TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - É DEUS UM MISTÉRIO? SIM OU NÃO?


O "deus" não-cristão das TJs tem um perfil: Ele é fácil de ser compreendido, pois basta estudar a Bíblia com elas e tudo está resolvido. E a metodologia é simples: "Adoramos o que conhecemos" (João 4:22). Afirmam: Se adoramos o que conhecemos, não podemos adorar um Deus Triúno, misterioso, que não conseguimos explicar. Mas será que este entendimento é Bíblico?

Veja o seguinte comentário de uma revista oficial das TJs: 
“A doutrina da Santa Trindade é extremamente difícil de explicar, e ninguém a compreende”, admite o clérigo católico Robert I. Gannon. A fim de terem base para fé, as pessoas refletivas requerem explicações que satisfaçam à lógica. Não há algo de errado com um conceito sobre Deus que não pode ser explicado? Pode Deus ser honrado por um conceito dele que ‘ninguém compreende’? Os verdadeiros cristãos precisam conhecer o Deus a quem adoram. Não há lugar para mistério! — João 17:3." - A Sentinela de 1o. de Agosto de 1984, página 7.
É óbvio que a Doutrina da Trindade é difícil de explicar. Mesmo tendo motivos bíblicos para crermos nela, quanto a como Deus pode coexistir e subsistir em Três Pessoas Divinas não temos como explicar, pois se tivéssemos seríamos parte da Trindade.

Por exemplo, adoramos o Deus que conhecemos e sabemos que Ele é Eterno. Ele não tem princípio e nem fim. (Salmo 90:2) Mas será que explicamos como nosso Deus consegue não ter princípio e nem fim? ¹ Impossível! Só Deus existe antes de qualquer contagem de tempo, pois todas as Pessoas em que Ele subsiste - Pai, Filho e Espírito Santo - existiam antes da criação do tempo. Por isso se diz que nada do que foi feito foi criado sem Jesus. - João 1:3.

Portanto, Deus é um mistério na acepção de não o explicarmos, não o compreendermos. Há estas e infinitas verdades sobre Deus que certamente nem sonhamos em conhecer e muito menos explicar. Outras verdades  são conhecidas mas não explicadas ou compreendidas. Por exmeplo, conhecemos o Deus que fez milagres através de Jesus, mas não compreendemos como Ele fez estes milagres. Conhecemos o Deus que é onisciente, ou seja, sabe de tudo, mas não compreendemos como Ele consegue fazer isso. Apenas cremos pela fé porque a Bíblia assim diz. Em outras palavras, sabemos sobre os por quês de Deus, mas não sabemos os "comos".

Para as TJs, todavia, o fato de a Bíblia afirmar que podemos conhecer a Deus implica que não há mistérios na adoração de Deus. Algumas delas são tão desonestas que para afirmar que não há mistérios na adoração a Deus, portanto, não pode haver uma Trindade, usam as palavras de W. E. Vine explicando o significado da palavra "mistério" como verdade revelada. Raciocinam:
"Se mistério é verdade revelada, então a verdade é conhecida e não pode ser mistério na acepção de não se poder compreender".
Sem dúvida, W. E. Vine define "mistério" sobre as coisas que Deus faz, não sobre si mesmo. (Dicionário Vine, página 795, CPAD, 2003.) Mas W. E. Vine, ao definir a palavra grega para mistério, explica que um de seus usos é sobre "Jesus, que era Deus, e revelou-se sob as condições de vida humana." (página 795) Então, como pode uma pessoa em são juízo usar as palavras de quem crê na Trindade ou em que Jesus é Deus para provar que não há mistérios na adoração de Deus e que, portanto, Jesus não é Deus? Isso é coisa de malandro ou de quem não tem competência para distinguir os significados de "conhecer", de "compreender" e de "explicar". 

Os mistérios de Deus que podemos conhecer são aqueles relacionados ao que Ele pretende fazer em nosso favor. Por exemplo, Jesus é o mistério ou segredo de Deus. (Colossenses 2:2) E nós podemos conhecer a Jesus na acepção de nos relacionarmos com ele, ou de termos a mente de Cristo, como homem é claro. (1 Coríntios 2:16) Mas e a mente de Deus? Não podemos compreendê-la, pois os pensamentos de Deus são infinitamente maiores do que os nossos. (Isaías 55:8, 9) Mesmo assim, podemos conhecê-lo. - Jeremias 31:34.

Quanto aos mistérios de Deus, ou verdades reveladas sobre Deus, conhecemos na acepção de informação adquirida, mas não compreensão. Lemos em Jó 26:14 que aquilo que conhecemos é apenas as beiradas ou orlas de seus caminhos. Como pode haver pessoas tão enganadas achando que o fato de Jesus ter dito "adoramos o que conhecemos" implica que Deus não seja um mistério, ou seja, alguém incompreensível por ser Todo-Poderoso!

O Deus que adoramos é um mistério na acepção de não o compreendermos, de não o explicarmos. Trata-se da infinita distância entre o Todo-Poderoso e suas criaturas. Mas o conhecemos porque nos relacionamos com Ele. Como podem pilantras virtuais, que não conhecem nem mesmo o coração deles (Jeremias 17:9) achar que conhecem a Deus por compreendê-lo e explicá-lo, e afirmar que não há mistérios na adoração de Deus? Ou seus adoradores precisam ser muito mais humildes e reconhecer que o Deus da Bíblia tem caminhos inescrutáveis (Romanos 1:19, 20) ou o o deus que adoram deve ser um que até 1940 morava na constelação de Plêiades, numa estrela chamada Alcione, exatamente o caso das TJs. - Fernando Galli.
_______

¹ Certa vez uma TJ me respondeu:
"Eu sei explicar sim! Os números também não tem princípio e nem fim, pois antes do zero existem o (-1), (-2), (-3) e vai ao infinito, e depois do zero existem o (+1), (+2), (+3), e vai ao infinito. Portanto, da mesma forma Deus consegue não ter princípio e nem fim."
Mas o problema é que os números têm princípio e fim: Vão do zero ao nove. Só existem dez números, que combinados formam valores diferentes e acrescidos ou não de sinal negativo formam os números negativos e positivos. Isso é mera convenção humana! É criação dos homens. Eu deveria ter ficado assistindo a Xuxa naquela quarta-feira em vez de raciocinar com esses filósofos de rua. Números positivos e infinitos são formados por números finitos (do zero ao nove) e com sinais finitos (apenas dois, o + e o -), mas Deus não é formado por partes finitas. Minha resposta àquele paroleiro de bodega foi: Deus existe antes de qualquer contagem, colega.