MARIA - O MAIOR EXEMPLO DE INTIMIDADE COM JESUS


Enquanto que o Catolicismo Romano, no decorrer dos séculos, enalteceu Maria com títulos do tipo "medianeira", "advogada", "rainha-dos-céus", "imaculada", o protestantismo, em direção oposta, esqueceu-se dela. E as denominações evangélicas atualmente pouco falam dela, temendo uma associação com a Igreja Católica Romana. 
Diferenças à parte, a Bíblia ensina Maria como "bendita entre as mulheres". (Lucas 1:42) No grego, bendita (eulogéo) significa "falar bem de", "invocar bênçãos em uma pessoa". (Dicionário VINE, página 361. 3a. Edição. 2003. CPAD) Por que bendita? 

Maria era esposa de um justo. (Mateus 1:19) Foi escolhida dentre todas as mulheres para ser a mãe de Jesus, portanto, foi alvo da graça de Deus. (Lucas 1:30) A concepção de Jesus em seu ventre foi obra do Espírito Santo. (Mateus 1:20; Lucas 1:35) Foi a única mulher mencionada na Bíblia cujo filho, ainda em seu ventre, recebeu honras de outro neném, filho de Isabel. (Lucas 1:41) Ela mereceu as maiores honras: dos anjos (Lucas 2:13, 14), dos pastores (Lucas 2:15-18) e até de uma estrela. (Mateus 2:2) Em seus dias com Jesus, amamentou-o, deu banho nele, viu-o crescer e todos os acontecimentos com Jesus, Maria os guardava em seu coração. (Lucas 2:51) Maria, juntamente com seu esposo José (segundo a tradição José morreu bem antes de Jesus) educaram Jesus segundo a Lei de Deus, de modo que a "criança crescia em sabedoria, em estatura e graça, diante de Deus e dos homens". (Lucas 2:52) Acompanhou Jesus em seu ministério (Mateus 12:46-50), observou seu primeiro milagre (João 2:1-12) e evidentementeos outros, e estava junto de Jesus em sua morte na cruz. (João 19:26, 27) Após a morte, ressurreição e ascensão de Jesus, perseverava em oração com os discípulos. (Atos 1:14)
Não consigo entender como alguns pregadores evangélicos chegaram ao cúmulo de dizer que Maria não tinha nada de especial em relação às outras mulheres. Realmente, ser-me-ia impossível a idéia de Deus ter olhado para todas as mulheres daqueles idos e ter dito a Maria: "Vai você mesma." 
Não pretendo apregoar prerrogativas antibíblicas à Maria, mas bendizer o exemplo dela. Diante disso, quão bom se  todos os cristãos pudessem imitar o exemplo de Maria. Construamos, pois, uma história de vida demonstrando intimidade com Jesus. Guardemos em nossos corações o exemplo vívido de Jesus Cristo através da leitura, meditação e aplicação do que o Cristo de Deus ensinou. (João 13:17) Cuidemos de Jesus como Maria fez, quando fizermos o bem a qualquer um dos que herdarão o Reino dos Céus. (Mateus 25:40) Imaginemo-nos observando os milagres de Jesus, o maior deles, a salvação. Sigamos de perto os passos de Cristo, do nascimento até a cruz. (1 Pedro 2:21) Perseveremos em oração, principalmente quando grandes tristezas nos sobrevierem.  
Certamente, Maria representa uma linda ponte entre evangélicos e católicos, e uma enorme oportunidade para o diálogo respeitoso, bem como uma porta aberta para muitos entenderem o papel singular de Jesus em nossas vidas. Diante disso tudo, agradeço a Deus por Maria ter deixado uma linda história de amor, de intimidade e de entrega a Cristo. Quando eu chegar no céu, se Deus me desse a opornidade de escolher qual personagem bíblico eu gostaria de conhecer primeiro, de uma forma muito especial certamente bradaria com alegria: MARIA! - Fernando Galli.
___________

Créditos da foto acima: vanessarosolino.blogspot.com