TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - UM XEQUE-MATE NA TRINDADE?


Quando eu era Testemunha de Jeová, achava meus argumentos muito fortes contra a doutrina da Trindade. Dentro daquele meu mundo, rodeado dos pressupostos do Corpo Governante, os quais me escravizavam, meu grande trunfo era "arrebentar" a doutrina da Trindade. Da mesma forma, soltaram na internet um suposto argumento "fatal" contra a doutrina da Trindade - um Xeque-Mate. Sabe qual?

"XEQUE MATE" - "Como Jesus pode ser Deus se em 1 Coríntios 15:27 diz que todas as coisas foram sujeitas a Jesus? Quem lhe sujeitou todas as coisas? Ele mesmo?"
RESPOSTA BÍBLICA - Em primeiro lugar, é preciso deixar bem claro que os cristãos não creem que Jesus e Deus (ou o Pai) sejam a mesma pessoa. Eles são iguais em natureza, essência, mas distintos: O Pai, o Filho e o Espírito Santo são Pessoas distintas, mas são um só Deus. (João 17:3; João 1:1; 20:28; Atos 5:3, 4; Deuteronômio 6:4) Cada Pessoa da Trindade, embora seja da mesma natureza e essência, possue posições e funções diferentes, assim como na família, onde o marido e a mulher possuem a mesma natureza (humana) mas possuem posições e funções diferentes. (1 Coríntios 11:3) O fato de a esposa ser submissa ao marido não a torna inferior em natureza.

Em segundo lugar, Pai, Filho e Espírito Santo decidiram que o Filho se subordinaria ao Pai (a Deus) no plano de Salvação do homem e de restaurar todas as coisas. Por isso, diz-se que Jesus desceu do céu para fazer a vontade daquele que o enviou (João 6:38), humilhou-se a si mesmo e existindo na forma de Deus assumiu a forma humana (Filipenses 2:5-7). Até o Espírito Santo foi submisso ao Pai e ao Filho. (João 14:26; 16:13, 14) Mas nesta subordinação, não há de modo algum inferioridade de Jesus para com o Pai em natureza. Como já vimos, assim como a mulher é submissa ao homem mas não é inferior a ele (pois ambos têm a mesma natureza), assim também o Filho ser submisso ao Pai não implica em inferioridade, porque ambos têm a mesma natureza - a Divina.

Em terceiro lugar, Jesus ser Deus e homem não significa que Deus mudou ou se transformou. Quem alega isso deveria responder: Deus se transformou em que? Em homem? Não! Ele, na Pessoa de Jesus, assumiu a forma humana existindo na forma de Deus. Só Deus tem poder para tal feito.

Em quarto lugar, Deus Pai, Filho e Espírito Santo reina de eternidade à eternidade. Deus é Rei dos reis, Senhor dos senhores e ninguém pode negar isso. Mas no plano de salvar o homem e de restaurar todas as coisas, Deus decidiu que Jesus seria o Rei dos reis (Apocalipse 19:13) e ao executar toda a obra de salvação e destruir todos os seus inimigos, e depois restaurar todas as coisas, chegará o momento em que Jesus, neste arrranjo Divino, entregará o Reino a seu Deus e Pai.

Mas quem disse que "entregar o Reino" implica que Jesus deixará de ser Rei? Ora, se assim fosse, quando o Pai tivesse entregado o reino a Jesus para Ele reinar, então teríamos que admitir que o Pai deixou de ser Rei, e isso seria um absurdo. A expressão "entregar o reino" indica apenas que no arranjo de restaurar todas as coisas, Jesus entregará os resultados do reino, e não o reinado (o ato de reinar). Quando isto acontecer, não haverá mais uma distinção entre o Pai, Filho e Espírito Santo na questão subordinação. Deus será sobre tudo e todos, ou seja, toda a Trindade será reconhecida como Rei, como sempre foi!

A título de ilustração. Uma empresa (a criação) vai muito bem. Três sócios são os donos dela. Mas um dos setores desta empresa (a humanidade) começa a ter problemas (pecado). Então, um dos sócios (Jesus) se humilha a si mesmo (Encarnação) e decide trabalhar com os funcionários (os pecadores) para salvá-los do problema (pecado). Então, um dos donos da empresa (o Pai) sujeita ao sócio que se humilhou (Jesus) todas as coisas para resolver aquela questão. Ele recebe a missão de "reinar" (Reino de Cristo) sobre aquela causa, naquele setor da empresa (a Terra). Ele reúne os bons funcionários (os salvos) e demite os maus empregados (os perdidos). Daí, ele restaura todas as coisas naquela seção e quando tudo está resolvido, entrega a sua missão (o Reino - todas as suas atividades e resultados) ao sócio que o enviou. Ao entregar tudo ao sócio, sujeita-se a Ele (o Pai) e algo acontece: Missão cumprida. Os Três Sócios (Deus Pai, Filho e Espírito Santo) governam juntos a empresa para sempre. 

Mas o sócio que se humilha, deixa de ser Sócio (Deus e Rei) enquanto aceita sua missão de se fazer funcionário para resolver o problema? Não! Quando ele executa toda a sua função ele deixa de ser dono da empresa? Jamais! O mesmo ocorre com a Trindade.

Assim, entendemos por que se diz que Jesus reina por mil anos (Apocalipse 20:4) mas ao mesmo tempo se diz que seu reino não terá fim. (Lucas 1:33) Jesus reina por mil anos porque neste período Ele restaura todas as coisas, e quando faz isso, entrega o Reino a seu Deus e Pai, ou seja, não deixa de ser Rei (dono), mas apenas entrega o reino, não a função de ser Rei. Em outras palavras, isto é apenas uma prestação de contas.

Mas por que se diz que entrega o reino a seu Deus e Pai? Porque como Mediador que executa o plano de Salvação de Deus, Jesus Cristo homem (1 Timóteo 2:5), ressuscitado e glorificado, afirma ter um Pai e um Deus. Mas não no mesmo sentido que nós temos um Pai e um Deus. Isto fica bem claro quando Jesus disse "estou voltando para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus". (João 20:17) Por que Jesus não disse "estou voltando para nosso Pai e nosso Deus?"

Porque nós somos criaturas, Jesus não. E dizer a Bíblia que Ele tem um Deus e Pai nada mais é do que uma forma de se ensinar que enquanto realiza a obra de salvação e restauração de todas as coisas, Jesus é humilde e subordinado a Deus, a sua autoridade. Ao entregar o reino a seu Deus e Pai, não haverá mais esta subordinação, pois o texto de 1 Coríntios 15:28 diz: "E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então o próprio Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos." Observe que quando Jesus vem à terra ele já é sujeito a Deus. Então por que João 1 Coríntios 15:28 afirma que o "sujeito a Deus", Jesus, vai se sujeitar àquele que lhe sujeitou todas as coisas? Porque esta sujeição tem um significado diferente. Conforme o próprio texto, trata-se de entregar o Reino (não o ato de ser Rei) nas mãos de Deus. E Deus toma a seguinte decisão: Deus será tudo em todos. Em outras palavras, não há mais subordinação de Jesus ao Pai porque a missão está cumprida. Sim, o reino de Cristo e de Deus será um só, conforme indicam as palavras de Efésios 5:5: "Porque bem sabeis que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus."

Esta compreensão nos ajuda a entender outras expressões da Bíblia referentes a Jesus. Por exemplo, fala-se dele como que recebendo a revelação que Deus lhe deu, em Apocalipse 1:1; dele recebendo domínio, dignidade e um reino, em Daniel 7:13, 14; dele tendo Deus como cabeça (1 Coríntios 11:1); dele tendo um Deus e Pai (João 20:17; Romanos 15:6; 2 Coríntios 1:3; 11:31; Efésios 1:3; 1 Pedro 1:3). Nestes textos está em foco a subordinação de Jesus apenas para restaurar todas as coisas. Ele se humilha, recebe tudo isso nesta humilhação, se subordina, recebe suas funções nesta subordinação. Quando executa tudo - salvando e restaurando todas as coisas - reina para todo o sempre como Deus junto ao Pai e ao Espírito Santo.

Para aqueles que dirão: "Mas se Jesus recebe um reino, um domínio, dignidade, então é porque ele nunca tinha reinado antes!", eis  um xeque-mate de verdade para tais arianos modernos:
"Nosso Senhor e nosso Deus, tu és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque tu criaste todas as coisas e, por tua vontade, elas existiram e foram criadas." - Apocalipse 4:11.
Será que Deus ser digno de receber a glória, a honra e o poder implica que Ele não possuía tudo isso antes? Claro que já possuía. Da mesma forma, Deus entrega a Jesus o reino para uma missão, mas Jesus sempre foi Rei. Depois Jesus entrega o reino para o Pai, mas o Pai sempre foi Rei. E Deus será sobre tudo e todos, mas sempre foi. Tudo isto apenas são recursos didáticos divinos para entendermos melhor os atos de Deus na corrente do tempo humano.

Não sou um perito em Trindade, embora tenha conhecimento suficiente para defender esta Santa Doutrina. Mas estou caminhando na jornada cristã e aprendendo com Deus e com meus mestres. A minha fé é esta, e ela está alicerdada não em filosofia humana, mas na Bíblia. Lamento que os seguidores do Corpo Governante não compreendam estas verdades. Oro por eles para que suas mentes e seus corações se abram para o verdadeiro Deus Pai, Filho e Espírito Santo, e que deixem de servir às interpretações do Corpo Governante. Agradeço a Deus por ter sido resgatado das garras da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Para mim, é gratificante servir ao Deus YHWH! Obrigado meu Deus! Eu não merecia! - Fernando Galli.

Postagens mais visitadas deste blog

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - DESCULPAS PARA JUSTIFICAR SUAS FALSAS PROFECIAS PARA 1914, 1925 E 1975

APOSTILA - RAZÕES PARA JAMAIS SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ - NÍVEL INICIANTE 1

ESBOÇOS DA FÉ - QUE TIPO DE UVAS VOCÊ PRODUZ? - ISAÍAS 5:1-7