TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - 322a. MUDANÇA DE ENSINO: QUEM SÃO OS RESSUSCITADOS QUE NÃO SE CASAM?

Extraído do Filme O Todo-Poderoso
Certa vez, Jesus disse que na ressurreição os mortos não se casam. (Lucas 20:34-36) Como as TJs creem que os 144 mil são ressuscitados para a vida nos céus, e as TJs da Grande Multidão que morrem serão ressuscitadas para viverem no paraíso na terra, a questão é: Para o Corpo Governante das TJs, Jesus falava da ressurreição de quem vai viver no paraíso na terra ou de quem vai morar no céu? Veja a luz que brilha mais e mais.

A Revista The Golden Age (A Idade de Ouro) de 2 de abril de 1930, página 446 dizia que não as Escrituras não revelam qual seria a relação entre marido e mulher depois da ressurreição ter sido terminada. Mas ao afirmarem que o máximo que sabiam é que não haveria crianças nascidas durante os últimos cem anos do milênio, então indiretamente admitiam a possibilidade de que os ressuscitados aqui na terra pudessem estar casados e ter filhos nos primeiros 900 anos do milênio. Isto porque desde lá já criam que a ressurreição dos mortos ocorre durante os 1000 anos do reinado de Cristo. E como estão falando de 1000 anos, qualquer TJ sabe que se essa ressurreição se referia aos que viveriam na terra.

Idade de Ouro, 2 de abril de 1930, página 446.
Mas a luz foi brilhando. Depois de 1935, quando se obteve, segundo as TJs, melhor entendimento de quem era a Grande Multidão, uma "nova luz" apagou a luz anterior e passou a ensinar uma nova identidade para os ressuscitados de Mateus 22:29, 30 e Lucas 20:34-36. A revista A Sentinela de novembro de 1938, página 331, afirmava que os ressuscitados dos quais Jesus falava que não se casariam seriam aqueles que morreram na ignorância antes de Jesus vir à terra, visto que Jesus citou no contexto de Lucas 20:34-36 e Mateus 22:29, 30 Abraão, Isaque e Jacó. Todavia, estes NÃO PODERIAM SER membros dos 144.000. E o interessante é que se dizia que estes mortos que não se casariam se referiam os que seriam ressuscitados para a ressurreição de julgamento, que na linguagem TJ da época referia-se aos que morreram como não-justos e que precisariam, durante os 1000 anos, buscar sua justificação. Veja:

A Sentinela, Novembro de 1938, página 331.
Mas a luz brilhou de novo. Isto para as TJs é maravilhoso! É sinal de que Jeová vai aperfeiçoando o caminho das TJs, conforme Provérbios 4:18. A única semelhança entre a primeira luz e a segunda era que os ressuscitados que não se casam viveriam na terra. Nesta próxima luz, o Livro A Verdade vos Tornará Livres, páginas 366, 367, publicado em 1943, ensinava que os ressuscitados que não se casam de Lucas 20:34-38 eram das "other sheep", ou seja, "outras ovelhas", que para as TJs da época não se referia apenas aos que haviam morrido antes de Cristo como ignorantes, mas à Grande Multidão, a qual, para as TJs, são até hoje as outras ovelhas de João 10:16.   

A Verdade vos Tornará Livres, páginas 366, 367.
Que maravilhoso, não?! O "jeová" TJ de 1930 até 1943, apesar de mandar luzes diferentes sobre aspectos até que secundários da identidade dos ressuscitados que não se casam, ele mantinha "o mesmo padrão de verdade": Seriam tais ressuscitados os que viveriam aqui na terra, portanto, membros da Grande Multidão.

Conforme os anos passaram, o "deus" TJ confirmava vez após vez que os ressuscitados que não se casam eram da Grande Multidão, e como exemplo abaixo, veja como os líderes TJs foram categóricos em expor a luz do "deus" ao qual serviam. A Sentinela 1 de dezembro de 1976, página 733 (Volume encadernado), afirmou com toda a certeza:

Sentinela 1 de dezembro de 1976, página 733
Pode-se confiar no deus TJ! "Luz divinal, vem sempre clareando, as novas dissipando, pois o dia vem", cantavam as TJs em 1976. 

Onze anos mais tarde, em A Sentinela 1 de junho de 1987, página 31, o "deus" TJ continuava iluminando o Corpo Governante a ensinar que os ressuscitados que não se casam são aqueles que viveriam no paraíso na terra. Veja:

A Sentinela 1 de junho de 1987, página 31
De 1930 até 1987, o "deus" TJ manteve a mesma opinião na iluminação desta "verdade" em questão.

E para terminar logo este texto, posto nesta página a confirmação final de como podemos confiar que o "deus" TJ realmente, não só ilumina o povo dele, mas É CONVICTO DO QUE ILUMINA! Leia com atenção o que a Sentinela de 15 de agosto de 2014, página 29, confirmou:

Sentinela de 15 de agosto de 2014, página 29

Sim, querido leitor. A iluminação do "deus" TJ agora afirma a possibilidade de Jesus ter em mente a ressurreição dos 144.000 para a vida celestial. Para quem é bom em Português, é a luz do "deus" TJ que vem de encontro ao povo dele. "De encontro", certo, apologistas TJs de plantão!?

Glória a Deus que o pobre autor deste texto, liberto do "deus" TJ, crê numa verdade bíblica ensinada por todas as igrejas cristãs: JESUS FALAVA DA RESSURREIÇÃO, quando o espírito de cada falecido retorna ao corpo trazido milagrosamente de volta pelo Todo-Poderoso - o mesmo que trouxe de volta as células mortas e já inexistentes de Lázaro. Em corpos glorificados, iguais ao de Jesus ressurrecto, não terei como estar casado, pois este estado é para humanos nesta vida. O Cristianismo crê assim há quase dois milênios. Louvado seja Deus por isto! - Fernando Galli.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários devem contem no máximo 500 caracteres