FAZ VOCÊ DE SEU PASTOR UM BURRO DE CARGA?


De acordo com Atos 20:28, o Espírito Santo constituiu bispos (pastores) para cuidarem das ovelhas cristãs. De acordo com Hebreus 13:17, eles prestarão contas das ovelhas. Baseados nisso, muitos irmãos têm procurado agendar nos gabinetes pastorais aconselhamento bíblico para resolverem seus problemas. Por isso, pastores amorosos têm gastado um bom tempo com seu rebanho, instruindo suas ovelhas e aconselhando-as para que resolvam seus problemas e cresçam na fé.

O Escritor cristão David Fisher, em seu livro O Pastor do Século 21, página 148, afirma que "o trabalho de cuidar das almas eternas é desgastante". Na página 181, ele descreve tal trabalho: "O ser humano sofre e tornar-se pastor dói intensamente, pois carregamos o peso das vidas e do destino eterno das pessoas." Mesmo assim, trata-se de uma dor, um fardo alegre para quem realmente é chamado ao ministério.

Todavia, tem-se observado cristãos que poderiam, em vista do tempo, ser maduros na fé (Hebreus 5:11 - 6:2), mas andam sobrecarregando pastores com ninharias - assuntos que uma simples ponderação baseada em versículos bíblicos, com oração, resolveria a questão. 

Outro problema que sobrecarrega os pastores é a falta de conselheiros e líderes nas igrejas. Certo pastor me disse: "Eu chego às 7 da manhã na igreja e saio às 23 horas." Uma igreja sem líderes capazes de aconselhar jovens, adolescentes, famílias, recém-convertidos, ou os que retornam para a fé, acaba não apenas transformando o pastor em burro de carga, mas também pondo cargas impossíveis de serem carregadas. 

Há pais convertidos há muito tempo que procuram pastores para aconselharem seus filhos a escolherem melhor os programas de televisão, a melhorarem suas notas, a evitarem más amizades. Não seria esses assuntos da responsabilidade dos pais? Uma igreja que cresce na fé precisa ser composta por membros capazes de distinguir o certo do errado. (Hebreus 5:14) Nas igrejas em que há vários pastores, outro problema se verifica: Há irmãos que tem por predileção um pastor e, por isso, sua agenda lota e a dos outros não. 

E também não é verdade que a maioria das pessoas que buscam aconselhamento mal sabem manejar a Palavra de Deus? (2 Timóteo 2:15) Se conhecessem as Escrituras melhor, poderiam se beneficiar mais dos pensamentos de Deus.

Com tanta gente para cuidar, quão bom seria se o pastor pudesse dividir as responsabilidades no aconselhamento com outros! Mas em algumas igrejas há pastores que, devido a um excesso de zelo, preferem fazer tudo sozinho. Não delegam responsabilidades do pastoreio, por isso, tornam-se muitíssimo ocupados para resolver os assuntos de maior e de menor seriedade. Tanto estes como aqueles, devido a tantas pessoas os procurarem, acabam negligenciando sua própria família, seu lazer e seu relacionamento pessoal com Deus. E daí cuidam das ovelhas gemendo, e não com alegria. - Hebreus 13:17. 

De quem seria a culpa? A culpa de tudo isso vem da ausência de um discipulado bíblico e eficaz. Há pessoas na igreja que jamais foram discipuladas, pois há igrejas que apenas se interessam por novos convertidos, mas não pelo crescimento de sua fé. Como, então, haverá líderes em aconselhamento cristão? Muitas igrejas já esqueceram o discipulado. Por isso, já se disse: "O Espírito Santo nos discipula." Pode até ser, mas o fazer discípulos é uma ordem dada por Jesus a humanos convertidos e não ao Espírito Santo, que certamente nos auxilia na execução da grande comissão. 

Quando faltam líderes e bons conselheiros, torna-se impossível para o pastor aconselhar e cuidar de todos na igreja em que pastoreia. Por isso, muitos ficam sem receber a devida ajuda e enfraquecem na fé. Portanto, amadureçamos dia após dia na fé. Ser igreja significa compartilhar ajuda mútua. Empenhe-se em ser forte na fé e se tornar um líder que Deus usa. Se o seu chamado não é pastoral, ofereça-se para ajudar seu pastor (ou seus pastores). Que Deus abençõe você, seu pastor e sua igreja. - Fernando Galli.