamente, as TJs concordariam que o "jesus" delas teve que aprender a ser obediente porque se fez homem. O mesmo se dá com o Jesus da Bíblia. Por ser Todo-Poderoso, fez-se homem e como tal aprendeu a ser obediente. A quem? Ao Pai dEle, Deus.

ARGUMENTO TJ 50. Se Jesus é Deus, porque é que Estêvão viu duas pessoas no céu? Estêvão "fitou os olhos no céu e avistou a glória de Deus, e Jesus em pé à direita de Deus." (Atos 7:55) Claramente viu duas pessoas distintas. Estêvão menciona que Jesus está à direita de Deus e não simplesmente à direita do Pai. E se Jesus é parte de uma divindade trinitária, porque é que Estêvão não viu também o espírito santo ou três pessoas?

Resposta cristã - O relato mostra o Espirito Santo atuando nos últimos momentos de vida de Estêvão, enchendo-o de poder, para que ele pudesse ter aquela visão. E Estêvão viu pessoas distintas, exatamente em que nós cremos. Explique isso às Tjs.

ARGUMENTO TJ 51. Se alguma das questões anteriores foi respondida com a declaração "É UM MISTÉRIO", então explique as seguintes passagens: 1 Coríntios 2:10; 1 João 5:20; 2 Timóteo 2:7; Efésios 3:5; 1 Pedro 1:12; e Lucas 24:45.

Resposta cristã - Colossenses 2:2 chama a Jesus, no grego original, de "o mistério de Deus". Nisto cremos. Mistério por quê? Não no sentido da palavra portuguesa, que denota algo misterioso, amedrontador, mas porque, conforme W. E. Vine explica, mistério se refere a algo que para entendermos depende da revelação divina. E conhecemos Jesus revelado como Deus Unigênito (João 1:18) e como homem (1 Timóteo 2:5) Quanto aos textos citados, respondamos às TJs com amor, usando a "bíblia" delas:

"1 Coríntios 2:10 - Porque é a nós que Deus as tem revelado por intermédio de seu espírito, pois o espírito pesquisa todas as coisas, até mesmo as coisas profundas de Deus."

Resposta cristã - As TJs usam esse texto para raciocinar que Deus revela, e não gosta de mistérios. Expliquemos a elas que muitos aspectos sobre Deus são revelados, mas não explicados. Por exemplo, Deus não tem princípio (Salmo 90:2), mas não temos como explicar. Cremos pela fé. No caso da Trindade, Deus se revelou assim, e a Bíblia chama de Deus ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Embora não saibamos explicar como, cremos pela fé. O Espírito Santo, assim, nos revelou coisas profundas de Deus, mas não temos como explicá-las, apenas confessá-las.

"1 João 5:20 - Mas, sabemos que o Filho de Deus veio e nos deu capacidade intelectual para podermos obter conhecimento do verdadeiro. E nós estamos em união com o verdadeiro, por meio do seu Filho Jesus Cristo. Esse é o verdadeiro Deus e a vida eterna."

Resposta cristã - Obter conhecimento do verdadeiro não significa que iremos conseguir explicar as coisas profundas de Deus que o Espírito Santo nos revelou através da Bíblia, afinal os pensamentos e os caminhos do SENHOR YHWH são infinitamente superiores aos nossos. (Isaías 55:8, 9) No entanto, as TJs acham que podem explicar Deus. Precisamos citar a elas a diferença entre saber uma verdade sobre Deus e explicá-la.

2 Timóteo 2:7 - "Pensa constantemente no que digo; o Senhor te dará realmente discernimento em todas as coisas".

Resposta cristã - Em todas as coisas, dentro das limitações humanas, e referentes ao contexto imediato das palavras de Paulo a Timóteo. Por isso, Paulo disse: "Presta constantemente atenção no que digo". Deus está tão além de nossa compreensão que Ele se revela tendo olhos, cabelos brancos, quadris, pois está sentado num trono - tudo isso para se acomodar à nossa mente frágil e pequena. Se as TJs usarem esse texto como prova contra a Trindade, por crermos nela pela fé, sem explicações específicas, então terão de explicar a nós como Jesus fez para andar na água.

Efésios 3:5 - "Em outras gerações, este [segredo] não foi dado a conhecer aos filhos dos homens assim como agora tem sido revelado aos seus santos apóstolos e profetas, por espírito."

Resposta cristã - Novamente, o texto de Efésios 3:1-5 refere-se a Paulo ter conhecido o mistério (segredo) de Jesus Cristo, que lhe foi revelado pelo Espírito. Aqui, o contexto não é sobre a natureza de Deus, mas sobre como Jesus foi revelado a Paulo. E mesmo que se referisse à Trindade, já consideramos que Deus nos revela verdades sobre Ele que não podemos compreender.

1 Pedro 1:12 - "Foi-lhes revelado que não era para eles, mas para vós, que ministravam as coisas que agora vos foram anunciadas por intermédio dos que vos declararam as boas novas com espírito santo enviado desde o céu. Nestas coisas é que os anjos estão desejosos de olhar de perto."

Resposta cristã - O contexto são as boas novas, o evangelho de Jesus Cristo. Talvez as TJs raciocinem: Tudo o que Deus revelou na Bíblia pode ser entendido. Portanto, nada sobre Deus pode ficar sem explicação. Mas se você ouvir isso, já sabe o que dizer, o que perguntar. Por exemplo, mais uma sugestão seria perguntar: Dê-me uma explicação completa de como Deus pôs Jesus no ventre de Maria sem a intervenção de um pai humano.

Lucas 24:45 - "Abriu-lhes então plenamente as mentes para que compreendessem o significado das Escrituras".

Resposta cristã - Qual o contexto desse texto? Os discípulos estavam admirados de verem Jesus ressuscitado, tanto que nem o reconheceram, ou pensavam estar vendo um fantasma. Então, Jesus passa a explicar-lhes o que as Escrituras diziam sobre Ele. O fato de Jesus ter explicado mostra que podemos também não entender certas coisas mais profundas do que as profecias cumpridas em Jesus.

Conclusão

Procurei responder aos questionamentos TJs, extraídos ou baseados em opiniões formais (por escrito) e informais (argumentos criados sem caráter oficial) do Corpo Governante. Espero que tenha lhe ajudado a discernir a linguagem que deve prevalecer ao raciocinar com uma TJ, usando a linguagem dela, o mesmo método de indução. - Fernando Galli.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários devem contem no máximo 500 caracteres