TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - JESUS POSSUI DIVINDADE OU QUALIDADE DIVINA?


A Tradução do Novo Mundo do Corpo Governante TJ, em vez de traduzir em Colossenses 2:9 que Jesus possui toda a plenitude da divindade verte o texto: "porque é nele que mora corporalmente toda a plenitude da qualidade divina". Por que os responsáveis por esta Tradução verteram o texto desta forma?

A razão é simples: Se deixassem a tradução literal, "divindade" poderia indicar um substantivo concreto, mas visto que a palavra grega theótetos pode indicar a qualidade divina, e isso é verdade, optaram pela tradução "plenitude da qualidade divina" para tornar a divindade de Jesus algo abstrato, como tentativa de inferiorizar a divindade de Jesus em relação a seu Pai.

O grande problema de tal tentativa é a falta de conhecimento teológico e do contexto histórico da época em que este texto foi escrito. Sabemos muito bem que Paulo escreveu sua carta aos colossenses para desmascarar filosofias vãs e uma delas ensinava que a Plenitude de Deus só poderia ser alcançada através de mediadores.¹ Paulo mostra então que Jesus não era apenas um mediador mas nele habitava TODA A PLENITUDE DIVINA. Ou seja, Cristo era o próprio Deus.

Mas um dos raríssimos estudiosos de grego entre as TJs, em seu site, fez um esforço "elogiável" para provar que Jesus é divino, mas possui apenas toda a plenitude da QUALIDADE DIVINA, e não da DIVINDADE. Observe o quadro bem explicativo sobre o significado da palavra grega theótetos de acordo com bons dicionários do Grego Koiné:


Depois desse quadro, ele argumenta que assim como irmão (concreto) pode se tornar irmandade (abstrato), da mesma forma "Deus" (concreto) torna-se "divindade" (abstrato) e, por isso, a divindade de Jesus, por ser definida através de uma palavra de significado abstrato não indica que Jesus é tão divino quanto o Pai.

Mas a questão é: Se a humanidade reconhecesse que toda a plenitude da QUALIDADE da irmandade habitasse no Joãozinho, haveria melhor irmão do que o Joãozinho? Não! E se no Joãozinho habitasse toda a plenitude da QUALIDADE da habilidade, haveria alguém mais hábil do que ele? Não! E se no Joãozinho habitasse toda a plenitude da QUALIDADE da bondade, haveria alguém "mais bom" do que ele? Não! Então, qual a diferença que o nobre estudioso de grego TJ encontra entre Jesus possuir TODA A PLENITUDE DA DIVINDADE ou TODA A PLENITUDE DA QUALIDADE DIVINA? Na minha opinião, nenhuma.

Todavia, a Tradução do Novo Mundo, tida como "literal", reconhece em sua Versão com referências (Letras Grandes) que a tradução literal em Colossenses 2:9 não é a que está no texto corrente, mas a que está no roda-pé. Observe:


Veja como se afirma que "qualidade divina" é no grego literal "divindade". Portanto, não importa se para Deus ou Jesus se use substantivos concretos ou abstratos para seus atributos.

Ainda outra tentativa fracassada de defensores da doutrina do Corpo Governante é insinuar que possuir toda a plenitude divina não significa que Jesus seja tão Deus quanto o Pai através do texto de Colossenses 2:10, onde lemos que Jesus é o cabeça de todo principado e poder. Então raciocinam:
"Mesmo Cristo sendo o cabeça de todo principado e poder, Ele não é o cabeça sobre o Pai, pois está submisso a ele." 
Mas ser cabeça não é ser Deus pois "cabeças" há muitos. Mas Deus é um só. Um só ser pode ter TODA PLENITUDE DIVINA. Mas ainda que déssemos corda para o argumento acima, a expressão grega "principado e poder" não se pensa em Deus-Pai aqui no texto, pois Paulo em Colossenses 1:15-19 escreve que Jesus é o Criador de todo principado e poder. Portanto, Paulo estava afirmando que Cristo é o cabeça de todo o principado e poder ELE CRIOU! É impressionante como as Testemunhas de Jeová são peritas em tirar o texto fora do contexto!

O mesmo fazem com Efésios 1:22, 23 onde lemos que a Igreja é "a plenitude daquele que em tudo preenche todas as coisas". Então raciocinam:
"Se Cristo ter a plenitude o torna o Deus, então a Igreja ser a plenitude de Cristo torna a Igreja o próprio Cristo?"
Mas este é o velho argumento TJ de comparar seres com naturezas diferentes (Cristo e Igreja) com Jesus e o Pai, que possuem a mesma natureza divina. Isto é desonesto! Com isso em mente, podemos receber toda a plenitude de Deus (Efésios 3:19) pois evidentemente é toda a plenitude que podemos comportar, visto que não temos natureza divina, ao passo que Cristo possui TODA A PLENITUDE porque ele é Deus e Criador, Senhor e Salvador. Novamente, uma comparação errônea.

Quanto às essas tentativas concretas e abstratas de rebaixar a Cristo, qual a diferença entre se possuir TODA A PLENITUDE DA QUALIDADE MALIGNA ou TODA A PLENITUDE DA MALIGNIDADE? Nenhuma! - Fernando Galli.
_________________

CARSON, D. A. Comentário Bíblico Vida Nova, página 1909. São Paulo-SP : Vida Nova, 2009.