EVANGELISMO COM FOLHETOS - COMO USÁ-LOS SABIAMENTE?


Quem somos nós para afirmar que o uso de folhetos no evangelismo nos locais públicos não conduz ninguém a Cristo? Não podemos por a Soberania de Deus em caixas de fósforos. Deus decide como o evangelho alcançará o coração do não-crente.

Entretanto, a participação numa obra que nem aos anjos se permitiu realizar deveria motivar os cristãos a se preparem melhor, com excelência, no uso de qualquer ferramenta de evangelismo. Plantamos e regamos e Deus faz crescer. - 1 Coríntios 3:6. 

Para mim, há uma grande diferença entre anunciar Jesus Cristo e fazer marketing do nome dele. Distribuir folhetos a esmo, sem critério, mesmo que Deus faça sua obra na vida de quem os ler, indica que não estamos dando o nosso máximo para Deus no quesito preparação.

Lembro-me do relato da escolha dos primeiros discípulos de Jesus. No chamado de Filipe, ao aceitar seguir a Cristo, convidou seu irmão Natanael com as palavras: "Achamos aquele de quem Moisés escreveu na Lei, sobre quem os profetas também escreveram: Jesus de Nazaré, filho de José." (João 1:45) Quando Natanael perguntou se podia sair algo bom de Nazaré, Filipe respondeu: "Vem e vê." (João 1:46). O que tem a ver isso com folhetos?

As pessoas a quem damos os folhetos precisam observar em nossas palavras o nosso relacionamento com Jesus. Aquele folheto representa o convite especial para que elas venham e vejam quem Jesus se mostrou ser para cada um de nós, e como pretende salvá-las. 

Com isso em mente, tenho sugerido a escolha de folhetos com um conteúdo que chame mais atenção do leitor. Em primeiro lugar, escolha aqueles que possuem títulos chamativos. Mas se o tema despertar o interesse para a resposta, mas responder com um texto bíblico apenas, o leitor dificilmente compreenderá. Assim, em segundo lugar, escolha folhetos não muito longos, mas com um resposta convincente, clara, e breve, que motive o leitor a querer aprender mais com você, pois você que deve evangelizar e discipular, não o folheto. Em terceiro lugar, estude o folheto. Peça a Deus orientação do Espírito Santo para você usar palavras sábias quando presentear o folheto. Lembre-se que você precisa ser breve. 

Ao estudar o folheto, você criará uma pergunta interessante que realmente será respondida pelo texto.

Também, observe se o folheto contém textos que falam de arrependimento, nova vida com Deus, e principalmente, que não sejam confusos para a pessoa ler e entender.

Outra sugestão: Precisamos considerar a possibilidade da pessoa gostar daquela pequena mensagem e desejar aprender mais. Os folhetos poderão, então, ter o endereço da Igreja e o telefone, com os horários do culto. Ou talvez você ache uma boa ideia deixar ali o seu e-mail. Não recomendo deixar o seu telefone pessoal. Pode ser perigoso. 

Dependendo o local e da situação, talvez você tenha dez segundos, no máximo, para despertar a pessoa para a Palavra de Deus e a mensagem de salvação. Mas poderá acontecer de abordar pessoas com mais tempo, por exemplo, numa fila, num consultório, num meio de transporte, no trabalho, na escola. Então, com uma Bíblia pequena para não constranger a pessoa, ou até com uma eletrônica num celular, leia um versículo mencionado no folheto. Explique porque aquele versículo está ali. Ao concluir, peça à pessoa para ler o texto em casa, ou ali mesmo se ela desejar, e ofereça-se para falar mais sobre Jesus. 

Por fim, sugiro que, quando possível, podemos deixar a pessoa curiosa para uma resposta a outra pergunta que o folheto não faz. Poderá escolher uma dessas:
  • Por que tinha que ser Jesus para morrer por nós?
  • Como sua família pode ser feliz?
  • Por que sofremos?
  • Por que tantas pessoas estão perdendo a fé?

Seja um cristão preparado. As respostas devem estar na ponta da língua, pois a pessoa poderá insistir para você lhe dar a resposta ali mesmo. E isso poderá resultar em mais uma pessoa para Cristo Jesus!

Além desses aspectos técnicos, não se esqueça de orar por seu evangelismo com folhetos. Ore para Deus te dar paciência, discernimento, coragem e sabedoria para lidar com situações ruins. Não seja orgulhoso. Seja você mesmo(a)! 

Achamos o Messias! Depois dessas palavras, Filipe e Natanael aprenderam muito com Jesus. Numa simples mas bem preparada apresentação de um folheto cristão poderemos fazer parte de uma nova história de conversão, quais instrumentos de Deus para o evangelismo e o discipulado Cristão. Por isso, usemos tais ferramentas com excelência pois Deus merece o nosso melhor. - Fernando Galli.