TEOLOGIA - A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS

Se perguntarmos a estudiosos da Palavra de Deus “Você crê que todas as palavras da Bíblia são a Palavra de Deus?”, a resposta de alguns deles será: “A Bíblia inteira não é a Palavra de Deus, mas apenas a contém”. Outros ainda ensinam: “A Bíblia é um livro escrito por homens, portanto, a palavra de homem.” 

Por outro lado,  os cristãos de verdade possuem o conceito correto sobre a Palavra de Deus e sua autoridade. E sobre isso que trataremos nessa lição.


O Que Significa Autoridade das Escrituras

A autoridade das Escrituras , conforme Wayne Gruden, significa que “todas as palavras nas Escrituras são Palavras de Deus, de modo que não crer em alguma palavra da Bíblia ou desobedecer a ela é não crer em Deus e desobedecer a ele”.¹ Os críticos da Bíblia discordam disso. Por quê? Uma das razões é porque seu modo de vida se choca com as Escrituras, então eles precisam tirar a autoridade da Bíblia sobre eles. Outra razão é porque não se deixaram ser ensinados pelo Espírito Santo de Deus, que nos conduz a toda verdade. - João 16:13, 14. 

Todavia, os cristãos, porque aceitaram a Jesus em suas vidas, deixam-se ser ensinados pelo Espírito Santo de Deus, e naturalmente buscam a Palavra dEle como a tesouros escondidos. (Provérbios 2:1-6; 3:1-6) E certamente desfrutamos de paz com Deus por crermos assim.

Evidências da Autoridade das Escrituras

Cremos que toda a Escritura é inspirada por Deus. (2 Timóteo 3:16) Por isso observamos 405 vezes os escritores da Bíblia se expressarem “assim diz o Senhor”. (Veja Êxodo 11:4; Isaías 10:24; Jeremias 30:18; Zacarias 11:4) Então, a intenção do escritor era dar créditos ao autor das palavras primeira mente proferidas e depois escritas. 

Pedro também escreveu que a profecia não teve origem humana, mas os homens falaram conforme eram impelidos pelo Espírito de Deus. (2 Pedro 1:21) Embora Pedro estivesse se referindo ao Antigo Testamento, ele também considerava como “Escrituras” as cartas de Paulo. (2 Pedro 3:16) Por isso, a Igreja Cristã sempre creu na inspiração das Escrituras como prova da autoridade divina, assim podia-se dizer que a Igreja era coluna e fundamento da verdade. - 1 Timóteo 3:15.

A autoridade das Escrituras também é reafirmada quando estudamos a harmonia existente entre os Antigo e Novo Testamentos. O AT cita profecias cumpridas no NT, e o NT confirma tais cumprimentos. (Mateus 1:23; compare com Isaías 7:14; Atos 2:16, 17, compare com Joel 2:28-32) Também, personagens do NT, como o próprio Jesus, citam textos do AT para defenderem a verdade de Deus. (Mateus 4:4; Deuteronômio 8:3). Outra evidência é que Paulo sabia que Deus o inspirava a escrever, por isso afirmava: “O que estou escrevendo é mandamento do Senhor”.—1 Coríntios 14:37. 

Alguns críticos da Palavra de Deus dizem: “Se toda a Bíblia é inspirada por Deus, como Paulo poderia usar a expressão “...ao mais, digo, não o Senhor”?” Mas Paulo estava apenas afirmando que não tinha registros de que aquilo que estava ensinando sobre as mulheres virgens havia sido dito pelo Senhor Jesus, enquanto estava na terra. Assim, de modo inspirado, deu sua própria opinião. Por isso, dizia sobre as virgens: “Sobre isto, não tenho mandamento do Senhor”. - 1 Coríntios 7:25.
Evidência do Espírito Santo da Autoridade das Escrituras

Jesus disse: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem”. (João 10:27) Da mesma forma, os cristãos naturalmente, ao passo que ouvem as palavras da Bíblia, são convencidos pelo Espírito de Deus de sua autoridade. Assim, o Espírito Santo nos ensina e nos leva a toda a verdade, mas para isso precisamos ler as Escrituras, meditar nelas e pô-las em prática. (João 16:13, 14; Salmo 1:1, 2; João 13:17) De fato, os resultados benéficos de se obedecer às Escrituras são uma evidência da autoridade da Bíblia sobre os cristãos.
Se possui autoridade, é verdadeira; Se é verdadeira, evidencia autoridade.

Poderia ocorrer que alguma palavra inspirada de Deus não fosse verdadeira? De modo algum! A autoridade das Escrituras é comprovada pela veracidade de cada palavra, e cada palavra sendo veraz, reforça sua própria autoridade. 

O Deus que inspirou as Escrituras possui veracidade em seu caráter divino. Ele não pode mentir. (Tito 1:2) É impossível que Ele minta. (Hebreus 6:18) Davi reconheceu isso, ao dizer: “...tu mesmo és Deus, e as tuas palavras são verdadeiras”.—2 Samuel 7:28.

Assim, cremos que nada provará que as Escrituras estejam mentindo, ou que haja uma doutrina errônea nelas. A razão principal de crermos assim é que somos cristãos, realmente nascidos de novo da água e do Espírito. (João 3:3-6) Com isso em mente, precisamos levar o verdadeiro evangelho de Jesus, e aqueles que ouvirem e pela fé o aceitarem, crerão naturalmente como nós.
   
Conclusão

Devemos crescer no conhecimento da Palavra de Deus. Não podemos nos contentar com o leite espiritual, mas buscar alimento sólido. (Hebreus 5:13, 14) Assim como, pelo fato de termos aceitado a Jesus, reconhecemos a autoridade da Bíblia:
  • Por conhecer as Escrituras. - 1 Timóteo 2:15.
  • Por buscar nela sabedoria para lidar com os problemas da vida. - Provérbios 2:1-6; 3:1-6.
  • Por práticá-la. - João 13:17.
  • Por obedecer a seus mandamentos. - 1 João 5:3.
  • Por recomendá-la. - 1 Tessalonicenses 2:13.
  • Por pregá-la. - 2 Timóteo 4:2.
  • Por fazer uma defesa da fé diante dos contradizentes. - Tito 1:9.
Deus certamente nos abençoará muito por termos a Palavra de Deus como nossa regra suficiente de fé e prática.
______________

¹GRUDEN, Wayne. Teologia Sistemática: Atual e Exaustiva. página 44.
Observação: Toda a matéria foi baseada nas páginas 44 a 57 da Teologia Sistemática de Wayne Gruden, citada acima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários devem contem no máximo 500 caracteres