DEUS, EU SOU TEU FILHO! QUERO PROSPERIDADE!

Encostar Deus na parede com a expressão acima tem sido uma prática de várias igrejas neopentecostais e pentecostais. São tantos os textos deturpados no Antigo Testamento sobre o tema "prosperidade" que as atitudes errôneas resultantes da má exegese daria, sem exageros, para produzir uma enciclopédia que poderia se chamar: "Como Tornar Deus Seu Caixa 2!" 
Um dos textos comumente usados para esse fim encontra-se no Salmo 1:3: "Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido [tudo quanto ele fizer prosperará, Almeida Revista e Corigida]." Então, esses "doutores em teologia e exegese" argumentam: "Aqui diz tudo o que ele faz lhe será bem sucedido. Aqui não diz alguma coisa, mas tudo!" Que tal um comentário Pentecostal para refutar esse devaneio teológico? Comentando o Salmo 1:3, a Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal afirma:
"A frase "tudo quanto fizer prosperará" não significa que o justo será imune ao fracasso ou às dificuldades. Também não se trata de uma garantia de saúde, riqueza e felicidade. Significa que quando aplicamos a sabedoria de Deus na nossa vida, produziremos o melhor e teremos a aprovação de Deus." 
Assim, sempre tive antipatia a essa crença de que uma vez filhos de Deus, temos que prosperar. Os que mais prosperam são os idealizadores e propagadores dessas aberrações, que vendem seus livros, cobram por suas palestras e pregações, alguns até 10 mil Reais. Assim se prospera mesmo. Obviamente, sempre haverá aqueles que dentre uma grande multidão de ofertantes e dizimistas irão receber um aumento de salário, uma herança, ou sua empresa aumentará os lucros. Tais pessoas irão dar seu testemunho. Serão usadas pela mídia para impactar os pobres, que mal conseguem dar seus dízimos e ofertas. 

Mal sabem que prosperidade também identificava os perversos. Diz o Salmo 73:3: "Pois eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos." Jesus também afirmou: "Porque é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus." (Lucas 18:25) Paulo alertou a Timóteo: "Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição." 
Assim, depois desses textos, pergunto: É correto cobrar Deus por prosperidade? A prosperidade espiritual é consequência da fé verdadeira em Cristo Jesus. Nele somos mais que vencedores. (Romanos 8:37) Mas me entregar a Jesus e exigir em troca bens materiais, dinheiro, carros do ano, jatinhos pastorais à custa de pregação? Nunca! Jamais! Eu sou trilhardário porque sou salvo. Minha esposa e eu passamos nossas dificuldades - só Deus sabe quantas! - e sempre Deus nos abençoou, às vezes no último minuto, quando tudo parecia perdido. Mas nunca espero dEle riquezas materiais, a menos que Deus queira. (Tiago 4:15) Queria ver como estes apregoadores da prosperidade reagiriam se Jesus lhes dissesse: "Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me." - Marcos 10:21.

Será que dentre os pregadores que só pensam em dinheiro, quando estiverem diante de Deus, Ele não os encostará na parede e lhes dirá: "Nunca vos conheci!", ou seja, não sou pai de vocês? - Fernando Galli.