TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - ELAS ADORAVAM A JESUS DE FORMA RELATIVA (REVISADO E AMPLIADO EM 28.03.2018)

Todo perito sobre Testemunhas de Jeová reconhece que em momento algum a organização TJ ensinou que Jesus devesse ser adorado no mesmo sentido que elas adoram ao "jeová" delas. Mas sabemos também ela, desde os dias de Russell, ensinou a adoração relativa a Jesus, ou seja, adorar a Jeová através da adoração ou reverência a Jesus.

Conforme veremos a seguir, as TJ jamais afirmaram que se adorava a Jesus por se gostar muito dele, conforme alguns apologistas mentirosos afirmam na internet.

Veremos também que a organização TJ mudou várias vezes de ensino sobre se seria correto ou não adorar Jesus neste sentido de adoração relativa.

Veremos também as malandragens de seus apologistas virtuais, tentando dar a entender que elas sempre adoraram a Jesus no sentido de "dar honra" e "gostar muito dele", como na frase: Eu te adoro, meu querido Querubin". Observamemos também que não importa qual o significado de "adorar" que os TJs queiram dar quando afirmavam que adoravam Jesus, o que nos interessa é provar suas constantes mudanças sobre se seria correto ou não adorar a Jesus.

Em primeiro lugar, queremos afirmar que a palavra adorar, em grego, proskynéo, pode significar tanto adorar a Deus como reverenciar e honrar pessoas. Quando a Bíblia usa proskynéo para quem não tem a natureza divina, ou seja, qualquer criatura, traduz-se por adorar ou honrar. Quando proskynéo é usado em relação ao Deus verdadeiro, usa-se adorar. Que ADORAÇÃO pode significar tanto adorar quanto honrar pode ser visto em nossos dicionários bíblicos. Veja:

Dicionário John Davis, página 36. 
Posto isso, a partir de agora veremos que entre os TJs, desde sua fundação, a organização criou um conceito de adoração relativa, de modo que Jeová era adorado através de Jesus. E outras vezes isso não era correto. Veremos que ficaram mancando entre adorar Jesus para adorar Jeová e NÃO adorar a Jesus para adorar a Jeová.

Nos dias de Charles Taze Russell, mesmo sem crerem que Jesus fosse o Deus verdadeiro, admitia-se que de alguma forma Jesus poderia ser adorado.
1a. LUZ (a) - JESUS PODIA SER ADORADO! - "Cremos que o nosso Senhor Jesus, enquanto esteve na terra, realmente foi adorado e assim procedido corretamente." - A Sentinela de 15 de Julho de 1898, página 216, volume encadernado.

1a. LUZ (b) - JESUS PODIA SER ADORADO! - "Muitos da Cristandade poderiam aprender numerosas lições com aqueles sábios gentios [Os Magos]: Eles caíram diante dele, prostraram-se, então fisicamente expressaram sua reverência. (2) Eles adoraram-no em seus corações [...]." - A Sentinela 1 de janeiro de 1906, página 15, em inglês.
Até aqui observamos Russell, embora não crendo que Jesus fosse o próprio Jeová, ensinando a adoração relativa a Jesus, inclusive afirmando que a Cristandade deveria aprender a lição com os Magos que vieram adorar Jesus. É óbvio que sabemos que jamais Russell pretendeu ensinar que os adeptos de sua nova "igreja" deveriam adorar a Jesus no mesmo nível que Jeová. Para os TJs, adoração relativa é adorar a Deus através de Jesus. Veja como isso é verdade:

A Sentinela de 1 de julho de 1971, página 474, 475.

Alguns sites em defesa TJ tentam argumentar que nos dias de Russell, o verbo adorar, na língua Inglesa, significava também reverenciar, gostar muito. Embora isso seja verdade, o que esses malandros não contam é que a própria Sentinela, conforme mostramos acima, não explicou o uso de adoração a Jesus neste sentido, mas na acepção de ADORAÇÃO RELATIVA, ou seja: Adorar a Jeová POR MEIO DE JESUS.

Russell morreu aos 31 de outubro de 1916 crendo que deveria adorar, de alguma forma, a Jesus. E para piorar as provas contra essa organização religiosa, após a morte de Russell, a ele A Sentinela dirigiu as seguintes palavras, conforme trazidas do original:
"Charles Taze Russell, tu tens, pelo Senhor, sido coroado um rei. E pelas eras eternas teu nome será conhecido entre as pessoas, e teus inimigos virão e adorarão a teus pés." - A Sentinela de 1 de dezembro de 1916, página 377, volume encadernado.
Os TJs da época não entenderam que Russell recebeu a mesma adoração que Jeová, mas que Jeová seria adorado através desse ato de honra a Charles Taze Russell.

Argumentando com as TJs: Como pode uma organização se achar a única verdadeira, se o próprio fundador, de 1879 até 1916 não recebeu do Verdadeiro Deus a "verdade" de que não se deveria adorar a Jesus em sentido relativo? E como puderam ensinar que os inimigos adorariam ou reverenciariam Russell aos pés dele para adorar a Jeová? Onde a Bíblia ensina, inclusive, a se escrever declarações a pessoas mortas, como fizeram na ocasião da morte de Russell? Quanta confusão da suposta única verdade!
1a. LUZ (c) - JESUS PODIA SER ADORADO! Jesus continuou a ser adorado nos dias de Rutherford (1916-1942) - "Jeová Deus ordena a todos a adorarem a Jesus porque Cristo Jesus é a expressa imagem de seu Pai, Jeová." (A Sentinela 15 de novembro de 1939, página 339, volume encadernado, em inglês)
A Sentinela 15 de novembro de 1939, p. 339, em Inglês.
 "No milênio, os príncipes conduzirão as pessoas em sua adoração a Jeová e a Cristo." (Vindicação, Volume III, página 295, em inglês)
Vindicação, p. 295, em Inglês.
"As pessoas de todas as nações que obtêm a salvação devem vir à casa do Senhor e adorá-lo ali; isso quer dizer que elas devem crer e adorar a Jeová e ao Senhor Jesus Cristo." (Salvação, página 151, em inglês). 
Salvação, p. 151, em inglês.
Percebeu que nestes textos fala-se de adorar a Jeová e a Cristo? Ora, de que tipo de adoração estão aqui falando? Algumas TJs mal informadas ou até sem caráter chegam a afirmar que o verbo adorar nestas frases tem dois significados: Adorar a Jeová seria serviço prestado de toda alma, mas adorar a Jesus significaria "gostar dele demais", reverenciá-lo. Isto é mentira. Conforme já mostramos, o próprio Corpo Governante TJ ensinou que essa adoração a Jesus se referia a adorá-lo relativamente, ou seja, "adorar a Jeová através de Jesus". E na Sentinela de 15 de novembro de 1939, p. 339 (veja acima), explica-se que Jesus deve ser adorado porque Jesus é a expressa imagem de Jeová, e não porque os TJs gostavam muito dele. Ora, se ninguém é a expressa imagem de Jeová a não ser Jesus, logo Jesus, para os TJs da época, recebia adoração relativa distintiva, pois era unicamente através dele que se podia adorar a Jesus quando se falava em adoração relativa. São simplesmente ridículas as desculpas que dão sobre esses equívocos TJs.
1a. LUZ (d) - JESUS PODIA SER ADORADO! Jesus continuou sendo adorado nos dias de Nathan H. Knorr, até 1954 - "Agora, na vinda de Cristo para reinar como rei na capital da organização Sião de Jeová, para ali trazer um novo mundo justo, Jeová faz dele infintamente maior do que anjos e mensageiros divinos e concordemente ordena-lhes adorá-lo. [...] Visto que Jeová Deus reina agora como Rei [...] então todos os que deveriam adorá-lo devem também adorar e curvar-se [...] a Cristo Jesus, seu Co-regente no trono da teocracia." - A Sentinela 15 de outubro de 1954, página 313, em inglês.
Perceba que o mesmo verbo adorar é aplicado a Jeová e a Jesus. Por quê? Porque se cria que Jeová era adorado através de Jesus e que Jesus poderia ser adorado por ser infinitamente maior do que os anjos e mensageiros. Para início de conversa, apenas Deus pode ser infinitamente maior que os anjos, pois apenas o Criador é infinito, sem limites. Se Cristo é uma criatura, por mais poderoso que ele fosse, ele teria limites, logo, sua superioridade em relação aos anjos teria um limite. Então, não seria infinitamente maior que os anjos. Quanto erro de um grupo que acha ser a única religião verdadeira! No texto acima, chegaram a dizer que os adoradores de Jeová deveriam adorar a Jesus e curvar-se diante dele. Você, que é cristão, se curvaria diante de quem não é Deus? Claro que não! Mas para os TJs, poder-se-ía curvar-se diante de Jesus porque ele é um deus menor, e como tal, poderia receber a adoração relativa. 

Como podemos perceber, de 1879 até pelo menos 1954, ou seja, durante 75 anos, por que Jeová não havia ainda revelado a elas o que hoje o Corpo Governante considera uma "verdade" - Não devem adorar a Jesus? E se esse adorar fosse apenas "gostar muito", "reverenciá-lo", por que não usam então até hoje frases sobre Jesus ser adorado? A verdade é que Jesus era adorado sim pelos TJs, mas de modo relativo, e toda adoração relativa a Deus, em nome de uma criatura, é pecado, pois constitui uma ajuda na adoração a Deus, assim como os católicos usam imagens na adoração a Deus. Eles adoram a Deus reverenciando, venerando as imagens. Isto é adoração relativa. Da mesma forma, os TJs fizeram isso com Jesus, ao adorarem Jeová.

Se fosse um assunto secundário, até poderíamos admitir que Deus tem o seu devido tempo para revelar a verdade progressivamente, mas em questão de como adorar a Deus, será que poderíamos conceber que o Soberano Senhor Jeová, o Todo Poderoso, teria permitido que seus seguidores o adorassem através da adoração a Jesus, ou da reverência prestada a ele, de forma relativa, com um ser criado, como pensam as TJs?

Pois José do Egito, por dedução e atuação do Espírito Santo de Deus, em sua vida, negou-se a adulterar, mesmo antes de Jeová ter dado os Dez Mandamentos, então por que aqueles Estudantes Internacionais da Bíblia e depois, mesmo com o novo nome de Testemunhas de Jeová (1931), ainda não foram guiados pelo Espírito Santo de Deus a não render nenhuma adoração relativa a Jesus com o fim de adorar a Jeová até 1954? Porque não são guiados pelo Espírito Santo de Deus! Interpretam a Bíblia a seu bel prazer, como faz qualquer outra movimento exclusivista.

Amamos os TJs, como pessoas, mas não temos como concordar com essa doutrina que vai e vem, vai e vem, a qual ao mesmo tempo é ensinada pelo grupo como alimento espiritual que vem de Jeová. Observe a mudança:
2a. LUZ - JESUS NÃO PODIA MAIS SER ADORADO!  - "Conseqüentemente, visto que as Escrituras ensinam que Jesus Cristo não é uma co-pessoa trinitária com Deus, o Pai, mas uma pessoa distinta, o Filho de Deus [...], nenhuma adoração distinta deve ser rendida a Jesus Cristo, agora glorificado no céu. Nossa adoração deve ser apenas a Jeová." - A Sentinela 1 de janeiro de 1954, página 31, em inglês.
Sabe por que a Sentinela disse nenhuma adoração distinta deve ser dada a Jesus? Porque as TJs sempre acreditaram que apenas Jeová merece adoração exclusiva, mas de vez em quando ensinavam, ora sim ora não, que Jeová poderia ser adorado através da adoração relativa a Jesus, do prestar homenagem a Jesus.

Contudo, contrariando o que Russell certa vez disse, que uma nova luz jamais anula a anterior, mas soma-se a ela, a nova luz, ou nova interpretação, dizia que se podia adorar a Jesus, evidentemente de forma relativa. Veja:
3a. LUZ - JESUS PODIA SER ADORADO DE NOVO - "Cristo deve ser adorado como Espírito Glorioso, vitorioso sobre a morte na estaca de tortura." - Certificai-vos de Todas as Coisas, página 104, edição de 1960 [a edição de 1970 retirou essa declaração].
O mesmo livro TJ dizia que não se deve adorar criaturas, mas unicamente a Jeová. Mas por que diziam no mesmo livro que deviam adorar apenas a Jeová, sendo que afirmaram: Jesus deve ser adorado como espírito glorioso? Porque desde a origem da organização TJ, ensinou-se a adoração relativa a Jesus. Todavia, de vez em quando a luz mudava e ensinavam que Jesus não deveria ser adorado relativamente.

Mas a luz continuou a brilhar. E novamente adorar a Jesus não foi mais recomendado.
4a. LUZ - JESUS NÃO PODIA SER ADORADO! (DE NOVO!) - "Os trinitaristas que crêem que Jesus é Deus, ou no mínimo uma segunda pessoa do Deus triúno, não gostam das Testemunhas de Jeová dizerem que é antibíblico para adoradores do Deus vivo e verdadeiro render adoração ao Filho de Deus, Jesus Cristo." - A Sentinela de 1 de novembro de 1964, página 671, em inglês.
Percebeu que aqui nada se diz sobre qual o tipo de adoração que não se deve dar a Jesus? O motivo é que de vez em quando se negava até mesmo a adoração relativa a Jesus. Por isso que, para evitar maiores problemas, o Corpo Governte TJ deixou de ensinar em sua "bíblia" mais antiga que Jesus era adorado pelos anjos, em Hebreus 1:6, para ensinar que Jesus recebia apenas homenagesn deles.

Mas o Corpo Governante mudou novamente, e Jesus agora poderia ser adorado de novo, de uma forma relativa, como quiseram ensinar antes em outros momentos dessa história de acender e apagar de luzes:
5a. LUZ - JESUS PODIA SER ADORADO!, mas de modo relativo e só pelos anjos - "Em vista de tudo isso, como devemos compreender Hebreus 1:6, que mostra que até mesmo os anjos ‘adoram’ o ressuscitado Jesus, Cristo? Caso se prefira a tradução "adorar", então se precisa compreender que tal ‘adoração’ é apenas relativa. Pois o próprio Jesus declarou enfaticamente a Satanás que "é a Jeová, teu Deus, que tens de adorar [uma forma de proskynéo] e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado". - A Sentinela de 1 de julho de 1971, página 415; A Sentinela de 15 de janeiro de 1992, página 23.
Aqui está a prova de que a adoração que sempre os TJs ensinaram a dar a Jesus é adorar no sentido relativo, e não "gostar muito", como os apologistas TJs afirmam. Eles mentem e tentam por na mente dos incautos que os TJs adoravam Jesus no sentido de se gostar muito dele. Veja o que um desses malandros ensinou no site dele:


Veja como é feio mentir, para tentar diminuir o impacto do erro de sua "religião". As TJs oficialmente ensinam que a adoração prestada a Jesus é relativa, o que significa adorar a Jeová através de Jesus. (Do ponto de vista cristão, adorar a Deus através de qualquer pessoa ou coisa é pecado, pois toda forma de adoração relativa é pecado!!) Mas o autor do texto acima, um TJ muito mentiroso por sinal, ensina que Jesus é adorado na acepção de gostar muito dele, reverenciando-o. E ainda, ele admite que a Torre de Vigia ensinou adoração relativa a Jesus. Veja:


A mentira está no fato de que desde os dias de Russell, ao se afirmar que Jesus poderia ser adorado, isso se tratava de adoração relativa, que é adorar a Jeová através de se honrar ou prestar homenagens a Jesus. Tanto que na primeira Tradução do Novo Mundo, a "bíblia" TJ, verteram Hebreus 1:6 como "para que os anjos o adorem", e em 1971 ensinaram adoração relativa a Jesus, conforme evidência acima, e 21 anos mais tarde, em 1992, confirmaram isso, nem artigo que repetia a frade da revista A Sentinela de 1971. Veja:
Hebreus 1:6 diz respeito à posição de Jesus abaixo de Deus. (Filipenses 2:9-11) Aqui, algumas versões traduzem pro·sky·né·o por “prestem homenagem” (The New English Bible [Nova Bíblia Inglesa]; Tradução do Novo Mundo) ou por “curvem-se diante” (An American Translation [Uma Tradução Americana]). Se alguém prefere a tradução “adorar”, tal adoração é relativa, pois Jesus disse a Satanás: “É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar [uma forma de pro·sky·né·o] e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado.” — Mateus 4:8-10. Embora o Salmo 97:7, que fala sobre adorar a Deus, tenha sido aplicado a Cristo em Hebreus 1:6, Paulo já havia mostrado que o ressuscitado Jesus é “o reflexo da . . . glória [de Deus] e a representação exata do seu próprio ser”. (Hebreus 1:1-3) De modo que qualquer “adoração” que os anjos prestem ao Filho de Deus é relativa e, por intermédio dele, é dirigida a Jeová.
Nesse ínterim, de Russel a 1992, afirmavam que Jesus poderia receber essa adoração relativa, que Jesus não deveria receber adoração nenhuma, e assim ficaram mancando nessa opinião. E atualmente, não ensinam desde 1992 a adoração relativa a Jesus, algo ensinado desde os dias de Russell até 1992, salvo as mudanças para não se adorar a Jesus em sentido algum. Ou seja, de 1889 até 1992 - 103 anos, os TJs creram em Jesus ser adorado relativamente, depois em ele não receber adoração nenhuma, nem relativa. Onde estava o "deus TJ" que demorou 103 anos para supostamente esclarecer que não existe adoração relativa a Jesus? Na privada com Baal?

Aqui nos convém uma observação interessante. Em 1971, se considera a adoração relativa como possível a Jesus, mas 11 anos antes, lemos num livro das TJs:
"Adoração relativa, usando-se ajudas à devoção físicas, é contrária ao princípio cristão de adoração." - Certificai-vos de Todas as Coisas, página 244, edição de 1960.
E mesmo que se dissesse que essa declaração acima se referia apenas à adoração de imagens e não à adoração relativa a Cristo, a obra das TJs Estudo Perspicaz afirmou:
"Não existe um único caso nas Escrituras em que fiéis servos de Jeová tenham recorrido à utilização de ajudas visuais para orar a Deus ou tenham se empenhado numa forma de adoração relativa." (Estudo Perspicaz das Escrituras, volume II, páginas 92, 93)
Quanta contradição nos ensinos do Corpo Governante! Isso se chama brincar com vidas, e com o próprio Deus.

Atualmente, veja o que ensina o Corpo Governante das TJs sobre se é correto ou não adorar a Jesus?
6a. LUZ - JESUS NÃO PODIA SER ADORADO DE MODO ALGUM!   Só Jeová deve ser adorado! - Portanto, a que conclusão chegamos? Que Jeová, e ninguém mais, é "o Deus verdadeiro e a vida eterna". Somente ele merece receber a adoração exclusiva de suas criaturas. — Revelação (Apocalipse) 4:11." - A Sentinela de 15 de outubro de 2004, página 31.
É importante observar que o Corpo Governante, enquanto admitiu a adoração relativa dos anjos a Jesus, ao mesmo tempo ensinava que só Jeová mereceria a adoração dos humanos. Também, a Tradução do Novo Mundo, a Bíblia dos TJs, edição de 1967, traduziu Hebreus 1:6 por "todos os anjos o adorem", mas as edições posteriores, evitando as provas de que se deva adorar a Jesus, traduziu o texto por "todos os anjos lhe prestem homenagem".

Outras tentativas malandras dos apologistas TJs

O grupo de apologistas TJs A VERDADE É LÓGICA tenta afirmar que ainda é possível se adorar a Jeová através de Jesus, e afirmam ainda que tal adoração não é retida por Jesus, mas dirigida a Jeová. Então, usam o argumento abaixo:


Afirmam: Se o texto diz que eles se prostraram diante de Jeová e do rei, Davi, então isso é uma prova de que se pode prostrar e adorar a Deus com uma intenção (adoração exclusiva) e outra intenção para com o rei, ou seja, reverenciá-lo.

RESPOSTA CRISTÃ - E óbvio que o povo não adorou o rei Davi assim como adorou Jeová. Eles adoraram a Jeová e reverenciaram o rei Davi. Mas isso não significa que o Corpo Governante pensava o mesmo no caso de Jesus. Como vimos nas provas acima, o Corpo Governante ensinou que Jesus recebia adoração relativa. Pergunte a qualquer judeu perito em hebraico se a intenção do texto de 1 Crônicas era ensinar adoração relativa ao rei Davi, ou que se adorava o rei Davi como meio de adorar a Jeová, e você verá que o judeu jamais concordará com isso. Da mesma forma, Jesus nunca recebeu adoração relativa.

Outros malandros TJs tentam argumentar: "O modo como Charles Taze Russell e o povo de Jeová atualmente adora a Jesus sempre significou a mesma coisa: Uma mera adoração no sentido de prestar homenagem."

RESPOSTA CRISTà-  É mentira. Pergunte a esses vagabundos virtuais TJs - os apologistas do A Verdade é Lógica - SE AS TJS, IGUAIS A RUSSELL E SEUS SUCESSORES ATÉ 1992, CREEM QUE JESUS DEVE SER ADORADO DE FORMA RELATIVA, e descobrirá que os TJs atualmente não admitem mais adoração relativa a Jesus.

Conclusão

Termino este texto atualizado em 27 de março de 2018 afirmando: Os TJs virtuais são mentirosos e escondem de seus leitores desavisados que a adoração a Jesus ensinada e abandonada, ensinada e abandonada de novo, ensinada e abandonada de novo, no vocabulário TJ, era ADORAÇÃO RELATIVA, e não adoração no mero sentido de "reverenciar" ou "gostar muito de". Esse tema eu abordava com anciãos de BETEL (SEDE TJ NO BRASIL), em que eles sempre afirmaram: O povo de Jeová errou e reconheceu o erro de se adorar a Jesus de forma relativa. E mudaram isso várias vezes de ensinos. - Fernando Galli.

Postagens mais visitadas deste blog

ESBOÇOS DA FÉ - QUE TIPO DE UVAS VOCÊ PRODUZ? - ISAÍAS 5:1-7

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - DESCULPAS PARA JUSTIFICAR SUAS FALSAS PROFECIAS PARA 1914, 1925 E 1975

APOSTILA - RAZÕES PARA JAMAIS SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ - NÍVEL INICIANTE 1