APOSTILA - PREVINA SUA IGREJA CONTRA OS ENSINOS ERRÔNEOS DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ


Este importante trabalho não tem como por objetivo atacar nenhuma pessoa em particular, pois a constituição garante o direito à liberdade religiosa a todo indivíduo. Não obstante, a constituição igualmente garante o direito à liberdade de expressão. Por isso, observamos as próprias Testemunhas de Jeová atacar abertamente a TODAS as religiões em suas publicações, chamando-as de “religiões falsas”, “Babilônia, a Grande”, dirigidas por Satanás, não importando qual - católica, espírita, evangélica, etc. Se é assim, devem, pois, estar dispostas a enfrentar críticas. Como as próprias Testemunhas de Jeová afirmam tão categoricamente em uma publicação delas: 
“Não é forma de perseguição religiosa alguém dizer e mostrar que a religião de outrem é falsa. Não é perseguição religiosa uma pessoa informada expor publicamente uma religião falsa, permitindo assim que outros vejam a diferença entre a falsa religião e a verdadeira.” - Revista A Sentinela de 15 de Maio de 1964, página 304. 
Esse texto também não tem como por objetivo incitar qualquer tipo de violência contra as Testemunhas de Jeová; pelo contrário! Após o leitor se aperceber do que esse movimento realmente se constitui e o que ele de fato faz com seus membros, poderá ser compelido a ajudá-las, tentando abrir seus olhos e, claro, impedir que qualquer amigo se adiante nos seus ensinamentos, antes que seja tarde. A seguir, um estudo resumido dos principais erros da Organização Testemunhas de Jeová. Faça várias cópias deste estudo e distribua em sua Igreja e vizinhança.



Quem são as “Testemunhas de Jeová”?

Existiu um homem chamado Charles Taze Russell, que, como a maioria das pessoas, tinha lá suas inquietudes espirituais. Membrou-se entre igrejas cristãs, tais como a Igreja Presbiteriana, depois a Igreja Congregacional, mas não encontrou nelas algo compatível com suas ideologias.

Não satisfeito com o encontrado, Russell, logo aos 18 anos, iniciou grupos de estudos em 1870, e posteriormente, em1879, resolveu fundar sua própria religião, com o nome “Os Estudantes da Bíblia”, que foi posteriormente mudado para “Testemunhas de Jeová”, em 1931, quando ele já não estava mais vivo.

Russell dedicou-se muito a sua obra. Não sendo maçom, mas fortemente ligado à maçonaria escocesa, ao lado de seu túmulo encontra-se uma pirâmide posta ali bem depois de seu sepultamento, lavrada em símbolos esotéricos e com os dizeres: “Levantado com Cristo”. Seu túmulo se encontra na área de North Hills em Pittsburgh, no "Rosemont United Cemeteries em Allegheny, no jazigo da família de Betel.

Como todo movimento não cristão, Russell também deixou seguidores. As Testemunhas de Jeová têm como uma de suas principais características fazer visitas não-solicitadas de casa em casa para levar seus ensinos às pessoas, exatamente como elas pensam que Jesus ordenou há mais de 2.000 anos, época em que só se pregava nessa modalidade porque, obviamente, não existiam outros meios de comunicação modernos, tais como rádio, internet, TV, jornais, etc.

São conhecidas popularmente também por rejeitarem transfusões de sangue, mesmo que isso leve a pessoa à morte. Segundo a visão TJ, os membros são levados a crer que quem recebe transfusão de sangue está cometendo um pecado horrível aos olhos de Deus, e assim preferem adotar esta atitude que poderia salvar o próximo da morte.

A questão do sangue

Todos conhecem uma das marcas registradas das Testemunhas de Jeová, a saber, recusar-se a tomar sangue por transfusão. Elas creem que tomar sangue por transfusão, mesmo que seja para salvar uma vida, é um grave pecado contra Deus. Baseiam isto em Atos 15:29 com o uso da expressão "abster-se de sangue". Obviamente, o ‘abster-se de sangue’ aqui se referia a evitar o costume local da época de comer sangue de animais. Essa exortação era apenas uma reafirmação no sentido de não COMER sangue, que já era proibido desde o antigo testamento (Levítico 17:14). Transfusão de sangue é, pois, algo completamente diferente de “comer” sangue. Tanto que se uma pessoa que perdeu 2 livros de sangue ingerir 2 litros de sangue morrerá por falta de sangue. E se uma pessoa que está morrendo de fome receber dois litros de sangue pela veia morrerá de fome.

Sempre observamos notícias na mídia envolvendo a questão da recusa de sangue por parte das Testemunhas de Jeová. Vidas são perdidas por conta dessa interpretação muito particular delas, que vêm do erro histórico que elas cometeram desde 1945, quando a medicina ainda engatinhava em relação às transfusões sanguíneas. O que houve foi a inconsequência dos dirigentes das Testemunhas de Jeová nos EUA na interpretação errônea de sangue transfundido como alimento, além de condutor de nutrientes.

Há uns tempos viu-se um caso de uma criança que tinha leucemia e precisava de transfusão de sangue. Como os pais eram Testemunhas de Jeová, decidiram pela criança que a mesma não iria tomar sangue. Ela faleceu dias depois.

Obviamente essa interpretação que dão a Atos 15:29 é mais do que equivocada. Nem mesmo Russell, o fundador desta organização, pensava dessa forma quando fundou os Estudantes da Bíblia. Eis o que ele disse:

“Ele [Tiago] sugeriu ainda que lhes escrevessem meramente para se absterem da contaminação dos ídolos (versículo 29), e de coisas estranguladas e de sangue — pois comendo tais coisas poderiam tornar-se pedras de tropeço para os seus irmãos Judeus. (Veja 1 Cor. 8:4-13) — e de fornicação.” (Zion’s Watch Tower [Torre de Vigia de Sião], 15 de Novembro de 1892, p. 1473, reimpressões).

A abstenção de sangue mencionada em Atos 15:28-29 era, como já dito, no sentido alimentar, nada tendo a ver com transfusões de sangue, que inclusive nem mesmo existiam na época dos apóstolos.

Todavia, os líderes das Testemunhas de Jeová (Corpo Governante) tentam burlar o próprio entendimento dos incautos por quererem igualar o termo “transfusão” com “alimentação”, dizendo que injetar álcool nas veias seria o mesmo que bebê-lo, sendo assim, injetar sangue nas veias seria o mesmo que comê-lo, e comer sangue, segundo a Bíblia, é pecado. (Raciocínios à Base das Escrituras", página 345) Mas beber álcool não é a mesma coisa que injetá-lo na veia. Bastaria uma única dose de álcool nas veias para matar a pessoa. O mesmo não ocorre com álcool ingerido.

Em face disso, seria interessante saber: Se uma pessoa não-Testemunha de Jeová sofresse um acidente e tivesse muita perda de sangue, escaparia ela com vida se bebesse sangue ao invés de injetá-lo nas veias?

Muitas TJs têm morrido por rejeitarem transfusões de sangue, assim como outras, entre os anos de 1921 e 1952 puderam ter morrido por rejeitarem vacinação contra doenças, e de 1967 até 1980 por recusarem transplante de órgãos.

As falsas profecias do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová

O histórico dessa seita está repleto de profecias não cumpridas. Por várias vezes profetizaram falsamente que o “fim do mundo” iria chegar em uma certa data, provando assim não serem a verdadeira religião “orientada pelo espírito santo de Deus”. Afinal de contas, Deus não poderia apoiar mentiras. Vejamos algumas das falsas profecias em suas publicações no decorrer de sua história:

"...com o fim de 1914 A.D., aquilo que Deus chama Babilônia, e aquilo que os homens chamam Cristandade, já terá passado, como já mostrado a partir da profecia." - Estudos das Escrituras III, 1891, p. 153 (em inglês).

"...o fim pleno do tempo dos Gentios... será alcançado em 1914 A. D... esta data será o último limite para o domínio dos homens imperfeitos... a Igreja [será] levada para casa em um arrebatamento... porque cada membro reinará com Cristo..." - Estudos das Escrituras II, 1888, pp. 76,77 (em inglês).

"A data para o encerramento desta 'batalha' está definitivamente marcada nas Escrituras como sendo outubro de 1914. Ela já está em progresso, seu início datando de outubro de 1874." - Torre de Vigia de Sião de 15/1/1892, pp. 52,53 (em inglês).

"...a completa destruição dos poderes... deste mundo maligno - político, financeiro, eclesiástico - por volta do fim do Tempo dos gentios, outubro de 1914." - Estudos das Escrituras IV, 1897, pp. 604,622 (em inglês).

"A 'batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso' (Rev. 16: 14)... terminará em 1915 A.D., com a vitória completa sobre o governo terrestre...... consideramos uma verdade estabelecida que o final dos reinos deste mundo, e o completo estabelecimento do reino de Deus, se cumprirão próximo do fim de 1915 A.D." - Estudos das Escrituras III, 1915, editorial 101 e 99 (em inglês).

"A data apresentada... à luz das Escrituras precedentes, prova que a primavera de 1918 trará sobre a cristandade um espasmo de angústia maior ainda do que aquele experimentado na chegada de 1914." - O Mistério Consumado, 1917, p. 62 (em inglês).

"Parece conclusivo que as 'dores de aflição' da Sião Nominal estão fixadas na passagem de 1918... há razões para crer que os anjos caídos invadirão as mentes de muitos da igreja nominal, levando-os a uma conduta excessivamente tola e culminando com sua destruição às mãos de massas enfurecidas... Também, no ano de 1918, quando Deus destruir as igrejas e seus membros aos milhões..." - O Mistério Consumado, 1917, pp. 128,129 e 485 (em inglês).

"Seja como for, há evidência de que o estabelecimento do Reino na Palestina será provavelmente em 1925, dez anos mais tarde do que nós uma vez tínhamos calculado [isto é, 1915]." - O Mistério Consumado, 1917, p. 128 (em inglês).

"Por conseguinte, nós podemos esperar confiantemente que 1925 marcará o retorno de Abraão, Isaque, Jacó e os profetas fiéis da antiguidade... um cálculo simples dos jubileus traz-nos a este importante fato." - Milhões que Agora Vivem Nunca Morrerão, 1920, pp. 88-90 (em inglês).

"Devemos presumir, à base deste estudo, que a batalha do Armagedom já terá acabado até o outono de 1975 e que o reinado milenar de Cristo, há muito aguardado, começará então? Possivelmente... A diferença talvez envolva apenas semanas, ou meses, não anos." - A Sentinela de 15/2/1969, p. 115 em português.

É provável que o leitor esteja surpreso com tal sucessão de tantas datas proféticas. As testemunhas de Jeová tentam se defender da seguinte forma:

“Isso foi uma “má interpretação”. Não se tratou de falsas profecias, pois profetizar é falar em nome de Deus, e não foi o que fizemos.”

Todavia, como se intitulam “Testemunhas de Jeová”, com uma liderança que afirma receber de Deus iluminação para escrever verdades em sua literatura, fez tais previsões como se fossem testemunhas de quem? De fato, no Livro As Nações Terão de Saber que Eu sou Jeová, o Corpo Governante (liderança mundial), nas páginas 62 e 270, afirmou que as TJs são profetas semelhantes a Ezequiel que falam em nome de Jeová. Então, que reflitam no seguinte texto:

“Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás.” (Deut 18:22)

De fato, as Testemunhas de Jeová não são profetas de Deus, pois nada do que predizem se cumpre. 

Para piorar a situação da Organização TJ, acreditavam que até a própria vacina era coisa do Diabo. Vejam e tirem suas próprias conclusões:

“A vacinação é uma violação direta do pacto eterno que Deus fez com Noé após o dilúvio. Muito provavelmente existe alguma conexão entre a violação do sangue humano [vacinas] e a difusão de demonismo...e imoralidade sexual." - A Idade de Ouro de 4/2/1931, pág. 293 (em inglês).

Alguns ensinamentos errôneos das Testemunhas de Jeová

Seria um texto muito grande colocar todos os erros que as TJs creem e ensinam. Portanto, veja apenas alguns deles:

(1) As Testemunhas de Jeová negam a ressurreição corporal de Jesus. Para eles, o corpo de Jesus que ficou na sepultura foi, de certa forma, “escondido” por Deus em outro lugar, e um “outro” corpo similar teria sido criado para Jesus, inclusive com as mesmas marcas dos ferimentos (Poderá Viver para Sempre, Páginas 143 a 145). Assim, o Corpo Governante insinua que Deus fez uma falsificação. Afinal de contas, se outro corpo foi dado a Jesus, para que fazer uma “imitação” dos ferimentos dos pregos? Afinal de contas, esse suposto “novo corpo” não foi crucificado. Porém, em desacordo com o ensino das Testemunhas, o Jesus ressuscitado da Bíblia é o mesmo que fora sepultado, pois foi profetizado que a Sua alma não ficaria na sepultura e nem veria a corrupção (Salmos 16:10) Jesus também se apresentou aos discípulos dizendo ser ele mesmo, e não outro corpo materializado. - Lucas 24:39, 40.

(2) Para as Testemunhas, porém, Jesus já voltou “invisivelmente” em 1914(Poderá viver para sempre, página 147). Mais um grande erro. O Cristianismo ainda espera a volta de Jesus e todo olho o verá. (Apocalipse 1:7) Se Jesus tivesse mesmo voltado em espírito em 1914, nem as Testemunhas de Jeová da época teriam visto isto, nem com os olhos literais, nem com os olhos do entendimento, porque foram ensinar isso apenas em meados da década de 1920.

(3) Para as Testemunhas de Jeová, Jesus NÃO é o mediador entre Deus e os homens, mas só mediador de um novo pacto entre Deus e um pequeno grupo de elite “Testemunhas de Jeová ungidas" ou “os 144.000 de Apocalipse 7:4-8 e 14:1-4. Afirmam em suas revistas:

"Claramente, pois, o novo pacto não é um arranjo livre, aberto a toda a humanidade. Trata-se duma cuidadosamente providenciada provisão legal envolvendo Deus e os cristãos ungidos." - A Sentinela 15/08/1989, páginas 30-31.

"Do mesmo modo, o Moisés Maior, Jesus Cristo, não é o Mediador entre Jeová Deus e toda a humanidade. Ele é o Mediador entre seu Pai celestial, Jeová Deus, e a nação do Israel espiritual, que está limitado a 144.000 membros." Segurança Mundial Sob o Príncipe da Paz, página 10.

Com esses exemplos acima, pode-se observar quão errados estão os líderes das Testemunhas de Jeová, a ponto de afirmarem que apenas os dos 144.000 “ungidos” (hoje, são apenas uns 11.800 ainda vivos) são mediados por Jesus, e não como dito em 1 Timóteo 2:5, onde fala-se de Jesus ser mediador entre Deus e os homens, e não entre Deus e um número limitado de homens. Ou seja, das quase 7,7 milhões de Testemunhas de Jeová, apenas 11.800 são mediadas por Jesus, ou apenas 0,8467% delas. E por pensarem assim, chegam até mesmo a ensinar que apenas estes 11.800 já são filhos de Deus, e que 99,15% delas só serão filhos de Deus depois dos 1.000 anos.

Merece crédito essa liderança de “ungidos”, o Corpo Governante, o qual tem profetizado falsamente o fim do mundo e instituído ensinos absurdos, como proibição de vacinas, proibição de transplante de órgãos, alegando isso ser canibalismo (A Sentinela 01/06/68)? Obviamente que não merecem, pois causaram danos irreparáveis a muitas pessoas!

Fácil de entrar. Difícil de sair.

O movimento TJ é um sistema no qual, para se entrar é relativamente fácil, mas é quase impossível de sair, caso algum dia o membro mude de ideia quanto aos ensinos de sua liderança. Se, por exemplo, alguém entra e depois resolve sair da seita, os outros membros são instruídos a não mais conversarem com ela, não importando se são amigos ou parentes (até de primeiro grau, se morando em outra casa). Eles rotulam quem sai dessa organização de “desassociado” (excomungado), e a punição para isso é o corte total ou bem limitado dos relacionamentos. Nem mesmo um “oi” pode ser dito aos desassociados, o que também é uma flagrante e vergonhosa falta de respeito para com as pessoas. Todos viram as costas ou baixam a cabeça para quem se afasta do movimento TJ. Parentes e amigos SÃO PROIBIDOS de conversar com quem abandona o movimento definitivamente.

É por isso que a pessoa, uma vez batizada como ‘Testemunha de Jeová’, não mais pode voltar atrás em sua decisão sem que sofra essa punição severa, injusta e anticristã. Eles dizem que a saída de uma pessoa dessa organização ocorre porque tem um coração mau, sendo, pois, igual à porca que volta ao lamaçal (2 Pedro 2:20-22).

Incitam até mesmo pais a se separarem do convívio dos próprios filhos, caso esses deixem de ser Testemunhas de Jeová (Sentinela 83 1/4 p. 31, 32 Perguntas dos Leitores). É até mesmo proibido orar pela pessoa que saiu da seita, ou seja, nem mesmo podem pedir a Deus pela volta daquela pessoa, seja ela um amigo ou até mesmo parente próximo (Sentinela 72 1/1 p. 31 Perguntas dos Leitores).

Essa é a razão por que algumas pessoas que saem dessa organização resolvem voltar; Sim, a tão grande pressão psicológica advinda do sentimento de rejeição faz com que muitas ex-TJs não consigam suportar a dor do afastamento de parentes e amigos de longas-datas. Com o retorno para as congregações TJs, deverão assistir em média um ano de reuniões sem poder falar com ninguém; daí então serão readmitidos e as outras TJs voltam a tratar a pessoa normalmente. 

Então, mesmo discordando das doutrinas, as pessoas voltam por pura fuga dessa punição anticristã, autoritária e ilegitimamente bíblica. Em resultado disso e de regras humanas impostas pelo Corpo Governante (como a de contar horas de “serviço sagrado” na pregação de porta em porta [Explicaremos isso a seguir]), vemos incontáveis casos de depressão, frustração e desânimo espiritual entre as Testemunhas de Jeová, que se veem diante de dilemas, nunca se sentindo à altura do “nome de Deus” (leia-se “organização”), sendo essas imediatamente listadas para “as amorosas visitas de pastoreio” por parte dos “anciãos” (dirigentes locais) a fim de que os devidos ajustes (‘apertos de parafusos’) sejam feitos e a TJ “fraca na fé” volte a servir à organização delas pensando estar servindo apenas a Deus. Em que elas se baseiam para agirem dessa forma? Elas utilizam o texto de 2 João 10 que diz:

"Se alguém se chegar a vós e não trouxer este ensino, nunca o recebais nos vossos lares, nem o cumprimenteis."

Mas, quem são essas pessoas? A Bíblia se refere àquelas pessoas que não acreditavam em Jesus Cristo como vindo na carne (doutrina esta chamada de docetismo), conforme citado logo acima do texto colocado (2 João 7-9). A Bíblia mostra, pois, que não devemos receber em nossos lares os enganadores que apregoam um outro Jesus Cristo não ensinado nas Escrituras Sagradas, mas para nos ensinar o que creem. O Corpo Governante, entretanto, considera como anticristo os que saem dessa seita, todavia isso não faz o menor sentido. João, em sua Segunda Carta, dirige-se aos cristãos e pede a eles para não receberem o anticristo em seus lares. 

Para essa liderança e seus seguidores, o que saiu dessa organização tornou-se um servo de Satanás, o Diabo. Definitivamente, não foi isso o que Jesus ensinou para aqueles que resolvessem segui-lo. Ensinou a amar e saudar a todas as pessoas, sem exceção, sejam elas nossos irmãos de fé ou não. - Mateus 5:46, 47.

Então, se você ou algum amigo ou ainda um parente está sendo persuadido pelas Testemunhas de Jeová a entrar para esse movimento que alega ser a congregação dos “verdadeiros cristãos”, é bom convencê-los a refletirem bem antes de tomar a decisão de filiar-se ao Corpo Governante. Lembre-se de que aquela mesma pessoa que o trata bem agora e é sorridente com você hoje, poderá virar-lhe as costas amanhã, nem mais o cumprimentando nas ruas, caso você resolva deixar as “fileiras do Reino”, como se autodenominam.

As Testemunhas de Jeová e outros ensinos polêmicos

Muito se falou sobre a história e alguns costumes das Testemunhas de Jeová. Mas perguntemos: E hoje? Apesar de acreditarem em um paraíso terrestre, ensinam que Deus condenará 99,99% das pessoas não-TJs à destruição, sendo somente elas os “justos salvos”. 

Apesar dessas aberrações, podemos identificar, sim, algumas qualidades nesse pequeno grupo. Há muitas pessoas ali dentro que são honestas em seus negócios e fiéis ao seu cônjuge. Se bem que pessoas assim há em qualquer outra religião e até entre os ateus. Há sempre a banda boa e a banda podre, o trigo e o joio em todo e qualquer ajuntamento religioso ou filosófico.

O erro em suas atitudes está mesmo em algumas interpretações errôneas que têm como por base em seu livro guia, sua “bíblia personalizada”, feita sob medida para se ajustar ao sistema de crenças muito particular a elas.

(4) Elas seguem à risca a proibição das transfusões de sangue e até remédios feitos com algumas frações dele. Embora tentem salvar a vida dos filhos com terapias alternativas, optam pela morte dos seus filhos quando o último recurso ou tentativa seria uma transfusão de sangue.

É verdade que os líderes TJs vêm liberando aos poucos algumas frações ou partes do sangue para serem ministradas separadamente; outras elas proíbem. Em outras palavras, as TJs podem beneficiar-se de certos medicamentos feitos com frações ou partes do sangue de outras pessoas, mas elas mesmas não ajudam, com o próprio sangue delas, a produzir-se mais remédios desse tipo. Veja como é verdade que as TJs aceitam remédios feitos com frações de sangue:

"Alguns cristãos podem concluir que visto que frações de sangue podem passar para outra pessoa neste ambiente natural, eles poderiam aceitar uma fração de sangue derivada de plasma ou de glóbulos sanguíneos." - A Sentinela de 15 de junho de 2004, página 31.

Quanto às frações de sangue liberadas gradativamente, perguntamos: Será que não liberaram totalmente o uso do sangue porque seria um choque muito grande para as Testemunhas de Jeová dessa geração, uma vez que muitas delas perderam seus parentes por obedecer a essa doutrina imposta pelos líderes nos EUA? Pense nas Testemunhas de Jeová hemofílicas, por exemplo. Atualmente, quando a única saída é a transfusão de sangue, eles optam pela morte. Assim como no passado os transplantes de órgãos e as vacinas acabaram sendo liberadas após anos de proibição, assim também a liberação total do sangue ocorra e as TJs hemofílicas e outras que necessitam de sangue com urgência possam sobreviver.

(5) As Testemunhas de Jeová também costumam julgar o próximo, pois dizem que somente elas compõem o verdadeiro caminho que conduz a Deus. 

Afirmam que todas os demais grupos religiosos (Católicos, Evangélicos, Espiritualistas, etc.) são membros de “Babilônia, a Grande”, o “império mundial da religião falsa”, e governados por Satanás, o Diabo. Porém, já demonstramos aqui onde residem os ensinos distorcidos e perigosos.

Mas as TJs foram fundadas em 1874, por Charles Taze Russell, e com o nome Estudantes Internacionais da Bíblia. Se somente elas são a religião verdadeira, e antes de Russell fundá-las? Será que depois da morte do último apóstolo de Jesus até 1874 não houve cristãos em uma Igreja Cristã? Será que Jesus ficou sem uma Igreja, chamada de Corpo de Cristo? - 1 Coríntios 12:27; Efésios 4:12.

(6) A doutrina TJ também impõe alguns costumes estranhos, como por exemplo, proibir a participação deles em festas de aniversário, mas ao mesmo tempo permitindo fazer aniversário de casamento.

Dizem que os aniversários natalícios são provenientes do paganismo, por isso não os celebram. Mas as mulheres TJs usam vestidos de noiva, e eles vieram do paganismo também. Dizem que nos dois únicos aniversários que a Bíblia menciona, morreram pessoas inocentes, como o copeiro do Faraó e João Batista, todos eles mortos às ordens de reis maus. (Gênesis 40:20-23; Mateus 14:1-12) Todavia, os reis pagãos mandavam matar pessoas inocentes em todos os dias, não apenas em dias de aniversário. O argumento TJ não faz o menor sentido.

(7) Dizem que Jesus já voltou invisivelmente em 1914, data em que teria começado a Reinar.

Onde a Bíblia ensina isso? Em lugar nenhum. As TJs, na verdade, ensinam essa data pelo seguinte motivo: Elas haviam predito a volta de Jesus para 1914, mas como isso não ocorreu, passaram com o tempo a ensinar que haviam acertado a data, mas errado o acontecimento. Como lhes ficava muito feio o fato de terem predito algo que jamais ocorreu, passaram a ensinar que em vez de Jesus ter voltado em 1914, ele tornou-se Rei nos céus. Todavia, a Bíblia identifica Jesus como Rei dos reis. (Apocalipse 17:14; 19:16) A expressão Rei dos reis significa que não há rei superior a ele. Por exemplo, os reis Atarxerxes e Nabucodonosor foram chamados de "Rei dos reis". (Esdras 7:12; Ezequiel 26:7) Ou seja, aqui na terra, ninguém era superior a esses reis enquanto reinavam. Mas Jesus é o único Rei dos reis (1 Timóteo 6:15), ou seja, no céu, de onde ele reina, e em qualquer outra esfera, ele está acima de todos! Portanto, não faz o menor sentido ensinar que o Rei dos reis reina desde 1914 (ou há cerca de 100 anos)!

(8) Elas evitam receber presentes de amigos espíritas (roupas, brinquedos e até mesmo correspondências), crendo que neles existam chamarizes de demônios.

Caso um espírita presenteie qualquer objeto a uma Testemunha de Jeová em alguma ocasião especial ou não, com certeza este será reduzido a cinzas pela Testemunha que o ganhou. Será que a oração delas e o “deus” delas não teriam o poder de retirar qualquer maldição nesses objetos?

(9) O Corpo Governante desencoraja as TJs a cursar uma faculdade, pois alegam que o ensino superior é, na verdade, uma coisa do mundo, perigoso para a “saúde espiritual” e o suposto “serviço sagrado a Deus”. 

Dizem que é preferível sair nas ruas batendo de porta em porta para distribuir suas revistas do que ingressar numa faculdade. É, pois, exatamente isso que os líderes deles querem, pois quanto menos cultura e informação seus seguidores obtiverem, mais fácil será manipulá-las. Veja como é verdade que desencorajam cursar uma Universidade ou Faculdade:

"Apollo Mukasa, um superintendente de circuito,  foi batizado em 1972. Em 1980, entrou no serviço de tempo integral em vez de cursar uma faculdade. Será que ele se arrepende dessa decisão? “De jeito nenhum”, diz Apollo." - Anuário de 2010, página 121.

"Ao estudar a Bíblia, perdi o interesse em cursar uma universidade." - A Sentinela de 1 de outubro de 2001, página 25.

"Muitas escolas agora possuem conselheiros de estudantes que encorajam a buscar educação superior após o ensino médio, a buscar uma carreira de futuro neste sistema de coisas. Não permita que lhe façam 'lavagem cerebral' com propaganda do diabo, para ir adiante e fazer-se alguém neste mundo. O mundo tem muito pouco tempo. Qualquer futuro neste mundo não oferece futuro algum! ...ingresse no serviço de pioneiro... Betel... ou missionário... uma vida que oferece futuro eterno." - A Sentinela de 15/3/1969, p. 171 (em inglês).

O que você precisa fazer para ajudá-las a serem libertas?

Comumente, ouvimos reclamações sobre as Testemunhas de Jeová no sentido de tomarem o nosso tempo em algum momento que estamos ocupados. De fato, em alguns casos elas parecem ser bem insistentes, mesmo que nós não demonstremos interesse algum em sua visita. Por que isso acontece? 

A verdade é que elas têm uma certa tarefa a cumprir. Todo mês elas têm de entregar um “relatório de serviço de campo” para seus líderes, constando uma mínima quantidade de horas trabalhadas. Caso elas não preencham esse relatório, ficam sujeitas a certa pressão psicológica dos seus líderes. Assim, mesmo que digam que insistem “por amor ao próximo” e porque “a mensagem é importante para salvar vidas”, o motivo pelo qual insistem tanto é este: cumprir horas de serviço e relatar para mostrar espiritualidade. Não é incrível? Onde, na Bíblia, recomenda-se que pregar está associado a contar horas e relatar isso numa folhinha de papel a homens? 

Ora, a Testemunha insiste em ficar falando mesmo que o morador demonstre claramente não estar interessado. Ela não fará isso totalmente motivada por interesse em ajudar as pessoas, e mesmo que tivesse tal desejo, há o dever de cumprir a quota mínima de horas mensais (a média mundial de 10 horas mensais) para colocar em um “relatório de campo”. Esse legalismo é fruto pobre de homens da liderança das Testemunhas, em Nova York, EUA, que desejam controlar a quantidade de publicações distribuídas e fazer com toda TJ esteja engajada nessa “colocação de literatura”, a qual buscam “doações para obra do Reino”.

Como ajudá-las, então, a saírem dessa seita? Não seja descortês e mal-educado. Lembre-se de que elas estão em uma situação de pressão para cumprir com as obrigações impostas pela liderança delas, e por isso podem também estar sofrendo com isso, muito embora não admitam. Uma possível alternativa seria propor a elas para ler o conteúdo desse folheto. O seu papel é ajudá-las a se livrarem de uma liderança que as escraviza. As TJs estão sinceramente enganadas, e precisam descobrir que a verdade não é a organização a que pertencem, mas Jesus, que disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. (João 14:6) Ele também disse: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:32) Caso você tenha dificuldades em ajudá-las em seu portão usando este material, estude-o junto com um cristão experiente na Palavra de Deus. Que nossos esforços em evangelizar as TJs e conscientizá-las de seu erro deem resultados positivos para a honra e glória de nosso Deus – Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Wesley Minaré & Fernando Galli
Ex-Testemunhas de Jeová.
Cristãos da Assembléia de Deus e Igreja Batista, respectivamente. 

Postagens mais visitadas deste blog

VÓ ROSA - APOSTILA PARA ESTUDAR AS CRENÇAS DA SEITA

CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL - LIBERTANDO-SE DE UMA INVERDADE CABELUDA

ESBOÇOS DA FÉ - QUE TIPO DE UVAS VOCÊ PRODUZ? - ISAÍAS 5:1-7

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ - DESCULPAS PARA JUSTIFICAR SUAS FALSAS PROFECIAS PARA 1914, 1925 E 1975

O QUE SIGNIFICA SER MANSO?

APOSTILA - RAZÕES PARA JAMAIS SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ - NÍVEL INICIANTE 1

CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO AMIGO - PROVÉRBIOS 17:17

MAÇONARIA - UM SEGREDO SOBRE AS ORIGENS DE SEUS SINAIS SOLENES.

COMUNIDADE CRISTÃ AMOR E GRAÇA - ALGUMAS DE SUAS HERESIAS