COMUNIDADE CRISTÃ AMOR E GRAÇA - ALGUMAS DE SUAS HERESIAS

Tipo de odre no mundo bíblico
À arte de interpretar as Escrituras damos o nome de hermenêutica. Mas à arte de manipular as Escrituras deveríamos rotular de MANIPULÊUTICA*. Canso-me de ver isso nas mentes daqueles que se arvoram em rotular todos de seita e a si mesmo de não-seita. Estas palavras iniciais quero dedicar a uma nova seita que surgiu em São Paulo. Além de possuir um site, esta comunidade divulga suas mensagens em CDs, então, ao ouvi-los, estou me propondo a refutar todas as heresias desta seita.

Em seu CD Destruindo as Velhas Tradições, o Bispo Émerson Viana fala algumas verdades. A mensagem visa mostrar que muitas tradições existem e não estão baseadas na Bíblia. Todavia, insinua que todos os grupos religiosos são seita, menos a dele. Parece que ele criou uma nova tradição, então, há três anos, desde que surgiu com seu movimento: Todos são seitas, menos nós. Ele diz:
"Aqui não é seita. [...] Testemunha de Jeová - você não pode pensar; você tem que pensar conforme a cabeça deles. Assembleiano - você não pode pensar; você tem que pensar conforme a cabeça deles; batista - você não pode pensar; você tem que pensar conforme a cabeça deles. Aqui não! Você pensa conforme está escrito na Bíblia. [...] A seita proíbem estas duas coisas: Você não pode pensar e tem que pensar conforme a cabeça deles". 
Precisamos, então, averiguar cuidadosamente se o pregador realmente está correto ao afirmar que "aqui não é seita". Analisemos, então, o que o bispo ensina:

Logo de início, já há um erro grave na oração deste senhor (respeitamos, mas discordamos). Erro inclusive que alguns cristãos cometem, mas despercebidamente. Observe:
Heresia 1 - "Senhor Jesus, Deus e Pai, obrigado por essa mensagem maravilhosa de hoje [...] em o nome de Jesus, amém. Graças a Deus". 
Resposta cristã - A Bíblia não ensina que Jesus seja o Pai, portanto, é errôneo orar a Jesus, e terminar inclusive a oração em nome de Jesus, visto que foi dirigida a ele. Nas Escrituras, há 179 versículos que mostram o Pai se dirigindo ao Filho e vice versa. Houve diálogo entre Eles antes de encarnação de Jesus, pois lemos que YHWH diz a Jesus "Senta-te à minha direita" (Salmo 110:1), durante a encarnação de Jesus, pois lemos Jesus orar ao Pai muitas vezes, como na cruz, onde Jesus diz: "Pai, em tuas mãos entrego o meu Espírito" (Lucas 23:46), e depois da encarnação e ressurreição, quando João, por exemplo, menciona sobre a revelação de Jesus, que Deus lhe deu (Apocalipse 1:1). Assim, cremos que o Pai e o Filho e o Espírito Santo são o mesmo Deus em três pessoas distintas. Jesus jamais é chamado de o Pai, nas Escrituras. Ele é, certamente, um com o Pai (João 10:30; 14:9-11; 17:21-23), mas nunca a mesma pessoa que o Pai. Essa heresia de chamar Jesus de Pai trata-se de unicismo, ou com algumas variantes, de modalismo, heresia combatida já no século III pela Igreja Cristã.
Heresia 2 - "O cristão-cristão não tem mente religiosa, mas o crente tem. [...] O crente traz tradições religiosas que não estão na Bíblia."
Resposta cristã - O Sr. Émerson Viana criou a diferença entre crente e cristão, mas a Bíblia não faz essa distinção. Por exemplo, no grego, o termo é "pistós", e ocorre 62 vezes no Novo Testamento. E em várias traduções bíblicas é vertido por "crente" em alguns textos, como em João 20:27, quando Jesus exorta Tomé a ser "crente", ou quando Paulo refere-se ao crente Abraão (Gálatas 3:9), ou quando Paulo escreve a Tito para elencar as qualidades de um presbítero, sendo uma delas "ter filhos crentes". (Tito 1:6) Será que Paulo quis dizer que Abraão tinha mente religiosa? Ou que os presbíteros deveriam ter filhos com mente religiosa? A idéia contida aqui é "ser fiel". Quando usamos "crente", queremos exaltar a fidelidade e confiança em Deus, não uma mera credulidade, ou apenas crer que existe. Queremos ressaltar o relacionamento com Deus, não apenas crer como o Diabo também crê.
Heresia 3 - "Se a pessoa não lançar fora suas velhas tradições, se ela não destruir as velhas tradições, ela nunca poderá receber o vinho novo de Deus". 
Resposta cristã - A frase acima, em si, não é herética, mas o contexto dela, ou seja, a mensagem do CD, torna-a heresia. O pregador da mensagem Destruindo as Velhas Tradições baseia-se em Marcos 2:18-22, onde lemos sobre o Jejum. Ali, Jesus responde à pergunta "por que Jejuam os discípulos de João, e não jejuam os teus discípulos?" A resposta de Jesus foi: Enquanto os filhos das bodas têm o esposo (noivo), não precisam Jejuar. Mas quando fosse retirado o esposo (ou quando Jesus fosse morto), jejuariam. Depois Jesus responde: Ninguém põe vinho novo em odres (barris) velhos, ou seja, os discípulos de Jesus não jejuavam porque a mensagem de Jesus (vinho novo) nada tinha a ver com os odres velhos (o sistema judaico e o fanatismo dos fariseus). Como afirma CHAMPLIN, "o legalismo e o cerimonialismo não poderiam ser usados como vasos de uma nova espiritualidade".¹

Enquanto que Jesus usou essas palavras para ensinar que o vinho novo (o evangelho de Jesus) nada tinha a ver com legalismo e o fanatismo dos judeus, o Sr. Émerson Viana usou o texto de Marcos 2:18-22 para ensinar os seus ouvintes que nós somos os velhos odres, pois temos características de "crentes". Quais são elas, na opinião do pregador, e será que são errôneas mesmo? O Sr. Émerson Viana passa a dizer:
Heresia 4 - "Bispo, eu jejuei a vida inteira, e agora que o senhor vem me falar que eu não preciso fazer jejum? O jejum começou com Davi. [...] Por que o senhor não me falou antes? Nem eu sabia [...] Eu jejuei minha vida inteira, graças a Deus, né? Quem sabe você não é meio gordinho, não emagreceu nessa época de jejum. Quem sabe não foi um benefício? Geralmente é um malefício. [...] Uma das primeiras coisas que o médico falou para mim [...] a coisa mais errada que existe no ser humano, que causa doença mesmo, é a pessoa ficar sem se alimentar muito tempo. [...] Come de duas em duas horas.[...] Como é que uma coisa que faz mal para tua vida, que pode causar uma úlcera, uma gastrite pode ser uma coisa de Deus? [...] Eu tenho hoje problema no estômago por causa dos jejuns que eu fazia no passado."
Resposta cristã - Como sabemos, o Sr. Émerson veio da Igreja Universal do Reino de Deus. Assim, ele realmente jejuava com a motivação ensinada pela IURD. Então, com certeza, ele perdeu tempo. Nisso ele está coberto de razão. Muitas seitas praticam o jejum a fim de garantir a salvação, de chamar a atenção de Deus, de se conseguir um milagre. Mas o jejum bíblico não era para esse fim. Era um momento de contrição. Mas o jejum é ordenado na época da Lei aos judeus, não com o nome de Jejum, mas com a expressão "afligir as vossas almas". Muitos comentaristas e estudiosos em Antigo Testamento e língua hebraica confirmam isso. Por isso, CARSON afirma que "a ordem para afligir a alma provavelmente significava contrição (NVI) e Jejum".² Por isso, usa-se no Salmo 35:13 a expressão "humilhava a minha alma com o jejum". 

Além disso, o próprio Jesus jejuou quarenta dias e quarenta noites no deserto. (Mateus 4:2) Será que Jesus não sabia que os médicos de algumas pessoas não recomendam o jejum, ou será que Jesus jejuou porque isso lhe era apropriado? Óbvio que Jesus jejuou com a aprovação de Deus. Assim, em vista de Jesus ter jejuado, que valor teriam as palavras do Sr. Émerson Viana "Como é que uma coisa que faz mal para tua vida, que pode causar uma úlcera, uma gastrite pode ser uma coisa de Deus?" NÃO TÊM VALOR ALGUM! Além disso, existem estudos que provam ser o jejum benéfico, dependendo de como a pessoa se alimenta no restante do dia. Veja por exemplo a opinião de um gastroenterologista sobre o assunto:
Jejum faz mal para o estômago?

Não. “Jejuar não causa nenhum problema para o estômago”, afirma o gastroenterologista Luiz Chehter, da Escola Paulista de Medicina. Na medida em que a pessoa deixa de estimular o estômago com alimentos, o órgão entra numa espécie de dormência e praticamente pára a produção de ácidos que poderiam, sim, provocar problemas. Embora não seja opinião unânime entre os médicos, alguns especialistas afirmam que a prática do jejum traz, pelo contrário, uma série de benefícios. Ao deixar de ingerir alimentos por um período de 24 horas, proporcionaríamos um descanso ao aparelho digestivo e ao organismo em geral. Além disso, o jejum promove uma sensação de bem-estar por estar associado a práticas meditativas e orações. Pode, ainda, aumentar nossa determinação e autodisciplina, pois durante o jejum somos obrigados a exercer um forte controle mental. Não se pode esquecer que, desde a Antiguidade, o jejum tem sido praticado por diversos povos como meio de purificação do corpo e da alma. Na Índia, os praticantes da medicina ayurvédica adotam a abstinência alimentar como forma de desintoxicar o organismo. Os especialistas advertem, no entanto, para certos cuidados que devem ser tomados ao fim do período de jejum. “A pessoa deve adotar uma dieta leve, com ingestão de pequena quantidade de gordura para, aí sim, evitar problemas digestivos”, afirma Luiz Chehter.
Fonte: Clique aqui.

Isso mostra que o jovem Bispo carece de bons métodos de interpretação bíblica e de bons conhecimentos na área da gastroenterologia e da saúde. E se ele tem a liberdade de pregar que somos errados por jejuar, direta ou indiretamente, e nos tachar de crentes e de velhos odres, nós também temos o direito de refutar suas argumentações. Bons estudos, mestre!

Agora, perceba como que a MANIPULÊUTICA será usada para tentar provar que não precisamos celebrar a ceia do Senhor Jesus, porque também faria mal para nós. Veja:
Heresia 5 - "Como é que uma coisa que faz mal para ser humano pode ser uma coisa de Deus? É a mesma coisa aquele negócio da páscoa que está escrito lá em Coríntios [...] Paulo cita assim: "Eis a razão porque há entre vós fracos, doentes e não poucos os que dormem". Então como é que eu vou celebrar uma coisa que pode me causar doença, morte e frieza espiritual? Você acha que eu sou doido de praticar uma coisa que me prejudica? Se fosse de Deus, só traria bênção. Estaria escrito na Bíblia: "É de Deus, então trará bênção, paz e felicidade para você."
Resposta Cristã - Aqui é citado 1 Coríntios 11:23-34. É inacreditável! Ele isolou o versículo "por causa disso, há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem" para insinuar que isso acontecia porque eles celebravam a ceia. Inclusive insinua que é um doido quem celebra a ceia como nós fazemos. Será que este realmente é um bom método de interpretar as Escrituras?

O texto é claro. Não é errado celebrar a Ceia. Jesus a instituiu. (Mateus 26:26-30) Paulo também diz que recebeu do Senhor o que também havia ensinado aos Coríntios, ou seja, a Ceia. (1 Coríntios 11:23) Então, por que Paulo falou sobre haver fracos e doentes e não poucos que dormem? Leia todo o relato e verá que por duas vezes Paulo diz sobre "todo aquele que beber o cálice indignamente" será culpado do corpo e do sangue do Senhor. (1 Coríntios 11:27, 29) Por natureza somos indignos de participar da Ceia, pois somos pecadores. Mas é o amor e a graça de Deus, manifestados em Jesus Cristo, pela morte dEle, que nos possibilita participar da Ceia "até que ele [Jesus] venha". (1 Coríntios 11:26) No grego, a expressão "até que ele venha" é "akhris hou elté". O verbo "vir" (erkhomai) está no aoristo subjuntivo, o que aniquila a possibilidade de Jesus já ter vindo quando Paulo escreveu tais palavras. Assim, o problema não era celebrar a Ceia, mas como se celabrava: Indignamente, ou seja, em pecado. Essa interpretação ajusta-se à expressão "culpado do corpo e do sangue do Senhor". Culpa e pecado andam juntamente. Por isso, no versículo 28, Paulo admoesta a examinarem a si mesmos e depois comerem do pão. A motivação errada deles em ceiar era o problema, não a Ceia. Paulo até mesmo deixa claramente a entender que alguns ceiavam para matar a fome, por isso diz no versículo 34: "Se algum tiver fome, coma em casa, para não se ajuntar para a condenação". 

Portanto, pedimos a toda a membrezia dessa seita que reflitam e passem a seguir a Bíblia e obedecer a Jesus, e celebrem a Ceia até que Ele venha. - Fernando Galli.

* Manipulêutica - Não pretendo de forma alguma insinuar que os membros da Comunidade Cristã Amor e Graça sejam manipuladores na acepção criminal, maléfica, ou ao erro puramente intencional, mas apenas na acepção de manipular e versículos bíblicos de uma forma que acho ser incorreta, visando ensinar que somos errados.
__________

Observação - O Cd aqui referido nos tacha de seita, inclusive a minha igreja batista. Portanto, coube à minha pessoa refutar as argumentações. Nada temos contra a liberdade de culto e de expressão da Cominidade Amor e Graça, todavia, não vemos o menor motivo para nos calarmos diante das palavras do Bispo Émerson Viana.
__________

¹ CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Página 677. São Paulo : Hagnos, 2002.
² CARSON, D. A. Comentário Bíblico Vida Nova. Página 226. São Paulo : Vida Nova, 2009.

3 comentários:

Laudiceia Teotonio disse...

e quando ELE fala em meu nome??????

IACS SEITAS disse...

Prezada Laudiceia, quando Jesus fala "em meu nome" ele não está orando a Deus. Não há um caso nas Escrituras em que alguém ora a Jesus e o chama de Pai e depois termina a oração em nome de Jesus. Deus é um só, mas subsiste em Três Pessoas distintas.

Anônimo disse...

olá, eu sou evangélica da Assembleia de Deus, e tenho escutado muito as pregações e ensinamentos desta comunidade, e tenho visto muitas coisas que eles ensinam que eu não concordo, um exemplo é sobre o jejum que eles dizem que não é para fazer porque é obra da lei, e eles dizem que não para nós imitarmos a Cristo, sendo que Paulo disse, sede meus imitadores como eu sou de Cristo, e acho que eles não fazem o batismo nas águas, gostaria de saber se isto é verdade, se for, se confirma a mentira que eles estão pregando e enganando a muitos, então comecei a pesquisar sobre eles na internet e quando vi este site fiquei surpresa, pois o que eu desconfiava agora esta se confirmando que eles estão ensinando tudo errado. obrigada!