JOVENS E ADOLESCENTES - O CONCEITO CRISTÃO SOBRE MASTURBAÇÃO

Não há um único versículo nas Escrituras Sagradas que fale de masturbação. Isso, em si, não prova que não seja pecado, pois a Bíblia deixa de mencionar muitos pecados por nome, mas nos admoesta de algumas maneiras a evitarmos certos tipos de pecado que incluem outros. Por exemplo, ela fala de nos purificarmos de toda imundície da carne. (2 Coríntios 7:1) Aqui certamente incluem-se todos os pecados que envolvem vícios, como beber, fumar. E quando a Bíblia menciona que os homens seriam egoístas (2 Timóteo 3:2), inclui a masturbação, pois tal prática como que treina a mente a pensar apenas em si mesmo e na sua própria satisfação. Por isso que muitos homens (ou mulheres) preferem a masturbação a satisfazer seu cônjuge.

Além disso, quando se masturba, creio eu com conhecimento de causa, pensamos em alguém. Não me venha com a conversa: "Eu me masturbo pensando no Corinthians". Então, até que ponto não estariamos alimentando a possibilidade de realmente praticar o sexo antes do casamento? Até que ponto não iríamos, depois de casados, praticar a masturbação pensando em pessoas com quem não somos casados? Jó disse: "Fiz aliança com meus olhos; como, pois, os fixaria numa donzela?" - Jó 31:1.

Outra desculpa para justificar a msturbação como não sendo pecado é: "Todos fazem, portanto, se fosse pecado, todos nós estaríamos fritos". Mas não é verdade que todos nós já mentimos várias vezes? Significa isso, então, que a mentira não é pecado? Obviamente que não! Mentir desagrada o Deus verdadeiro. (Romanos 3:4)

Então, como lidar com a masturbação? Deus perdoa aqueles que lutam contra o pecado. Um jovem que lê a Bíblia (Josué 1:8), que ora (1 Tessalonicenses 5:7), que evita filmes pornográficos (Mateus 5:28), mesmo assim poderá vir a se masturbar. Mas porque ele pede perdão e retoma a sua luta para que este pecado não se torne "de estimação", Deus certamente o perdoa. Mas o que dizer daqueles que exageram na dose? Les Parrot comenta em seu livro Adolescentes em conflito:

"Uma preocupação comum em relação a masturbação é "exagerar na dose". Até as matérias que consideram a masturbação "normal" tratam o "excesso" como problema." ¹

Aqueles que incorrem nesse erro esporadicamente podem vir a ter que aprender a lidar com o sentimento de culpa. Para isso, sugiro aos jovens e adolescentes dialogar com pais e educadores cristãos. O pecado deve ocupar o seu devido lugar na mente dos cristãos que reconhecem o valor do sacrifício de Jesus Cristo (1 João 1:7) e jamais deve desanimar o cristão de continuar na luta para fazer o que é correto.

Portanto, a melhor coisa a fazer é evitar o pecado da masturbação e as contingências que o facilitam. Deus entende que na luta contra o pecado podemos errar. Por isso é que temos Jesus, quando pecamos, para nos perdoar. - 1 João 2:1, 2. - Fernando Galli.
________
¹ PARROT, Les. Adolescentes em Conflito: os 36 problemas mais comuns na adolescência: um guia prático para pais e educadores. Página 281. São Paulo : Vida Nova, 2003.

2 comentários:

  1. Posso tomar, se o médico me receitar para casos de hipersexualidade, um remédio para diminuir drasticamente a libido, pois quero parar com o vício da masturbação (já tentei por vários anos parar e não consegui), ou isso seria considerado trapaça, uma vez que outros jovens cristãos se esforçam para acabar com o vício pecaminoso? ( Detalhe: esse remédio é reversível, ou seja, se parar de tomar, volta o libido normalmente) Isso seria como uma forma de desacostumar o organismo com o vício da masturbação, ficando mais fácil parar. Peço perdão cada vez que pratico esse pecado, mas não consigo me controlar e peco novamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não posso, prezado amigo, receitar ou endossar o uso de remédios. Prefiro que você continue lutando contra este vício. O que Deus quer ver em você é luta, e não que você seja perfeito. Lute!

      Excluir

Seus comentários devem contem no máximo 500 caracteres