EVANGELISMO - JESUS É A SOLUÇÃO PARA FAMÍLIAS COM DEPENDENTES QUÍMICOS


Antes de evangelizar famílias com dependentes químicos, ou as próprias pessoas com esses problemas, deveríamos ter alguns pontos em mente. Veja primeiramente uma notícia sobre até que ponto chegou o comportamento de um viciado em drogas e depois leia as considerações baseadas na Bíblia sobre como ajudar os envolvidos.

“Um homem é suspeito de esfaquear a própria mãe, a mulher e o pai na manhã deste domingo na vila Brasilândia, (zona norte de São Paulo). As duas mulheres morreram e o pai se encontra em estado grave.

O pai do suspeito foi encaminhado ao Hospital Geral de Taipas com ferimentos em diversas partes do corpo.
Após cometer o crime, segundo a polícia, o homem trancou a casa com as vítimas e a filha de cinco anos, que assistiu ao crime, e fugiu. A polícia foi chamada por vizinhos, que disseram ter ouvido os gritos da criança.
Segundo testemunhas, o suspeito é usuário de drogas e fica nervoso com frequência.” [1] - Folha de São Paulo, 05/08/2012. 
CONSIDERAÇÕES BÍBLICAS - De acordo com as Escrituras, Deus dá a vida eterna por graça, mediante a fé em Cristo Jesus. (Romanos 6:23; Efésios 2:8-10) Tornamo-nos santuários do Espírito Santo de Deus. (1 Coríntios 6:19) Então, visto que temos a promessa de vida eterna, lemos em 2 Coríntios 7:1 sobre purificarmo-nos de toda imundície da carne e do espírito. Embora estas palavras de Paulo aos corintos pareçam ser uma referência às paixões sensuais (sujeira da carne) e à idolatria (sujeira do espírito) [2], elas podem, por extensão, ser aplicadas a tudo que nos afasta da santidade a Deus.

            Mas como ajudar o não-cristão, ou o cristão que recaiu no problema das drogas, a vencer tal vício? É óbvio que Deus fará a parte dele, todavia, precisamos evangelizar e discipular os que enfrentam problemas com as drogas. Para isso é preciso compreendermos as causas do problema que caminham juntas com os efeitos do pecado sobre o ser humano.

            Gary R. Collins, especialista em Aconselhamento Cristão, afirma que uma combinação de vários fatores podem explicar os motivos que levam uma pessoa a ser dependente: O exemplo dos pais e de outros adultos acostumados a recorrer facilmente a medicamentos, cigarro, tranquilizantes, pílulas para dormir, assim, muitos dependentes foram criados em famílias com problemas de vícios e instabilidade familiar. Outro fator, explica Gary, são as pressões do grupo, pois o consumo é estimulado pela interação social. No final, ele admite que as causas do abuso de drogas são múltiplas: físicas, familiares, sociais, ambientais, psicológicas e espirituais. [3]

Ao ajudar um dependente de drogas, entenda que ele é um idólatra. Mas o que tem a ver idolatria com o vício da droga? Quando João escreve “filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (1 João 5:21), em momento algum em sua carta ele menciona ídolos físicos. Pelo contrário, ele fala da cobiça [ou desejo] da carne e dos olhos. (1 João 2:16) Sobre isso, Edward T. Welch comenta:
“Em outras palavras, as Escrituras nos permitem ampliar a definição de idolatria de forma que inclua qualquer coisa na qual depositamos nossa afeição a ponto de nos entregarmos com um apego excessivo e pecaminoso. Portanto, os ídolos que podemos ver – tal como uma garrafa – representam apenas parte do problema. A idolatria abarca qualquer coisa que adoramos: a cobiça por prazer, respeito, amor, poder, controle, isenção de dor. Além disso, o problema não está fora de nós, localizado numa loja de bebidas alcoólicas ou na internet; o problema encontra-se dentro de nós. O álcool e as drogas são essencialmente aquilo que satisfaz ídolos mais profundos. O problema não é a substância idólatra; é a falsa adoração do coração.” [4]
Então, o problema do viciado em drogas é realmente espiritual, pois sempre que necessitar adorará seu coração. Tratamentos em casas de recuperação para dependentes químicos podem ter seus alguns resultados, mas jamais combaterão a causa do problema: O pecado. O homem sem Jesus Cristo pratica o pecado, pois se agrada em satisfazer a si mesmo. O filho de Deus, pela fé em Jesus Cristo (Gálatas 3:26) não vive pecando (1 João 3:6) ou não peca habitualmente (1 João 3:9). Aos dependentes químicos só lhes resta Jesus Cristo, pois seu sangue derramado na cruz purifica-nos de todo o pecado. – 1 João 1:7.

Na notícia citada de início, observamos um dependente químico descontrolado. Sua idolatria química o levou a atitudes intoleráveis para sua convivência em sociedade. Se encontrado, será preso, e pagará na prisão por seus delitos. Todavia, ainda assim ele pode nascer de novo, por aceitar a obra de Cristo em sua vida. Maravilhoso demais, não acha? Como pode um homem que matou a mãe e a esposa, e tentou matar o pai, ser perdoado? Isto se chama graça de Deus, pela fé em Cristo Jesus, a mesma que todo cristão de verdade recebe. (Efésios 2:8, 9) Não se espante, mas até Hitler teria sido perdoado se no seu último suspiro tivesse recebido a Jesus como o seu único e suficiente Salvador.

O que estamos, então, esperando para anunciar o evangelho às famílias com dependentes químicos? Iremos apenas prometer orar por elas, fechando nossa conversa com o famoso “Jesus te ama”? Pouquíssimo diante de tudo o que Jesus Cristo fez. (Filipenses 2:5-8). Não seria o caso de nos aproximarmos da família, oferecendo ajuda emocional e espiritual, dedicando nosso tempo para falar de Salvação em Cristo Jesus, e biblicamente aconselharmos todos, inclusive o viciado, a obedecer à Palavra de Deus, por adorar exclusivamente a Ele? Por que não visitarmos regularmente a família, oferecendo a elas a oportunidade de considerar passagens bíblicas, possibilitando que gradativamente se alimentem de verdades poderosas na vida delas? (Hebreus 4:12) Isto se chama discipulado cristão, e toda a família, ao aceitar Cristo, verá em nós o caráter dEle nos tornando diferentes, e logo desejarão nos imitar. (1 Coríntios 11:1) Glórias a Deus! - Fernando Galli. 
_________________

[1] http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1132366-homem-mata-mae-e-mulher-na-frente-da-filha-de-5-anos-em-sp.shtml
[2] CHAMPLIN. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Volume 4.  Página 363. São Paulo : Hagnos, 2002.
[3] COLLINS, Gary R. Aconselhamento Cristão : Edição Século 21. Páginas 601, 602. São Paulo : Vida Nova, 2004.
[4] WELCH, Edward T. Vícios: Um Banquete no Túmulo : Encontrando Esperança no Poder do Evangelho. Páginas 73, 74. São Paulo : Nutra Publicações, 2009.