TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E SUAS TENTATIVAS FRACASSADAS PARA IMPESSOALIZAR O ESPÍRITO SANTO - PARTE III

Em artigos passados, publiquei um resposta fulminante sobre as argumentações contrárias à pessoalidade do Espírito Santo. Em resposta, afirmaram que João 16:13, 14 nada prova sobre tal personalidade, pois segundo eles da mesma forma como uma Bíblia pode ensinar e isso não torna essa Bíblia uma pessoa (2 Timóteo 3:16), da mesma forma que uma nuvem pode guiar e de modo algum ser uma pessoa (Neemias 9:19), assim também o Espírito Santo ensina e guia mas não é um ser pessoal.

Argumentos como esses são errôneos. A comparação acima é insuportável, pois a Bíblia e as nuvens jamais são seres pessoais, mas as palavras "espírito" e "santo", no Novo Testamento, e até no antigo, são usadas para seres pessoais. Como podem, então, comparar o que sempre é impessoal com o que é pessoal muitas vezes?


Mas a resposta deles é: "Espírito" e "santo" podem ser usados para seres impessoais. Verdade! Mas o questionamento meu não foi este, mas sim o motivo de se comparar o que é sempre impessoal com o que é muitas vezes pessoal: "Espírito" e "santo".

Outra argumentação absurda dos apologistas TJs sempre influenciados por seus mentores mundiais - o corpo governante: da mesma forma como a sabedoria, a água, o sangue, etc, são às vezes personificados na Bíblia, ou seja, às vezes são tratados como pessoas, assim também o Espírito Santo é personificado, mas não é um ser pessoal.

Mas eu pergunto: Que relação tem o Espírito Santo com substantivos personificados que jamais, nunca, nunca mesmo, foram, é e serão seres pessoais?

Numa das páginas desses "gênios" da EISEGESE (trazer ao texto crenças de fora) em vez de da EXEGESE (extrair do texto crenças internas), um dito SAGA, um TJ, dá vários exemplos de personificações na Bíblia, para provar que o "espírito santo" dos testemunhas-de-jeová é uma força ativa que às vezes é personificada. Vejamos os exemplos dele, e no final o golpe de misericórdia em cima da argumentação dele:


Na mente desses intérpretes, o Espírito Santo é às vezes tratado como pessoa, quando se diz que Ele ensina, fala, diz, guia, mas não pode ser uma pessoa como o Pai e o Filho porque as árvores ungem um rei, mas não são pessoas, então, se as árvores são personificadas, o "espírito santo" das tjs também é "coisa" personificada. 

Então aqui vai o golpe de misericórdia. Releia os textos acima que o dito SAGA postou e pense nessa verdade: O que é personificado jamais é pessoa. O problema é que as palavras "espírito" e "santo" designam muitas vezes seres pessoais. Deus é espírito, os demônios são espíritos, os anjos são espíritos. Deus é santo,  os cristãos são santos. (João 4:24; 1 Pedro 2:9) Usar a personificação de substantivos que JAMAIS são seres pessoais para provar a personificação do Espírito Santo, como se ele fosse algo às vezes personificado, é um desserviço às pessoas. Um erro!

Árvore, coluna, Escrituras, rins, portões, glória, baixadas, ossos, sol, mar, muralhas, obras, montes, céus, sabedoria, sangue, água, terra, vinho, lua, estrelas, e tantos outros substantivos personificados na Bíblia JAMAIS SÃO PESSOAS! JAMAIS! 

Há tjs que dizem: "O espírito santo não pode ser pessoa porque em Revelação 6:7, 8 a morte anda à cavalo." Então, esses tjs arrazoam que assim a morte não é pessoa mas é personificada, assim também o Espírito Santo não é pessoa mas pode ser personificado. Novamente, a morte nunca é um ser pessoal, mas "Espírito" e "Santo" são muitas vezes seres pessoais.

Quanta paciência devemos demonstrar aos TJs! Só o amor e a graça de Deus, mediante atuação do Espírito Santo de Deus, para convertê-los. - Fernando Galli.