INTRODUÇÃO AO PENTATEUCO - PERGUNTAS E RESPOSTAS

1. O que significa a palavra “Pentateuco”?

Resposta: “Pente” = cinco; “teuchos” = estojo para o rolo de papiro. Refere-se aos cinco livros de Moisés = Tora.

2. Quem foi o autor?

Resposta: Moisés

3. Qual a importância do Pentateuco?

Resposta: Cósmica, porque explica a causa primária de tudo. Étnica porque explica o surgimento das três divisões raciais do mundo: oriental, negroide e ocidental. Histórica porque narra o surgimento da humanidade e um relato da implantação do reino teocrático no mundo. Religiosa porque retratam o caráter de Deus, sua criação, a queda do homem, as alianças e promessas divinas para trazer um Redentor. E é profética por apresentar a origem dos temas proféticos mais importantes da Bíblia.

4. De que modo o Pentateuco dá ênfase à Pessoa de Deus?

Resposta: Em Gênesis, através da soberania de Deus sobre a criação, o homem e as nações. Em Êxodo, através do poder de Deus para julgar o pecado e redimir seu povo. Em Levítico, através da santidade e provisão de Deus para uma vida santa. Em Números, através da benevolência e severidade de Deus ao disciplinar seu povo. E em Deuteronômio, através da fidelidade de Deus ao cumprir suas promessas.

5. Como o Pentateuco enfatiza o programa de Deus no estabelecimento do seu reino?

Resposta: Gênesis demonstra a necessidade e preparação de um regulamento do reino de Deus. Êxodo mostra como se dá a legislação do reino. Levítico explana a organização espiritual do reino. Números explana a organização política do reino. Por fim, Deuteronômio mostra como o reino foi reorganizado para a vida em Canaã.

6. Quais são os principais temas abordados no Pentateuco?

Resposta: Deus, promessa, dispensações (na opinião de alguns), o reino, Israel, Alianças, a glória de Deus, a obra redentora, missiologia e a pessoa de Jesus como o Criador.

GÊNESIS

7. Qual é o tema do livro de Gênesis?

Resposta: A obra de Deus na criação e na origem da salvação.

8. Qual o título original de Gênesis e como veio a ser assim chamado?

Resposta: Os hebreus lhe deram o nome de Bereshith = No princípio. (Gênesis 1:1) Os tradutores da Septuaginta chamaram-no de Gênesis = origem.

9. Como se questionou a autoria de Gênesis para Moisés?

Resposta: Primeiro, Baruch Spinoza, em 1671, insinuou que poderia ter sido Esdras. Segundo, Jean Astruc (1753) e Johann Eichorn (1780) viram a possibilidade de serem dois autores, devido ao uso de Elohim (E) e YHWH (J). Terceiro, Alexander Guedes (1792) admitiu muitos autores para Gênesis, mas um só redator, baseado em fragmentos. Herman Hupfeld, Karl Graf e Abraham Kuenen (1853-1869) dividiram os documentos (E) em (P) Código Sacerdotal e (D) Deuteronomista. Por fim, Julius Wellhausen (1876) designou a organização clássica da teoria documentária, estabelecendo a ordem JEDP.

10. Como se confirma a autoria do Pentateuco para Moisés?

Resposta: Ele era um homem erudito, que alegou receber a Palavra de Deus (Êxodo 17:14; 34:27; Atos 7:22) Há uma unidade de conteúdo e o estilo de escrita do Pentateuco difere dos outros livros do AT. Cristo e os escritores do NT afirmaram ser Moisés o autor. (João 1:17; 5:46, 47; 7:19; Romanos 10:5, 19) A arqueologia prova que houve intensa atividade escrita antes de Moisés. As tradições judaicas reforçam Moisés como autor. Por fim, Moisés usou documentos mais antigos disponíveis para redigir o Pentateuco (assim como Lucas fez em seu livro, conforme Lucas 1:1-3).

11. Qual a data provável da escrita de Gênesis?

Resposta: 1443 a. C, após receber sua comissão no evento da sarça ardente, provavelmente durante a primeira parte da peregrinação pelo deserto.

12. Qual a extensão histórica de Gênesis?

Resposta: 2369 anos, com a criação do Universo e do homem até a morte de José.

13. Qual o cenário religioso de Gênesis?

Resposta: A religião (relacionamento pessoal) com Deus é o monoteísmo. O pecado (independência e desejos egoístas) entra no mundo (lar, família, descendentes, sociedade em Geral). Deus pune o mundo com o dilúvio. Depois, Deus apresenta seu programa redentor através da escolha de Abraão como o recipiente de sua graça e de suas alianças.

14. Qual o objetivo do Livro de Gênesis?

Resposta: O objetivo histórico é dar uma narrativa autêntica da origem do homem, sua queda, as consequências, a introdução do reino de Deus e dos programas redentores. O objetivo teológico desse livro é salientar a soberania de Deus sobre toda a criação e salientar a responsabilidade do homem perante Deus: obediência traz graça, desobediência traz julgamento.

15. Quais são as contribuições singulares de Gênesis?

Resposta: (1) Gênesis demonstra a soberania de Deus – Ele é a causa primária, Elohim (eterno). (2) Gênesis é o único registro autêntico do início, dando uma visão objetiva de como o mundo e a vida começaram, da queda do homem, da origem das raças e idiomas. (3) Gênesis aborda a entrada do pecado no mundo e as consequências. Deus não foi o culpado, mas proveu seu plano redentor. (4) Gênesis demonstra o Deus verdadeiro julgando de forma grandemente sobrenatural: (a) A maldição advinda do pecado, (b) o Dilúvio, (c) a confusão de idiomas em Babel e (d) a destruição de Sodoma e Gomorra. (5) Gênesis contém seu proto-evangelho, como descrição resumida do reino de Deus e do plano de salvação (3:15): o descendente da mulher esmagaria a Satanás. (6) Gênesis aborda a aliança Abraâmica de Deus com o homem – o fundamento de todo o futuro programa divino para a humanidade. Em seis encontros com Abraão, (a) Deus estabelece a aliança (Gênesis 12:1-3); (b) confirma-a (Gênesis 12:7); (c) amplia-a (Gênesis 13:14-17); (d) ratifica-a num ritual (Gênesis 15:8-18); (e) simboliza-a (17:10) e (f) acrescenta seu juramento (Gênesis 22:16-18). Finalmente, (7) a Cristologia de Gênesis; Cristo é antecipado através de profecias.

16. Quais são algumas profecias específicas no livro de Gênesis sobre Jesus Cristo?

Resposta: Gênesis 3:15; 12:3 e 49:10.

17. Quais são os tipos de Cristo velados em Gênesis?

Resposta: (a) Adão, antes da queda, tipificou Cristo como o cabeça da humanidade. (Romanos 5:12) (b) Abel tipificou Cristo por seu “sacrifício superior” de sangue. (Gênesis 4:4; Hebreus 11:4) (c) Melquisedeque tipificou Cristo como Sumo Sacerdote e Sacerdote-Rei. (Gênesis 14:18-20; Hebreus 7:1) (d) Isaque tipificou Cristo como o descendente longamente esperado. (e) José tipificou a Cristo de muitas maneiras: traído, sofreu pelos outros, depois tornou-se soberano e redime seus irmãos. – Atos 7:9-13.

ÊXODO

18. Qual o tema do livro de Êxodo?

Resposta: Redenção e organização de Israel como povo da aliança.

19. Quem foi o autor?

Resposta: Moisés.

20. Como veio a se chamar Êxodo?

Resposta: Os hebreus lhe chamaram de We’elleh Shemoth (São esses, pois os nomes) – a primeira frase do livro. Os tradutores da Septuaginta chamaram-no de Êxodo (saída).

21. Qual a data em que foi escrito?

Resposta: Por volta de 1440 a.C.

22. Em que três etapas Êxodo divide a vida de Moisés?

Resposta: Os primeiros 40 anos em seu lar, no Egito. Os segundos 40 anos em Mídia, fugindo de Faraó. Os últimos 40 anos de sua vida, no Egito e no deserto, servindo a Deus como profeta, sacerdote e rei – líder de Israel.

23. Faça um resumo da Geografia do Egito.

Resposta: Dividia-se em Baixo Egito (larga região do Delta) e Alto Egito (faixa estreita de 19 km de largura, ao longo do Nilo, numa extensão de 966 km para o sul). Isolado de outros países, dependia inteiramente do Nilo.

24. Quais foram os faraós do tempo de Moisés?

Resposta: Amósis I, Tutmés I, Tutmés II, Amenófis II (com quem Moisés se confrontou).

25. Descreva a religião egípcia.

Resposta: Eram politeístas. Seus deuses principais eram Rá, Amom Rá, Osíris, Hórus e Ptá. A estes eram dedicados templos imensos. A circuncisão era um de seus ritos mais notáveis. Criam na vida após a morte, por isso faziam preparos para o sepultamento, com a preservação de múmias e tesouros.

26. Como era a religião de Israel no Egito?

Resposta: Depois da morte de Josué, Israel aderiu aos deuses egípcios. Deus, mesmo assim, foi leal a sua aliança, mas permitiu que Faraó fosse usado para oprimir o povo de Deus por seus pecados idólatras.

27. Qual o objetivo do livro de Êxodo?

Resposta: Descrever como Deus livrou Israel da servidão do Egito: A saída do Egito, a entrega da Lei e a construção do Tabernáculo (símbolo de Israel se aproximando de Deus e da obra redentora de Cristo para trazer os pecadores a Deus) .

28. Quais são as contribuições singulares de Êxodo?

Resposta: (1) Narra a origem da nação de Israel; (2) Mostra os primeiros milagres sobrenaturais registrados na Bíblia (pragas sobre o Egito); (3) Descreve a instituição da Páscoa para celebrar a salvação e o resgate físico dos primogênitos pela morte de um cordeiro, o que lembraria a necessidade de uma redenção espiritual vindoura e ensinar para nós o significado da morte de Cristo, o cordeiro de Deus (João 1:29); (4) Narra a instituição da Lei Mosaica, a qual revelava os princípios morais e espirituais de Deus a seu povo, visando a santidade deles, sendo esta um acordo ou plano de aliança entre o Senhor e seu povo, de caráter condicional e temporal; (5) Mostra a instituição do Sábado como sinal de aliança entre Deus e Israel (Gênesis 31:13, 17); (6) Conta-nos sobre a construção do tabernáculo, o qual retratava a graça de Deus ao prover um lugar de encontro e comunhão pelo sacrifício de sangue. (Hebreus 9:1-14); (7) Antevê Cristo através de tipos, como: Moisés tipificou Jesus por sacrificar sua posição a fim de libertar o povo e teve a posição de profeta, sacerdote e rei. Arão, o sumo sacerdote, tipificou Cristo como o Sumo Sacerdote (Hebreus 5 e 7); O cordeiro pascal tipificou Jesus como o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:29); O maná tipificou a dádiva gratuita, Jesus, o pão que desceu do céu. (João 6:32, 33, 58).

29. Como o SENHOR se revela em Êxodo?

Resposta: (1) Como o “Eu sou” (Cap 3) – Deus que mantém a aliança; (2) Pelas pragas (Caps. 7-12) – um Deus de punição; (3) Pela páscoa (Cap. 12) – um Deus de redenção; (4) Pela travessia do Mar Vermelho (Cap. 14) – Um Deus de redenção; (5) Pela jornada até o Sinai (fome, sede e guerra, Cap. 14) – Um Deus de poder; (6) Pela Lei (Caps. 20-24) – Um Deus de Santidade; (7) Pelo Tabernáculo, sacerdotes e ofertas (Caps. 25-30) – Um Deus de comunhão; (8) Pela punição em relação do bezerro de ouro (Cap. 32) – Um Deus de disciplina; (9) Pela renovação da aliança (Cap. 33) Um Deus de graça; (10) Pela vinda da glória (Cap. 40) – Um Deus de glória.

LEVÍTICO

30. Qual o tema de Levítico?

Resposta: A necessidade de purificação e da santidade para aproximar-se de Deus.

31. Quem é o autor de Levítico?

Resposta: Moisés, pois o próprio livro declara mais de 30 vezes: “Assim disse o SENHOR a Moisés. Jesus confirma isso. (Mateus 8:4)

32. Como veio a se chamar Levítico?

Resposta: Os hebreus lhe deram o nome de Wayyikra, em razão da primeira frase “O SENHOR chamou”. A Septuaginta o chamou de Levítico por ser um manual levítico para uso sacerdotal.

33. Em que data levítico foi escrito?

Resposta: Cerca de 1440 a.C, depois do Êxodo, durante os anos de peregrinação no deserto, em Cades Barneia.

34. Qual o período de tempo de escrita de Levítico?

Resposta: Cerca de 30 dias, entre 1 de abril de 1444 a.C. e antes de o povo se pôr em marcha em 20 de maio. – Êxodo 40:17; Números 10:11.

35. Qual o cenário religioso que abrange o livro de Levítico?

Resposta: Os israelitas (2,5 milhões) haviam sido libertos do Egito. Agora, estavam no Sinai, em comunhão com o SENHOR, no primeiro ano de libertação (ano teológico). Uma vez recebida a Lei e o Tabernáculo, precisavam ser instruídos quanto à adoração e culto, principalmente para os sacerdotes: leis sobre expiação.

36. Como Levítico se relaciona com outros livros de Moisés?

Resposta: Enquanto os outros livros tratam mais de história, Levítico trata da organização espiritual. (Levítico 19:2) Ele é o centro do Pentateuco e enfatiza a necessidade de comunhão e adoração com o SENHOR. Apresenta a redenção de forma mais plena.

37. Qual o objetivo do livro de Levítico?

Resposta: Convocar o povo de Deus para a santidade pessoal e enfatizar que a comunhão com o SENHOR deve ser baseada na expiação pelo pecado e na sua vida obediente.

38. Quais são as contribuições singulares de Levítico?

Resposta: (1) Contém mensagem direta do SENHOR para Israel (ditado). (2) Contém princípios divinos de santidade (ser separado do que é profano) para o povo de Deus. (3) Contém instrução do SENHOR para a adoração e comunhão, visando a aproximação a Deus. Isso é um relacionamento de amor que envolve a oferta de um animal valioso e o derramamento de sangue. (4) Contém relatos bíblicos de derramamento de sangue, pois sistematiza os diversos significados das ofertas típicas, as quais simbolizam verdades sobre adoração e comunhão para os israelitas (para nós, o sacrifício de Cristo). (5) Contém lições de amar seu vizinho e seu inimigo. (Levítico 19:18, 34) É considerado o Sermão do Monte do AT. O amar o próximo foi mencionado por Jesus. (Mateus 22:39) (6) Relata sobre o grande dia de expiação de Israel. (Bode expiatório e bode emissário). (7) Aborda o calendário sagrado dos sábados (Cap. 23). (8) Prefigura Cristo em sua obra como Sumo Sacerdote, através de Arão.

39. De quais festas sagradas o livro de Levítico fala?

Resposta: (1) O sábado semanal; (2) A festa da Páscoa – dia 14, e de 15 a 22 de abibe. (3) Festa das primícias – 16 de abibe; (4) Festa das semanas (Pentecoste) – 6 de abibe (domingo); (6) Dia da Expiação – 10 de tishri, ou outubro, sexta-feira; (7) Festa dos tabernáculos – 15-22 de tishri.

NÚMEROS

40. Qual é o tema do livro de Números?

Resposta: Preparativos para o serviço na rota do Sinai ao Jordão.

41. Quem escreveu o livro de Números?

Resposta: Moisés, pois o próprio SENHOR ordenou ao legislador que o escrevesse. (Números 33:2) e Jesus e os apóstolos relacionaram Moisés com os acontecimentos desse livro. – João 3:14; 1 Coríntios 10; Hebreus 3; 10:28), e Jesus confirmou Moisés como autor. – João 5:46.

42. Quando Números foi escrito?

Resposta: 1405 a. C.

43. Quanto tempo demorou a escrita de Números e que período abrange?

Resposta: Foi escrito desde a ordem dada pelo SENHOR em 1 de maio de 1444 a. C. para se fazer o recenseamento até pouco antes da morte de Moisés. Abrange um período de 38 anos e 9 meses, de 1444-1405 a. C.

44. Qual o cenário religioso de Números?

Resposta: Esse livro trata de duas gerações de Israel: a primeira havia saído do Egito. Eram murmuradores, ingratos, ciumentos, beligerantes. Seus dois grandes pecados foram a idolatria e a rebelião. A segunda geração precisava receber ensinos sobre os erros da primeira geração, para depois entrar em Canaã.

45. Qual o objetivo do livro de Números?

Resposta: Preservar um registro da paciência de Deus para com o povo escolhido.

46. Quais são as contribuições singulares de números?

Resposta: (1) Aborda o Censo militar e organização de Israel para o serviço e a guerra, bem como instrução de como acampar-se, obedecer às autoridades delegadas e discipliná-lo. (2) Fala do voto de Nazireu. (3) Enumera a rebelião de Israel e as peregrinações desse povo que foi escolhido pela misericórdia de Deus. (4) Mostra o grande castigo do SENHOR em razão da rebelião (revolta e murmuração) – não entraram na terra prometida. (5) Faz a diferenciação entre pecados intencionais (sem expiação) e não intencionais (podiam ser expiados). (6) Narra o caso do profeta Balaão e sua “jumenta falante” – a maldição dos inimigos transformara-se em bênção para Israel, e o profeta que usa seu cargo para proveito pessoal deve ser evitado. (2 Pedro 2:15; Judas 11) (7) Relata que as tribos de Rúben, Gade e a meia tribo de Manasses instalaram-se na Transjordânia, e isso é considerado por Moisés como rebelião. Estes, mais tarde foram os primeiros a serem levados cativos pelos assírios. (8) Mostra os tipos de experiência cristã em Números – lições sobre evitar a rebelião, o perigo de se tornarem endurecidos. (Hebreus 3:12 – 4:8) (9) Proteção, graça e paz como grande invocação e bênção de Israel. (10) Cristologia em Números: A serpente de bronze em uma haste (Números 21:9) tipificava a salvação em Cristo Jesus, que morreu na cruz. – João 3:14.

DEUTERONÔMIO

47. Qual o tema do livro de Deuteronômio?

Resposta: Moisés expõe as leis para a vida em Canaã.

48. Como este livro veio a se chamar Deuteronômio?

Resposta: Os hebreus o chamaram de “elleh Haddevarim” (Estas são as palavras). A Septuaginta chamou-o de Deuteronômio, que significa “Segunda Lei”.

49. Quem foi o autor de Deuteronômio?

Resposta: Com exceção do último capítulo, que narra a sua morte, foi Moisés, o qual se refere a si próprio em 3ª. Pessoa mais de 30 vezes, e pouco antes de sua morte, declarou que tinha escrito esta Lei. (Deuteronômio 31:9, 24-26) Jesus e os apóstolos também confirmaram Moisés como o autor. (Mateus 19:8; Marcos 10:3; João 1:17; 5:46; Atos 3:22; Romanos 10:5; 1 Coríntios 9:9.

50. Em que ano foi escrito o livro de Deuteronômio?

Resposta: Em 1405 a. C.

51. Sob quais circunstâncias o livro de Deuteronômio foi escrito?

Resposta: Israel estava perto das margens do Jordão. Era um povo diferente da primeira geração que saiu do Egito. Embora tivessem conhecido o poder e a vitória como resultados da confiança que depositaram no SENHOR, ainda eram propensos à autojustificação e à idolatria, e estavam debaixo de muitos problemas familiares e sociais.

52. Qual o objetivo do livro de Deuteronômio?

Resposta: Preparar a nova geração de Israel para viver em Canaã mediante uma reafirmação da Lei sinaítica. Procura-se motivar o povo para o amor de Deus e a crer nas promessas de Deus feitas aos seus antepassados. Por isso, vemos a Lei em forma de sermão.

53. Quais as contribuições singulares do livro de Deuteronômio?

Resposta: (1) Suplementar o livro de Êxodo – Enfatiza o amor de Deus por Israel, realça o benefício de guardar os mandamentos, é mais veemente e exortativo que Êxodo, enfatiza a relação inevitável entre obediência e bênção; expressa uma forte preocupação com os necessitados, órfãos, viúvas e estrangeiros, aconselha sobre vida familiar, casamento, divórcio, núpcias e direitos da mulher em geral, acentua a responsabilidade de vários líderes, inclui muitas advertências sobre o perigo da prosperidade; e, finalmente, enfatiza a necessidade de Israel escolher Deus em amor assim como também foi escolhido em amor por Deus. (2) Exibe o Shemá de Israel (Profissão de Fé) – “O SENHOR, o nosso Deus, é o único SENHOR.” (Deuteronômio 6:4) (3) É o livro teológico central do AT. Cita 259 vezes os outros livros do Pentateuco; (4) É o livro mais citado do AT: 356 citações por escritos posteriores do cânon, inclusive citado por Jesus. (5) Menciona quatro Leis espirituais de Israel: (a) Temer e reverenciar ao SENHOR, seu Deus; (b) Andar em todos os seus caminhos e amá-lo; (c) “Servir ao SENHOR de todo o seu coração e de toda a sua alma”; (d) Guardar os mandamentos do SENHOR. (6) Mostra a responsabilidade dos líderes públicos: Juízes, juízes-sacerdotes e reis – aplicar justiça sem parcialidade: abster-se de receber suborno e procurar constantemente conselho na Palavra de Deus. (7) Repete-se a Lei da Retaliação, princípio humanitário de justiça igual para todos. Seu objetivo era restringir o castigo ao limite da ofensa, e jamais deveria ser infligido com malevolência ou vingança. (8) No que se referia à guerra e derramamento de sangue inocente, Israel (algoz de Deus contra Canaã) não deveria ser uma sociedade violenta, mas deviam matar o perverso com uma responsabilidade solene, e não como opção. Muito menos uma pessoa inocente deveria ser morta. (9) Sobre a aliança palestínica com Israel, ele seria hóspede de Deus na Palestina. A terra de Canaã pertencia ao SENHOR e a ocupação dela dependeria da obediência à aliança do SENHOR. (10) Alerta-se também contra o grande perigo da idolatria (mais de 30 referências contra ela). Servia de lembrete quanto aos erros passados e de aviso contra a batalha espiritual que enfrentariam em Canaã, além da militar. (11) Por fim, promete-se um profeta semelhante a Moisés, referindo-se a Jesus Cristo, cuja messianidade e a verdade de suas palavras foram comprovadas por seus milagres, da mesma forma que a comissão de Moisés foi atestada por ser ele um homem poderoso em obras, em palavras e em milagres.

Fernando Galli
Baseado em CONHEÇA MELHOR O ANTIGO TESTAMENTO,
de Stanley Ellisen, Editora Vida, páginas 17 a 75.