SALMO 1 - OS DOIS ESTILOS DE VIDA.

Em toda a história da humanidade, dois caminhos diante do homem são postos para ele trilhar: o caminho da vida eterna e os caminhos da morte eterna. Em Deuteronômio 30:19, 20 lemos "a vida e a morte, a bênção e a maldição".

Com certeza, os salvos escolhem o caminho da vida, mas os não-salvos seguem o seu pensar independente do de Deus. Nos dias de Jesus aqui na terra, o Salvador fez um contraste entre "a porta estreita" que conduz à vida e o caminho espaçoso (ou "larga é a porta") "que conduz à perdição". (Mateus 7:13, 14) Evidentemente, os salvos e os ímpios seguem seus caminhos com estilos de vida opostos em relação aos padrões divinos. 

Encontramos no Salmo 1 uma eficaz diferença o andar dos bem-aventurados e dos ímpios. Neste Salmo, canta-se que "Senhor conhece o caminho dos justos", e pelo que aprendemos, Deus nos dá uma pista muito importante que diferencia o caminho do bem e do mal: "O seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite". 

Certamente, há muitos crentões lendo a Bíblia todos os dias, como um ritual de fé, um amuleto para protegê-los do mal. Mas o salmista inspirado compõe uma verdade jamais ausente dos salvos: O prazer pela Lei do SENHOR. Esse parazer move os justos a andar no caminho certo, porque ele sabe que agindo assim está agradando o Deus Todo-Poderoso. De fato, quem tem prazer pela leitura e meditação na Palavra de Deus evita "o conselho dos ímpios", "o caminho dos pecadores" e "a roda dosescarnecedores". 

Em outras palavras, o justo evita a amizade com os que praticam os prazeres do mundo e que persistem nesse caminho "que perecerá". Lembro, aqui, de 1 Coríntios 15:33, que nos alerta sobre o perigo das más associações (ou conversações), e de 1 João 2:15-17, de onde destaco: "porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo", mas aquele "que faz a vontade de Deus permanece eternamente". 

O salmista diz algo parecido: Enquanto o justo prospera, "como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido", "Os ímpios não são assim; são, porém, como a palha que o vento dispersa." Novamente, um contraste subentendido entre vida (árvore) e morte (palha). Ímpios, perversos, escarnecedores - pecadores - não se deixam guiar pela Palavra de Deus, ou por se negarem a conhecê-la, ou por conhecê-la mas se recusarem a praticá-la, ou por estudá-la em seminários e faculdades teológicas liberais e néo-ortodoxas e questionarem a inerrância dos Escritos Inspirados por Deus, chegando até a zombar dela, como um pastor dos muito impostores me disse certa vez: "Quem levar os onze primeiros capítulos de Gênesis a sério, deveria ser internado". 

Viver como ímpio, em desacordo com a Palavra de Deus, não se trata de cometer pecados e sinceramente se arrepender, mas persistir no descaso para com a Lei de Deus. O justo e bem-aventurado se deleita com verdades divinas, as quais os renovam dia-a-dia, como "árvores junto a ribeiros de água". 

Os bons frutos destas pessoas encantam os olhos daqueles que ainda hão de ser salvos, pois suas boas obras lhes dão testemunho de que seu prazer na Lei do Senhor só lhes traz benefícios. Mas as atitudes dos ímpios refletem sua falta de fé na Palavra.  

Assim, que o Salmo 1 nos sirva de grande encorajamento para continuarmos trilhando o caminho do justo, pois em Cristo Jesus já somos vencedores. Nada nos separará dEle. (Romanos 8:37-39) Mas além de andarmos nesse caminho, que demonstremos por nossas ações, como agradecimento por tão grande salvação (Hebreus 2:3) quanto 'amamos a Lei de Deus e que ela é a nossa meditação todo o dia! - Salmo 119:97.

Quanto àqueles que querem uma Bíblia nova, ou que consideram a Bíblia como contendo, e não sendo por inteiro, a Palavra de Deus, que escarnecem dos milagres de Jesus como mitos ou lendas, ou que rejeitam a Bíblia por inteir, é meu desejo sincero a conversão deles, ou então me resta a absoluta certeza de que não nos encontraremos no caminho da vida. E isso não é julgamento, mas veredito, baseado no Salmo 1 e em centenas de versículos bíblicos. Andemos, pois, como cristãos guiados pela Palavra de Deus, mirando nossas ações no exemplo de Jesus Cristo. - Fernando Galli, 22 de maio de 2010.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - DESCULPAS PARA JUSTIFICAR SUAS FALSAS PROFECIAS PARA 1914, 1925 E 1975

APOSTILA - RAZÕES PARA JAMAIS SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ - NÍVEL INICIANTE 1

ESBOÇOS DA FÉ - QUE TIPO DE UVAS VOCÊ PRODUZ? - ISAÍAS 5:1-7